História Q-quê?! Você é um... Vampiro?! - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Kakashi Hatake, Karin, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara, Suigetsu Hozuki, Temari, TenTen Mitsashi, Tsunade Senju
Tags Colegial, Comedia, Naruhina, Naruto, Romance, Sasusaku, Vampiro
Visualizações 81
Palavras 1.150
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Escolar, Ficção, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


AlÔooooooo
Turu bom?
Boa
Leitura
:)

Capítulo 8 - Ainda estamos na festaaaaaaa


Capítulo 8

>05/02/2017, sexta-feira, ainda<

Pov Sakura

Enquanto Sasuke estava buscando as bebidas, ou qualquer outra coisa que ele esteja fazendo dentro da casa, eu estava tendo uma crise existencial aqui.

Sentada no jardim da gigante casa dos Sabaku, tendo lembranças de minha infância...

Era tão bom quando eu era só uma criança inocente e irritante... Era tão bom quando a única preocupação que eu tinha era deixar meus pais orgulhosos...

- Aqui – fui desperta dos meus pensamentos por um certo moreno me entregando uma latinha. – Tá tudo bem?

- Tá.

- Então, e a sua família? – Ele perguntou.

Realmente não queria falar da minha família. Isso... Me deixa mal sempre que eu lembro.

- Meus pais eles... Morreram num acidente. Eu tinha 16 anos, era meu aniversário...

- Sinto muito...

- Não, tudo bem – meus olhos lacrimejaram. Não. Não posso chorar. Preciso superar isso. Quando foi que fiquei tão emotiva, gente? – Eu fiquei muito mal aquele tempo... Fui morar com minha tia, procurei algum apoio nela, mas ela nunca tinha tempo pra me escutar. – Segurei o choro. Eu não vou chorar! – Eu me senti totalmente sozinha naquele tempo, depressiva, perdida e sozinha...

Senti os braços de Sasuke rodearem meu corpo, num abraço desajeitado.

- Tá tudo bem. Você não tá mais sozinha – ele me trouxe mais pra perto dele, e eu me aconcheguei em seus braços, chorando como uma criança.

- Obrigada – falei, escondendo meu rosto em seu peito, encharcando sua camisa. – Cara, eu encharquei sua camisa. Foi mal.

- De boa – ele disse, afrouxando um pouco o aperto. – Sabe, eu te entendo.

- Hã?

- Quando perdi meus pais, eu era uma criança – tirei o rosto de seu peito, e trocamos olhares. – Foi terrível, eu realmente me senti... Perdido, assim como você – ele olhou para o céu, pensando. Provavelmente relembrando da pior época de sua vida. – Perdido, quebrado, sem razão continuar...

- É – Sasuke acabou de descrever tudo o que eu senti quando perdi meus pais. Não sei o que faria se não fosse Ino, Hinata, Naruto e todos os meus queridos idiotas.

Não, eu sei muito bem. Eu teria me matado.

Porque, além de perder meus pais, perdi minha irmãzinha que ainda não tinha nem nascido. Minha mãe estava grávida.

- Mas tudo isso passa, ou pelo menos diminui, quando você tem alguém – ele disse.

- Você tinha alguém?

- Não – ele me olhou. – Mas sinto que encontrei esse “alguém”.

Não soube o que fazer naquele momento. Será que ele tava falando de mim? Não, não tá. Ele não gosta de mim. O que ele veria em mim?

- Sério? – Ele assentiu com a cabeça. – Como ela é? Ou ele, claro. Não questionarei se você for gay. Amo gays, são os melhores.

- Ela é bem louca – ele disse. Ele não é gay. – Estranha às vezes, engraçada, bonita, meio bipolar... – Ele fez uma pausa. – Ah, ela é da KHS também.

- Nossa, mas tipo, você tá na KHS a 5 dias, como já sabe tanta coisa sobre ela?

- Bom, eu já venho observando ela há um tempo...

- Stalkeando, é? Que feio – zoei. Por algum motivo, essa conversa está me deixando muito desconfortável.

Ele apenas riu.

- Mas e você? Tinha alguém? – Essa pergunta me pegou de surpresa. Eu já tinha até esquecido do nosso assunto (nada depressivo) anterior.

- Bem... Eu tinha o pessoal. Ino foi quem mais me ajudou. Era engraçado como ela cuidava de mim como... Como uma mãe – sorri. Teve um tempo que eu me mutilava, e isso deixava a porca louca de preocupação.

Sasuke apenas assentiu, calado.

- De onde você conhece Sasori, Sasuke? – Perguntei depois de um tempo. Essa dúvida ainda não me tinha sido tirada.

- Ah, é, bem... – Ele tava desconcertado. – Ele é meu amigo... Conheci ele há um tempinho...

- Hm, sei... – Sasuke, Sasuke, o que você está escondendo? Vi muito bem os olhares que os dois trocaram, e o desprezo na voz de cada um ao se cumprimentarem. Há algo que os dois ainda não me contaram. – Há quanto tempo se conhecem?

- Hã... Um ou dois anos... Por quê?

- Nadinha – um ou dois anos... Dois anos atrás Sasori mudou para os Estados Unidos...

Eles provavelmente se conheceram lá.

- É... Você quer entrar? – Ele perguntou.

- Ah, claro – respondi, mesmo que tenha saído de lá por causa do tumulto.

Entramos na casa novamente, e tipo, TINHA UM MONTE DE GENTE BÊBADA. Ino e Gaara estavam... Se amando ali no cantinho, Hinata tava pulando em cima da mesa com Naruto tentando tirá-la de lá, Shikamaru tava dormindo no sofá, Tenten e Neji não estavam ali, provavelmente estão em algum quarto fazendo coisas e Temari tava no outro sofá bebendo sozinha.

- Uau, que lugar aconchegante – falei, zoando.

- Quer dançar? – Olhei pra ele tipo “COMASSIM”.

- Tá né ‘-‘

Fomos para perto de um povo lá que tava mexendo o corpo parecendo um monte de minhocas, porque com certeza isso não é dança. Ficamos nos olhando e gargalhamos.

- Melhor não – ele falou.

- É.

Ficamos num canto ali, novamente, observando as bizarras criaturas chamadas adolescentes super bêbados, sem trocar nenhuma palavra. Vez ou outra, nos olhávamos, mas não passava disso.

- Aí, pombinhos – Ino chegou completamente bêbada, com a maquiagem toda borrada. Claro que a minha não deve estar muito diferente, já que eu chorei pra caramba, mas eu não ligo. Ino liga. E mano, eu preciso registrar isso. – Se comam logo. Vocês se amaammmmm.

Ignorei o que ela disse, pois tava ocupada demais tirando fotos zoadas dela. Mas Sasuke ficou envergonhado.

- Calada, Ino. Vaza – falei tirando várias fotos da cara de cú que ela fez. Huahauuahuahaua.

- Vocês foram feitos um para o outro – ela disse e saiu, tropeçando nos próprios pés.

- Ignora – falei olhando as fotos. Perfeitas.

Sasuke não falou nada.

Peguei uma garrafa que um garçom tava levando não sei pra onde e virei ela toda, ouvindo reclamações e xingamentos do cara.

Depois comecei a beber igual uma louca, aí não lembro mais de muita coisa.

...

Acordei num lugar totalmente estranho, que com certeza não é a casa dos Sabaku. Olhei ao redor, tudo bagunçado, livros por toda parte, um panda gigante no canto...

Carai o que eu tô fazendo no meu quarto?

- Tsc. Dor de cabeça dos infernos – falei passando a mão na cabeça, logo depois ouvindo três toques na porta. – Entra.

- Sakura? – Tsunade entrou trazendo um comprimido. – Tudo bem?

- Desde quando você se importa? – Minha tia apenas suspirou, me entregando os comprimidos.

- Um tal de Sasuke Uchiha te trouxe ontem a noite. Você bebeu demais. Ele desejou melhoras.

Ai meu Deus Sasuke me trouxe em casa *-*

Tsunade ia sair do meu quarto, mas antes de fechar a porta, ela voltou, me deu um beijo na testa e disse:

- Te aconselho a se afastar dele. Uchihas não são confiáveis.

E saiu.


Notas Finais


Olá
Até logo
huhauahuah
Espero que tenham gostado :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...