História Quando te conheci - Capítulo 12


Escrita por: ~ e ~Clara_Shipper

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Ciumes, Drama, Garota, Original, Romance
Visualizações 2
Palavras 1.506
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Festa, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Annyeong, nem demorou né?

Sem demora, boa leitura!!!

Capítulo 12 - Piscina


Como hoje é sábado já é sábado e minha tia não vai estar em casa até domingo a tarde, resolve não fazer nada.


Fiquei um tempo vendo MTV, quando me cansei decide jogar um pouco de Vídeo Game, mas pouco depois de ter começado fiquei entediada.


Li um livro qualquer que minha tia havia colocado em minha estante, era até interessante, então fiquei lendo, até que me desse fome.


××♪××


Fui até a cozinha e coloquei um pouco do macarrão que eu tinha feito em meu prato, peguei a ração do Netuno e coloquei em sua tigela, fui até a sala e coloquei em um programa qualquer para passar o tempo.


O horário no relógio marcava 15h45 , terminei de comer e levei meu prato para a pia, lavei e fui tomar um banho, deixando Netuno ainda com sua ração.


Peguei um short jeans claro, uma blusa roxa e minha  jaqueta também jeans, tomei banho e me arrumei, prendendo meu cabelo em um coque, estava um dia quente.


Desci para a cozinha e procurei por Netuno, peguei o gato no colo e sai de casa, Netuno agora tinha uma coleira com identificação, então não me preocupava muito em sair com ele, não que eu fosse realmente soltar ele na rua, mas é melhor previnir.


××♪××


Fomos até o parque perto de casa, o mesmo estava estranhamente vazio para um sábado a tarde.


Fui até os banquinho por ali e me sentei colocando Netuno em cima da mesa, fiquei brincando com o gatinho por um tempo, e fazendo carinho nele que parecia cansado.


Me levantei e fui até a barraquinha de sorvete, voltei para perto da mesa não encontrando Netuno em cima da mesma, olhei ao redor e encontrei ele indo andando pela caixa de areia no playground.


Sentei no banco com a atenção ainda no gatinho, ele ficou um tempo rodando por ali e logo voltou arranhando a patinha em minha perna, me inclinei um pouco para pega-lo e o depositei sobre a mesa.


Peguei meu celular no bolso do short e mandei uma mensagem para Tyler, fiquei mais um tempo ali sentada até que vi uma moto encostar próximo a entrada do parque.


Me levantei, aninhando Netuno em meus braço já que o mesmo dormia e fui até Tyler, que continuava em cima da moto.


— Oi —disse


— Oi — respondeu — Quer ficar por aqui mesmo eu preferi ir pra outro lugar? — perguntou olhando ao redor.


— Escolha — responde, ele sorriu e me entregou o outro capacete.


Me ajeitei em cima da moto para que conseguísse me segurar e ao mesmo tempo segurar Netuno. 


Tyler partiu com a moto por um direção considerada qualquer para mim, até chegarmos em uma rua conhecida por mim, torce para que ele não parasse e ao chegarmos no local, ele desligou a moto.


Suspirei e tirei o capacete o entregando a Tyler, fiquei parada ao lado da moto, esperando que ele descesse e quando o fez entramos no local.


O clube particular que eu vinha com meus pais.


Não era um lugar ao qual eu queria estar naquele momento, mas eu não iria simplesmente pedir para ir embora. 


— Já veio até aqui? — perguntou Tyler.


— Já, com...meus pais...algumas vezes — responde encarando a piscina, o local estava novamente vazio e apesar da luz que entrava pelas pequenas janelas do local, ainda achei um pouco escuro.


Tyler se aproximou de mim e segurou minha mão me guiando até a borda da piscina onde nos  sentamos.


— Eu sinto muito — ele disse, o encarei por uns segundos e puxei devagar minha mão que ainda estava junto a sua.


— Não me olhe assim.


— Assim como? — perguntou confuso.


— Com esse olhar de pena — respondi olhando agora para Netuno, acariciando seu pelo.


— Eu não estou te olhando assim — protestou.


— Está sim, todos me olham assim depois de saberem o que aconteceu — responde — E como eu já disse, eu não preciso da pena de ninguém. 


— Calma, desculpa ta legal — levantou as mão em rendimento. — Não era minha intenção.


"Nunca é" pensei.


— Vai entrar na água? — perpuntou mudando de assunto.


— Não.


Soltei Netuno que havia acordado e ele, agora, fugia da água.


— Por que não? 


— Eu não entro em piscina a muito tempo — responde — E não sei se quero que essa aqui seja a minha primeira.


— Ei, eu vou estar com você, entrar por um minuto não vai fazer mal.


Não consigo explicar o que senti quando olhei em seus olhos, mas foi maravilhoso e calmante, como se ele me ajudasse a relaxar.


Sorri para ele e desviei meu olhar para a água.


— Mas eu não estou com roupa de banho.


— Não que precise, mas por aqui deve ter algumas reservas — respondeu.


Sai a procura de alguma roupa de banho e a única coisa que achei foi um conjunto de biquíni, achei pequeno, mas caberia em mim sem problemas. Troquei minhas roupas pelas peças e voltei para a piscina encontrando Tyler já mergulhando, entrei na água e nadei até perto do mesmo. Eu me sentia bem na água, mas as lembranças daquele lugar estava me  deixando meio triste e nostálgica.


— Você está bem?


— O que? — perguntei confusa.


— Você me parece triste, você está bem? — perguntou de novo.


— Oh, sim, só que...é meio estranho estar aqui sem meus pais, me trás muitas lembranças — responde.


— Você vinham muito aqui? — perguntou.


— Sim, eu fazia natação, então sempre estávamos aqui — as lembranças de meu pai me ensinando a nadar quando eu era pequena veio a minha mente.


-Memorias-


— Bata as pernas querida! — gritou mamãe sentada a borda da piscina.

— Eu estou tentando.

— Filha, tem que ser tudo ao mesmo ritmo — disse desta vez papai — Você esta desgovernada — completou gargalhando logo em seguida com minha cara emburrada.

— Tente mais uma vez meu amor — me encorajou mamãe.

Suspirei e balancei a cabeça em concordância.

— Só mais uma vez.

— Bata as pernas e mova um braço de cada vez — disse papai

Respirei fundo e mergulhei, tentando bater as pernas e mover os braços, comecei com o braços direto na frente depois o esquerdo e mais uma vez o direto...

— Isso querida, você esta indo bem! — identifiquei o grito da mamãe por baixo d'água e continuei o que estava fazendo até conseguir tocar na outra ponta da piscina.

Subi para respirar e vi meu pai me oferecendo um sorriso orgulhoso e mamãe batendo palmas para mim, sorri para a cena e voltei nadando ate perto deles.


-Memorias off- 


— Você não faz mais natação? — perguntou Tyler me fazendo voltar a realidade.


— Depois do que aconteceu eu parei — responde procurando Netuno pelo local.


— O que aconteceu exatamente? — perguntou meio inseguro.


— Nós estávamos indo para uma das minhas competições de natação, so que eu tinha esquecido alguma coisa, e agora nem lembro o que era ou se era importante, mas eu insiste tanto que ele fizeram a volta com o carro, mas... — parei o relato sentindo o nó em minha garganta e quando uma das mãos de Tyler tocou meu rosto, percebi que esta chorando — Quando meu pai estava fazendo a volta, um carro em alta velocidade veio em nossa direção — deixei um soluço de dor sair de minha garganta — Ele não consegui desviar e o carro acertou o lado do motorista, e eu apaguei depois disso, só me lembro da dor em minha testa e nada mais, se eu não tivesse pedido pra ele voltar, eles...


— Ei, calma, não foi culpa sua — Tyler tentou me acalmar, mas eu so conseguia lembrar da cena e todo aquele horror.


Chorei mais um pouco sentindo os braços de Tyler me envolvendo, eu não queria me lembrar de tudo aquilo, mas era como se eu estivesse revivendo tudo aquilo.

Me afastei de Tyler e ele enxugou meu rosto mesmo com suas mãos meio úmidas pela água da piscina.


— Esta tudo bem Jessi — segurei sua mão quando ela ia passar por cima da cicatriz em minha testa coberta pela franja — O que foi? — perguntou confuso.


— Eu tenho uma cicatriz do acidente — disse abaixando a cabeça.


— Jessica, isso não é importante, você é linda e isso não vai mudar por conta de uma cicatriz — disse soltando sua mão da minha e erguendo meu rosto — Isso só mostra o quanto você é forte e conseguiu passar por tudo isso — fui tomada por uma emoção que não pude explicar. Fiquei hipnotizada pelos seus olhos  que eram tão lindos.


Tyler acariciou meu rosto tirando a franja de sua da cicatriz e depositou um beijo no local, logo depois vindo em direção a minha boca, fechei os olhos a espera do contato que logo veio, era um beijo delicado, que começou com um simples roçar dos nossos lábios, ele pediu passagem para sua língua que logo concedida e então comecei a explorar todos os cantos de sua boca, nossas línguas dançavam de for ritmada como se já tivéssemos nos beijado milhões de vezes antes disso, nos separamos por falta de ar e eu estava ofegante e atordoada.


So então percebi que poderia estar apaixonada pelo Tyler...




Notas Finais


Então é isso...
Bye Bye!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...