História Put You Down - Capítulo 153


Escrita por: ~

Exibições 301
Palavras 3.090
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Hentai, Mistério, Poesias, Romance e Novela, Saga, Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


<3 Boa leitura amor! <3

Meu insta: @Jenifer_Olivee

:)

Capítulo 153 - Paraíso.


Fanfic / Fanfiction Put You Down - Capítulo 153 - Paraíso.

NO DIA SEGUINTE...                                                            

~Melanie’s POV:

Depois da nossa incrível noite de amor na mesma fomos banhar e depois caímos mortos na cama. O sol já tinha saído e o dia estava lindo, enrolados no lençol branco acordei primeiro do que ele que estava de costas pra mim. Beijei seu ombro e seu pescoço o fazendo despertar lentamente, seu rosto inchado, eu amo olhar pra ele quando acorda fica mais lindo ainda ao despertar... Ele vira e me olha, seus olhos cor de mel acendiam com a luz do sol.

-Bom dia... – Disse baixinho e beijei seu rosto. Ele pega em minha nuca.

-Bom dia meu amor. – Ele me puxa e eu deito em seu peito, sinto ele beijar a minha cabeça. Ele tem um cheiro tão gostoso e único.

-Vamos tomar café... Anda. – Eu levanto, ele parece estar com sono ainda. O puxo pelo pé.

-Ah não amor... Só mais um pouquinho. – Com a voz manhosa, não me convenceu, comecei a rir da cara que ele fazia.

-Vamos meu bem, é serio vai ter um passeio super legal hoje de barco e eu estou querendo ir... – O puxando ainda, mas ele não levanta. – OU, eu vou sozinha, com alguns belos deuses gregos ao meu redor, suados e bem sarados... Não tem nada vou usar aquele vestidinho preto que só você sabe como fica e vou sair por ai pra andar de barco ok...

Em um segundo ele levanta e corre em minha direção me pressionando contra parede.

-Nem ouse mocinha, o único deus grego que terá na sua vida sou eu... E sobre o vestido só eu devo ver você dentro dele. – Mordi os lábios ele sorri e me beija intensamente. – O que está dando em nós? Que... – Eu sorrio.

-Que?

-Não sei explicar, é uma vontade de você toda hora... - Ele cheira e beija o meu pescoço e eu arrepio. Arfei. – Alguma coisa mudou e eu não sei dizer o que é.

-Nem eu, então deixaremos assim, eu não estou achando ruim você está?

-Não! – Respondeu imediatamente. Sorrimos. – Eu estou amando... Acho que é esse clima que tem a Grécia, sempre falam que as cidades daqui tem algo que é capaz de mexer com você.

-Bom deve ser isso então... Vamos?

-Vamos! – Ele me beija novamente.

Estávamos no banheiro escovando os dentes, eu já tinha terminado, mas ele não fui por o biquíni, estava ajeitando a parte de baixo quando me olho no espelho meu bumbum com hematomas enormes, eu olho pro Justin horrorizada.

-Justin... – Falei e ele escovava os dentes tranquilamente. – Olha isso.

-O que? – Com a escova na boca, dando de ombros.

-Como eu vou pra praia assim? Olha isso... – Virei pro espelho.

-Não vejo nada ai... – Ele termina de escovar os dentes.

-Nada. Olha isso. – Ele vem até mim e dá um tapa estralado na minha bunda e me dá um sorriso safado.

-Eu vejo uma bela bunda... – Me agarra pela cintura. – Um belo corpo, e minha assinatura nos dois lados pra mostrar pro mundo que tudo isso aqui é meu. – Bufo.

-Você é idiota mesmo. – Ele sorri.

-O que? Você também me deixou belas marcas nas costas ontem mocinha, estamos quites não reclame.

-Ninguém manda você ser... – Eu nunca tinha falado isso pra ele. Fiquei sem graça.

-Ser? – Bem perto de mim. O encaro.

-Gostoso! – Ele dá um sorriso envergonhado.

-Eu sou? – Com um sorriso bobo me perguntou.

-Não vou repetir... – Rimos. Nos beijamos.

[...]

~Justin’s POV:

Já tínhamos tomado o café da manhã, fomos ao tal passeio de barco até uma ilha aqui perto. Então fomos em um belo barco, não estava tão cheio, mas também nem tão vazio. Eu coloquei uma bermuda estampada com limões e o fundo preto, e uma camiseta bem regata quase rasgada branca, um boné preto, óculos escuro e tênis, Mel estava em um belo short jeans com alguns rasgados e com a parte de cima do biquíni e um óculos escuro. Já estávamos longe de onde ficamos, e uma surpresa desagradável no mesmo barco a Ariane lá. Essa garota está me perseguindo, olhei pra Mel e seus olhos já estavam em cima da garota. Não quero confusão, então distrai a Mel.

Dei um beijo nela na frente da garota pra ver que eu não estava brincando quando disse que não trocaria a Mel por ninguém. Mel ficou sem entender.

-Qual o motivo do beijo?... – Ela estava visivelmente irritada.

-Nada! Só quero que se divirta apesar de tudo.

-Quis mostrar pra ela? – Ela me olha irritada.

-Sim! – Fui franco e sincero. – Quero mostrar pra ela que tenho uma mulher no meu lado e não qualquer uma, quero mostrar que VOCÊ é minha e EU sou seu e não vai ser uma garotinha infantil que irá estragar isso. – Passei meu braço em volta dela.

-Ela está começando a me tirar do sério, será que não entendeu ainda? Porra respeita isso... – Não gosto de vê-la irritada.

-Calma meu amor, ignore ok? Não quero te ver irritada... Lembra da nossa noite de ontem... – Tentei distrai-la, falei baixo e ela sorriu como eu queria. – Hein? Pense em nós, dos nossos momentos na Suíça...

Fiquei ali conversando com ela, não quero focar nessa garota também não vim de longe pra ter problemas, ofereceram algumas bebidas e mariscos como petisco durante a nossa ida até a ilha, eu bebi um drink com álcool, Mel ficou na limonada. Até agora a garota não veio se aproximar ainda bem, mas dava umas olhadas pra mim o que me deixava incomodado por que sei que a Mel percebia.

[...]

~Melanie’s POV:

Durante a nossa ida até a ilha fomos parando em alguns lugares bonitos, cheios de pedras, o mar estava bem calmo o sol forte e a minha raiva daquela garota também, minha vontade é de afogar ela naquele mar todo por encarar tanto o Justin. Mas procurei não focar nisso afinal ele está comigo e já deixou bem claro que não quer nada com ela, ele fez amizade com alguns caras que estavam no barco, eu estava na ponta do mesmo tomando um ar, pelo balanço que estava dando eu estava ficando um pouco enjoada, quando vejo ela do meu lado não dei moral mas infelizmente ela começou a falar.

-Você tem sorte garota... – Ela diz.

-É eu tenho sim! – Alfinetei séria. Ela dá uma risada pelo nariz.

-É visível o amor dele por você. – Olhei pra ela. – Um casal quente, apaixonado que não se entrega as tentações do mundo, ele é um cara pra vida toda.

-Por que deu em cima dele? – Fui bem direta.

-Por achar que... Ele era como falavam na mídia, não sou fã obvio, mas não sei o que me deu e depois de ontem eu pensei e quero pedir desculpas... – Sorri desacreditada com o que acabei de ouvir. - Pedir desculpas pelo mico que paguei com ele e com você.

-Bota mico nisso... – Ela ri sem graça.

-Desculpa por ter faltado com respeito, e quero deixar claro que eu não sou assim... Eu não sei o que deu em mim, eu estava magoada com um cara que me deu o fora, eu estava me sentindo pra baixo pensei que... – Ela ri soltando ar pelo nariz. - Pensei que fosse só mais um rolo do Justin Bieber. – Eu ri por que foi engraçado.

-Não, de uma coisa você pode ter certeza... Não é passageiro e confesso que fiquei com ódio de você, não é legal ver que tem outra mulher dando mole pro seu namorado. – Sorrimos.

-É eu sei como é, eu sinceramente não queria mesmo agir dessa maneira, meu pai conversou comigo, e depois do que ouvi do Justin ontem vejo o quanto o amor de vocês é poderoso e forte. – Agora estou tranquila. - Me desculpe por isso, fui mau caráter e tentei destruir a vida de um casal que vai ter um bebê, eu não sou esse tipo de pessoa, eu queria de alguma forma provar pra mim mesma que... Eu posso ser tudo pra um homem, mas eu vi que não é bem assim que funciona.

-Gostei da sua atitude de vir falar comigo, eu estava pensando seriamente em te afogar se não parasse de olhar pra ele... – Rimos. – Mas olha uma dica que eu sempre levo comigo, antes de ser suficiente para os outros, eu sou suficiente pra mim mesma. Com essa dica você tem quem quiser, mas sempre se amando em primeiro lugar, eu já levei pé de namorados por ser virgem na época e quer saber? Eu não liguei pra nenhum deles, por que sabia que não era pra ser assim, e que não era o cara certo, você parece ser mais nova do que eu e tem que viver bastante ainda, não procure ser uma mulher agora, procure se amar primeiro, procure ser suficiente pra si mesmo sem ter que se preocupar em ser suficiente para os outros. Quando for pra ser o cara certo você vai saber.

-Obrigada de verdade, se fosse outra mulher ficaria com raiva de mim, eu me sinto envergonhada pelo o que tentei fazer, você pelo contrario me entende... – Depois de tudo percebo que ela tem um olhar triste. – Eu cresci sem a minha mãe, fui criada pelo meu pai então não sei muitas coisas, eu não tenho amigas, é só eu e meus irmãos e meu pai.

-Você é única menina?

-Sim, minha mãe faleceu quando eu tinha cinco anos então é bem difícil pra mim e meu pai não tem mais olhos pra outra pessoa eu vejo o quão ele se sente sozinho sem a minha mãe, ele fala que nenhuma delas tem o mesmo jeito que a minha mãe... – Me senti mal por ela, pensei no que o Justin me disse. – E eu vi isso no Justin, ele te ama muito então boa sorte pra vocês, e mais uma vez desculpa pelo incomodo, eu às vezes fico cega e não sei o que estou fazendo. – Sorri e a abracei.

-Tudo bem, só pensei melhor antes de qualquer coisa que for fazer uma simples decisão errada pode mudar toda a sua vida. E não se esqueça do que eu falei ok?

-Ok. Pode ter certeza de que não esquecerei. – Sorrimos.

Ficamos ali conversando, e todo aquele mal estar havia ido embora. Tudo fica melhor quando a gente conhece bem a outra pessoa é o que ela deveria ter feito mas o que importa é que ela reconheceu o erro e pediu desculpas.

[...]

~Justin’s POV:

Estava conversando com uns caras quando eu vejo a Mel e a Ariane se abraçando, eu só posso estar ficando louco, ou é o calor demais que está fritando os meus neurônios, elas estavam sorrindo e conversando normalmente. Eu fui pra ver o que havia acontecido por que até minutos atrás a Mel estava com ódio da garota.

-Mel... –Cheguei perto e elas olharam pra mim. – Está tudo bem aqui?

-Sim amor, está tudo bem. – Ela sorri.

-Justin quero pedir desculpas por ontem... Eu pedi pra Mel pelo o que eu fiz, e principalmente a você quero pedir desculpas, não foi digno da minha parte, fazer o que fiz ontem... Queria pedir desculpas de verdade por o que aconteceu... – Olhei pra Mel ela afirma com a cabeça. Eu vi na garota que estava sendo sincera e fiquei com a consciência pesada por ter a chamado de vadia na frente de todo mundo.

-Ok... – Sorrimos. – Eu não queria ter te chamado de vadia ontem é que você pediu, fiquei sem paciência não queria ter pegado tão pesado.

-Tudo bem, eu entendo eu forcei então mereci. Bom agora eu vou ali, mais uma vez me desculpem por isso. – Ela sorri e nos deixa sozinhos. Fico olhando a Mel ainda sem entender nada. – O que foi isso? Você a ameaçou? – Brinquei ela sorriu.

-Nossa Justin não sou assim, não ela veio até mim e eu resolvi escuta-la.

-Não era você que estava com raiva dela há minutos atrás? – Sentamos.

-Sim eu estava, mas entendi o porquê que ela agiu daquela maneira com você... – Olhei pra ela esperando uma resposta. – Ela é sozinha, foi criada pelo pai e irmãos, o namorado terminou com ela e ela se sentiu um lixo como todas nos sentimos quando levamos um pé na bunda e ela perdeu a mãe quando tinha cinco anos de idade, não tem amigas ou seja é sozinha...

-Amor sabe que isso não justifica dar em cima dos outros, vendo ainda que são comprometidos.

-Justin ela agiu por impulso, e sobre isso você entende por que era assim não podemos julga-la ela veio pediu desculpas isso é o que importa... E outra você nunca foi de se incomodar com isso por que tudo isso agora?

-Não sei, já disse que tem muita coisa mudando entre nós, como se fosse algo novo, não consigo explicar. – Ela deita a cabeça em meu peito. – Você tem o coração bom, a ponto de ficar de bem com a menina que deu em cima de mim. – Rimos. – Prefiro a minha Mel que é brava, e ciumenta.

-Não essa nunca existiu e nem vai, não preciso sentir ciúmes de você, mas pelo os outros... Confio em você, mas não nelas, vai que alguma de chama mais atenção do que eu, e você se encanta por outra, e começa a gostar de outro perfume. Eu tenho que me garantir. – Sorrimos.

-Vou dizer mais uma vez por que acho que você ainda não entendeu, nenhuma outra é capaz de provocar em mim o que você provoca, não consigo gostar de outro perfume a não ser do seu... E nem me viciar em outro beijo a não ser o seu... – Ela olha pra mim eu a beijo.

-Às vezes você me deixa sem graça por me dizer essas coisas... – Ri.

-Ok vou ser o antigo Justin e vou apenas dizer que gosto de você está bom assim?

-Não! – Rimos. – Você só pode ser o antigo Justin quando estiver na cama comigo. – Olhei pra ela por ter me falado isso, nunca tinha ouvido algo assim, ela me surpreende bastante.

-Não provoca Mel, não quero ser indecente aqui na frente de tanta gente... – Rimos.

-Mais tarde você pode ser indecente como foi ontem.

-Mas hoje você está impossível mocinha, se controle. – Sorrimos e nos beijamos.

-É algo difícil quando estou do seu lado é me controlar. – Sorri. E balancei a cabeça, dei um morango na boca dela.

Ficamos ali até chegarmos na ilha estávamos bem perto.

[...]

Algum tempo depois chegamos e o lugar era lindo, um verdadeiro paraíso estava cheia a ilha, tinha vários quiosques e barcos ancorados na beira da ilha.

~Melanie’s POV:

Já tínhamos o nosso lugar com um guarda sol, cadeira pra tomar banho de sol e uma pra sentar na areia, o dia estava lindo, o bebê se mexe muito eu começo a conversar com ele enquanto o Justin foi pegar algo pra bebermos. Quando vejo um movimento estranho na água, pessoas gritando, olhei pra trás pra ver se o Justin estava no mesmo lugar ele estava vindo em minha direção.

-O que é isso? – Ele pergunta.

-Não sei... Acho que é alguém se afogando. – Quando eu olho direito em direção ao mar vejo a Ariane se afogando. – Meu Deus, Justin é a Ariane...

-O que? – Ele franziu o cenho. – Espera aqui amor.

Ele tira a camisa, o boné e o óculos e a camisa e joga em cima de mim e vai correndo em direção ao mar, meu coração começa a ficar apertado os salva vidas estavam do outro lado da ilha onde a água do mar está mais forte. Todos vão pra beira da água ver o que está acontecendo e eu fui também pra me certificar de que ele iria sair bem, ela estava se afogando ele já estava dentro da água, todos preocupados. Ele já tinha pegado ela que parecia estar desmaiada, fiquei aflita, logo chegam na areia e em um lugar mais tranquilo ele coloca ela, que estava desacordada.

-Justin... – Chego perto deles, ela ainda desacordada, ele começa a fazer massagens cardíacas nela e nada.

-Vamos garota... – Ele checa a respiração dela e nada ele continua a fazer massagem cardíaca nela e nada.

-Justin respiração boca a boca anda... – Ele me olha. – Está tudo bem anda é preciso.

Então ele começa a fazer, e nada... Ele fez outra massagem cardíaca e em seguida respiração boca a boca, avistei alguns bombeiros vindo em nossa direção quando escuto ela tossir e por pra fora toda a agua que havia engolido. O alivio foi em todo mundo.

-Você ficou louca garota? Poderia ter morrido lá... – O Justin visivelmente preocupado e nervoso, ofegante e molhado também sentado do meu lado.

-Justin calma. Ninguém sabe o que aconteceu.

-Eu sei, ela tentou pular na água ali, avisamos que era fundo demais, mas ela não ouviu, quando fui pra impedi-la ela já pulado. – Um senhor com os cabelos brancos.

-É acho que ela tentou se matar. – Uma mulher.

-Ariane... Olha pra mim... – Falei. – Está me ouvindo?

-Estou. – Com dificuldade ela respondeu.

-Tudo bem moça se afaste iremos leva-la de volta a Santorini.- O bombeiro.

-Vem amor... – O Justin me ajuda a levantar.

Agora fiquei preocupada com essa garota. Se ela tentou se matar foi por egoísmo da parte dela. Eles a colocaram em um barco e a levaram. Todos preocupados, mas parabenizaram o Justin por ter ido lá e salvado ela, eu fiquei preocupada ele poderia ter se afogado também. Sentamos e fiquei olhando pra ele que ficou mexido com isso.

-Amor... – Peguei duas aguas de coco bem geladas, estávamos na sombra. Ele estava pensativo demais. – Está tudo bem? Se machucou lá?

-Não, eu estou bem só surpreso nunca reagi dessa maneira com ninguém. – Ele pega e eu sento do lado dele. Pedimos umas coisas pra comer também.

-Você a salvou meu amor. Estou orgulhosa de você. – Ele sorri. – Mas fiquei com medo de se afogar também.

-Mas não aconteceu nada ok? Acho que precisamos conversar com o pai dela, sei lá as vezes ele nem sabe do que pode estar acontecendo, não sei se você percebeu mas eu vi alguns cortes no braço dela, não estavam tão visíveis mas eu vi. – Ele se preocupa com isso.

-Você tem razão assim que voltarmos passamos no restaurante do pai dela e conversamos com ele. – Sorrimos.

 

O nosso dia não foi mais a mesma coisa, eu sei que o Justin ficou mexido com isso e preocupado, afinal não faz muito tempo que o melhor amigo dele se suicidou também e agora esse episodio na ilha acho que fez tudo isso voltar na mente dele. 


Notas Finais


Que bom que vocês gostaram da interação do ultimo capitulo! É muito importante pra mim saber da opinião de cada uma! :) Vai varias os capitulos que terá interação e como fiz no ultimo irei avisar quando for ter! Fiquem atentas! ;) Bjbj meus amores


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...