História Quatro ninjas... quatro historias e um amor - Capítulo 34


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hinata Hyuuga, Sasuke Uchiha
Tags Gaahina, Hentai, Naruto, Sasuhina
Exibições 20
Palavras 4.119
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Ecchi, Ficção, Hentai, Luta, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


he hey... apenas mais um depois desse... apenas o prologo.

Capítulo 34 - Itachi


Fanfic / Fanfiction Quatro ninjas... quatro historias e um amor - Capítulo 34 - Itachi

pov Itachi.--------------------

 

Ja se passou alguns anos do exame chounin, agora pretendo entrar para a anbu. Tenho 17 anos agora, Minha irmã sayume tem 15 e completará 16 daqui três semanas. Hoje to meio nervoso, vou ter um encontro com Hirome, depois dos meus 13 anos percebi que gosto mesmo dela. Hideo não tem muito interesse em garotas apesar de ter 15 anos, sayume tambem não, mas desconfio que ela goste do filho do naruto, vez ou outro os vejo se falando pelo computador ou por mensagem. Shinsuke tem 10 anos e ainda é o mais carinhos entre nós. Meu irmãozinho gosta de brincar, mas tambem treina a serio. Ele com apenas 10 anos se formou na academia esse ano, mas ainda não se sabe seu elemento ou se tem sharingan, mas assim como eu não o deve possuir, pois não tem os olhos negros do papai. Meu pai é o Mizukague, mas sempre arranja tempo para passar com nós três e com a mamãe.

 

-- filho… -- disse minha mão batendo na porta do meu quarto e me tirando dos pensamento, minha mão era tudo pra mim, sempre gentil, mas quando preciso sabia ser bem brava, por isso as vezes tinha medo dela. -- o almoço esta pronto, seu irmõs ja estão descendo. -- ela entrou e eu pude ver o sorriso dela, minha mão é uma mulher linda e eu entendo como papai se apaixonou por ela.

 

-- obrigada mãe, estava morrendo de fome e sua comida é uma delicia. -- sorri para ela,  minha mãe, meu pai e a familia no sabaku era a unica que arrancava sorrisos assim de mim. Desci junto dela e vi minha familia sentando na mesa.

 

Todos cmemos o almoço conversando sobre missões e tudo mais.

 

-- mão sabia que Itachi tem um encontro hoje? -- ah otimo minha irmã tinha que falar disso.

 

-- serio? com quem iatachi? -- minha mãe perguntou sorrindo. corei um pouco.

 

-- Hirome-chan. -- disse meio baixo e meu pai riu.

 

-- sempre soue que vocês dois iam ter historia. Desde pequenos eram grudados. -- meu pia falou rindo.

 

-- de fato, eram tão amigos e agora vão ter um encontro. -- minha mãe disse.

 

Meus irmãos so riam e eu acabei me contagiando com o humor da familia.


 

Hirome pov. ---------------------

 

-- Ah o que vou fazer? Que roupa vestir? e o sapato? cabelo solto ou amarrado? maquiagem leve ou melhor sem? -- eu andava de um lado para outro no quarto remexendo na pilha de roupas que estava em minha cama.

 

-- se continuar se desesperando assim você não fica pronta hoje. -- disse Hideo escorado na porta e com um sorriso no rosto.

 

-- mas eu não sei que roupa vestir.

 

-- é só um encontro, vocês vão sair para um piquenique. -- ele ainda ria.

 

-- eu sei, mas mesmo assim, o que eu visto? -- eu continuava nervosa.

 

-- ta bom, veste aquele vestido verde agua que mamãe te deu de aniversario ano passado, as rasteirinhas de amarrar marrons, não passe maquiagem e se os brincos pequenos de prata que ele te deu no seu aniversario desse ano e pulseira que papai te deu.

 

-- ahh vai ficar lindo, obrigada Hideo, você é o melhor irmão do mundo. -- corri e o abracei, ele sorriu minimamente.

 

-- agora vamos, mamãe esta chamando para o almoço.

 

Sorri mais uma vez e descemos para a cozinha. No almoço meu pai conversava com minha mãe animadamente. Hideo se mantinha quieto como sempre.  

 

-- mamãe me ajuda com uma coisa? -- perguntei meiga.

 

-- claro Hiro-chan -- eles me chamavam assim em casa. -- com o que?

 

-- a arrumar meu cabelo não sei o que fazer com ele.

 

-- mas para o que exatamente? -- minha mãe perguntou ainda meiga.

 

-- vou em um piquenique com Iatchi-kun. -- disse corando.

 

-- minha filha vai ter um encontro… ah claro que te ajudo filha. -- minha mãe sorriu.

 

-- filha, cuidado. -- disse meu pai serio. -- Itachi é de boa familia e acompanho ele desde pequeno e confio em você, mas cuidado. -- ele sorriu minimamente como Hideo fazia e eu sorri mais ainda.

 

Subi ate o quarto e comecei a arrumar aquela bagunça que tinha feito mais cedo. Separei minha roupa, a que Hideo disse que ficaria legal e espeei dar a hora para me arrumar.

Itachi viria quatro e meia. Duas horas fui tomar um banho, demorei uma meia hora ja que naquele dia estava quente. Voltei ao quarto vesti uma roupa íntima de renda preta, passei Hidratante com cheiro de menta e avelã. Vesti um vestido. Ele era delicado leve, meio rodadinho depois da cintura, era e alcinhas e liso, quase sem decote, ele terminava um pouco acima do joelho. Coloquei os brincos e a pulseira. Minha mãe foi ao meu quarto e arrumou meu cabelo com uma trança embutida e a deixando no meu ombro direito, minha franja estava solta ( ela era de lado). Passei perfume e coloquei a rasteirinha. Quando terminava de colocar a rasteirinha ouvi batidas na porta e depois meu pai dizendo que queria conversar com itachi.

 

Itachi pov ------------

 

Tomei um banho e vesti uma calça jeans preta, um all star vermelho de cano médio, uma blusa cinza e por cima uma blusa de botões preta de manga curta e de gola alta. O colar com o símbolo uchiha ( todos da minha família tinham um e nunca saiam sem).  Arrumei o cabelo deixando meu cabelo meio arrepiado atrás, como meu pai fazia quando jovem. Quando ia saindo vi a pulseira que Hirome havia me dado quando passei no exame chounin e coloquei. Era uma pulseira negra com tiras de couro e prata com um I e um H entalhados na parte de metal. Foi ali que comecei a me sentir estranho perto dela. Desci as escadas e minha familia estava na sala.

 

-- mãe ja vou. Fez o cesta? -- erguntei dando um beijo na bochecha dela.

 

-- sim filho, esta ali no balcão da cozinha. Divirta-se e cuidado viu? -- ela disse sorrindo meiga.

 

-- ei manoh, se for beijar ela leva um chiclete. -- sayume disse fazendo graça, shinsuke riu e meu pai apenas sorriu de lado como eu fazia.

 

-- filho boa sorte. E toma, leva isso para ela. -- ele estendeu uma rosa branca para mim e eu peguei. -- significa inesperiência no amor, pureza, desejo e um pedido de namoro.

 

-- valeu pai. -- ele sorriu e eu saí de casa.

 

Fui ate a casa ao lado e bati na porta. Hinata atendeu e sorriu para mim. Gaara estava no sofá e me convidou para sentar.

 

-- quero conversar com você… -- ele disse e eu meio que gelei nessa hora, mas mantive a calma e me sentei de frente para ele. -- quais suas intenções com minha filha itachi?

 

-- eu gosto dela e quero conhecê-la melhor. Não se preocupe não vou magoa-la.

 

Ele me olhou com cara de surpresa e depois sorriu.

 

-- pois bem, você é muito parecido com seu pai, mas espero que nesse aspecto de gostar tenha puxado sua mãe. Pois bem.  Confio em você.

 

Ele sorriu e apertou minha mão. Depois vi ela descer as escadas, Hirome estava linda naquele vestido verde que combinava com seus olhos verdes, o cabelo traçado a deixava com ar angelical. Sorri minimamente e segurei sua mão. Peguei a cesta e a rosa branca.

 

-- pra você. -- disse entregando a rosa para ela.

 

-- ah é linda obrigada. -- ela sorriu e me coração palppitou.

 

-- igualzinho seu pai itachi, sasuke tambem gosta de rosas brancas. Diz que representam pureza nos sentimentos e inexperiência no amor. -- Hinata sorriu com o comentario do marido e Hideo estava a observar tudo em silêncio do sofá sala. Nós dois saimos.

 

Nós dois andávamos juntos. E ela sentia o perfume da rosa enquanto eu a observava. Chegamos aos campos de treinamento que eram rodeados de florestas. Andaos mais um pouco  quando chegamos perto:

 

-- espera aqui. volto ja. -- disse indo ate o local e estendi a toalha de piquenique e deixei a cesta lá. Voltei e a vi com os olhos curiosos -- feche os olhos, não vale espiar.

 

-- tudo bem. -- aqueles olhos curiosos e a voz doce me deixavam felizes. Cobri seus olhos e a levei ate o local.

 

-- abra os olhos -- disse em seu ouvido e ela se arrepiou minimamente.

 

Ela abriu os olhos e a vi sorrir. O local era realmente lindo, as arvores atras eram altas e verdes, na frente um lago com agua cristalina e pedrinhas brilhantes embaixo, agumas flores coloridas pelo chão.

Nos sentamos na toalha de piquenique e eu abri a cesta, minha mão havia feito sanduiches e suco de laranja,. Ela tambem havia colocado morangos e chantilly na cesta.

Começamos a comer os sanduíches e estavam deliciosos. Eu queria falar com ela, mas falar sobre o que? Bebemos o suco junto dos sanduíches e quando peguei os morangos os olhinhos verdes dela brilharam. Peguei o potinho com chantilly e os morangos. Passei o um morango no chantilly e ela olhava cada passo meu. Depois de passar me aproximei mais dela.

 

-- abre a boca. -- disse sorrindo, ela obedeceu. Lvei o orango ate sua boca e ela mordeu delicada e depois lambeu os lábios. Eu estava fascinado por aqueles lábios delicados e rosados.

Ela me olhou e continuamos comendo os morangos.

 

-- tenho mais uma coisa para te dar. -- disse e ela me olhou curiosa.

 

-- p-pode me dar ? -- ela disse me olhando.

 

-- fecha os olhos. -- eu ordenei e ela obedeceu.

 

Me aproximei e a beijei. Ela no começou não correspondeu, mas depois começou a me beijar. O beijo não demorou muito, mas foi suficiente para me deixar nas nuvens. Quando abri os olhos ela estava ainda com os olhos fechados e corada.

-- e.e.esse f.fo.foi o que eu mais go.gostei. -- ela gaguejava.

 

-- eu tambem. -- disse sorrindo e possivelmente meio corado.

 

Tirei a blusa de botões e ele me olhou curiosa.

 

-- vamos nadar um pouco? -- disse sorrindo e ela corou. -- a agua não é tão transparente assim. Vamos? -- ela segurou minha mãe e levantou.

 

-- não olha. -- ela disse corando e eu sorri. Fui um pouco mais para frente e me virei de costas para ela.

Tirei a blusa e fiquei somente de box azul escura. Pulei na agua e depois de alguns minutos ela tambem entrou no lago. Ela estava de costas para mim e eu fui ate ela e abracei por trás. Ela se arrepiou e se virou para me olhar. Aqueles olhos verdes agua me encantavam.

 

Ela me olhava e eu corei a beijei de novo. Quando nos separamos:

 

-- Hirome, a muito tempo eu quero te falar uma coisa…

 

-- pode falar Ita-kun…

 

-- eu, eu te amo, eu não sei quando comecei a me sentir assim, mas me sinto estranho perto de você, penso em você quando acordo e quando vou dormir, quando estou com você penso em te beijar  e quando estou longe só penso em te ver. Seu olhos me encantam, sua voz é minha favorita melodia e momentos atrás quando te beijei  tive certeza que eu fiquei viciado em você na primeira dose. Eu não gosto de doces, mas você é o melhor dos doces e quero provar sempre.

 

-- ita-kun… -- ela me beijou -- demorou demais para perceber que tambem te amo bobinho. -- ela riu.

 

-- namora comigo então? -- perguntei.

 

-- se conseguir me pegar. -- ela começou a nadar para longe.

 

E por varios minutos aquela foi nossa brincadeira, ela fugindo de mim e eu nadando atras dela.  Ela se mantinha sempre sorrindo. Quando finalmente a peguei a abracei forte .

 

-- agora nunca mais te deixo sair dos meus braços. -- falei antes de beija-la. Mas ela mergulhou e segui, nos beijamos embaixo d’agua e quando voltamos a superficie continuamos brincando como duas crianças.

 

Quando a noite caiu saímos de dentro da agua e nos enxugamos com uma toalha que eu havia trago. Nos vestimos e seguimos por konoha dessa vez de mãos dadas para todos verem. Algumas meninas nos olharam estranhas e eu apenas sorri para minha namorada, a deixei em casa e ela me deu beijo.

 

-- te vejo amanhã ita-kun? -- ela perguntou animada.

 

-- para que esperar tanto? eu apareço nos seus sonhos…-- eu falei sorrindo.

 

-- como vai conseguir fazer isso?

 

-- dou meu jeitinho. Ate a noite minha princesa.

 

la me deu um beijo de despedida e senti alguns pares de olhos nos observando olhei em volta e vi Shinsuke e sayume nos olhando da janela da minha casa e Hideo olhando da varanda do quarto da Hirome que era de frente para o meu.

Rimos e nos separamos. Ela entrou em casa e eu fui ate a minha. Quando entrei minha mãe estava na cozinha cortando legumes para o jantar.

 

--Filho… -- tentei passar despercebido mas não deu certo e ela me chamou. -- como foi?

 

-- foi otimo mãe.-- falei sorrindo.

 

-- estou vendo, pelo seu sorriso. Então deram o primeiro beijo? -- minha mãe era bem direta.

 

-- sim, e agora ela é minha namorada.

 

-- ahhh que ótima noticia filho. Amanhã vai pedir para o pai dela?

 

-- sim. Amanhã a tarde. -- falei e ouvi meus irmãos descendo as escadas animados.

 

-- que casal mais lindinho. Tão fofos. -- falava minha irmã segurando o riso.

 

Shinsuke so sorria.

 

-- mãe antes de dormir quero falar com você.

 

-- tudo bem  querido -- ela disse terminando o jantar e meu pai entrou um pouco depois. Todos sentamos para jantar e parece que meu namoro foi o assunto da vez.

 

Ja na hora de dormir minha mãe e eu fomos ate meu quarto.

 

-- então filho o que queria conversar?

 

-- tem algum jeito de entrar nos sonhos de uma pessoa?

 

-- tem sim Itachi. Um jutso familiar, posso te ensinar se quiser.

 

-- quero sim mãe.

 

-- tudo bem, selo do tigre e depois dragão. -- ela mostrou os selos de mãos, eu ja os conhecia.  -- concentre o chakra na cabeça e o pensamento na pessoa de quem quer entrar no sonho e então durma. Essa é a configuração 21, invasão de sonhos, cuidado você controla apenas parte do sonho e a outra pessoa controla o resto, se não tiver dominio pode acabar sendo expulso do sonho, a menos que deixe a pessoa feliz e ela te queria ali, assim não usa muito chakra e nem energia. Boa sorte com o sonho da hirome.

 

-- como  a senhora…?

 

-- sou sua mãe… sei de tudo. -- ela piscou para mim e sorriu, saindo do quarto.

 

Sorri e fiz o que ela me ensinou. Quando abri os olhos estava em uma montanha com gramado verde, o pôr do sol começava, havia uma arvore no topo. Fui ate lá e vi minha princesa.

 

-- eu disse que te veria nos seus sonhos… -- falei  e ela me olhou assustada.

 

-- é você mesmo?

 

-- sou sim.

 

-- mas como?... -- ela se virou para mim e me abraçou.

 

-- minha mãe me ensinou alguns truques. -- pisquei para ela e nos beijamos.

 

E o sonho foi assim, nós dois juntinhos conversando sobre tudo e sobre nós.

Quando acordei fiz minha higiene e desci para tomar café.

 

-- precisamos ir sasuke! -- disse me mãe animada.

 

-- eu sei meu amor, e nós vamos. Hinata e Gaara tambem irão, Callyu assumirá os kinghshuy e Hanabi os Hyuuga,  precisamos ir. -- meu pai falava em tom calmo.

 

-- aonde vamos? -- eu falei entrando na cozinha e meus irmãos apareceram logo depois.

 

-- vamos para konoha. Hoje a tarde, depois do almoço. Daqui cinco dias o tio de vocês assume o clã kinghshuy e a irmã de Hinata assumirá o clã Hyuuga. Meu pai nos convidou e dise que quer os netos. -- minha mãe falava calma.

 

Logo todos se animaram. Depois do almoço ja tinhamos arrumado tudo e fomos para frente de casa esperar tia Hinata.

Todos sairam da casa, Hinata sorridente, Gaara meio serio, Hideo pensativo como sempre e minha garota sorrindo para mim. Ela veio ate mim e segurou minha mão, Gaara me olhou com surpresa, mas depois sorriu, bom acho que ele me aprova.

Todos saimos da vila e meu pai deixou a vila na supervisão de Azula. O caminho foi longo, mas com ela tudo ficava animado. A viagem durou três dias e quando chegamos fomos falar com o hokague. Naruto era realmente alegre. Ele nos disse que ficaríamos em sua casa e então fomos para lá. A esposa dele os recebeu com gentileza e logo depois os filhos deles apareceram, não gostei dos olhares que Naodo dava para minha irmã, mas percebi tambem olhares de Hideo para a filha deles, Sachiko.

 

Tomei um banho e desci para a sala, ja passava das quatro e eu decidi chamar Hirome para tomar um sorvete e dar uma volta pela vila. Ela estava sentada no sofá e conversava com sayume.

 

-- Hirome, o que acha de darmos uma volta e ver a vila de konoha quem sabe tomar um sorvete? -- disse chamando a atenção dela.

 

-- então vamos todos. -- ela disse sorrindo. Quem diria não aquele sorriso?

 

-- ok, vou chamar Naodo-kun e els nos mostra a vila. -- Minha irmã estava animada.

 

-- chame Hideo e Sachiko tambem. -- hirome falou ainda sorrindo.

 

-- se vão dar uma volta levem shinsuke com vocês esta bem? -- minha mãe falou entrando com tia hina pela porta da cozinha.

 

-- tudo bem mãe.

 

E assim saímos nós sete pela cidade. Naodo nos mostrava as casas e as pessoas que conhecia. Acabamos passando pela floricultura de ino e as meninas pediram para entrar.

Todos entramos e ino arrumava um buque de flores e la estava shikamaru comprando o buque junto da filha, shihiro

Meu irmaozinho se animou e foi falar com ela, Shikamaru pagou e nos olhou.

 

-- hey, os filhso de sasuke e Gaara. -- ele disse com cara de sono.

 

-- tio Shikamaru.-- disse Hirome e o tio soriu. -- onde esta tia temari?

 

-- em casa, brava comigo. Vim comprar flores para ela me perdoar. -- ele disse coçando a nuca. -- e vocês passeando pela vila? soube que viriam.

 

-- sim. -- hirome falou animada.

 

-- Shikamaru, pode ficar de olho no shinsuke? Ele quer brincar com Shihiro -- minha irmã falou e vi meu irmão ficar vermelho e tentar dizer que não era aquilo.

 

-- ou melhor tio, deixe Shiriro passear com a gente? -- disse Hideo ainda calmo.

 

-- uma boa ideia. O que acha pequena? -- shikamaru olhou para a filha de nove anos, que sorriu e balançou a cabeça positivamente. -- tudo bem, Levem ela antes da hora do jantar. Tchau pequena. -- ele deu um beijo na filha e shinsuke sorriu para a menininha loira de olhos verdes musgo.

 

Eu fui ate o balcão acompanhado de Naodo e de Hideo.

 

-- oiii… nossa vocês cresceram. -- disse a loira animada atras do balcão. -- o que desejam?

 

-- três rosas brancas. -- eu disse sorrindo e os garotos ao meu lado me olharam surpresos. -- significam a pureza de seus sentimentos. -- falei pegando as rosas e pagando ino. Entreguei uma rosa para cada um dos meninos e voltamos para as meninas.  -- minha princesa, pensava que uma rosa era coisa mais bela que ja havia visto, ate por meus olhos em você e perceber que nem a flor mais bela ou a joia mais preciosa se comparam a sua beleza.  

 

Minha namorada sorriu e pegou a rosa de minhas mãso com delicadeza, me deu beijo rapido e os meninos entregaram as rosas para as meninas que ficaram vermelhas.

Fomos ate uma sorveteria e nos sentamos em uma mesa. A garçonete se aproximou e me olhou de um jeito estranho. Ela sorriu e disse:

 

-- o que desejam?

 

-- Quero um sorvete na casquinha de chocolate. -- meu irmãozinho falava calmo como um uchiha.

 

-- quero um de morango. -- disse Shihiro sorrindo e voltando a conversa com shinsuke sobre uma serie que os dois assistiam.

 

-- para nós ja sei, três sundays bem caprichados -- disse minha irmã sorrindo, entendi seu plano, ela ia nos fazer dividir como três casais.

 

A garçonete tinha cebelos castanhos claros e olhos azuis, ela não devia ter mais que minha idade, era bonita. Ela se curvou um pouco mais sobre a mesa.

 

-- e você docinho? tenho algo especial pra você. -- ela disse se aproximando perigosamente de mim.

 

-- não, ele vai comer comigo. -- disse Hirome. -- agora garota, apenas trás os pedidos e se der em cima do meu namorado de novo eu juro que esfrego sua cara no chão.

 

Senti seu tom serio e a garota a olhou assustada e entrou para a sorveteria.

 

-- e você, não fique sem fazer nada, se alguem da em cima de você, você dispense, você é meu namorado Itachi. -- ela estava brava.

 

-- minha princesa, você é unica em meu coração.-- disse me aproximando e passando o braço por trás dela, a abraçando de lado.  

 

Os sorvetes chegaram e todos comemos sorrindo. Depois do passeio levamos sachiko para casa e os resto de nós voltou para a mansão do hokague.

------------------------------

A festa foi animada e eu e minha princesa estamos mais proximo do que nunca. Acabou que Hideo acabou beijando Sachiko, tão fofos. Minha irmã beijou Naodo, o que não me agradou muito, mas fazer o que? Shin ( apelido do caçula) acabou desenvolvendo uma amizade muito forte com Shihiro.

Meu irmão fará o exame chounin com apenas 10 anos, ele é bem maduro as vezes, mas tambem consegue ser o mais carinhoso entre nós. Meu avô estava alegre e sorridente e acabei conhecendo o senhor Hiashi, avô de Hirome. A festa foi realmente calma e divertida, mas lona demais para o meu gosto.

Mas eu estava bem, estava feliz, meus pais se amavam, eu e minha irmã nos davamos bem, o caçula era nosso xodo.

 

------------------------------------

 

Hoje minha mãe nos deu um presente especial, quando voltamos para casa, Um tigre branco para cada um, exceto o de shinsuke, que era negro com listras brancas. Assim como os tigres dela eram majestosos e lindos. O meu nomeei de fantasma ( ja que mal tinha listras e as que tinha eram cinza claro, ele não fazia barulho e se mantinha em silencio quase sempre). Sayume nomeio o seu de Foice ( por causa das garras afiadas e longas que ela usava as vezes e por suas listras quase perfeitas e simétricas), ja shin decidiu nomear o seu de Morte ( por causa da coloração negra e dos olhos vermelhos ). Ainda estavamos na casa do Hokague e tudo era calmo. Não consegui dormir e decidi dar uma volta pela casa, passei pela janela que dava para uma varanda e vi minha princesa. Os cabelos vermelhos voavam com o vento da noite e pareciam pegar fogo, ela estava levemente inclinada na sacada e usava uma camisola delicada de seda verde, estava descalça e eu me aproximei em passos lentos.

 

-- não conseguiu dormir princesa? -- disse em seu ouvido e senti ela estremecer.

 

-- e você pelo visto tambem não. -- ela disse ainda encarando a lua.

 

-- o que tanto pensa princesa? -- perguntei a abraçando.

 

-- em você, meu amor. -- ela se virou e me beijou, me senti quente e eletrico, correspondi o beijo e senti ele se intensificar.

A puxei mais para mim e a abracei, colocando uma das mãos em sua nuca e outra em sua cintura, suas mãos ainda permaneciam em meu peito e após algum tempo ela colocou as mãos delicadas na minha nuca e puxou de leve meus cabelos.

Nos separamos por causa do ar então fiquei olhando aqueles olhos de desejo. Eu a puxei e a colei na parede, voltei a beijar aqueles labios doces e nossas linguas dançaram como uma, subi as mãos pelas suas coxas e o beijo a cada minuto ficava mais intenso. Eu estava me sentindo quente e quando nos separamos mais uma vez ela me olhou com a respiração pesada tentando resgatar o fôlego.

 

-- quero ser sua meu uchiha. -- ela disse me olhando com aqueles lindos olhos.

 

-- e eu quero ser seu minha sabaku. Te amo. -- e voltamos aos beijos intensos.


Mal eu sabia que ali havia quatro pares de olhos curiosos nos observando.


Notas Finais


kkkkk não me matem.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...