História Quando Menos Esperamos - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias As Crônicas de Bane, As Peças Infernais, Os Artifícios Das Trevas (The Dark Artifices), Os Instrumentos Mortais, Shadowhunters
Personagens Alexander "Alec" Lightwood, Aline Penhallow, Amatis Graymark, Asmodeus, Camille Belcourt, Céline Herondale, Clary Fairchild, Imogen Herondale, Isabelle Lightwood, Jace Herondale, Jocelyn Fairchild, Jonathan Christopher Morgenstern, Luke Graymark, Magnus Bane, Max Lightwood, Rainha Seelie, Raphael Santiago, Rebecca Lewis, Sebastian Morgstren, Simon Lewis, Stephen Herondale, Tessa Gray, Valentim Morgenstern, Will Herondale
Tags Alec, As Peças Infernais, Clace, Clary Fairchild, Jaceherondele, Lightwood, Magnus Bane, Malec, Os Artifícios Das Trevas, Os Instrumentos Mortais, Shadowhunters, Simon Lewis, Sizzy
Visualizações 136
Palavras 1.596
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Crossover, Escolar, Ficção, Policial, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 8 - Dois em Um


Dor de cabeça, essa foi a primeira coisa que eu pensei ou melhor senti assim que acordei. Abri os olhos não melhorou minha situação, a luz que passava pela janela bateu em meu rosto como um lembrete violento do que aconteceu ontem. E foi neste momento que noto onde me encontro, isto é, deitada no peito de Jace com seus braços ao meu redor.

Tentei me mover porém ele me impediu apertando ainda mais seu aperto ao meu redor, ele beijou minha nuca, fazendo-me arrepiar, ele sorriu e se moveu de forma que eu olhasse em seus olhos e correspondesse seu sorriso.

Me encolhi assim que lembrei da noite passada, o sorriso de Jace sumiu de imediato.

- Hey… tá tudo bem! Eu estou aqui! - beijou minha cabeça e apertou seus braços ao meu redor.

- Sinto muito! - chorei durante um bom tempo com Jace acarisiando meu cabelo.

- Já é tarde - ele me afastou e sorriu carinhoso - Dormimos tarde ontem, já é quase uma hora. - disse olhando ao relógio - Que tal você trocar de roupas para nós podermos almoçar? - ele beijou minha cabeça - Sem encontros desagradáveis desta vez eu juro!

- Acho uma ótima idéia! - meu sorriso é nítidamente triste.

- Talvez… - a exitação dele chamou minha atenção.

- Talvez o que Jace? - Ele olhou em meus olhos e desviou o olhar desconversando - Jace. Por favor, você é a única pessoa a qual eu confio totalmente preciso que seja sincero comigo.

- Ninguém nunca me explicou o que houve com você, tudo o que eu sei é o que Sebastian sabe, isso significa que tudo o que sabemos é o que pessoas bêbadas sabia. - ele fechou os olhos e respirou fundo - Não estou dizendo que você tem que me contar tudo imediatamente, só quero que se sinta confortável e saiba que eu vou estar sempre aqui - ele se levantou e ficou de frente para mim, que ainda me encontrava sentada na cama - Eu te amo! Eu sempre vou estar aqui!

- Eu sei - me levantei e me joguei em seus braços - Eu juro que vou te contar, prometo que vou!

- Não preciso me prometer nada! - Beijou meu nariz me fazendo rir - Olha só um sorriso!

- Eu te amo! - disse o surpreendendo. Jace é um doce de pessoa e sorriu me abraçando forte, me deixando protegida e segura.

- Porque não se arruma? - pergunta sorrindo - Acho que seu irmão e pai ainda estão dormindo.

- Está bem! Obrigada Jace!

Jace sorriu quando sai do banheiro vestindo uma camisa de manga listrada junto a uma calça jeans preta, peguei meu sobretudo Jeans que se encontra pendurado em um apoio ao lado da porta. Jace pegou minha mãe enquanto desciamos as escada nenhum dos dois falou nada, não era preciso.

- Clary? - olhei para ele assim que o ouvi meu nome - Você está bem?

- Eu estou ótima! - Abri um sorriso com toda a felicidade que meu coração podia liberar, o que me surpreendeu foi que eu conseguia fazer isso melhor, porque não é uma mentira, Jace me deixa feliz.

Ele passou os braços ao meu redor e beijou minha cabeça sorrindo, enquanto andamos em direção a um restaurante que ele diz ter perto dalí.'

- Amanhã voltamos a escola - respirou fundo - Está tudo bem?

- Bom, se sua pergunta é referente ao fato de que sua ex maluca me enchendo a paciência pode me causar algum tipo de extremo estresse - respirei parando de frente para ele assim que chegamos ao restaurante - Eu vou ficar bem! - sorri me aproximando e o beijando.

- Nossa isto foi uma novidade e tanto. - ele sorriu me abraçando e me guiando para dentro, pedimos uma mesa e nos sentamos esperando o garçom para fazermos o nosso pedido. Olhei em volta para apreciar, o lugar não parecia exatamente um restaurante era mais parecido com um tipo de lanchonete que serve de tudo é o nome é diferente TAKI'S mas no geral é extremamente confortável.

- Gostou? - Jace apoiou o cotovelo na mesa e sorriu - Se quiser poderemos pegar um táxi e ir para outro lugar…

- Não eu… achei confortável - sorri olhando em volta - Diferente mas confortável, minha mãe me convenceu a ir ao psicólogo uma vez, ele disse que eu preciso de coisas novas acho que ser uma adolescente normal se encaixa nisto.

- Que bom, que gostou - ele sorriu olhando para o lado, mas olhou em meus olhos quando falou novamente - Eu adoro este lugar, sentiria falaram se não pudesse mais voltar aqui.

Olhei em seus olhos, e tudo que consigo ver é amor e meu peito expandiu de tanta alegria, mas o que ele tinha acabado de falar voltou na minha cabeça e então eu notei que ele me ama, e isso que dizer desistir de algumas coisas só por que eu não gosto ou me sinto desconfortável fazendo.

- Você desistiria de muita coisa por mim não é?

- Sim - ele pegou minhas mãos e sorriu - Então senhorita Morgenstern eu sei coisas o suficiente sobre você. Por que não tenta me conhecer melhor? - Sorriu soltando minhas mãos e as entrelaçando para logo em seguida as erguer e apoiar o queixo nelas.

- Eu não sei…

- Ah vamos lá Clary - disse suspendendo os ombros largos só para deixá-los cair logo em seguida - Eu sei que tem pelo menos uma pergunta para fazer, e conhecendo o pouco que conheço de você sei que assim que a responder vai surgir outras milhares.

- Então - existei um pouco porém quando olhei em seus olhos soube que ele responderia qualquer coisa - Sabe... Aline não faz muito seu tipo. - Afimeo sem graça.

- A é, e qual seria meu tipo? - ele sorria abertamente.

Senti meu rosto esquentar e desviei o olhar, quando voltei meu foco para o rosto calmo sorridente e doce a minha frente já sabia a resposta para aquela pergunta.

- Você parece gostar de coisas calmas e delicadas, porém, com um certo tipo de amor agressivo, alguém passivo mas quando precisa, é tão forte que ninguém pode mensurar o tamanho de seu fervor - Não estou olhando para Jace neste momento, estou perdida nos confins do espaço e tempo, porém alguém abriu a porta fazendo um barulho o que me trouxe de volta - Aline parece ser um furacão o tempo inteiro.

- Você tem razão - ele falou dando um sorriso sem graça - Gosto de garotas camas e delicada - ele olha diretamente para mim - Minha avó tinha me convencido a passar um tempo por ela, Aline era filha de uma amiga dela, ficamos uma vez e ela contou para minha avó que se convenceu de que nós deveríamos ficar juntos.

- Sua avó parece ser uma pessoa difícil! - disse com a garganta seca.

- Realmente, queria que meus pais estivessem aqui - Seu sorriso murchou - Eles iriam gostar de você!

- Eu sinto…

- Desculpem pela demora - A garçonete apareceu de repente - A quanto tempo Jace - Ele sorriu para ela.

- Olá Kaelie esta é Clary minha namorada - falou aponta para mim.

- Olha só alguém conseguiu atingir o seu coração afinal - falou olhando para mim - Como vai Clary?

- Bem obrigada - responde sorrindo.

- Já sabem o que vão pedir? - pergunta olhando diretamente para mim, senti uma certa afeição por ela, de alguma forma acho que me vi nela não agora é claro mas sem dúvida nenhuma antes de tudo acontecer.

- Eu...

- Duas porções do de sempre Kaelie - Jace chegou para me salvar - Não deixe Clary sem graça, só eu posso faze-la corar.

- Você sabe ser um idiota às vezes sabia? - a garçonete sorriu - E para a sobremesa?

- Gosta de sorvete? - Jace pergunta sorrindo.

- Claro - falei sem graça pelo o olhar que ele tinha em mim - Sou… alérgica a morango e… a frutos do mar também!

- Não se preocupe o prato principal não envolve peixe ou nenhum parente dele - brincou - Gosta de chocolate?

- Sou mulher Jace! - responde sorrindo.

- Acredite em mim - Kaelie falou enquanto anota em seu bloquinho - Ele não está muito acostumado, você é a primeira garota que ele trás aqui! - Ela sorriu e se afastou.

- Então, devo saber mais alguma coisa sobre sua alimentação?

- Eu gosto de qualquer tipo de comida - Sorri e desviei os olhos - Só que não posso comer frutos do mar e nem pensar em morango.

- Claro! - Ele se encostou na cadeira e cruzou os braços - Então vou tomar cuidado para não tomar ou comer nada que envolva os dois.

- Obrigada - digo sorrindo - É muito gentil.

Quando Kaelie trouxe a comida me surpreende ao ver que é batata frita e salgados, Jace parecia uma criança devorando sua porção. Logo depois de terminarmos o sorvete pedimos a conta.

- Podíamos marcar de sair Clary - Kaelie disse me abraçando, olhei assustada para Jace por cima do ombro da mesma - Jace Tem meu número, me liga, está bem!?

- Claro - estou totalmente sem reação, quando ela volta ao balcão Jace e eu nos dirigimos até a porta, ele pegou meu sobretudo e me ajudou a vestir.

- Está frio lá fora!

- Obrigada!

- Não fasso mais que a obrigação de um namorado! - Sorri, um pouco mais alto do que o normal ele gosta de repetir “Eu te amo” ou “Namorado/a”.

- Eu te amo!

- Eu causo este efeito nas mulheres! - debochou.

- Um pouco de paciência Clary você pode com ele! - disse a mim mesmo.


Notas Finais


O próximo capítulo será um Flashback da Clary.
Ele já está quase pronto então devo postar sábado a noite.
Desculpem pela demora beijos!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...