História Quando voce ainda estava aqui - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Exibições 31
Palavras 5.052
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Romance e Novela

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 7 - A garota dele


13 de setembro 

Eu balançava as pernas freneticamente e olhava para o relógio na parede a cada cinco segundos , olhava para os lados e via pessoas e enfermeiras saírem e entrarem em salas  , voltava a encarar o relógio e parecia que os ponteiros se quer se mexeram . Minhas mãos começavam a suar e minha respiração ficava apertada ,olhava mamãe sentada ao meu lado o como olhar fixo no vazio tentado manter a calma , mas podia notar ela  flexionado a unha do dedo médio  na ponta do polegar  e alternando com o anular . Ela olhou para mim deu um sorriso contido e disse que tudo iria ficar bem eu assenti com a cabeça e voltei a encarar o relógio. 

Enfim o Dr. Willian sai de sua sala e chama apenas mamãe , ele fala alguma coisa a ela que olha para mim e pede para eu espera um pouco e entra com ele em sua sala e novamente  eu fico ali sentado esperando com o barulho de pessoas indo me fazendo companhia. E pensar que tudo isso começou a duas semanas atrás , primeiro o cansaço , depois as dores de cabeças , falta de apetite , fraqueza , vertigens  e por fins desmaios que por sorte nenhum correra no colégio . depois alguns minutos  Dr. Willian  abre a porta e me chama para entrar na sala ,mama  estava sentada e com cara de quem tinha chorado o que me deixou assustado mal sentei e já questionei o medico 

-Fala Dr. Willian o que eu tenho  ? Disse eu apreensivo 

-primeiramente  John você precisa se acalmar - disse ele com toda  a calma do mundo ao contrario de mim 

-eu já estou calma -disse exaltado olhando para mamãe na esperança que ela falasse algo  

-Calma querido disse ela segurando minha – ouça que o Dr. Willian tem a dizer  

 -Olha o que eu vou lhe dizer não é fácil e também não esperamos que você absorva de primeira , mas John você tem um tipo aro de tumor do cerebelo , que só  dois casos de pessoas com essa doença 

-E agora eu sou o terceiro -disse sem pensar 

O Dr. Willian engoliu em seco mas continuo – o problema é que não podemos fazer nada devido ao local que esse tumor se aloja no cérebro  

-Então vou vir com isso  e tomar remédio pelo resto da minha vida ? Indaguei ele  

-Bem que podia ser assim – disse ele sereno – mas lamento lhe dizer mas  ela não vai ser tão longa  , o caso mas recente que o teu é de um garoto de oito anos que viveu um ano  

Quando ele disse isso um zumbido inundou meu o vido e minha mente começou a se embaralhar e as informações começaram a escapar e eu não ouvi e nem prestava atenção em  nada que o medico me falava . olhei para mamãe ela se encontrava firme contento o choro e respirando fundo e apertando minha mão com força que provavelmente estava doendo , mas eu não sentia já que  estava anestesiado com aquela noticia e tudo o que eu mais queria era acordar daquele pesadelo . 

Fique sem reação com aquilo depois de tanto tempo era aparece em minha vida e agora muitas coisas passam em minha cabeça e me deixam confuso e o que saiu da minha boca foi apenas uma apresentação esdruxula  

-bom eu não sabia que você voltaria tão tarde disse Anna colocando as mãos do bolso do casaco meio constrangida com a situação - mas precisava tanto falar com você que decide esperar mesmo assim 

-Serio ! Disse eu nada surpreso coçando a nuca , sempre faço isso quando estou nervoso ou mentindo , mas  são mais frequente quando estou nervoso e aquele era o momento  

Mas pelo visto é melhor nos falarmos amanha , já estava indo embora  mesmo e por sinal o meu taxia já chegou –disse ela pedindo licensa e se despedindo de nos e ates que ela fosse embora eu  me virei  

-te ligo amanha então . 

-tudo bem – disse ela se virando e indo abri a porta do taxi – ah á e alias foi  um prazer conhecer você Ally   

Depois que ela foi embora me tratei de despedir rapidamente de Ally , não queria ser obrigado afalar sobre aquilo ou da Anna. Ao entra em casa pude respirar mais aliviado e pelo visto meu pai e nem Alex votará a inda  e pelo horário com certeza não dormiriam em casa . fui direto para o banheiro do meu quarto tomar alguns remédios  como poli vitaminas , remédio para dores e  de enxaqueca , depois disso olhei  me no espelho e me perguntei a onde o velho John foi parar aquele cara destemido , divertido e voraz na hora de viver e que amava Anna acima de tudo , foi ai que me lembrei que ele morrera  há três messes . Tirei os sapatos e me joguei na cama nem mesmo em me preocupar em trocar de roupa  precisava dormir esquecer os meu problemas e relaxar e pensar em o que dizer para Anne porque com certeza ela descobriu sobre a minha doença

Depois que saímos do medico eu ainda estava no meu estado catatônico entramos e mamãe soltou um enorme suspiro olhou para mim e disse segurando minha mão 

-vamos procurar uma segunda opinião filho , e você vai ver vai dar tudo certo não a nada o que temer  

Eu simplesmente olhei para ela e dei um meio sorriso que fez com que ela retribuísse  e depois se virasse e ligasse o carro . Eu queria acreditar na hipótese que aquilo fosse um erro mas o Dr. Willian era o melhor da região então a chances de erro podia ser quase nulas , comecei a olhar  a paisagem a minha volta e ver que assim como o carro passara por elas rapidamente a minha vida também passaria e contrario do carro que ultrapassa tudo e cumpri suas metas eu não cumpriria a minha há tantas coisas que eu queria fazer , me formar , viajar  e tinha Anna o que aconteceria com os nossos planos .simplesmente fechei os olhos e esvazie a  mente e mesmo assim nunca foi tão longo o caminho de volta par casa 

-chegamos querido – disse mamãe colocando a mão em mim e me despertando  

Olhei para ela e fique em silencio e ela não questionou como se entendesse o que eu estava passando e que eu precisava de um tempo para digerir tudo aquilo o que lá não teria afinal ela era mãe eu  lamentava por ela não poder sofrer com isso quando eu estava presente. Mal entramos em casa e o meu padrasto já veio nos interrogar  

-eai não faz muito tempo  que cheguei -disse ele dando um beijo em mamãe – como foi a consulta ? 

Simplesmente olhei para mame e voltei a olhar Richard e simplesmente e dei as costa e subi as escadas sem falar com nenhum deles , enquanto subia ouvia mamãe  se desculpar pelo meu comportamento e pedindo para que Richard fosse para sala para poderem conversar .cheguei no meu quarto e fui direto para cama e fiquei horas lá deitado com a luz apagada apenas com a do abajur ligada , olhava tudo a minha volta tudo ali me representava as fotos no mural junto com algumas  anotações , os troféus e medalhas do esportes que praticava , como natação , futebol , judô ,  esgrima , meu violão que eu e meus amigos usávamos nos  domingo s nos shows  particulares que dávamos em casa , o meu skate velho que andava de vez enquanto ,mas  houve uma época em que ele não sai do meu  pé . Fechei os olhos com e permaneci assim até dormir  

Sinto uma luz intensa sobre mim que chega a incomodar os meus olhos , quando abro estou num campo  florido  num dia ensolarado , o barulho da natureza ao meu redor me acalma e relaxa o meu espirito . Então ouço uma linda que eu reconheceria em qualquer lugar era Anna que vinha em minha direção com seus cabelos negros ao vento sorrindo enquanto me chamava  

-levanta John ! Não vai ficar o dia todo ai deitado – dizia ela me estendendo a sua mão para eu levantar 

-mas estava tão bom – disse me levantando com a sua ajuda  

-você prometeu que íamos nos divertir hoje e que eu saiba dormir o dia todo só é diversão durante semana  

Eu ri e dei um beijo nela – então vamos - disse pegando sua mão e caminhando com ela por entre as flores  

-Esse lugar é realmente lindo! Falava  ela radiante 

-é mesmo ,mas só porque você esta aqui  

-Ah deixa de ser  romântico John – disse Anna  se aproximando de mim – você sabe que assim eu não consigo me controlar  

-E é disso que eu gosto – disse beijando o seu pesco e chegando na sua orelha – quando você perde o controle ela riu e se afastou dos meus braços  

-vem John quero te levar para um lugar – disse ela com um olhar sedutor ela correndo   

Eu sem perder tempo fui atrás dela  sobre a relva  , de vez enquanto Anna olhava para trás sorria me provocando e seguia em frente e por mais que eu corresse não conseguia alcança-la ate que ela chegou perto de uma colina e parou , me aproxime e agarrei num abraço cheio de beijos  como perfeitos amantes e era isso que éramos perfeitos .de repente ela olha para mim com aqueles olhos que me fascinava e me hipnotizava deslizava seus dedo finos pelos meus lábios e desce sua pelo meu corpo ate encontrar a minha a segura firme e atrás ao nosso encontro , fico admirando ela brincar com a diferença de tamanha entre a minha mão e a dela , ela olha para mim novamente  

-me perdoa John , mas nos não podemos mais ficar juntos- disse ela soltando a minha  

-Como assim Anna  ?o que você esta dizendo? Dizia eu sem entender nada   

-Você não terá futuro John , não poderá seguir em frente como nos – disse ela apontando para colina onde meus pais e amigos se encontrava  

-Não Anna fique eu preciso de você  

-Precisava John ,não me julgue mas não quero isso para mim me perdoa -disse ela subindo a colina indo ao encontro de todos aqueles que eu amava 

Eu tentei ir atrás dela mas era inútil eu não me mexia por mais que eu tentava não sai do lugar ficava ali parado  

-não me dixe !  gritava eu em agonia   

Mas ela nem olhou para trás continuo subindo enquanto eu comecei afundar em uma espécie de breu e a sua imagem cada vez mais ficando distante e quando me  vejo estou num buraco com apenas abertura bem distante , olho ao me redor e não vejo mais nada e quando volto olhar para cima a abertura se fecha e toda a luz desaparece  eu fico ali naquele lugar frio e obscuro onde não há ninguém  enfim estava no meu túmulo 

Não consegui dormir direito não parava de pensar na conversa que teria com Anna , depois de tanto tempo sem vela não sabia muito bem o que estava se passando em minha mente e no meu coração. Meu pai e Alex chegaram lá pela manha e foi quando eu percebera que não dormira nada , passei a noite toda virando de um lado para o outro. Peguei o celular em cima do criado mudo ao lado da cama  e pensei em lhe mandar uma mensagem mas o que escrever eu tinha dito que ligaria  mas quando seria a hora certa , será que ela já tinha acordado ou também passara a noite em claro era tantas perguntas que minha cabeça iria explodir foi quando alguém bate na portado quarto  

-Já esta cordado filho –reconheci a voz e era papai  

-Sim pai- levantando e me sentando na cama  

-Trouxemos café -disse ele desça e tome com a gente     

-Só vou tomar um  banho e já desço  

-Mas não demora trouxemos dunuts e você sabe como o Alex gosta – disse ele rindo e indo embora  

Fui para o banheiro e quando passei pelo espelho  que ficava de frente com a entrada ao ver meu reflexo   me surpreendi ,  eu estava horrível nem as ressacas das varias festa que tive me deixara acabado daquele jeito , liguei o chiveiro na agua fria para acordar meu corpo e para ver se melhorava  a cara , fiquei ali por lguns minutos meditando para não pensar em mais nada . depois de me arrumar fui tomar café com meu pai e Alex 

-Nossa você est todo arrumado logo de manha vai sair ? indagou Alex dando um gole no seu café  

-Vou sair com o Dorian - não podia falar com eles sobre Anna não agora  

Me sentei e peguei um pouco de suco de laranja e dois dunuts um de morango e outro de chocolate , sendo que na realidade eu  não queria comer com tudo que veria acontecer  perdi o apetite antes do dia começar, mas tinha que comer algo se não ambos enxeriam o meu saco  

-Você sabe já o horário que vão sair -disse papai  

-Ainda não , mas estou vendo isso com o Dorian  

-Tudo bem só não quero que volte tarde afinal as aulas irão começar a manhã- disse ele pegando mais um dunuts e voltando a ler o jornal  

Depois que terminar de tomar o café fui para sala ver um pouco de televisão  para matar o tempo, acabei que por fim de escolher para assisti um documentário da vida marinha que por sinal nem prestei a tenção pois agora que meu corpo estava relaxado acabei apagando no sofá  

Acordei suando e com o coração palpitando  freneticamente aquela experiência fora horrível , sentei me na cama respirei fundo  buscando manter a calma e  serenidade , peguei meu celular que estava de lado jogado no colchão e  liguei e havia varias mensagens da Anna , abri a tela da conversa e digitei 

-Oi amor ! já faz algum tempo que eu voltei do hospital, mas estava cansado e acabei tirando um cochilo desculpa por não falar com você antes  

-Não demorou muito ela respondeu – tudo bem , mas  como foi a consulta  ? 

-Nada para se preocupar é só falta de vitaminas e uma  leve anemia  

-Não sabe como fiquei aliviada por no ser nada grava , mas mesmo assim fazer o tratamento certinho e pode deixar que  enfermeira aqui vai cuidar bem de você - disse ela com carinha alegre uma emoji de injeção seguido por uma de uma menina  

-eu sei que vai – disse com uma carinha feliz – alias nos podemos nos encontra agora na pracinha perto da sua casa  

=Agora não da – disse ela mandado um emoji de carinha triste -mas pode ser mais tarde  

-Por mim tudo bem 

-Não vejo a hora de te ver disse ela me mando um coração - eu te amo 

-Eu também –disse terminado a conversa  

Larguei o celular do colchão e voltei a deitar e agora pensava com mais clareza sobre o sonho e tinha que tomar um providencia sobre como contar para  Anna que estava morrendo . 

 . Depois de passar algum tempo deitado o meu celular avisa que há uma nova mensagem  

-John já terminei de ajudar a minha mãe e agora já posso lhe encontrar –disse Anna na mensagem  

-ok , me espera na pracinha que tem perto da sua casa que eu já estou indo  

-tudo bem eu lhe espero lá  - terminou ela com emoji com carinha mando beijo 

Depois  ler a mensagem de Anna eu desci as escadas  fui para o armário que fica no rol de entrada onde guardávamos os casacos peguei a minha jaqueta jeans e quando estava saindo uma voz grave me surpreende  

-A onde você vai John ?– disse Richard parando perto do batente da porta que dava para a sala de televisão 

-vou encontrar a Anna disse eu encostando a porta  

-tudo bem - disse ele cocando debaixo do queixo  – sobre mais cedo me desculpa por te interrogar daquela forma sua me contou tudo  

-Eu também lhe peço desculpa por ter tratado você daquele jeito  

-Tudo bem e normal ficar confuso e irritado com uma noticias dessas – disse ele todo compreensível -mas quero que você saiba que pode contar comigo e que vamos enfrentar tudo isso junto  

-Eu sei que posso e você sabe que é como um segundo pai para mim 

-Eu sei ,mas agora vai lá encontrar a sua garota e não demore porque sua mãe quer jantar fora hoje 

-Esta bem eu não vou demorar – disse eu me despedindo e saindo de casa  

A caminho de ver Anna eu pensava o que dizer e como dizer , não seria uma tarefa fácil dizer a ela que eu estava morrendo e que todos os planos que fizemos nunca se concretizarão , a cada passo que me aproximava da praça sentia o peso e angustia devê-la  e ver a sua reação quando lhe contasse o que estava acontecendo , não queria isso era para sermos eternos . Me aproximei perto de uma arvore e pude vela ali sentada num dos balanços, balançado de vagar enquanto  me esperava   fiquei ali escondido por algum tempo contemplando a sua imagem sobre a luz do luar não queria perde-la , não queria deixa-la ir , mas já estava certo que ela seguiria enfrene e eu não. 

Respirei fundo e fui caminhando em sua direção já havia tomado a minha decisão e por mais dura que ela seja era a melhor . Cheguei por trás dela e a envolvi em meus braços e pude sentir o seu calor e cheiro pela a ultima vez  

Demorou disse ela sorrindo inclinando sua cabeça para trás e me roubando um beijo  

Eu fiquei por alguns instantes imóvel com o olhar frio procurando forças para falar o que queria-Anna eu estou terminando com você  

-Oi ?disse ela surpresa – como assim John ? Você  só pode estar brincando – disse ela sem acreditar em nenhuma palavra que eu dissera  

-e a mais pura verdade , eu estou terminado com você - disse novamente mas dessa vez mais  firme e ríspido 

-você não esta falando serio disse ela com a voz tremula de choro – tem algo errado , você não é assim John , fale  o que esta havendo – disse ela  indo me tocar  

-Não toque em mim ! Disse gritando grave com ela – eu já havia pensando nisso algum tempo Anna , não quero mais ser seu namorado , estou terminado com você e nada que você fale ou faça vai mudar 

-John você só pode estar fora do seu juízo – disse ela insistindo em me tocar o que vez com que a empurrasse e ela caísse sentada no balanço  e ficasse olhando para mim assustada  

Eu a olhava  com olhar agressivo e infame , mas por dentro estava morrendo de ódio de mim por fazer aquilo – adeus Anna e nem tente ir atrás de mim – disse virando as costa e indo embora 

-John ! Disse ela gritando mas não dei bola  sai dali o mais rápido possível sem olhar um minuto se quer para trás   

Correr era só isso que eu queria era correr o mais rápido que podia sem me importar no que podia acontecer , queria sumir fugir  desparecer , queria deixar em cada esquina meus problemas mas não se pode fugir de você mesmo .  eu não podia voltar a traz ? ou podia ? Não importava já tinha feito e continuaria o meu plano de acabar de vez com John  Blake  

Acordei com meu celular vibrando peguei-o para olhar e era Anna me mandando uma mensagem  

-Oi John que horas podemos nos ver dizia ela 

-Oi –respondi – pode ser depois do almoço 

-Ok – disse ela – eu estou hospedada no hotel Plaza Glory´s então acho melhor nos encontrarmos no parque que tem aqui perto ele também fica perto daquele Aquário que fomos uma vez quando mais novos  

-Tudo bem ,  então nos vemos mais tarde  

-Ok – terminou ela 

Ver aquela conversa mostrava o quanto havíamos mudado sem emojis  ou o coraçõezinhos no final de cada despedida  e muito menos uma conversa antes de chegar a o que realmente queríamos . Depois do almoço mandei uma mensagem para Anna  avisando que já estava saindo de casa. Enquanto dirigia tentava manter minha mente livre de pensamentos e a atenção na estrada , nem mesmo ligando o radio a musica que tocava não era capaz de fazer meu cérebro parar de pensar na Anna e o que lhe dizer caso ela já  soubesse da minha doença   

Eu  remexia o meu Moussaka no prato , me perguntado como conseguira voltar para casa e como minha mãe me fizera vim para esse restaurante sendo que não estava com pique para nada disso , na verdade não queira nada disso , não queria esse dia , essa vida e pela primeira vez não queria ser eu  

-O que foi filho , não esta bom ? Perguntou mamãe puxando delicadamente meu rosto para cima para que eu olhasse para ela  

-Esta sim é eu que não estou com muita fome  

-Mas você tem que comer um pouco – disse mamãe olhando para Richard  na intenção que ele concordasse com ela 

-Ah ! lembra quando fomos  a Grécia e você fico fascinado com o veleiro e cismou que queria ser pescador – disse ele rindo – e amou esse  prato e desde então virou um dos seus favoritos  

-É verdade- disse mamãe limpando o canto da boca  com o guardanapo – quando voltamos você cismou que queria comer Moussaka e u tentei fazer ,mas não deu certo – disse ela rindo , realmente mamãe era um desastre na cozinha sorte que tínhamos Richard ou  Alice para evitar que morrêssemos de fome  

Eu dei um sorriso de canto de boca e ambos ficaram contente – bom eu estava pensando e eu quero morar com meu pai – joguei essa bomba  enquanto mexia no meu prato de cabeça baixa  

-O que ? Disse mamãe incrédula com o que eu disse – John o que você esta falando ? 

-Já que estou morrendo quero passar esse tempo com o meu pai , não é justo só visita-lo as vezes  

-Não ! Disse ela exaltada - John você tem que ficar aqui comigo , onde você vai ter tudo que precisa  

-Mas ,mãe eu preciso disso o meu pai também  

-Richard !– disse ela pedido ajuda para  ele  

-Olha ,não vejo problema algum ele passar alguns dias com pai -disse ele olhando para mamãe – depois disso ele volt.... 

-Ai que esta disse eu o interrompendo Richard – eu não vou voltar quero passar o tempo que me resta com o meu pai  

-Você não pode fazer isso -disse ela já chorando- não pode me privar de ficar com você não agora que  

-Mãe você ficou grande parte da minha vida comigo e quero ter o mesmo com o meu pai , não vou fugir podemos nos falar sempre e uma vez por mês eu posso vim visitar vocês  

-Eu já decidi John você não vai e ponto final  

-Você não vai me proibir -disse  alto e rude jogando meu guardanapo na mesa  

-E olha a falta de respeito não é porquê você esta .. 

-Morrendo- interrompi ela   

-Não -disse ela brava – eu ia dizer quase um homem que não vai apanhar  

-Eu já tomei minha decisão não há volta você querendo ou não -disse levantando da mesa 

-A onde você vai -disse ela também levantando  

-Para casa  !  

-Espera querida -disse Richard segurando a mão da minha mãe  -deixe ele ir ,assim pode pensar com calma  

Ouço um buzina e vozes me xingando , olho para  cima e vejo que o sinal  já abriu e que eu fiquei parado ali  perdido nos meus pensamentos , respiro fundo e segui em frente sem me desconcentrar ate encontrar um estacionamento para poder ir para o parque , assim que estacionei peguei o celular e liguei para Anna  

-Oi Anna  acabei de chegar  

-Que bom , já estou aqui no parque perto da fonte  

-Ok, daqui apouco eu estou ai  

Me encontrava na porta do parque respirei fundo e fui ao encontro de Anna , quando estava chegando perto da fonte  já pude vê-la sentada num banco , me aproximei e sentei do seu lado   

-Quanto tempo -disse sem graça, como se fosse a primeira vez que falo com ela sendo que a conheço  desde de criança , mas por que parecia o contrário  

-Pois é ... - disse ela também sem graça -  eu já sei de tudo – quando ela disse isso meu sangue esquentou e meu estomago retorceu – e por  isso  que preciso muito falar com você  

-Tudo bem -disse respirando fundo pode falar 

-Sabe John desde daquela noite  eu fiquei me perguntando o que  de errado entre a gente 

-Me desculpa eu não tinha a intenção de ....  

-espera !  disse ela me interrompendo – deixa eu terminar . 

-Tudo bem -disse ficando quieto  

-quando você terminou comigo fique sem entender o que estava acontecendo , achei que foi uma decisão sua precipitada pelo fato de termos nos desentendido na questão de onde fazer a faculdade e  que voltaria trás ,mas não foi o que aconteceu . No outro dia quando fui procurar você em sua casa você não estava e sua mãe me disse que você tinha ido passar um tempo na casa do seu pai e mesmo assim achei que voltaria , porem os dias  viram semanas  que viraram meses  

-Eu sei não fui justo com você Anna eu devia ter te contado  

 -fique sabendo pela sua mãe bem depois  

-Me desculpa 

-Agora acho que não a oque se desculpa John isso já foi há algum tempo  , só me pergunto o que seria da gente se tudo tivesse sido diferente 

-Gosto de imaginar que ficaríamos juntos ate fim disse eu a ela que deu um sorriso contido 

-Esse seria um bom fim disse ela com os olhos cheio de agua  - mas não foi assim , quem sabe em outra vida- disse limpando as lagrimas – bom mas não estou aqui para isso preciso saber de algo  

-Pode dizer  

-Aconteceu muita coisas durante esse 3 messes e muita coisa mudou e para que eu possa   seguir em frente eu preciso saber John - disse ela se virando par mim e olhando fundo em meus olhos - você ainda me ama ? 

-Aquelas palavras inundaram o meu coração de incertezas não sabia oque falar, era certo que Anna ainda mexia comigo mas não sei se era da mesma forma que antes  - não sei acerto o que eu cinto agora- disse na pura sinceridade - não posso infelizmente lhe responder  

-Era bem o que imaginava -disse ela voltando a encarar a paisagem 

-Mas e você ? 

-Se eu ainda lhe amo... -disse ela dando uma pausa -houve um tempo em que meu coração era teu para você fazer o que quiser mas hoje já não sei se ele ainda ilhe pertence da mesma forma que lhe pertenceu um dia  

-Você conheceu alguém não é ? Disse sem graça  

-Pode se dizer que sim -disse ela mordendo os lábios de leve com se aquela palavra a machucasse   

-Eu o conheço? 

-Não ,mas no momento certo vai -disse docemente  

-Cara de sorte ele, fui tolo de deixar você partir  

-Não John nos fomos . eu também  errei deveria ter lutado por você 

-Não Anna eu errei enganei você lhe fiz sofrer achando que era o melhor sendo que na verdade não era fui egoísta e só pensei em mim e não em nos 

-Eu também errei -disse ela chorando  -depois que eu soube da sua doença e liguei varias vezes para o seu pais mas  sempre pedia para ele manter segredo sobre as minhas ligações , eu devia ter ido atrás de você John , mas não fui  

-Talvez já sabemos a resposta da nossa pergunta -disse triste 

-Talvez sempre soubermos mas não queríamos perder o que tínhamos - disse ela encostando a cabe em meu ombros e a poia a minha na dela  

-Eu lhe amo Anna  Martin  

-E eu também John Blake  

Ficamos algum  tempo  ali no banco contemplando a paisagem e apresenta um do outro , sim houve um tempo que eu não deixaria aquela agarota do meu lado escapar , mas hoje tinha que deixa-la ir nosso tempo passara por caprichos meus   

 -Você não pode deixar ela ir -disse Anna quebrando o silencio  

-O que você está falando ? Sem entender do que ela estava falando  

-Estou falando da garota que estava com você , Ally o nome dela ?  

-Sim , mas o que tem ela ? 

-John você sabe que eu lhe conheço bem. não perca ela como você me perdeu ok – disse Anna com muita clareza 

-Somos amigos apenas isso - disse eu incrédulo de  vim algum dia sentir algo pela Ally 

-Mas sabe que nos também ate a sexta serie - disse ela rindo – mas agora tenho que ir meu voo sai daqui apouco , não some mais não me mande noticias  

-Pode deixar - disse abraçando ela  

-Você pode me levar para o aeroporto se não for pedir demais –disse Anna  

-Depois do que eu lhe fiz você tem passe livre - disse rindo 

-Bom saber- disse Anna rindo- olha que vou cobrar 

Ao chegar no aeroporto ficamos sabendo que o seu voo iria atrasar um pouco o que deu tempo de sobra para conversamos  assim como fazíamos desde sempre , para ser sinceros Anna praticamente cresceu comigo  nossos pais era muitos amigos se conheceram na faculdade e levaram essa amizade para o resto da vida  o que no futuro já casados e com filhos fez com que eu e Anna  nos conhecemos . Enfim o seu voo foi anunciado , nos abraçamos mais uma vez antes de nos despedimos e quando  ela ia embora eu já não havia mais como a garota que fazia meu coração acelerar , minhas pernas ficarem bambas ou parecer que sairiam borboletas do meu estomago , a Anna  namorada  havia indo embora e por incrível que parece ficara apenas a boa e velha amiga de infância  .

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...