História Quando o AMOR acontece. - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias MasterChef Brasil
Personagens Ana Paula Padrão, Erick Jacquin, Henrique Fogaça, Paola Carosella
Visualizações 372
Palavras 1.047
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fantasia, Ficção, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Espero que gostem! Deixem os comentários de vocês, para que eu possa saber se estou agradando! Hahahaha! Beijo meninas! ❤😍

Capítulo 4 - Desejos!


Fanfic / Fanfiction Quando o AMOR acontece. - Capítulo 4 - Desejos!

Naquele momento a única coisa que
eu conseguia prestar atenção era na boca de Henrique, com vontade de dar mais um beijo.

Mas eu não podia demonstrar que estava interessada, Henrique tinha uma fama de pegador. Não queria ser só mais uma na vida dele. 

No impulso disse que sim, que aceitaria jantar com ele. 

Henrique riu, e continuou..

- Então te pego as 20:00, descansa bem! Henrique finaliza dando um beijo na minha mão  me deixando sair do carro. 

Ao chegar em casa, todos estavam dormindo, fui até o quarto da Fran, e ela estava dormindo, como um anjo. 

Fiquei por alguns minutos admirando minha filha, que bom está em casa, que bom está de volta pra ela. Dei um beijo nela, e fui para o meu quarto. 

Decido tomar um banho demorado, pra colocar as ideias no lugar, e poder digerir o que tinha acontecido, a água que caia sobre meu corpo servia como um calmante. 

Eu não conseguia esquecer o beijo que Henrique havia me dado, encostei a cabeça no box e pensei que poderia ter aproveitado mais.. 

Agora é tarde Paola, que burra que você é.. Digo pegando a toalha, e saindo do banheiro. 

Depois de colocar minha camisola, pentear meus cabelos, peguei meu hidratante preferido e comecei a passar por todo o meu corpo, por alguns minutos imaginei Henrique fazendo aquilo.

 Com aquelas mãos tatuadas, acariciando meu corpo, passando aquele hidratante em cada parte dele. 

Confesso que fiquei excitada. Porém me contive e achei que estava ficando louca e então decidi ir dormir...

No dia seguinte, decido ficar em casa, Era o último dia de Tia Claudia e de mimina no Brasil, queria aproveitar até o último minuto com elas. 

Preferi não contar sobre o que aconteceu na noite passada, não queria preocupar elas. Afinal eu já estava bem, estava em casa. 

Passei a manhã na cozinha preparando raviólis com mimina quando de repente Fran vem correndo com meu celular na mão dizendo: 

- Mama, mama! 

- Oi filha! Respondo sem da tanta importância, pois estava atenta para o ponto dos raviólis. 

- Mama, tá tocando! Ela me entrega o celular, e vejo que Henrique está ligando. 

- Tia claudia, pode ajudar mimina a finalizar enquanto atendo essa ligação? Digo limpando as mãos no pano preso junto ao meu avental. 

- Sim querida! Pode deixar. 

Fui para o meu quarto, E logo tranquei a porta, não queria que ninguém me escutasse. 

- Oi, Henrique! Meu coração quase saia pela boca, eu não estava me reconhecendo, parecia adolescente.

- E ai? Tudo certo? Como você passou a noite? Conseguiu dormir? Tudo certo pra mais tarde? 

- Quantas perguntas no? 

- Desculpa, é que tô empolgado pra mais tarde. Diz Henrique em um tom animado. 

- Consegui dormir sí, está tudo sob controle. Quanto a mais tarde, estarei esperando você as 20;00. 

- Maravilha, então á gente se vê mais tarde! Se cuida!

- Ok, você também! 


Sai do quarto e voltei para a cozinha, tivemos um dia agradável.

E por fim tinha chegado a hora de deixar mimina e tia Claudia no aeroporto, eu gostava delas, era a única família que ainda me restava, a despedida era sempre dolorosa, mas fazia parte. 

Ao chegar em casa, combino algumas coisas com Bebel, a babá da minha filha, que era praticamente da família. 

E em seguida fui me arrumar..

Fiz questão de caprichar, eu queria que Henrique me desejasse, mais do que ele já desejava. 

Já chegava perto da hora, que tínhamos combinado, faço uma maquiagem leve, visto uma blusa de alça preta, um pouco aberta nas costas, e uma saia cor vinho, acima do joelho, salto preto básico, cabelo solto, estava quase pronta quando meu celular toca. 

Era Henrique! 

- Paola, já estou aqui na sua porta! 

- Ok, já estou saindo. Desligo e logo em seguida pego minha bolsa. 

Me despeço de Bebel e da Fran, e aviso que vou chegar tarde. 

Henrique estava do lado de fora do carro, quando me viu disse : 

- Uau, que mulher linda! Isso tudo é só pra mim? Ele diz erguendo os braços para me abraçar. 

- Não seja convencido Henrique, me arrumei pra mim, pra vida. Digo dando um abraço nele. 

- Hummm, que cheiro maravilhoso. Henrique permanecia abraçado comigo, beijando meu pescoço. 

- No Henrique, aqui não! 

- Desculpa, me empolguei. Vamos? Ele diz abrindo a porta do carro. 

- Obrigada, respondo entrando no carro. 

Henrique tinha feito uma reserva em um dos melhores hotéis da cidade, o jantar foi muito agradável. 

Nosso jantar foi regado de muitas risadas, e por boas lembranças do tempo do Julia. Mas uma coisa eu ainda não entendia. Com tantos restaurantes bons na cidade, por que ir para um hotel? 

Quando finalmente crio coragem pra perguntar, Henrique toma á frente e diz; 

- Vamos? Tenho uma surpresa! Henrique levanta me dando a mão para que eu pudesse acompanhá-lo. 

- Confesso que deu um frio na barriga, e ao mesmo tempo uma vontade enorme de ir sem medo com Henrique onde quer q fosse. 

Um funcionário do hotel nos acompanhou, e nos levou a uma das melhores suítes do hotel, chegando lá o quarto estava todo cheio de pétalas de rosas vermelhas, havia um champanhe em cima da mesa. 

Tudo era lindo! 

- Paola, eu sei que você deve estar se perguntando, o por que disso tudo né ?

- Respondo balançando a cabeça positivamente.

- Mas não precisa entender não Paola. Você só precisa me deixar te conduzir, a ter a melhor noite da sua vida. 

- Eu olhava para Henrique e parecia não acreditar em tudo aquilo. 

Então Henrique me beijou, só que dessa vez com mais intensidade, passou a mão nas minhas coxas, apertando de leve, nesse momento eu já estava encharcada. 

Não tinha controle sobre o meu corpo, eu só queria matar o meu desejo por Henrique, que por sinal era de muito tempo. 

Henrique carinhosamente afasta uma das alças da minha blusa, E trilha um caminho de beijos lentamente até chegar nos meus seios, afastou a outra alça fazendo com que minha blusa descesse por completo.

Sem pensar duas vezes, Henrique abocanha meu seio esquerdo, enquanto aperta o direito, eu só conseguia gemer, "Ohhhhhh por Díos henrique, quieres me matar." 

- Só se for de prazer, ele diz rasgando a minha saia. 




Notas Finais


🔥
Até amanhã! 😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...