História Quando minha vida mudou - Capítulo 28


Escrita por: ~

Postado
Categorias Cúmplices de um Resgate
Personagens André Alencar, Benjamin, Chloé, Dóris Jardim, Felipe Vaz, Isabela Junqueira, Joaquim Vaz, Julia Vaz, Lola Alencar, Manuela Agnes, Mateus Jardim, Omar Ferraz, Priscila Meneses, Sabrina, Téo Cavichioli
Tags C1r, Chlomar, Cumplices, Isabela, Jobela, Judre, Mabrina, Majo, Manuela, Mateo, Prijamin, Teobela
Exibições 204
Palavras 1.991
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Escolar, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oi gente, capítulo do dia para minhas queridas leitoras lindassss!

Capítulo 28 - A vez de Manuela


Fanfic / Fanfiction Quando minha vida mudou - Capítulo 28 - A vez de Manuela

 

Dois dias depois do acidente envolvendo Isabela, em que ela ficou presa no frigorífico da escola por causa de uma armação de Priscila.

Isa foi para o hospital, e estava bem doente. Depois de dois dias, foi transferida para a sua casa, onde ficaria alguns dias de cama, seus pais a cuidavam diariamente.

 

POV Isabela ON

Eu me sentia fraca, com o corpo queimando. Ainda tremia um pouco.

Quando acordei na cama da minha casa, senti o cobertor me aquecendo.

Abri os olhos devagar, vendo a luz fraca do sol pela janela.

 

Virei com dificuldade minha cabeça para o lado. Minha irmã gêmea estava sentada em um dos puffs do meu quarto.

“Isa, você acordou?”

“Oi...” Falei, com a voz enfraquecida.

“Tá tudo bem? Quer que eu te traga alguma coisa?”

“Não... Não precisa...” Respondi lentamente.

Aos poucos levantei minha cabeça e vi que tinha mais gente ali.

Joaquim estava ao lado do irmão Felipe, o consolando.

“Oi, Isa.” Joaquim disse, sorrindo para mim.

“Oi Linda...” Felipe me elogiou e eu retribui com um sorrisinho.

“Os dois fizeram as pazes?” Eu perguntei, com minha voz rouca.

“Uma trégua, por você.” Joaquim disse e se aproximou, tocando o meu rosto “Tá melhor?”

“To sim... Um pouco.”

Manuela interviu “Mas é melhor não sair de cama, ao menos nessa primeira semana, Isa. Você ficou muito debilitada.”

Eu resmunguei um pouquinho “Eu sei.”

“Qualquer coisa pode pedir pra mim.” Manu se prontificou.

Ela só queria chamar a atenção... Se pensa que vou ficar mais próxima dela por isso, tá muito enganada.

 

“Eu ainda vou... Descobrir... O idiota que fez isso.” Falei com raiva.

“Eu posso tentar descobrir pra você.” Felipe se ofereceu.

Manuela ficou cabisbaixa. “Não acredito que alguém tenha sido tão mau a ponto de isso de propósito.  É muito triste...”

Era uma cínica mesmo, só queria parecer boazinha na frente de todo mundo. Por que essas coisas não acontecem com ela?

 

Joaquim pegou a mochila dele e colocou nas costas “Bom, já passou dois dias, e a cúmplices precisa retomar os ensaios.”

“Vão continuar sem mim?” Perguntei.

“O concurso tá perto, precisamos ganhar.” Ele falou, certo do que dizia.

“Não tá preocupado com o meu bem estar, não?!” Eu falei com ironia.

“Não é isso, Isa.” Quim tentou se explicar “É que ganhar é importante pro nosso reconhecimento como músicos. A Júlia e o André também querem continuar. Ah, e eles mandaram melhoras pra você.”

Respondi com arrogância “Diga que eu agradeço. Mas não preciso da compaixão de ninguém não.” 

“A gente vai ter que te substituir por uma vocalista tão boa quanto você, e é difícil achar.” Joaquim comentou.

Felipe logo se meteu “Ninguém canta tão bem quanto a minha gata Isabela!”

Nessa hora eu olhei pra Manuela, e ela continuava calada. Será que não ia se oferecer pra me substituir?

 

Joaquim parecia que leu meus pensamentos e teve a mesma ideia “Manuela, você não disse uma vez que se arriscava a cantar um pouquinho?”

Minha irmã gaguejou na hora “E-eu não sou tão boa quanto a Isa...”

Ela mentia para os outros pois sabia que eu ia ficar magoada se todos soubessem que ela cantava muito melhor que eu.

Droga, eu não preciso da pena dela!

Então Joaquim fez o pedido formal “Você aceita substituir a Isabela nessa semana, Manu? Só pra gente poder participar do concurso, tá muito perto.” 

“Eu não sei...” Eu via nos olhos da minha gêmea a vontade de participar. Minha irmã amava cantar.

“Faz o que quiser, Manuela, participa da banda, eles precisam.” Eu disse, chateada por dentro.

"Tá bom, eu participo." Ela aceitou.

O Joaquim tava pensando em banda e não no meu bem estar. Ele grudento de antes já me incomodava, mas agora que ele não demonstra nada, ficou pior ainda. Esse garoto me cansou já.

“Bom, vamos embora Felipe. Tchau Isa.” Joaquim só acenou. Antes ele costumava se despedir com um beijo no rosto, mesmo eu sempre reclamando dele fazer isso.

“Tchau.” Respondi.

Ele olhou pra minha irmã “Manuela, amanhã a tarde na casa do André, ok?”

“Tá bom.” Manu respondeu, sorrindo pra ele.

Felipe veio me dar um abraço, e então os irmãos Vaz foram embora.

 

POV Isabela OFF

 

--------------Na casa do André, enquanto isso--------------

 

POV Júlia ON

 

Eu e meu lindo namorado nerdzinho fofo gatinho e gostoso que eu tanto amo, estávamos sozinhos na casa dele. Os pais dele estavam trabalhando e a irmã Lola na casa de uma amiga.

Era o momento perfeito pra gente... Se conhecer melhor, digamos assim...

“Tira, vai, deixa de ser fresco, André!” Eu falei, empurrando ele contra a parede, pra ele tirar a camisa.

“Júlia, isso pode ser perigoso...” Ele dizia ofegante.

“Medroso!” Eu dei um tapa no rosto dele, e então o puxei pelo colarinho e dei um beijão na boca. “Você é muito frouxo, André.” Sussurrei no ouvido dele.

“Então é isso que você pensa de mim?” Ele respondeu sussurrando, todo sexy.

“Aham.” Eu disse, e dei uma mordidinha no lóbulo da orelha direita dele.

“Então você vai ver...” Ele segurou firme nos meus braços, todo metido a homenzão, me derrubou na cama, prendendo os meus pulsos com os braços e começando a dar chupadinhas no meu pescoço. “Repete agora... Júlia...”

“Você... É um frouxo...” Eu falava, em meio a gemidos, enquanto ele fazia cócegas com a língua no meu pescoço.

Onde que André aprendeu isso? Ela era muito habilidoso.

“Agora você vai ver.” Ele desabotoou a camisa xadrez e atirou no chão.

“Que gostosinho.” Eu sorri provocativa.

Ele soltou meus braços e eu aproveitei pra dar uma bela alisada no peitoral dele, enquanto ele colava o seu corpo no meu.

Logo André começou a passar suas mãos por baixo da minha blusa, e sentir aquelas mãos espertinhas na minha barriga, e cada vez subindo mais, começou a me levar a loucura!

Nós estávamos suando e completamente extasiados com aquele momento. A

gente nunca tinha chegado tão longe nos nossos “amassos”.

Quando André estava tirando o seu cinto, pra baixar a calça jeans, escutamos a campainha.

“São meus irmãos!” Eu pulei da cama desesperada. “Eles devem ter chegado da visita da Isa!”

Eu tinha combinado que ia compor uma música com o André naquela tarde, na casa dele, enquanto os dois iam visitar a Isabela que ainda estava doente.

No fim eu e André não compomos música nenhuma e ficamos nos pegando a tarde inteira.

“E-eu vou distrair eles, enquanto você ajeita o quarto!” André falou.

Ele tava saindo pela porta, quando eu joguei a camisa dele “Veste isso, idiota, se não eles vão perceber!”

“É-é verdade, e também vou lavar o rosto pra eles não perceberem o suor!” André disse e saiu correndo.

 

Alguns minutos depois, quando tudo estava em ordem, nós fomos atender a porta.

“Opa, e aí André!” Joaquim disse.

André cumprimentou meu irmão com um daqueles cumprimentos estranhos que eles faziam com as mãos.

“Viemos te buscar, maninha.” Felipe disse.

“Já to pronta pra ir.” Eu sorri, meio sem graça.

“E ai, como ficou a música?” Joaquim perguntou.

“B-bem maneira!” André deu uma gaguejada, então eu resolvi interferir.

“A gente mostra ela pra vocês amanhã no ensaio!” Falei, e então apressei pra mudar de assunto. “Resolveram o problema da nova vocalista?”

Joaquim estava mais feliz que o normal “Aham, a Manuela, irmã da Isa, vai cantar no lugar dela!”

“Não sabia que ela cantava.” André comentou.

“Acho que ela canta bem, mas é humilde e não admite.” Joaquim completou. "Tenho essa impressão."

Eu então quis terminar a conversa por ali mesmo pra ir pra casa e, digamos...

"Aliviar" toda a excitação que eu tava sentindo no momento que os meus irmãos interromperam, se é que vocês me entendem.

 “Vamos indo, manos? Tchau, André.”

“Até amanhã!” Meu "namorado secreto" respondeu.

Espero que Joaquim não tenha desconfiado de nada dessa vez.

 

POV Júlia OFF

 

--------------Mais tarde, na mansão Agnes, quarto de Isabela--------------

 

POV Manuela ON

Eu vim trazer os remédios da minha irmã, com um copo de água. Tadinha, ela tava tão desanimada naquela cama, parada.

“Toma, Isa.” Entreguei pra ela.

“Valeu.” Ela respondeu, sem olhar direito pra mim, e com a cara fechada.

 

Então eu resolvi perguntar algo que tava entalado na minha garganta.

“Você não vai ficar chateada nesses dias em que eu vou te substituir na C1R?”

Ela me cortou na mesma hora “Não quero falar sobre isso.”

“Tá...” Baixei a cabeça.

A Isa era bem rude as vezes, mas eu amava ela mesmo assim.

 

“Manuela, pode me dizer uma coisa?”

“O quê?”

“E o Téo?”

“O que tem ele?”

“Ele não vir... Aqui em casa, qualquer dia?”

“Não entendi a sua pergunta.”

“Manuela, ele me salvou. Se não fosse por ele, sabe-se lá o que poderia ter acontecido comigo.”

“Ele se preocupou bastante com você mesmo.” Eu comentei, Téo era muito caridoso e queria sempre o bem de todos, e isso incluía a Isabela.

“Eu devo pelo menos um obrigado pra ele.” Ela disse, meio que de má vontade.

“Eu aviso pra ele vir aqui amanhã, tá bom?”

“Tá, faça isso.” Ela falou, e virou o rosto na cama “Agora me deixa dormir que eu to cansada.”

“Tá bom, mana.” Eu desliguei a luz do quarto dela e sai.

 

Assim que sai, fui para o meu quarto, e liguei para o Téo avisando a situação, e dizendo que a Isa queria agradecê-lo, que era pra ele vir visitar ela amanhã a tarde.

 

Logo depois disso, eu decidi que deveria me dedicar bastante nesses dias em que iria ser a vocalista da Cúmplices, então nada mais justo do que ensaiar algumas músicas, né?

Peguei uma letra deles nas papeladas da minha irmã.

Eu conhecia a música pelo canal deles no youtube. Fazia bastante sucesso para uma banda de escola. Me dava muito orgulho ver a Isa cantando sozinha, sem pedir a minha ajuda.

Os vídeos eram lindos, e os 4 integrantes da banda eram ótimos!

Peguei a letra de uma música e comecei a ensaiar no meu quarto...

 

“...Tenho que arrumar um

Tempo pra te olhar e só falar de nós dois...

Você já está percebendo.

É só vir comigo, não deixe pra depois

 

Porque eu vou te levar,

Basta só acreditar

Nós vamos ter que fugir agora, Fugir agoraaaa...

 

Basta me dar as mãos,

Você tem que confiar,

Nós vamos ter que fugir agora, Fugir agoraaaa....

 

Você vai ter que vir comigo!”

 

POV Manuela OFF

 

------------------Na casa dos Cavichiolli------------------

 

POV Téo ON

 

Eu tinha acabado de receber uma ligação da minha namorada.

Manu disse que a Isa queria me agradecer por eu ter ajudado ela... Não pensei que ela ia dizer isso, afinal, eu só fiz a coisa certa, qualquer um que passasse ali faria o mesmo.

 

Mas tudo bem, isso era uma boa oportunidade para a gente fazer as pazes.

A Isa nem olhava mais pra mim depois do dia em que aconteceu tudo errado.

Sim, naquele dia que ela declarou seus sentimentos para mim, achando que eu sentia o mesmo por causa de uma ideia do Felipe em comprar um presente e mandar anônimo.

Eu fiquei um pouco desanimado desde aquele dia. isa ficou muito magoada comigo, e envergonhada por ter se declarado daquele jeito.

Isa era uma garota muito fechada e não fazia essas coisas de expor seus sentimentos. Quando ela finalmente fez, era tudo um engano e doeu bastante nela, eu percebi como ela ficou nervosa naquela hora. Eu compreendi como ela se sentia.

 

Pelo menos a visita na casa dela, amanhã a tarde, vai servir pra gente voltar a ser amigo. Espero muito que ela não guarde rancor desse acontecimento, e mesmo eu sendo o namorado da Manuela, que ela me aceite como um bom amigo.

Ela é uma garota especial.

Linda, inteligente e uma boa pessoa por dentro. Eu acredito na Isa, e quero ser um grande companheiro dela... Algo me faz querer estar mais próximo dessa menina.

Eu só espero que esse “algo” não bagunce a minha vida pacata.


Notas Finais


Esse foi o capítulo!
Manuela entrando pra Cúmplices, Isa ranzinza na cama... E JuDré na pegação.
No próximo teremos ensaio da Cúmplices com a Manu, e a visita do Téo pra Isa? O que será que vai rolar?

Deixem comentários, leitorinhas do meu coração <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...