História Quando ficamos tão coloridos? - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Star vs. as Forças do Mal
Personagens Ludo, Marco Diaz, Star Borboleta, Toffee
Tags Marco, Marco Diaz, Star, Star Borboleta, Starco
Exibições 65
Palavras 1.000
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Luta, Magia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Primeiro capítulo! ><
espero que gostem meus amores, estou com as mãos fodidas para escrever isso! ;-; bem,boa leitura!

Capítulo 1 - "Quem é Star Borboleta?"


Fanfic / Fanfiction Quando ficamos tão coloridos? - Capítulo 1 - "Quem é Star Borboleta?"

Marco Pov's on.

Alí de longe a avistava,sentada na caixa de areia,fazendo montinhos com a mesma,uma balde e uma pá.Encarava suas costas,mais precisamente os seus cabelos louros e compridos,que quase tocavam o chão por estar sentada e que roçavam em sua cintura quando de pé. Lindos,brilhantes e chamativos,mas não eram apenas eles que me chamavam a atenção naquela pequena criança.

Seu rosto era de boneca,parecia ser feita de porcelana.Seus grandes e profundos olhos eram azuis da cor do mar,o que me fazia querem mergulhar naquela imensidão azulada.Sua boca era pequenina e rosada,vivia sempre fechada.E as suas bochechas eram sempre coradas,parecia que sempre usava um blush para clarealas.Uma doce boneca,sempre solitária.

Muito havia ouvido falar daquela garota,mas nunca havia falado com ela, pois algo dentro de mim me impedia.A observar foi então a melhor escolha,que eu levava a sério,sempre o fazendo.Seu nome era Star Borboleta,ela era aluna de intercâmbio pelo que ouvi falar,ela era muito solitária pelo que pude notar por conta própria,e além de tudo,era muito zoada na escola.

Star cursava a mesma série que eu (3° série do ensino fundamental na época),apesar de nunca ter visto ela antes de começarem com a história de que ela era uma louca esquizofrênica e tinha problemas mentais.Ela parecia se entristecer bastante sempre que riam dela,mas nunca dizia nada,o que me deixava intrigado,ainda mais por vê-la balbuciando alguma coisa vez ou outra pelos corredores da escola.

A questão era que ela não tinha nenhum amigo,mas sempre parecia falar com alguém,o que deixava as demais pessoas confusas e faziam as outras crianças a apelidarem de louca e ignorá-la socialmente.Acho que isso a invomodava sim,mesmo que não fosse visível e que ela não deixasse transparecer.Afinal,ninguém é de ferro, todos temos sentimentos.

—Ninguém te quer aqui esquisita, vá embora para esse tal planeta de onde veio!—Ouvi em gritos.

Acordei de meus desvaneios e vi então o que estava acontecenque.Um idiota brutamontes a segurava pela blusa e a erguia,a encarando.Star não dizia ou fazia nada além de olhá-lo em silêncio.Levantei de imediato,irritado,e sai do balanço onde estava,seguindo apresado em direção ao centro das atenções,que agora estava rodeado de crianças curiosas que assistiam a tudo.

—Ei! Largue ela!—Me meti,batendo em suas costas,alguns lentos socos.

O garoto riu e então largou Star, que caiu sentada no chão.Me erguendo em seu lugar,pela gola da camisa.Nos encaramos,balancei as pernas no ar e as crianças começaram todas a gritar o clássico "Briga,briga,briga! " enquanto ele ria em total deboche.Fui jogado ao chão e cai ao lado de Star,que continuava em silêncio absoluto,o garoto então a olhou e depois a mim,enchendo os pulmões de ar.

—A esquizofrênica tem namorado! —Gritou e todos começaram a rir.—Ele é muito forte! Fujam!—Debochou.

—Hm...—Murmurei.Estava corado agora,muito constrangido também.

—O que vai fazer Marco?—Ele perguntou,me encarando.—Ein?!

—Marco.Marco Díaz?—Star pronunciou, me olhando de maneira estranha.

—Sim...—Respondi,confuso.

—Ora,ela fala.—Disse o garoto.—Imagino que vai voltar a falar aquelas besteiras de... Qual é mesmo o nome? Mewmew?

—Mewni!—Ela gritou,vermelha e com as bochechas cheias de ar. 

—Ah,claro...isso não existe,doida, não crie histórias bobas,não são reais!—Gritou próximo a ela que se encolheu.

—Existe,eu não estou mentindo!—Gritou mais uma vez.—Digo a verdade...

Os olhos de Star marejaram com aquilo,parecia que ele a estava ferindo a cada palavra dita,e parecia doer muito. Aquilo me irritou,não queria vê-la chorar por causa de um idiota.Star tem uma boa imaginação,qual o problema? 

Já mandei deixá-la em paz!—Gritei e ele me encarou mortalmente.

—E o que vai fazer valentão?—Me encarando,riu mais uma vez.

—Eu...—Tateei o chão,enchendo a mão com um punhado de areia e jogando em seus olhos.

Gritos foram ouvidos enquanto ele dava alguns passos para trás,cego por causa da areia em seus olhos.Star sorria para mim por algum motivo,mas não pude perguntar ao menos o porque do sorriso.Quando me dei conta levei um soco bem dado contra meu rosto,o que me fez virar a cabeça para o lado com tamanha brutalidade,gemendo de dor em um tom baixo.Sim,dói muito.

Explosions!—Star disse em voz alta ao entrar em minha frente, apontando uma espécie de varinha cor de rosa para ele,que ficou confuso. 

Um enorme feixe de luz então tomou o lugar,ferindo meus olhos com tamanha intensidade,e provocando um estrondo que destruiu boa parte do parquinho da escola,deixando apenas brinquedos chamuscados e crianças com olhares assustados voltados a Star,que ainda estava a minha frente,segurando a sua varinha/arma-stranha com firmeza.Ela me olhou por um instante.

—Marco...—Disse meu nome com a voz trêmula,como se fosse chorar a qualquer momento.

—E-estou bem,não se preocupe...—A olhava boquiaberto,pasmo.

—Q-que... Que garota estranha! Corre!—Gritou o tal brutamontes e saiu correndo junto as demais crianças que gritavam descontroladas.

—E eles correram...—Disse e ela apenas assentiu,me olhando.

Levantei com certa dificuldade,a olhando e acariciando o local da pancada,ainda assustado com tudo que estava acontecendo.Star se aproximou sem mais nem menos e me abraçou,e eu,confuso e hesitante,toquei seus longos e sedosos cabelos,fazendo uma especie de carinho para acalmá-la.Nós ficamos em silêncio.Ela não me disse mais nada,e eu não ousei falar.

Acho que ela se reconfortava em me ter ao seu lado,afinal não estava mais sozinha e tinha um ombro amigo onde podia chorar,apesar de eu não entender como ela havia feito aquilo e o porque de me conhecer,talvez nem ela mesma,quem sabe? Ficamos naquele silêncio por um curto momento,até ela levantar a cabeça para me olhar e mover os lábios para então falar.

Cura...—Disse Star ao encostar a varinha em minha bochecha,fazendo a mesma formigar a inicio,mas logo fez a dor se esvair.

—Uou...—Tateei meu rosto.—Como você fez isso?—Perguntei,imprecionado.

—Mágica.—Disse ela e sorriu.

—É,você é mesmo uma garota mágica...—Disse e ambos rimos.

—Star Borboleta.—Disse.

—Marco Díaz.—Respondi.

—Eu sei.—Ela disse e sorriu.

—Igualmente.—Retribui o jesto.

—Mas aposto que não sabe mais nada sobre mim...—Disse e suspirou.

—Tem razão...—A olhei.

—Imaginei...—Ela parecia estar esapontada com aquilo.

—Eu ainda não sei,mas adoraria que me falasse—Disse com um sorriso de lado.—E então... O que acha de me falar sobre o seu planeta,garota mágica?—Perguntei.

—...Claro.—Ela sorriu.

E assim nós começamos nossa amizade estranha,que mais tarde viria a ficar tão colorida.Foi assim que conheci Star de verdade,nossa primeira e mais estranha lembrança.Star Borboleta,uma princesa maluca e alienígena do planeta de Mewni.Marco Díaz,um garoto comum e solitário que a conheceu por um doce acaso e que viria a amá-la.Somos tão diferentes... mas algo me diz que nos completamos.


Notas Finais


Obrigada por ler! ><
desculpe os erros e até a próxima!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...