História Quase Sem Querer - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui
Tags Ally Brooke, Camila Cabello, Camren, Dinah Jane, Emma Watson, Lauren Jauregui, Vampiros
Exibições 200
Palavras 1.267
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Fantasia, Ficção, Romance e Novela, Sobrenatural
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Desculpem a demora, eu esqueci de postar hahahaha

Capítulo 11 - Passagens


Lauren POV

 

Acabei dormindo também sem perceber, e quando acordei Emma já não estava mais comigo no sofá, percebi que já tinha escurecido, então peguei meu celular que estava na mesinha de centro para olhar as horas e já eram 3 horas da manhã.

 

- Puta merda. - Falei me levantando.

 

Entrei na sala e olhei em volta em busca do notebook da Emma, como não estava subi até o quarto dela e ele também não estava lá e nem ela, fui até a sala de multimídia no segundo andar e nada também, sala de música igualmente, desci novamente e fui até a área externa, escutei barulhos de pancadas vindos da academia e fui até lá, eu só tinha vindo aqui uma vez, que foi no dia em que chegamos, mas percebi a mudança que ela tinha feito no ambiente, a maioria das máquinas de musculação não estavam mais lá, ao invés disso tinha um saco de pancadas e vários desses objetos de socar que eu não faço a mínima ideia do nome. Ela estava só de short e top, com fones no ouvido enquanto dava vários socos sucessivos no saco, o que me deixava cansada só de ver. Ela parou a sequência de socos e tirou o fone do ouvido, mas continuava de costas para mim.

 

- O que você quer? - Ela perguntou enquanto tirava as luvas das mãos.

 

- O seu notebook, eu esqueci de comprar as passagens e temos que ir hoje ainda, porque segunda bem cedo Camil...  - Estava dizendo, mas fui cortada antes de terminar.

 

- Tá lá no chão da cozinha, mas eu já  comprei as passagens de vocês, o voo sai hoje de 7 horas, e também mandei uma mensagem pra ela avisando do horário do voo, então você só precisa arrumar suas malas. - Ela continuava de costas, e agora desenrolava a bandagem das mãos.

 

- Ah, obrigada. - Eu disse achando estranho ela tá falando de costas para mim. - Por que você tá falando de costas pra mim? E por que o notebook tá no chão da cozinha?

 

- Por que você pergunta tanto? - Ela perguntou jogando as bandagens no chão e finalmente ficando de frente pra mim.

 

- Por Deus, você já está estressada de novo?

 

- Eu não estou estressada Lauren, você que pergunta demais o que acaba me irritando. - Ela disse revirando os olhos. - Agora vamos subir, vou ajudar você a fazer sua mala.

 

Suspirei e fui seguindo ela até o meu quarto. O ajudar dela era eu ficar sentada enquanto ela colocava apenas as roupas que ela queria dentro da mala.

 

- Pelo visto vou ter que esquecer essa mala no aeroporto e comprar roupas novas quando chegar lá.

 

Ela olhou para mim com os olhos semicerrados e disse:

 

- Se eu deixar, você entope essa mala apenas com roupas pretas Lauren.

 

- Qual o seu problema com preto?

 

- Só cala a boca e vai tomar banho Lauren, porque já é 4 horas. - Ela disse apontando para o relógio que tinha em cima da cômoda. - Eu vou deixar vocês no aeroporto e se você demorar muito eu desisto desse ato de caridade.

 

Antes de ir para o banheiro, parei perto dela e dei um beijo em sua bochecha o que fez ela revirar os olhos.

 

- Você é a pessoa que eu mais amo nesse mundo. - Eu disse voltando a fazer meu caminho para o banheiro.

 

Quando desci pra sala Emma já estava pronta me esperando enquanto mexia no celular.

 

- Que horas são? - Perguntei colocando a mala no chão.

 

- 5:30am. - Ela disse se levantando e pegando a chave do carro.

 

 Fui ensinando o caminho até o prédio da Camila, quando chegamos lá ela preferiu esperar no carro, então eu desci e pedi pro porteiro interfonar pro apartamento dela.

 

- Maria pediu pra você subir, ela disse que Camila tá terminando de se arrumar.

 

- Certo, obrigada. - Eu disse e fui para o elevador.

 

Quando cheguei foi que Maria abriu a porta e eu me surpreendi com a quantidade de malas que tinha espalhadas pela sala.

 

- Bom dia. - Eu disse.

 

- Bom dia meu anjo, já tomou café?

 

- Já sim, obrigada. - Eu disse sorrindo agradecida.

 

- Então senta aí, que eu vou ver se ela tá precisando de alguma coisa.

 

Apenas assenti com a cabeça e me sentei no sofá. Depois de uns 5 minutos elas saíram do quarto.

 

- Desculpe o atraso, eu fui dormir tarde e acabei perdendo a hora. Mas já podemos ir.

 

- Você não vai sair sem comer. - Maria disse colocando as mãos na cintura.

 

- Não dá tempo Maria, já estamos atrasadas, eu como alguma coisa no aeroporto.

 

- Eu não confio em você. - Ela disse passando por Camila e vindo em minha direção, pegou em minhas mãos antes de falar. - Por favor, cuida da minha menina, ela tem essa mania de ficar horas sem comer, faz ela comer alguma coisa, mesmo que seja a força.

 

 

- Pode deixar. - Eu disse fazendo continência.

 

 

- Maria para de me fazer passar vergonha, eu não sou nenhuma criança. - Camila disse passando por nós e indo em direção a porta.

 

- Mas age como se fosse. - Maria respondeu e ela apenas revirou os olhos.

 

- Deixa que eu te ajudo com as malas. - Eu disse vendo que ela já estava puxando elas pra fora do apartamento.

 

Depois que colocamos todas as malas no elevador ela foi se despedir de Maria e eu fiquei segurando a porta do elevador pra não fechar.

 

- Podemos ir agora. - Ela disse entrando no elevador.

 

Quando chegamos na portaria, o porteiro veio nos ajudar com as malas.

 

- Resolveu parar de ostentar com uma lamborghini pela cidade? - Ela perguntou quando viu o carro diferente.

 

- Eu não fico ostentando pela cidade. - Eu disse revirando os olhos. - E esse carro é o da Emma, ela que vai nos deixar no aeroporto.

 

- A sua amiga atiradora de vasos tá aí dentro do carro?

 

- Sim, a minha amiga atiradora de vasos tá aí dentro do carro. - Eu disse rindo.

 

Colocamos as malas no porta malas e entramos dentro do carro, eu no banco ao lado do motorista e Camila atrás.

 

- Camila essa é Emma e Emma essa é Camila. - Eu disse.

 

- Prazer. - Camila disse com um sorriso simpático.

 

Emma se conteve em apenas dá um sorriso sem mostrar os dentes pelo retrovisor.

 

O caminho até o aeroporto foi feito todo em silêncio, quando chegamos lá Camila foi buscar o carrinho para colocar as malas enquanto eu e Emma tirávamos elas do carro.

 

- Custava ter sido um pouco mais simpática com ela?  - Perguntei enquanto colocava a última mala no chão.

 

- E eu não fui? - Perguntou erguendo uma sobrancelha.

 

Nesse momento Camila chegou empurrando o carrinho pra levar as malas.

 

- Boa viagem. - Emma disse me puxando para um abraço demorado. - E se cuida. - Ela disse quando nos separamos do abraço e por fim deu um beijo na minha testa.

 

- Eu te amo. - Eu disse quando ela já estava entrando no carro, ela olhou pra mim e sorriu.

 

Quando o carro deu a partida virei pra Camila.

 

- Acho que ela não gostou muito de mim. - Ela disse enquanto eu me aproximava.

 

- É o jeito dela mesmo. - Eu disse empurrando o carrinho para a área de check-in. - Mas ela é uma boa pessoa.

 


Notas Finais


Acho que amanhã posto outro...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...