História Quando o AMOR acontece. - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias MasterChef Brasil
Personagens Ana Paula Padrão, Erick Jacquin, Henrique Fogaça, Paola Carosella
Visualizações 279
Palavras 1.627
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fantasia, Ficção, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi meninas! Ontem não deu pra atualizar, Mas hoje estou aqui, apesar de estar com muita dor. Trouxe mais um capitulo quentinho pra vocês.

Capítulo 8 - Decisões


Fanfic / Fanfiction Quando o AMOR acontece. - Capítulo 8 - Decisões

Fiquei paralisada, não sabia o que dizer, eu queria responder que eu também o amava, mas nenhuma palavra saia da minha boca.

- Tá tudo bem, você não precisa falar nada, eu só queria que você soubesse disso. 

- Desculpa é que realmente você me pegou de surpresa. 

- Fica tranquila! Tá tudo bem. Ele diz sorrindo enquanto acariciava meu rosto. 

- Vamos preparar algo pra comer ?

Abro porta do box e entrego uma toalha pra ele. 

- Vamos! 

Enquanto estávamos na cozinha, percebi que Henrique me olhava de uma forma muito diferente, me olhava com desejo, mas ao mesmo tempo com um olhar generoso, cuidadoso. 

- Você tá com muita fome ? 

- Perto de você eu sempre tenho fome, Henrique diz me abraçando por trás e beijando meu pescoço. 

- Você tem fome, mais é de outra coisa né? 

- Fome de Paola Carosella! 

- Tarado! Me ajuda a terminar a salada. 

Henrique prontamente me ajuda, havia feito somente uma salada simples e rápida, acompanhada de um bom vinho branco. 

A noite foi tranquila, conversamos e nos divertimos bastante relembrando o tempo em que trabalhamos juntos. 

Há muito tempo não me sentia daquele jeito, tão a vontade e tão mais leve. Henrique conseguiu me trazer de volta aquela paz que eu tanto necessitava. 

- Nossa, já são quase 03 horas, a hora passou voando! Levanto colocando a taçade vinho na mesinha de centro da sala. 

- Está na sua companhia é tão bom que nem vi o tempo passar. 

- Pois é, mas acho melhor você ir, tá muito tarde, é perigoso, não quero que aconteça nada com você. 

- Não precisa se preocupar, mas só vou por que amanhã tenho reunião com alguns fornecedores. Se não, ia ficar com você a noite inteira. 

- Eu ia adorar, mas vamos ter outras oportunidades. 

- É o que eu mais quero! Mas por falar em oportunidades, já deu a resposta pro Patricio?

- No, ainda não. Amanhã é o último dia do prazo que ele me deu pra pensar. Até amanhã eu decido. 

- Espero que aceite, pensa bem, beleza?

- Sí, vou pensar.

Nos beijamos e acompanho Henrique até a porta. 

- Gracias pela companhia! 

- --Obrigada pelo banho maravilhoso! Ele diz beijando a minha mão. 

- Você não tem jeito né? Vai, boa noite! 

- Boa noite! Descansa! 


(...)

No dia seguinte... 

Acordo bem cedo, bem mais disposta depois de uma noite agradável com Henrique. 

Tomo um banho rapido, visto uma calça jeans e uma blusa branca de manga 3/4, coloco uma sapatilha, pronto, estava pronta pra ir ao arturito. 

Ao sair do meu quarto dou de cara com Bebel: 

- Bom dia Dona paola! 

- Bom dia bebel, aproveitou a folga? 

- Sim,muito! Mas confesso que senti saudades da loirinha. 

- Também senti, o pai dela ficou de trazer ela daqui a pouco, quando ela sair da escola. 

Agora eu vou indo, tô com o dia cheio. 

- Como sempre né dona Paola ? A senhora não vai tomar café? 

- Como algo no restaurante Bebel, obrigada, bom dia!


(...)

Chegando no arturito, vou para o escritório conferir algumas notas, e resolver algumas coisas que deixei pendente no dia anterior.

Deixo tudo organizado, em seguida vou para a cozinha. 

Cozinhar me deixava feliz, me dava prazer, eu tinha uma ótima equipe, tinha um sócio maravilhoso. Tudo estava bem, pelo menos no arturito. 

Ao iniciarmos o serviço do almoço, Peter me avisa que tem duas pessoas me esperando no salão. 

Ao chegar no salão imediatamente vejo Ana Paula e patrício.

- Tenho convidados especiais no almoço de hoje ? Digo cumprimentado os dois. 

- Ana, você tá sumida hein? 

- Estive viajando, mas já estou aqui é fiquei sabendo que vamos trabalhar juntas. 

Olho para patrício e respondo; 

- Na verdade eu ainda não sei. 

- Como assim ainda não sabe ? Ana pergunta cruzando os braços. 

Paola você é uma ótima chef, tem muita experiência, vai ser muito bom você participar. 

- Pois é Ana! Paola foi a única que ainda não me deu uma resposta. 

- Amiga, não deixa essa oportunidade passar. Eu vou estar lá com vocês, você vai ver como é tranquilo. 

- Trouxe a Ana pra te ajudar patrício? Não sabia que ela era sua assistente de convencimento. Os dois dão risada, e patrício diz; 

- Não, a realidade é que viemos almoçar, e aproveitei pra saber se já tem uma resposta pra mim! 

- Tá bom, eu aceito o convite! Mas se der algo errado não é culpa minha. Quem me conhece sabe que sou tímida. 

- Você vai tirar isso de letra Paola, você vai ver. Nós vamos te ajudar. 

- Obrigada! 

Enquanto estamos conversando o garçom chega com os pratos que eles haviam pedido. 

- Bom vou deixar vocês comerem em paz, vou ter que voltar pra cozinha! Espero que gostem. 

- Eu não tenho dúvidas, sou sua fã e você sabe né ? Amo tudo o que você faz! 

- Obrigada Ana, você que é uma linda! 

- Já comi aqui alguma vezes e sei que tudo que serve aqui é maravilhoso. 

- Muito obrigada Patrício! E obrigada pela visita! 

- Já começamos a gravar na terça ok? Terça feira as 08:00 da manhã te espero na emissora. 

- Ok, estarei lá! 

Me despeço dos dois e volto para a cozinha. 


(...)

O dia seguiu normalmente, o serviço do almoço havia acabado, então resolvi da uma passada no escritório antes de ir pra casa. 

Logo o telefone toca, e era Peter me avisando que Marcos estava no salão, e queria falar comigo. 

Não via outra saída a não ser ceder e ouvir o que ele tinha pra me dizer. 

- Pode mandar ele subir Peter! Mas por favor fica por perto, qualquer coisa eu chamo você. 

- Ok dona Paola! Pode deixar. 

Fico apreensiva e ao mesmo tempo decidida a dar um basta nisso tudo. 

- Paola? Posso entrar? Era Marcos batendo na porta. 

- Sí, pode entrar! E vai dizendo logo o que você tem pra dizer. 

- Até quando você vai me tratar assim? Eu não entendo por que essa raiva toda de mim. 

- Ah não entende não ? Depois de tudo o que você me fez, das crises de ciúmes, das brigas em público, e ainda da sua traição. Você realmente não entende o por que de tratar você assim? 

- Paola, calma! Pra tudo isso existe uma explicação. 

Em seguida eu me sento, e Marcos se senta em minha frente e logo começa;

- Eu te amo, eu sempre te amei, e se em alguns momentos eu fui grosseiro, foi por amar você, foi por medo de te perder. Quando a gente ama muito alguém a gente não quer perder, tudo que eu fiz foi pra te manter ao meu lado, mas eu estava cego, não conseguia ver que te prendendo daquela forma eu só te afastava pra longe de mim. Quando aconteceu aquele episodio da traição eu estava completamente fora de mim, estava bêbado, nao tinha consciência de nada naquele momento. Passei um tempo afastado, distante pra poder pensar em tudo o que eu causei a você, Mas agora eu voltei disposto a te reconquistar Paola. Eu sei que ainda podemos da certo. 

- Marcos, você devia pensar primeiro, em como eu estou? O que eu penso, e se eu quero ou não voltar com você! 

- Mas Paola, eu.. 

- Eu não te amo mais Marcos.. digo interrompendo ele. 

Você precisa entender que nosso relacionamento teve mais momentos ruins que bons. Eu vivi um pesadelo ao seu lado. Como você quer me reconquistar fazendo o que fez naquela noite em que tentou me levar a força? 

Você precisa se tratar marcos, eu posso te ajudar.. 

- CALA A BOCA! Eu não estou doente porra! Marcos diz levantando e batendo forte na mesa. 

- Isso só prova que realmente você precisa se tratar, isso não é o fim do mundo. Bom já vi que com você não da pra conversar, você está muito alterado. Melhor ir embora. 

- Eu quero você de volta Paola! E eu vou fazer o que for preciso, pra ter você pra mim de novo. Escuta o que eu estou te falando.

Marcos sai batendo a porta, e logo em seguida Peter entra; 

- Dona Paola, tá tudo bem?

- Sí Peter, só o Marcos que voltou de Miami pra me infernizar. 

- Estarei aqui pra ajudá-la no que precisar. 

- Obrigada Peter! Você é um grande amigo. 

Peter acompanhou de perto meu relacionamento com marcos, ele sabia de tudo, era uma das pessoas que eu mais confiava no arturito. 

- Melhor a senhora ir pra casa descansar! 

- Sí, é o que vou fazer agora! Você fecha o restaurante? Qualquer coisa você me liga. 

- Pode deixar! Bom descanso!


(...)

Ao chegar em casa, logo vejo Francesca o jardim brincando! 

Corro pra abraça-la, aquela loirinha era o que eu tinha de mais precioso na vida.

Em seguida vou para o meu quarto, tomei um banho bem demorado do jeito q eu gostava. 

Me deitei um pouco, logo em seguida Francesca entra no quarto e deita ao meu lado. 


- - Tá tudo bem filha ? 

- Simmmm!! Ela diz olhando pra boneca que segurava. 

- Mamãe tá cansada, vou dormir um pouquinho, você vai dormir c á mamãe ? 

- Não, vou ficar brincando aqui. 

- Tá bom, brinca aí enquanto vigia o sono da mamãe. 

Ela deu risada e continuo a brincar, eu estava com um pouco de dor de cabeça, preferi tentar dormir um pouco antes de tomar algum remédio. Podia ser só cansaço. 

Logo pego no sono, porém acordo alguns minutos depois com o celular tocando era uma mensagem do Henrique ; 


" Aparece aqui fora, tenho uma surpresa."



Notas Finais


😗


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...