História Purposely - Segunda temporada (Accidentally) - Capítulo 43


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Anylan Alash, Eliza Alash, Incesto, Mary Sue, Mathias Enfregdor, Milena Karma, Orange, Original, Saga, Self-inserction, Yuri
Exibições 29
Palavras 1.827
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Artes Marciais, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Famí­lia, FemmeSlash, Festa, Fluffy, Lírica, Luta, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo-Ai, Slash, Suspense, Yuri
Avisos: Álcool, Cross-dresser, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Self Inserction, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Bom, vou deixar outro aqui, espero que gostem. Desculpem a minha demora para postar, eu ando sem ideias e ando também muito entretida kkkkkk

Capítulo 43 - Viagem part II


Fanfic / Fanfiction Purposely - Segunda temporada (Accidentally) - Capítulo 43 - Viagem part II

- Eu posso saber o que vocês estão conversando? Disse com uma aura maligna. 

Ambos se arrepiaram com o toque e levantaram as mãos em sinal de rendição, e com o susto deles quem riu foi eu. 

- Bobões, voltem ao trabalho de vocês e parem de encher o saco da Anylan, e ah! Sandro, obrigada por estar cuidando dos meus arquivos também, é uma grande gentileza sua. 

- Claro, mas depois quero que marque um dia para passarmos alguns dias fora do país ou em alguma casa perto da praia, você quem sabe. 

- Claro, pode deixar. - Disse rindo. 

Luna queria ficar lá, batendo papo, ela adorava fazer aquilo, e só faltava Sandro puxar o pé dela, eu não continha as risadas até ambos sumirem e eu ouvir barulhos de coisas caindo (ou seja, eles devem ter despencado no chão e começado a se estapear) Eu olhei para Anylan que também tentava segurar a risada e quando paramos eu peguei me sua mão e começamos a caminhar para fora do hospital. 

- Quem é aquela garota? 

- Uma amiga, ela me ajudou com um momento difícil na faculdade, ficávamos o tempo todo batendo papo, e ela sempre foi desastrada e atrapalhada, e eu a recomendei para o hospital. 

- Ue, mas ela só vai mexer com os papeis do hospital? 

- Não, pelo contrário, não só os papeis da empresa como ela é uma grande médica, e vai me ajudar em sua cirurgia dos olhos, ela é uma especialista nesse caso e vou precisar da ajuda dela para saber se a minha tese estará certa. Sem a ajuda dela os procedimentos seriam até mais complicados e esperar alguém vir de outro país resolver os problemas, então ela vai ser de grande ajuda. 

Anylan entendeu do porque ambas eram idiotas juntas, e ficou confusa pensando nas idiotices que eu e Luna fazíamos quando andávamos lado a lado. Entramos no carro e eu dirigi até a casa de Anylan, estacionando ao lado do carro de seu pai, o mesmo estava em casa e abriu a porta já preocupado. 

- Onde estavam?

- Ela na noite passada dormiu na minha casa, peço perdão por não termos tido avisado senhor. 

- Ufa, eu tinha ficado tão preocupado, me liguem da próxima vez. 

Anylan se aproximou e me abraçou por trás, me dando um beijo na bochecha, o pai dela já olhou levantando a sobrancelha e já sabia o que havia ocorrido ontem para que ela não voltasse para casa, ainda acompanhando o machucado em seu pescoço deve ter pensado coisas até piores. 

- De uma coisa eu tenho certeza, a noite foi boa. 

Eu fiquei vermelha de vergonha, ele começou a rir e entrou para dentro, deixando a porta aberta, acompanhamos ele e após entrarmos ele fechou a porta e me sentei com Anylan no sofá, Eliza parece sentir nosso cheiro, pois chegou logo em seguída na sala, descendo as escadas,  ela me viu e já sorriu de um jeito safado, tipico dela, e veio para perto de mim.

- Olá gracinha, a quanto tempo eu não... vejo você. 

- Oi para você também senhorita Eliza

- Porque não veio aqui antes, veio pela saudade de mim? 

- Na verdade não, vim aqui para conversar com seu pai sobre alguns assuntos

- E quando arrumará um tempo para mim?

- Não vou arrumar um ''tempo'' pra você, tenho coisas a fazer. 

- Tipo o que? 

- Bom, o tempo que arrumei com a sua irmã ontem a noite já foi o bastante para que eu esquecesse da agenda dos outros dias, mas espero estar recuperada depois da nossa viagem. 

O pai dela se aproximou confuso e disse:

- Vão viajar com Anylan nesses estados? 

Eu virei para ele e bufei e logo sorri, eu imaginei que ele fosse falar algo de mal mas mesmo assim resolvi propor a viagem. 

- Não se preocupe senhor, era sobre isso que eu queria conversar com você, Anylan ligou para a mãe dela, até choraram ao telefone enquanto conversavam, eu propus que a mãe de Anylan viesse ficar um tempo com vocês, até ela se recuperar após a cirurgia que será daqui algumas semanas, Anylan disse que buscaria ela em casa e eu vou com ela, então queria convidar o senhor para vir conosco nessa viagem. 

- Mas... vou atrapalhar se eu for, é melhor irem sozinha se for para buscar a mãe de Anylan. 

- Preciso que vá conosco senhor, pois caso eu tenha imprevistos você estará lá para guia-la. 

- Certeza que não vou incomodar então?

- Absoluta, então vou pedir que vocês dois arrumem suas malas, eu vou para casa agora arrumar as minhas e comprarei as passagens pela internet para hoje a noite. 

- As passagens deixe conosco, sabemos como fazer isso de forma mais rápida. 

- Como quiserem, bom vou indo pois tenho que arrumar as minhas coisas e orientar a minha mãe com Alice. 

Eu virei para Anylan e me abaixei, e beijei o canto de sua boca, ela não se contentou apenas com aquilo e me beijou com vontade, e os meus pensamentos safados começavam a surgir, quando o ar entre nós ficou pesado eu parei e ela me abraçou com força. 

- Logo volto para ficar com você ok meu anjo.

- Vê se não demora por favor, quero ficar mais tempo com você.

- Sem problemas amor. 

Eu peguei as minhas coisas e olhei para Eliza com um cara um pouco nojenta, pois mesmo ela sendo mais velha que nós era uma babaca, a mesma me olhou com o mesmo olhar de desejo e quando virei as costas ela se aproximou de mim para me agarrar e se não fosse Anylan entrar na frente ela iria conseguir, ambas ficaram paradas uma para a outra. 

- Se você se aproximar dela com outra intenção eu te juro que mesmo cega eu te matarei Eliza. 

- Para amor, deixa ela, se ela ousar em me agarrar eu mesma vou cuidar dela com agressividade. 

Anylan empurrou Eliza e se subiu as escadas até seu quarto, o cachorro guia dela correu atrás para guia-la, eu olhei para Eliza e logo virei novamente, saindo da casa e indo até meu carro. Estava um pouco transito e eu olhava sempre a hora, praticamente ficando louca, eu teria que me aprontar rápido e tomar novamente outro banho. [...] Após chegar em casa saí do carro e o fechei com pressa, entrei em casa e Alice estava junto de uma amiga, que eu sempre via brincando, ela se aproximou de mim e me puxou para um beijo na bochecha e eu aproveitei e peguei em sua mão. 

- Titia vai viajar durante alguns dias, no máximo quatro dias, eu vou pedir que você se comporte, que cuide da vovó e do vovô, e que seja uma garota obediente, e nada de dormir tarde ou ficar comendo guloseimas a noite mocinha, vou pedir que fiquem de olho em você. 

- Ta bom tia... Mas eu vou ficar sozinha? 

- Não, claro que não, como eu disse sua vovó e seu vovô vão estar aqui, e eu logo volto, eu preciso fazer uma surpresa com Anylan, vamos buscar a mãe dela para que ela fique também muito muito muito feliz, e eu te prometo uma coisa, quando voltarmos da viagem eu e você e se quiser a Anylan vamos ao parque central fazer um piquenique, ou se preferir podemos viajar juntas com dois dos meus amigos de trabalho. 

Ela pulou em meus braços e me abraçou com força. - Promete?

- Prometo, e é promessa de dedinho. 

Ela me beijou mais uma vez e eu fui falar com a minha mãe, conversamos um pouco e ela me recriminou por não passar tanto tempo com Alice, e que eu estava fazendo errado. Eu expliquei a ela o que eu queria fazer e após isso ela entendeu um pouco a situação e aceitou cuidar da Alice, prometi que após voltar iriamos ou fazer um piquenique ou iriamos viajar com Anylan, e eu vou cumprir a promessa que eu mesma fiz. 

Eu fui até meu quarto e peguei apenas uma bolsa, colocando algumas roupas dentro, já que passaríamos apenas um dia ou dois dias. Após arrumar tudo retirei as roupas e fui caminhando até a banheira do quarto, eu observei meu corpo pelo espelho e pude ver marcar pelo meu corpo, de chupões e beijos, e só de pensar que eu não havia visto aquilo e que saí de casa daquela forma eu comecei a rir, e me sentei na banheira ainda rindo. Comecei a lembrar das coisas que eu e Anylan fizemos ontem e afundei a metade do rosto dentro da água e fiquei assoprando, fazendo bolhas, meu rosto queimou de vergonha e eu fiquei um pouco excitada, confesso.  Não fiquei muito tempo na banheira pois eu precisava ir, então sai e coloquei um vestido azul claro que ia até as coxas, os dois botões de cima ficaram abertos pois quase todos estavam fechados e coloquei um casaco mais escuro um pouco maior que o vestido. Peguei meu all star de cano alto preto e os coloquei, e por fim o chapéu feminino preto.

Peguei a bolsa que estava em cima da cama e desci as escadas com minhas chaves, me despedi de Alice com um abraço apertado e repeti todas as coisas que combinamos, que eu queria que ela fosse obediente e que não fosse dar trabalho a avó, e que dormisse cedo pois havia aula e se ela fosse todos os dias a chance de viajar com ela seria maior (Já que ela escolheu viajar comigo e Anylan) Ela aceitou e eu fui para fora de casa, minha mãe e ela ficaram esperando eu sair com o carro e logo voltaram para dentro por causa do frio, dirigi até a casa de Anylan e quando eu cheguei lá bati na porta e o pai dela bem arrumado abriu para mim e me abriu espaço para entrar. 

- Anylan está te esperando no quarto

- Ah, obrigada, vou lá. 

Eu subi as escadas e evitei cumprimentar Eliza, eu bati na porta e senhorita Dona não deixou eu entrar, disse que Anylan estava quase pronta, esperei rindo um pouco e logo ela abriu a porta e saiu, deixando eu e Anylan a sós. Entrei dentro do quarto e ela estava bem arrumada, um sapato preto de cano alto, aberto nas últimas partes que o cadarço passava, a calça escura que estava dobrada uma vez no final, a camiseta social de botões azul claro, apenas aberta no primeiro botão de cima, as mangas dobradas até um pouco a baixo dos cotovelos e um colete preto masculino, eu fiquei doida do jeito que ela estava, e me aproximei dela, passando os meus braços atrás de sua nuca e a deitando na cama, beijando-a. 

Nos estávamos quase nos descontrolando juntas e foi ai que parei, me afastando dela. 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Notas Finais


Adoro


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...