História Quase Sem Querer - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui
Tags Ally Brooke, Camila Cabello, Camren, Dinah Jane, Emma Watson, Lauren Jauregui, Vampiros
Exibições 192
Palavras 2.128
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Fantasia, Ficção, Romance e Novela, Sobrenatural
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Não tive tempo de revisar o capítulo, então se vocês encontrarem algum erro, me perdoem e me avisem, por favor.

Capítulo 12 - Miami


Lauren POV

 

 

Chegamos em Miami, por volta de uma da tarde, e no momento estávamos na saída do aeroporto, com várias mala em volta, discutindo sobre onde eu iria ficar, eu queria ir pra um hotel, mas ela insistia para que eu fosse pra casa dela.

 

- Não precisa Camila, eu realmente prefiro um hotel. - Falei pela milésima vez.

 

- Mas eu quero que você vá pra minha casa, já disse.

 

- Então me der pelo menos um motivo plausível pra mim ir pra sua casa. - Eu disse revirando os olhos.

 

- Eu quero. - Ela disse olhando em meus olhos.

 

Respirei fundo e por fim falei:

 

- Okay, mas se em algum momento eu sentir que estou incomodando, eu vou pra um hotel.

 

- Fechado. - Ela disse sorrindo e fazendo sinal pra um táxi.

 

*****

 

- É aqui. - Camila disse fazendo o taxista parar.

 

Camila pagou o táxi enquanto eu tirava as malas do porta malas.

 

- MILA?! - Falou a garotinha que atendeu a porta com uma cara surpresa.

 

- Vai me abraçar não? - Camila perguntou colocando as mãos na cintura.

 

No mesmo instante a garota correu e se jogou nos braços de camila.

 

- Você veio mesmo! - A garotinha disse segurando o rosto de Camila entre as mãos.

 

- Eu disse que ia tentar. - Camila disse enquanto distribuía beijos pelo rosto da garota. - Quem tá aí com você? - Perguntou colocando a menina no chão novamente.

 

- Só a mamãe, papai viajou. - A garota disse e olhou pra mim vindo em minha direção. - Quem é você?

 

- Lauren, sou assessora de Camila. - Respondi me abaixando pra ficar da altura dela.

 

- Você é muito bonita - Ela disse segurando meu rosto entre as mãos.

 

- Mas você é muito mais, qual é o seu nome?

 

- Sofia Cabello.

 

Nesse momento apareceu uma mulher na porta, provavelmente a mãe delas.

 

- Oi mãe. - Camila disse indo abraçar ela.

 

O abraço foi rapidamente afastado pela mãe dela.

 

- Por que você está aqui, aconteceu alguma coisa?

 

- Não mãe. - Camila disse revirando os olhos. - Eu tenho um trabalho aqui durante a semana.

 

- Ahh, e quem é essa? - Perguntou olhando pra mim.

 

- Lauren, minha nova assessora, Dianna teve que sair.

 

- Sinu. - Ela disse e estendeu uma mão pra mim.

 

- Prazer. - Eu disse apertando sua mão.

 

- Por Deus, como você tá fria, tá doente? - Ela perguntou puxando sua mão rapidamente de uma forma grosseira.

 

- Me ajuda com as malas aqui Lauren. - Camila pediu antes que eu pudesse responder e como eu já estava cansada de responder essa pergunta fui ajudá-la.

 

Entramos com as malas e paramos no meio da sala.

 

- Sofi, mostra pra Lauren onde fica o quarto de hóspedes, que vou levar minhas malas pra o meu quarto.

 

- O quarto de hóspedes tá com infiltração. - Sinu disse.

 

Camila e ela ficaram alguns minutos se encarando.

 

- Ela fica no meu quarto então.

 

- Camila eu posso ir pra um Hotel, não tem problema. - Eu disse.

 

 Ela não disse nada, apenas soltou a mala dela no chão e saiu puxando a minha pelo corredor, peguei as delas e fui seguindo atrás, o que mais eu poderia fazer? Entrei no quarto e Camila já estava sentada na cama e com a cabeça baixa. Sofia entrou logo atrás de mim.

 

- Você tá chorando Mila? - Ela perguntou se sentando ao lado dela na cama.

 

- Não meu amor. - Camila disse levantando a cabeça e olhando pra ela. - Já tá hora do almoço, você já almoçou?

 

- Ainda não.

 

- Então vai trocar de roupa que vai sair pra almoçar.

 

Sofia levantou e saiu do quarto.

 

- Desculpa pela minha mãe. - Ela disse com um sorriso meio sem graça.

 

- Tudo bem, mas eu acho que eu ir pra um hotel seria melh…

 

- A gente vai almoçar. - Ela disse me interrompendo. - Você vai com essa roupa mesmo? Se sim te espero lá na sala.

 

Revirei os olhos vendo ela sair do quarto sem nem esperar uma resposta. Peguei meu celular e mandei uma mensagem pra Emma avisando que já tinha chegado. Fui pra sala e Camila estava sentada no sofá com Sofia no colo sentada de frente pra ela.

 

- Acho que já podemos ir. - Eu disse me aproximando e as duas olharam pra mim.

 

Sofia pulou do colo da irmã e veio correndo em minha direção e pulou nos meus braços.

 

- Sabe o que a Mila disse? - Ela perguntou  enquanto enrolava uma mecha do meu cabelo entre os dedos.

 

- Não sei, mas quero saber, o que foi?

 

- Ela disse que se você topasse podemos ir tomar sorvete ao invés de almoçar.

 

Olhei pra Camila e ela tava fazendo mímicas pra que disse não pra irmã dela.

 

- Acho uma ótima ideia. - Eu disse e a garota arregalou os olhos e distribuiu vários beijos na minha bochecha.

 

Olhei pra Camila bem a tempo de ver ela revirando os olhos, coloquei Sofia no chão e fomos pra sorveteria que tinha perto da casa delas mesmo, durante todo o percurso Camila foi reclamando por eu ter dito sim.

 

- Não adianta reclamar Mila, você tá com ciúme porque ela ficou do meu lado e não do seu. - Sofia disse enquanto entrávamos na sorveteria, o que me arrancou uma risada.

 

Camila revirou os olhos e foi direto pro balcão fazer o pedido, enquanto isso eu e Sofia nos sentamos em uma das mesas espalhadas pelo estabelecimento.

 

- Eu quero de chocolate. - Sofia gritou da mesa e Camila apenas afirmou com a cabeça.

 

Camila chegou na mesa com uma tigela enorme cheio de bolas de sorvetes, com vários doces jogados por cima.

 

- Melhor almoço da minha vida. - Sofia disse enchendo uma das colheres de sorvete e enfiando dentro da boca.

 

Ela e Camila comeram praticamente todo o sorvete sozinhas, enquanto eu apenas ria da empolgação de Sofia por estar almoçando sorvete, depois de satisfeita ela foi brincar em uma área reservada para crianças que tinha dentro da sorveteria.

 

- Você conseguiu se entender com seu namorado naquele dia? - Perguntei tentando quebrar o silêncio que estava na mesa desde que Sofia saiu.

 

- Consegui sim, me desculpa por aquela cena, de vez em quando ele tem dessas, mas ele é um cara legal. - Ela disse enquanto colocava uma colher de sorvete na boca.

 

- Eu que peço desculpas por ter… você sabe… atrapalhado vocês.

 

- Eu prefiro não falar sobre isso. - Ela disse com as bochechas coradas. - Você não vai nem experimentar o sorvete?

 

- Não, obrigada, eu não gosto.

 

- Duvido que não. - Ela disse colocando sorvete em uma das colheres e levando em direção a minha boca.

 

- Não, eu não sou quero. - Disse virando meu rosto.

 

- Nossa, que mal educada você. - Ela disse em uma falsa cara de reprovação. - Abre a boca.

 

Meio a contragosto deixei ela colocar a colher cheia de sorvete na minha boca, já pressentindo o mal estar que eu teria mais tarde.

 

- Gostou? - Ela perguntou.

 

Balancei a cabeça em negação, o que fez ela rir.

 

- Bom que sobra mais. - Ela disse enquanto comia mais daquela coisa horrível. - O que eu tenho pra fazer amanhã? - Ela perguntou.

 

- Uma entrevista pra uma emissora local que vai transmitir o evento.

 

- Ahh. - Ela disse dando de ombros. - Pelo menos não são fotos.

 

- Ainda. - Eu disse rindo. - Caiu sorvete no seu queixo. - Avisei.

 

- Pronto? - Ela perguntou depois de ter passado a mão, mas ainda ficou um pouco sujo.

 

- Não. - Eu disse e me suspendi sobre a mesa, peguei o guardanapo que estava em sua mão e passei sobre o resto de sujeira que ainda tinha. - Agora sim. - Eu disse e subi meu olhar para os seus olhos e só então percebi que ela estava olhando para os meus lábios.

 

- Ainda tem sorvete? - Perguntou sofia que chegou correndo na mesa. - Por que você tá em cima da mesa?

 

Desviei meu olhar de Camila e olhei pra Sofia voltando a me sentar na cadeira.

 

- Hã… - Engoli em seco. - Estava ajudando sua irmã a limpar o rosto.

 

- Ah. - Ela disse dando de ombros e se sentou novamente na mesa.

 

- Pode comer. - Camila disse empurrando o resto de sorvete pra Sofia.

 

 

Percebi que ela ficou sem graça, porque ela tirou o celular da bolsa e ficou mexendo nele sem pronunciar uma palavra até Sofia terminar.

 

- Terminei Mila. - Sofia disse empurrando a tigela vazia.

 

- Então acho que já podemos ir. - Camila disse guardando o celular na bolsa.

 

*****

 

- Pode tomar banho no banheiro do quarto, eu vou tomar aqui no da casa. - Camila disse quando chegamos.

 

Entrei no quarto e olhei em volta, não tinha muita coisa no ambiente, só uma cama de casal, um guarda-roupa e uma porta do outro lado do quarto, provavelmente o banheiro. Quando terminei de tomar banho, tentei ligar pra Emma, mas deu desligado, já que não tinha mais nada pra fazer peguei um livro em minha mala e me sentei na cama se encostando na cabeceira pra ler. Mais ou menos 30 minutos depois Camila entrou no quarto só de toalha.

 

- Esqueci de pegar uma roupa. - Ela disse com um sorriso amarelo.

 

 Em seguida começou a puxar uma das suas malas para dentro do banheiro, quando saiu já estava vestida com uma calça moletom e uma camiseta. Pegou o celular e se sentou na cama na mesma posição em que eu estava. Parei de prestar atenção nela e voltei a ler o livro.  Depois de um longo tempo o silêncio foi quebrado.

 

- O que você está lendo? - Ela perguntou colocando o celular de lado.

 

- A Nascente. - Respondi fechando o livro.

 

- Fala sobre o quê? - Ela perguntou.

 

- Eu não sou muito boa em explicar, mas no geral é um arquiteto bem cabeça dura. - Respondi rindo.

 

- Ainda bem que você sabe que não é boa com explicações. - Ela disse rindo.

 

- Mas também não precisa passar na minha cara. - Revirei os olhos.

 

- Tem que ter pelo menos um defeito. - Ela disse mordendo o lábio inferior.

 

 Soltei uma risadinha nervosa, sem saber direito o que falar.

 

- Vamos jantar. - Ela disse se levantando de repente.

 

Fiquei no mesmo lugar pensando em uma desculpa pra não ir jantar, não posso me sentar na mesa e ficar olhando enquanto elas comem, com certeza vão querer me enfiar comida.

 

- Na verdade, eu tenho que sair. - Eu disse me levantando e indo em direção a minha mala pra pegar outra roupa.

 

- Sair? - Ela perguntou com o cenho franzido. - Você conhece alguém aqui?

 

- Hã… conheço, um amigo do tempo do colégio, vou aproveitar pra ir visitar ele. - Disse a primeira desculpa que me veio à cabeça.

 

Ela não disse nada, apenas afirmou com a cabeça e saiu do quarto.

 

- Idiota. - Disse pra mim mesma quando ela saiu do quarto.

 

 

Pior desculpa, agora vou ter que ficar perambulando pela cidade.

 

*****

 

Aproveitei a saída pra roubar sangue de um hospital, o que foi bem mais difícil sem a ajuda da Emma e alugar um carro, afinal seria uma semana aqui. Quando cheguei novamente na casa fui direto para o quarto, não queria arriscar dá de cara com a mãe de Camila. Entrei no quarto e apenas uma luz fraca vinda do abajur iluminava o ambiente e eu finalmente entendi o porquê da cama de casal no quarto dela quando vi ela praticamente tomando toda a cama enquanto dormia, olhei em volta procurando um lugar pra ficar, mas antes que pudesse encontrá-lo vi ela se mexendo na cama.

 

- Pode deitar aqui. - Ela disse com a voz um pouco sonolenta e abrindo espaço na cama.

 

- Pensei que você estivesse dormindo. - Eu disse ainda parada ao pé da cama.

 

- Estava, mas ouvi você abrindo a porta.

 

- Ah, desculpa. - Eu disse com um sorrisinho sem graça.

 

- Não tem problema, agora deitada logo ou eu vou ter que levantar pra te tirar daí?

 

- Não, eu só vou trocar de roupa.

 

 Quando sai do banheiro já com outra roupa me deitei e em menos de 10 minutos depois ela já tinha dormido de novo e pra completar já tinha colocado uma das pernas por cima de mim, é, essa vai ser uma longa noite…

 


Notas Finais


Me contem o que estão achando *-*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...