História Quando Eu Voltar (Cellbit - Rafael Lange) - Capítulo 22


Escrita por: ~

Postado
Categorias Rafael "CellBit" Lange
Personagens Personagens Originais, Rafael "CellBit" Lange
Tags Cellbit, Felps, Mike, Pac, Rafael Lange, Zelune
Visualizações 93
Palavras 1.814
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Escolar, Festa, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


ENFIM!
Mano do céu vcs não sabem o tempo que levou pra eu fazer esse cap.
Eu tive que fazer as datas baterem e uma porrada de coisa.
Fora que eu exclui sem querer o cap mas eu tinha as partes salvas na área de transferência.
Mas eu acho que eu nunca me esforcei tanto senhor.
Enfim, espero que meu cachorro não roa o fio do Wifi. Bjos.
Aliás, eu não revisei porque eu tô com sono e meus dedos doem. Me perdoem pelos erros, outro dia eu concerto.

Capítulo 22 - Capítulo 22 - O Dia Que Que Soube Da Verdade



República Dom Bosco

Meggie

09/05/2017

Levando em conta os acontecimentos da minha vida até esse instante, eu acho que eu posso dizer com segurança que eu sou a pessoa mais azarada do mundo e o universo definitivamente me odeia. "Ah, mais teve uma vez que eu..." cale está sua boca e não discorde de mim.

Pra sustentar todo meu drama eu me joguei no sofá surrado na sala da república assistindo How I Met Your Mother pela centésima vez, comendo pipoca de micro-ondas.

- Neném tá tlisti é? - Laís perguntou descendo as escadas com Emily e a menina nova, Helena.

- Ouvi boatos que se você não levantar dai agora um gremlin vai rasgar todos seus quadros - Emily brincou sentando ao meu lado.

- Eu não quero mais fazer artes. Se eu fosse médica como a minha mãe queria eu não ia ter conhecido a Laura, não ia ter perdido a entrevista, não ia ter reencontrado o Rafa e não teria sido feita de trouxa pela décima vez consecutiva - Reclamei engolindo mais um punhado de pipoca.

- Eu não vou deixar você desperdiçar todo seu talento tendo uma overdose de pipoca - Laís falou tirando o saco da minha mão.

- Ei! - Olhei feio pra elas - Quer saber? Eu não preciso disso. Chega de abstinência - Disse indo em direção ao pequeno frigobar que leva você direto pro inferno da ressaca.

- Que isso subúrbio. Eu nunca vi essa garota beber. Tá maluca? - Emily falou levantando do sofá.

Eu abri a portinha, peguei qualquer coisa que fosse colorida e grande e bebi a metade em uma golada.

- Mas que porra é essa que está ardendo até meu útero. Socorro - Me joguei no chão lacrimejando.

- Chama vodka. Já ouviu falar? - Helena riu.

- Cale está tua boca e me respeita que eu tô morrendo.

- Tá nada! - Laís me levantou do chão e me jogou no sofá - Me da isso aqui antes que você beba tudo - Ela virou o resto da garrafa sem fazer bem um show que nem eu.

- Sério? Nem uma lágrima? - Perguntei incrédula - Eu me demito.

-  Quando bater vai ser engraçado.

- Meninas eu acho que bateu - Desci as escadas capotando no final - Eu sei que bateu porque eu já liguei pro Rafa dezessete vezes e quando ele atendeu eu desliguei. Puta que pariu!

- Cade a Laís? - Emily perguntou sentada no balcão da cozinha com Helena.

- Não faço ideia. Mas se alguém quiser me emprestar um celular já que o crédito do meu acabou... 

- Meg ninguém vai te dar um celular, não é uma boa ideia - Helena disse.

- Silêncio Helena, você é nova, não tem direito a fala! Emily, seu celular.

Caminhei até ela com a mão estendida mas ela continuou na mesma posição.

- Não - Ela respondeu

- Eu não pedi permissão.

Pulei em cima dela procurando o celular no seu bolso, e mesmo bêbada, fui ágil o suficiente pra pegar o celular.

- Meg, me devolve! - Emily gritou comigo com o se fosse minha mãe.

- Nunca! 

Peguei minha chave em cima da bancada e corri pra fora, trancando elas dentro da casa.

- Você sabe que as nossas chaves estão aqui dentro, não é? - Helena disse super calma enquanto Emily batia no vidro da porta.

- Mas a minha chave é a única que não emperra na fechadura. O que me da tempo de correr e pedir um Uber. Otarias! 

- Você percebe que você podia ter chamado um Uber com o seu celular? - Helena perguntou.

- Silêncio Helena!

Corri pelo jardim. É claro que o meu plano é genial, eu só estou um pouco bêbada. Andei uns dois quarteirões parando do lado de um super mercado onde tinha bastante gente e Emily não me acharia.

Chamei um Uber É assim que ele chegou mandei o motorista me levar a casa do Rafa. É assim que eu percebi que ele não sabe onde fica dei o endereço a ele.

Emily me ligou umas três vezes do celular da Helena, mas eu não atendi. 

Chegando no prédio, liguei pra ele e dessa vez eu não desligue quando ele atendeu.

RAFAEL: Se você vai desligar de novo eu...

MEGGIE: Silêncio Inglesinha. Estou aqui embaixo. Desce.

RAFAEL: Por que você...

MEGGIE: Silêncio!

Desliguei.

Mas antes do Rafa chegar na portaria, Felps, que provavelmente estava indo pra casa do Rafa, me viu.

- Meg? Tá fazendo o que aqui? - Ele perguntou parando ao meu lado.

- Vim dizer pro Rafa que ele vai cometer um grave erro - Falei, dando um risada cínica de mim mesma. Acho que eu estou começando a perceber que isso é idiota.

Ele olhou pros lados preocupado e me puxou pelo braço, me levando pra longe do portão.

- Não acho que seja uma boa ideia você fazer isso Meg.

- Impossível, eu só tenho boas idéias.

Ele continuou a me arrastar pela rua até chegar a uma pracinha, ele sentou em uma banco perto de uma barraquinha de sorvetes e ficou me olhando pra que eu sentasse ao seu lado.

- Você percebe que você está bêbada e tudo o que você disser vai se arrepender depois?

- Tá me gastando Felps? Eu só vou dizer o que é verdade. É a verdade é que ele vai se arrepender, igual ele fez com a Carol.

- Ah, quando vocês tinham treze anos? Meg, eu não queria chegar a esse ponto, mas eu acho que você precisa saber disso...

Felps

20/03/2017

- Felps, você não sabe o que aconteceu hoje! - Rafael falou entrando em casa.

- O que? Você ganhou na loteria? Eu só quero saber se for isso porque aí a aposta do vintão vai valer milzão - Eu falei sentado no sofá, jogando um jogo qualquer.

- Você lembra a uns anos atrás, quando eu morava em Caralhozinho, da minha amiga, Meg?

Não, eu só tenho que escutar essas histórias dessa menina três vezes ao dia.

- A garota que você beijou, mesmo que já estivesse namorando a Sayu e aí ela te deu um fora e você não se viram mais aí você fala dela quando a sua mãe manda fotos de quando vocês eram crianças? Não, não tô lembrando.

- Haha! Muito engraçado... - Cellbit disse sarcástico.

- O que tem ela?

- Eu encontrei ela. Quer dizer, eu sabia que ela estava morando em São Paulo, mas a cidade é muito grande.

- Ainda bem, não queria que você virasse um stalker procurando a menina.

- Ai, Felps. Eu chamei ela pra almoçar com a gente amanhã.

Meu amigo é burro e ninguém percebeu. Por que?

- Isso parece ser uma coisa idiota pra se fazer. Me conte mais - Eu falei.

- Não sei porque você sempre acha que vai dar tudo errado.

- Eu não acho que vai dar tudo errado. Eu tenho certeza. Ela pode até ter sido sua melhor amiga. Mas isso foi a um ano e um beijo atrás. A Sayu não sabe sobre isso é não acho que ela vá gostar muito.

- A Flávia já sabe que a Meg existe. Só não sabe do beijo, mas também não precisa saber. Vai dar tudo certo. Você vai ver.

Meggie

09/05/2017

-... Eu já sabia que você era uma pessoa que ele gostava. Ele fingia que não percebia, mas quase sempre contava alguma história sobre vocês quando eram crianças. Aí no dia que eu conheci você ele fez de tudo pra que nos gostassemos de você, ele queria que você fizesse parte da turma mesmo que não fosse youtuber e fizesse parte do nosso mundo. Então quando você foi pra Casa, ele começou a fazer propaganda...

Felps

21/03/2017

- Eu vou pra casa - Meg disse  - Que a dona Laura já deve estar cem por cento pistola comigo. Tchau bebês, até a próxima.

Ela se despediu de cada um e foi andando pra casa.

- Vocês gostaram dela não é?

- Claro, claro. Ela namora alguém? - Calango perguntou- Aliás quem é Laura?

Cellbit riu da pergunta mas não a respondeu. Acho que ele quer a minha opinião.

- Não falei que ia dar errado agora, Cellbit - Sussurro para que os outros não ouvissem.

Ele revisou os olhos e voltou a falar com os outros.

- Achei ela bem legal. Finalmente você me apresentou a alguém que não éretardo igual o Pac, Mike, Alan... - Sayu riu - Brincadeira amo vocês

- Ata...

Meggie

09/05/2017

- ...Então finalmente chegou o dia que a gente gravou o vídeo. Mesmo bêbado, ele confirmou tudo o que eu já sabia, que ele amava você.

Felps

19/04/2017

- Felps o que você fez? - Rafael falou acordando o amigo que estava jogado no sofá.

- O que? - Felps perguntou um pouco confuso.

- O que a gente filmou ontem? As coisas que eu disse.

- Relaxa cara. A pior parte não tá na câmera da Meg.

- Onde tá então?

- Eu usei aquela câmera antiga do Pac.

- Apaga aquele vídeo por favor.

- Eu não vou apagar. Você não escuta meus conselhos. Então, ou você se desapaixona dela ou eu mostro pra ela.

- Eu não tô apaixonado por ela Felps...

- Fala isso pra câmera.

Meggie

09/05/2017

- No dia da live que deu errado, ele assumiu que sentia alguma coisa por você ainda, mas ia dar um jeito. Então eu disse que apaguei o vídeo, mas como você sabe, eu não apaguei.

- Qual foi o plano dele pra acabar com o dilema? - Perguntei ainda perdida com todas as datas da história.

- Ele ia falar pra você que tinha tomado a decisão de pedir a Sayu em casamento, mas ele só ia tomar a decisão depois da sua resposta... - Felps olhava pra mim esperando que eu percebesse algo.

Então uma luzinha acendeu na minha cabeça. Se eu dissesse que não era uma boa ideia, era por que eu queria que ele não ficasse com ela, mas se eu "desse permissão" entao ele ficaria com Flávia.

- Eu não acredito nisso - Falei encolhendo minhas pernas no banco e afundando a minha cara na minha mão.

- Eu não odeio você Meg. Mas o Cellbit é o meu melhor amigo, assim como ele é o seu melhor amigo, ele não tá muito bem no momento e eu não quero que fique pior. Você é uma pessoa muito boa, ele diria que você é tão intensa quanto um furacão, mas a Sayu é estável, eu sei que ela vai ficar aqui.

Eu levantei o a cara, não estava muito calma. Meu rosto estava vermelho e meus cílios estavam molhados.

- Mas eu posso me deixar levar a qualquer momento... Você acha que eu posso ir embora mis uma vez e largar ele sozinho?! Eu não me mudei porque eu tava fugindo dele! Eu me mudei pra fazer faculdade!

- Não estou dizendo fisicamente, no dia em que vocês se beijaram você o deixou sozinho, ou pelo menos fez pensar que estava - Ele falava sério.

Felps não queria ferir meus sentimentos mas tentava ser o mais sincero possível. É mesmo bêbada, eu reconheço que ele tem um ponto.

- É melhor eu voltar pra casa - Disse.

Eu não queria admitir, mas ele estava certo. Não é justo fazer o Rafa ficar esperando por uma coisa que eu não posso dar. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...