História Quarterbacks - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Ally Brooke, Camila Cabello, Camren, Camren G!p, Dinah Jane, Fifth Harmony, Lauren G!p, Lauren Jauregui, Normani Kordei
Exibições 739
Palavras 2.831
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Esporte, Festa, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 14 - Capítulo 12.


Meu dever como capitã do time e Quarterback era dirigir a equipe, dar ordens também e esses tipos de coisas. Mas eu estava completamente distraída, e eu não sabia a razão disso, mas eu supus ser Camila Cabello. 

 Sacudi minha cabeça para fazê-la sair de minha mente ao menos por alguns minutos. A partida com certeza iria me distrair, faltavam somente 10 minutos para ir pro campo. Nossas rivais já deveriam estar chegando, embora nossa rivalidade com elas não era nada parecida com a que tínhamos com as Stallions. Inclusive, até nos dávamos bem com as Hale Mayors; A maioria das partidas eram em nosso campo, ou na das Stallions, porque eram maiores e mais cuidados do que os outros. 

- Vai nos dizer qual a estratégia? - A voz de Emma foi o que me tirou da minha espécie de transe. 

 Eu mal tinha pensado nisso, que capitã ruim eu sou. 

- A de sempre. - Me virei para ela, que estava atrás de mim, e notei que eu estava no meio do vestiário. Achei que eu estava na frente do meu armário. 

 O lugar estava um completo desastre, e cheirava a suor. Como é possível esse lugar cheirar a suor antes da partida? Essas nojentas. 

- Bem. - Se limitou a dizer. - Vai pra festa da Elena depois do jogo? - Os olhos castanho claro dela estavam fixos em mim.  

 Definitivamente eu não iria, devido ao fato de que Camila passaria por aqui no final da partida para fazermos algo, não tínhamos escolhido o que fazer, mas simplesmente faríamos algo. No momento em que eu a tirei de minha mente por um tempo, Emma faz ela voltar aos meus pensamentos com suas perguntas. Se eu me distrair no meio da partida, a culpa será dela. 

- Vou sair com Mani, Ally, Dinah e Camila. - Menti, eu só iria sair com Camila, mas eu não podia dizer isso porque minha futura companhia - Que esperava ansiosa. - poderia achar ruim. Sim, poderia ser somente uma saída de amigas, mas começariam a suspeitar, embora não temos nada para que suspeitassem, então não temos nada que esconder. Ela tem algo para esconder, mas eu não iria pressioná-la a nada agora. 

- Camila é amiga delas também? - Perguntou.

Seu rosto não mostrava confusão e muito menos me julgava por ser amiga de Camila, e agradecia por isso. 

- Algo assim. - Me limitei a responder, por que elas nunca tinham se falado. 

 Nesse momento, onze pessoas. - Mais precisamente, mulheres. - Entraram no vestiário com seus uniformes vermelhos com os respectivas nomes e números com a cor azul. Tinha decidido ignorar todas elas, até que avistei um cabelo claro familiar. Seus olhos cor de mel foram diretos para mim, e suas feições apareceram em minha mente como um Flash. Lembrei de seus lábios sob os meus, mas eu não sentia mais nenhuma atração por ela. Ela era bonita, e continuava bonita, mas definitivamente não sentia nada. 

- Laur. - Chegou perto de mim, e deixou um beijo em minha bochecha. 

- Alexa! O que tá  fazendo aqui? - Não medi minhas palavras, simplesmente saíram de minha boca. 

 Sabia que ela tinha ido pra universidade Hale, mas que ela jogava futebol americano era completamente novo pra mim. 

- Pensei que ficaria feliz em me ver aqui. - Ela estava sorrindo, e eu sorri de volta, porém não era o meu sorriso mais sincero. 

 Não é que eu detestava vê-la, porque eu não a odiava, por nada, mas isso era estranho. 

- Sim, estou feliz. - Respondi. 

- Você acha que poderíamos tentar novamente? - Perguntou tombando um pouco sua cabeça, e apoiando todo seu peso no seu pé esquerdo. 

 Bem, isso foi muito direto. Ela realmente acha que pode perguntar esse tipo de coisa? 

 Fiquei tensa instantaneamente, porque não sabia o que responder, só esperava ela notar que não poderíamos, ou não queria, algum sinal, alguma coisa. Mas ela não dizia nada, simplesmente esperava minha resposta. 

 O ambiente estava incômodo pra mim, mas definitivamente não para ela. 

- Eu... - Não sabia o que dizer. 

- Pense nisso, você pode me responder quando terminarmos aqui. 

 Não queria rejeitá-la porque tinha medo de ferir seus sentimentos, mas eu não teria nada com ela novamente. Ela era muito histérica, e sempre queria que eu fosse atrás dela, e não ficava brava porque era isso que ela sempre queria, que eu fosse uma espécie de animal pra ela. 

 Bem, eu já tinha ido atrás de Camila algumas vezes, mas eu sabia que isso não era sua intenção, porque definitivamente ela agiria diferente do que eu já tinha vivido com Alexa. 

 Notei seu corpo, e pude notar seu sobrenome no uniforme - Ferrer - E embaixo o grande número 5 que também tinha na frente, mas eu não tinha prestado atenção. 

 O treinador entrou no local e nos avisou que era hora de sair para o campo. Meu time saiu atrás de mim, logo depois delas, e o de sempre estava acontecendo, a arquibancada do outro time gritava ao que a equipe saía, e a arquibancada do nosso time, gritavam e faziam todos os tipos de barulhos. 

 Observei nossa arquibancada, e não pude evitar de sorrir quando na primeira fila vi Camila sentada em uma posição despreocupada, com as pernas cobertas por uma Skinny Jeans preto com rasgos, e seus braços descobertos devido a sua blusa sem manga de cor branca, e eu poderia apostar que ela usava seu all star. Seus cabelos castanho estavam livres de seu gorro de lã, que eu havia pego e não planejava devolver, pelo menos não agora. Seus olhos castanhos estavam cravados em mim, e um sorriso se formou em seu rosto quando percebeu que eu tinha notado sua presença. 

 Aposto que eu estava que nem uma idiota. 

 Ter Camila ali, não ajudaria em nada minha concentração, mas por alguma razão, achei que deveria fazer o meu melhor agora que ela estava me observando.

Me motivava. 

 - - -

 Ganhamos por uma grande diferença de pontos, e eu nem tive que me esforçar muito, bem melhor,  porque realmente não ia conseguir me concentrar para me esforçar mais. Praticamente, minha visão estava mais em Camila do que na bola. 

 Ela estava me esperando do lado de fora, como eu tinha feito no sábado anterior com ela, e vários de minhas companheiras perguntaram o que ela fazia aqui, e tive que dar a resposta de que sairia com minhas amigas, e que iriamos juntas. No fim até que isso era uma verdade. 

Terminei de tomar banho e mudei minha roupa em um tempo record por dois motivos;

1: Camila.

2: Alexa. 

  Guardei o uniforme dentro da mochila, assim podia me lembrar de colocar pra lavar, e saí rapidamente de lá para me encontrar com Camila. 

- Lauren! - A voz de Alexa me deixou congelada no lugar. 

Camila estava me esperando na mesma posição que eu havia o visto antes, só que dessa vez sentada no banco, e parecia totalmente despreocupada. Não tinha ninguém dentro do campo, exceto ela, que se virou ao escutar meu nome, e eu continuei parada ali, e esperando que Alexa se aproximasse de mim. 

- Ia embora sem me responder? - Perguntou na minha frente. 

   Isso precisava de uma resposta suficiente? 

 Já não podia ver Camila, já que o corpo magro de Alexa cobria por completo, mas pude imaginar seu cenho franzido, ainda mais que estávamos bem perto para que ele escutasse tudo. 

- Não. - Me limitei a dizer, mas era mais do que eu tinha dito antes da partida. 

- Não o que? - Um sorriso apareceu em seu rosto. 

 Oh Deus, isso é tão óbvio. 

- Me desculpe Alexa, eu... não. - Não sabia como expressar, era a única palavra que saía para não magoá-la

- Tem mais alguém? - Seu rosto refletia um pouco de raiva. 

- Sim. - Afirmei a cortando. 

- Bem. - Deixou um beijo no canto de meus lábios, e foi em direção ao vestiário. 

 Isso não tinha causado nada parecido ao que Camila me causava agora, praticamente foi ao contrário. 

 Comecei a caminhar até Camila, que agora estava mais rígida do que o normal no banco. Se levantou e começou a andar, porém em três grandes passos eu estava do seu lado. 

- Eu... - Novamente não sabia o que dizer. 

 Ela estava com raiva? Eu não tinha feito nada, mas pelo visto, ela tinha percebido com os próprios olhos tudo o que passou. Embora ela também deva ter escutado o que eu disse, tem que entender que não foi minha culpa. 

 Não disse nada, e não sabia como me justificar. Saímos para o estacionamento, e supus que ela não estava brava quando me seguiu até o Jeep. Quase suspirei de alivio, mas eu não queria parecer tão desesperada. Peguei as chaves na mochila, e destravei a porta. Entramos ao mesmo tempo, e joguei minha mochila no banco de trás, mas não liguei o carro, simplesmente me joguei na cadeira e encostei minha cabeça, olhando o teto cinza do meu carro.

- Eu... - Parecia uma idiota repetindo a mesma coisa. - Eu não sei o que dizer, porra. 

 Um grande silêncio se instalou no carro novamente, e quando eu supus que ela não iria responder, arranquei com o carro e sai dali, segurando minha vontade de golpear meus punhos em minhas pernas com toda a força que pudesse. Não sabia pra onde dirigir, assim conduzi para o mesmo lugar em que fomos ontem, a praia. Quando estacionei o Jeep, não demorei em sair do carro, e me dirigir até a praia. Apertei o botão para travar as portas quando ouvi Camila saindo. Passei pela areia, praticamente correndo, e parei a alguns metros da costa do mar. 

 Uma parte de mim sabia de que ela não estava com raiva, mas outra parte não encontrava explicação para o fato dela não me responder sobre o que eu tinha dito, ou queria dizer, ela não disse absolutamente nada. 

 Senti braços ao redor de minha cintura, e sua cabeça se apoiava nas minhas costas, em comparação a mim, ela não era tão baixa. O ar praticamente voltou para mim. Ela não estava brava. Novamente quis suspirar de alívio, mas não o fiz. 

- Não estou brava. - Respondeu meus pensamentos, embora eu não sabia o que ela pensava. 

- Não? - Minha voz saiu como um sussurro. 

Nesse momento me dei conta de que tinha muito medo do que ela poderia dizer. 

- Não com você. - Disse. - Quem é ela? - Pude sentir sua respiração em minhas costas. 

- Se lembra quando eu disse que nunca tinha tido uma relação formal? - Perguntei, mas não tive resposta. - Só fomos... algo, mas não chegamos a nada sério. Eu não a conto como namorada. 

 Levei minhas mãos até as suas, e repousei as minhas sob as dela, que estavam viradas, e assim pude entrelaçar meus dedos em suas mãos. 

- Sabia que ela iria estar lá? 

- Não mesmo, sabia sim que ela estudava naquela universidade, mas jamais pensei que ela iria entrar para o time. 

- Por que não deu certo?

 Estava me enchendo de perguntas, mas por alguma razão eu acredito que devia algumas respostas. 

- Queria que eu fosse como seu animalzinho de estimação, que eu estivesse atrás dela o tempo todo.

 Se separou de mim, e voltei a sentir o vazio como na noite anterior. Essa sensação desapareceu completamente quando segurou minha cintura, e juntou seus lábios aos meus com um beijo fugaz. Minhas mãos foram para seu rosto com delicadeza, era um beijo possessivo e rápido comparado com os demais, e transmitia sentimentos muito diferentes. 

- Acredita que isso vai funcionar? - Perguntou, separando seus lábios dos meus. 

- Eu só sei quero eu que funcione. - Admiti, abaixando um pouco a cabeça, deixando nossos rostos colados. 

- Isso foi muito sentimental, não é mesmo? - Franziu o nariz, e deixei um beijo rápido entre suas sobrancelhas, isso era um momento romântico. 

 Mas eu não me importava. 

- Não gosta que eu seja sentimental? Porque eu posso ser muito mais romântica ainda. - Respondi. 

- Sim? - Soltei uma leve risada. 

- Sim, mas isso simplesmente sai de mim. 

Na verdade não sei, porque eu nunca tinha sido romântica dessa forma. Muito menos com Alexa, não era seu estilo, e com certeza teria rido da minha cara se eu fizesse algo assim, mas eu me sentia muito mais confiante com Camila. 

- Podemos ir ao bar? - Perguntou. - Não to com fome, só quero tomar alguma coisa. Exceto que você queira comprar algo pra comer. 

 Eu também não tinha fome, e por alguma razão Candice tinha aparecido com uma caixa de donuts na loja de disco. Sempre fazia isso quando estava de bom humor, e quando estava tudo saindo bem economicamente. Para falar a verdade, eu não me negava experimentar uns donuts de vez em quando. 

 Assim, antes de partimos e irmos para o bar, dei um curto beijo em seu lábios, e logo me seguiu para sair dali. 

- - -

- O que querem tomar? - Zack novamente com sua pergunta. 

 Deveria estar acostumado com minha vodka com laranja. 

- Vodka com Laranja- Respondi. 

- Whisky. - Disse Camila. 

 O lugar estava cheio como era de se esperar, porém novamente tinha alguns bancos livres, assim ficamos no mesmo lugar da vez anterior. Havia sido um desafio passar no meio da pista de dança, e recebi dois apertões na bunda, não queria nem imaginar o quanto tinham tocado em Camila. 

 Estava apoiada sob as palmas de minhas mãos, enquanto meus cotovelos se apoiavam no bar. Senti uma mão suave acariciar meus braços, e entendi que Camila queria segurar minha mão. Deixei a palma de minha mão livre para que ela pudesse segurar, e a tomou com delicadeza, as levando até o balcão do bar. 

 Com certeza era algo estranho pra ela fazer em público, mas me agradava, e estava segura de que poderia fazer isso, porque ninguém que ela conhecia a poderia encontrar ali, e na praia a mesma coisa, pois ela sempre estava vazia nessa hora. 

 Zack apareceu com nossas bebidas, e Camila soltou minha mão para dar um gole em seu Whisky. Com dois copos desse completos, eu teria que levá-la para casa arrastada, mas se era isso que ela queria, tudo bem. 

 Peguei o copo de plástico com minha bebida na mão, e também dei um gole. Estava bem acostumada com essa bebida, e era bem mais leve que a dela, então não me afetaria tanto, e de qualquer forma, eu não poderia beber muito pois estava dirigindo. 

 Virei meu rosto para encontrar Camila concentrada em sua bebida, e novamente, as pessoas no fundo, estavam a observando, e olhando descaradamente, falando com certeza sobre seu corpo sem vergonha na cara. 

- Estão te olhando. - Não era como nas primeiras vezes, agora eu sentia algo em meu peito, eu tinha vontade de gritar para não se atreverem a olhar para ela novamente. 

 Seu rosto ganhou um tom rosado, adorável, ela estava envergonhada por causa de idiotas que não paravam de babar enquanto a observavam. 

 Não Lauren, você não quer ser tão possessiva. Quer?

 Não, definitivamente não quero. 

- Está corada? - Já sabia a resposta de qualquer forma. 

 Arqueei minhas sobrancelhas, e dirigi meu olhar para frente, olhando para minha bebida, dando um grande gole, deixando ela abaixo da metade. 

- Não estou corada. - Respondeu logo após alguns segundos.

 Me virei novamente pra dizer algo, embora não tivesse ideia de que, mas parei quando vi um garoto, obviamente menor que nós parado atrás da minha garota. Apoiou sua grande mão no ombro de Camila, e mexeu em seu cabelo liso, enquanto a encarava com seus olhos esmeraldas, mais claros que os meus. 

- Oi linda. - Sua voz era rouca para alguém que parecia ter 16 anos. 

 Linda? É sério? Se vai flertar com alguém, faz direito. 

 Notei como o corpo de Camila tencionou ao meu lado, e realmente gostei disso. Mas agora ela não estava corada. 

 É livre para se sentir incomodada, Cabello. 

 Virou seu rosto para o garoto, porém somente isso, seu corpo continuou virado para frente. 

- Oi. - Foi quase inaudível sob o som da música, mas também porque ela tinha sussurrado. 

- Quer dançar? - Sorriu de lado, tentando de alguma forma flertar com ela.

 Tenho vontade de acabar com a cara desse garoto. 

- Ela está comigo. - Grunhi já não estava aguentando esse cara aqui. 

 Sem deixar passar nem mais um segundo, plantei um beijo no lábios de Camila, que foi algo rude e rápido.

Me lembrei do beijo que tínhamos dados quando estávamos na praia. Não sei em que momento o garoto foi embora, na verdade isso era o que menos me interessava. Nesse momento, só me importava a pessoa que tinha seus lábios colados aos meus, e nada mais. 


Notas Finais


Olha o que eu faço por vocês, to morrendo de dor, tendo um troço aqui em casa, mas tirei duas horas da minha tarde pra acabar de traduzir o cap pra vocês! Podem me amar.
Comentem mores, isso está ajudando muito.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...