História Quatro amigas e um segredo - Capítulo 18


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Colegial, Romance, Suspense
Exibições 6
Palavras 1.027
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Ficção, Luta, Mistério, Policial, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 18 - Capítulo 11


Fanfic / Fanfiction Quatro amigas e um segredo - Capítulo 18 - Capítulo 11

P.O.V Becca

[- Kate, traga o meu café agora]

- Kate, traga o meu café agora. E pode falar para o pessoal entrar logo.

Praticamente berrei no telefone com a minha secretária. Será que é tão difícil ir comprar um simples café pra mim? Que saco. Saio dos meus pensamentos com três batidas na porta. Murmurei um entra e logo um loiro de olhos azuis, com um físico espetacular cheio de tatuagens entra.

- Bom como você sabe, está aqui para ser entrevistado, e caso eu te contrate nós iremos entrar em contato.

- Ok. - ele responde, e com aquela voz rouca super excitante. Imagina ele falando com essa voz em quanto a gente transa em cima dessa mesa, só de pensar nisso me dá um desconforto nas partes íntimas. Saio dos meus pensamentos sujos com ele falando.

- Posso começar? (Pergunta).

- Claro, quando você quiser. (Falei com a voz um pouco arrastada).

- Primeiramente boa tarde, como a senhorita viu no meu currículo.  Eu tenho 19 anos, não tenho experiências com nada, mas fiz vários cursos e estou cursando uma faculdade. (Disse formalmente).

- Pelo o que eu vi no seu currículo, seu sobrenome vem de uma família rica. Certo? (Perguntei interessada no assunto).

- Certo. (Disse normal).

- E porque você trabalharia se você tem uma condição financeira ótima?

- Para mostrar para o meu pai que não preciso dele para nada. E também vai ser uma ótima oportunidade trabalhar aqui, pois posso aprender como funciona uma empresa.

- E porque eu te daria esse emprego? (O desafiei. Bom o emprego já era dele, só queria o testar um pouco).

- Pois como eu falei antes eu fiz ótimos cursos e estou cursando uma das melhores faculdades do país e irei dar o meu melhor aqui. (Me respondeu um pouco impaciente. Nossa só porque fiz uma pergunta já ficou estressado, estressada quem tem que ficar sou eu que estou esperando o meu café a meia hora).

- O senhor se importa se eu fizer uma ligação agora? (Sei que foi ridículo eu ter o chamado de senhor, mas eu tenho que falar formalmente dentro deste lugar).

- Não, só fico incomodado com a senhorita me chamando de senhor. Aliais não sou tão velho, pode me chamar de Ethan ou Benson.

- Ok Benson.

Ligo para a minha secretária e peço novamente o meu café que estava esperando mais que o normal, falei que se ela não chegasse aqui em 5 minutos seria despedida, que incompetente.

- Já posso imaginar como as coisas funcionam por aqui. Tem que ser na hora que você quer. (Comentou ele rindo um pouco).

- Exatamente, mas ela já está devendo o meu café a meia hora. Esses empregados daqui são muito incompetentes. (Falei nervosa).

- Se você me colocar em um cargo de organização, eu posso ajudar muito. Não que sua empresa seja desorganizada, pois ele é uma das mais conhecidas nesse ramo. (Disse rápido a última parte). 

- Seja claro por favor.

- Eu estou falando que se a senhora não rever os seus funcionários a sua empresa pode ir a falência por causa disso.

- Bem esperto você, já se considere trabalhando aqui.

- Quando começo?

- Amanhã mesmo, ás... -
Sou interrompida com batidas na porta. Minha secretaria entra em seguida e deposita meu café na mesa e já ia se retirando, mas antes a chamo.

- Eu falei que você podia se retirar Kate? (Perguntei).

- Não, na-não senhora. (Gaguejou. Ótimo assim que eu gosto, adoro me sentir superior as pessoas, adoro as deixar com medo. Me levanto da minha cadeira numa pose durona, pego o meu café, tomei um gole e estava horrível, cuspi na mesma hora aquilo no carpete branco da minha sala).

- Sabe o que isso tem gosto Kate? (Perguntei com raiva).

- Não senhora. (Falou com a voz falha).

- Lixo, isso tem gosto de lixo. Você acha o que? Que a minha boca é caçamba para beber esse lixo? Está demitida sua incompetente. (Joguei o meu café todo nela).

Ela saiu da sala com os olhos cheios de lagrimas e de cabeça baixa. Ainda bem que não falou nada comigo, não estou com cabeça para discutir com ex-empregados.

Ethan só ficou apreciando a cena com um olhar indescritível. Ainda bem que ele não sentiu pena. Assim que eu gosto, de pessoas determinadas e frias sem demonstrar suas emoções.

- Bom já estou me retirando, até amanhã e te aconselho a chamar alguém para limpar essa sala. (Falou Ethan me comendo com o olhar).

- Ok, até amanhã. Espero não me arrepender.

- E não vai. (Se retirou da minha sala me deixando com cara de tacho).

Como eu já não estava com paciência para nada, peguei minha bolsa, casaco e o meu MacBook e sai da minha sala. Apertei o botão do elevador e fiquei ele esperando subir, pois minha sala era no último andar do prédio. Assim que o elevador chegou, entrei e apertei o botão para o térreo. Sai do elevador andei até o meu carro e dei partida. Fiquei escutando música no rádio.

[...]

Estava deitada na minha cama mexendo no meu MacBook, quando vejo Ethan junto uma menina loira desconhecida que parecia bastante com ele, deve ser sua Irma, e mais duas pessoas que eu simplesmente detesto em uma foto.

Mexi mais um pouco e descobri que Ethan é filho daquelas pessoas que eu desejo vingança, mas além dos pais deles tem mais quatro envolvidos. E rapidamente um sorriso diabólico surgi em meu rosto.

Vou me aproximar de Ethan, e irei finalmente me vingar dos pais dele e essa irmã. Se ela estiver na mesma faculdade que a nossa, a vida dela vai virar um inferno.  E é amanhã que isso começa definitivamente.

Acendo o meu back com o isqueiro, dou uma longa tragada no cigarro e depois solto a fumaça sentindo aquela sensação de estar nas nuvens. Depois de mais algumas tragadas no meu cigarro, apago ele no cinzeiro. Deito na minha cama e adormeço rápido. O efeito da maconha deixa as pessoas moles mas como eu estou acostumada, me dá sono mesmo.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...