História Que Bailes Conmigo Hoy - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Camren
Exibições 31
Palavras 4.699
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


........

Capítulo 6 - Medos e receios


Pov Camila Cabello

Entrei rápido em meu apartamento com um pouco de dificuldade para abrir a porta, levei alguns minutos para achar minha chave que estava perdida entre minhas coisas na bolsa, assim que cheguei  joguei minha bolsa no sofá tirando os saltos logo depois, entrei em meu quarto e fui direto para o banheiro, não demorei para tirar minhas roupas e prender meu cabelo em um coque mal feito logo depois, suspirei pesado ao sentir a água quente relaxando cada músculo do meu corpo aos poucos, sai do chuveiro minutos depois contra a minha vontade e me enrolei em minha toalha, caminhei até o guarda roupas e o abri parando na frente dele, mordi o lábio inferior e me imaginei em cada uma daquelas peças, peguei um vestido preto básico que ia até a metade da minha coxa e me olhei no espelho com ele em frente ao meu corpo, formal demais, pensei comigo mesma, olhei novamente as peças e peguei uma calça jeans branca justa e uma blusinha cinza de mangas até a metade dos braços, que deixava metade do meu abdômen amostra, fitei a peça por longos segundos e decidi coloca-la, tirei a toalha de meu corpo e a joguei em um lugar qualquer em cima da cama, passei meu creme corporal logo em seguida sentindo o cheiro gostoso de morango invadir o quarto, coloquei minha roupa e soltei meus cabelos que estavam levemente húmidos, arrumei algumas mechas e fui em direção ao meu estojo de maquiagem, passei uma maquiagem leve e me olhei no espelho mais uma vez.

Por que está assim Camila?, você só vai almoçar com ela não é nenhum encontro, disse a mim mesma negando mentalmente, sorri para a imagem no espelho logo depois, havia saído um pouco mais cedo do trabalho hoje, o que não atrapalhou em nada minha aula, não queria ir de la direto para casa de Lauren, porque algo em mim gritava que eu deveria me arrumar para estar apresentável para a pintora, só a ideia de estar em seu apartamento já me deixou completamente ansiosa, eu sentia falta de estar na presença dela.

Fitei meu celular olhando a hora e percebendo que estava atrasada, mesmo não tendo marcado horário nenhum com Lauren, imaginava se ela já estaria me esperando a muito tempo, coloquei minhas botas pretas e peguei minha bolsa, saindo do apartamento logo depois. Entrei em meu carro e liguei o GPS colocando o endereço de da pintora nele, eu ainda não conhecia muito as ruas de Miami e não arrisquei me perder no caminho.

Não demorou para chegar, ao contrário do que eu pensava não era longe, parei em frente a um prédio observando o número, era ele, me afundei no banco do meu carro me perguntando se eu deveria ir, naquele momento um nervosismo tomou conta de mim, eu e Lauren não tínhamos intimidade alguma, várias cenas de períodos de silêncios constrangedores passaram em minha cabeça, mas eu havia combinado com ela e não poderia desmarcar naquela altura do campeonato, respirei fundo e estacionei meu carro em frente ao prédio, sai do meu carro e fechei a porta em seguida, encarei o prédio de fora e respirei fundo para entrar logo depois, o porteiro não demorou para me anunciar e Lauren logo permitiu a minha entrada.

Entrei no elevador observando os números ficarem vermelhos conforme eu ia subindo de andar, ele parou no último, abriu revelando um corredor com três portas diferentes, entrei nele logo vendo o apartamento de Lauren, chequei se era mesmo o número que ela havia colocado no papel e me aproximei da porta, bati algumas vezes e logo o barulho de chaves se fez presente revelando uma Lauren sorridente do outro lado.

O sorriso aumentou no estante em que seus olhos encontraram os meus e não consegui evitar fazer o mesmo, ela me observou por alguns segundos, e não demorou para dar passagem para mim entrar, ouvi a porta sendo fechada atrás de nós, minha curiosidade logo me fez observar cada canto de seu apartamento, tudo que havia ali casava com a personalidade de Lauren, não era muito grande, mas cada detalhe parecia ter sido minuciosamente arrumado por ela, os quadros estavam em todo o lugar, meus olhos prenderam em um em especial que parecia ainda estar molhado cheguei a conclusão ao ver que a tinta ainda brilhava.

-Pintei ontem a noite. -ela disse parando em frente ao quadro percebendo minha atenção a ele.

Me aproximei parando ao lado dela, era uma pintura um tanto intensa, uma onda grande e agressiva estava levantada pronta para despencar nas rochas que haviam abaixo dela.

-Bonito. -disse fazendo ela me encarar. -E intenso. -continuei a fazendo rir baixinho.

-O almoço esta quase pronto. -ela disse quebrando o silêncio entre nós.

-Então vamos comer. -falei com animação na voz me contedo logo depois.

Até parecia que eu estava morrendo de fome, Lauren deu de ombros parecendo não perceber meu pequeno conflito interno.

Ela estava linda aquela tarde, vestia uma jardineira jeans branca com uma blusa preta por baixo, amostra por causa de uma alça que ela havia deixado solta, seus cabelos estavam soltos e levemente cacheados nas pontas.

-Vamos, depois eu apresento o apartamento e te mostro o que você veio ver, claro.

-A cozinha?. -perguntei olhando em volta.

-Por aqui. -ela disse indo em direção a uma porta aberta. -Pode deixar sua bolsa aí. -falou apontando para o sofá.

Coloquei minha bolsa no mesmo e caminhei atrás dela, a cozinha também não era muito grande, mas também era muito bonita e decorada como a sala, a geladeira era daquelas de modelo antigo com algumas manchas de tintas na porta, presumi que ela mesma havia feito aquilo, tinha uma mesa com duas cadeiras e no meio separando a mesa da área da cozinha uma bancada, o fogão e a pia eram embutidos em outra bancada na cor preta que cobria boa parte do canto da parede, Lauren caminhou até as panelas um tanto perdida, e eu não pude evitar rir da situação.

-Não é melhor abaixar isso aqui. -disse me aproximando e baixando o fogo da panela do molho branco.

-Desculpe por isso, eu não sou muito de cozinhar. -ela disse um pouco sem graça.

-Eu percebi. -disse soltando uma risada nasal que ela não demorou a acompanhar.

Caminhei até a panela do macarrão e mexi percebendo que já estava na hora de tirar.

-Não faça isso Camila eu chamei você. -ela disse pegando minha mão me fazendo encarar a mesma, subi com o olhar fazendo nossos olhos se encontrarem.

Abri meu melhor sorriso e caminhei até o canto da cozinha pegando um avental que havia pendurado, o dobrei e o coloquei em volta da minha cintura.

-Eu vou comer também, não me importo em ajudar. -disse caminhando novamente até o fogão.

Lauren pareceu pensar em alguma maneira de me convencer do contrário, e começou a falar.

-Camila... é sério.... eu. -ele disse tentando argumentar mas logo a interrompi.

-Lauren, eu consigo ser bem teimosa quando quero, podemos fazer isso rápido e terminar logo, ou podemos ficar aqui discutindo sobre.

Ela me olhou e sorriu se dando por vencida, mas não quis ficar parada, então eu arrumei algumas coisas para ela fazer, terminamos tudo conversando o tempo todo, Lauren me contou que havia mudado para o lugar a dois anos, e que gostava muito dele, porem estava ficando um pouco enjoada.

Arrumamos a mesa e Lauren afastou a cadeira para eu me sentar, a olhei incrédula, quem fazia aquilo nos dias de hoje?, bom, mas ela parecia ter feito a coisa mais normal do mundo, Lauren não se sentou comigo no primeiro momento, caminhou até o armário e voltou com uma garrafa de vinho e duas taças de vidro, serviu uma quantidade para nós duas e se sentou logo depois.

-Mas por que não morou com seus pais?. -perguntei dando uma garfada em meu prato logo depois.

Lauren balançou o líquido escuro na taça e tomou um gole sorrindo de canto, mas não era um sorriso bem humorado estava mais para sarcasmo, seu olhar ficou vago por alguns instantes, até ela pareceu se lembrar de que eu havia perguntado e me respondeu.

-É complicado Camila, eles não aceitavam meu trabalho, e ainda não aceitam. -ela disse dando de ombros.

-Então eles não vêem como a arte é bonita e importante. -disse dando de ombros do mesmo jeito.

-É, eles não vêem. -ela disse me fitando por longos segundos.

Desviei o olhar para o meu prato um pouco desconfortável.

-Seu quadro tem haver com o assunto?. -perguntei fazendo ela me encarar um tanto desacreditada. -O que foi?. -perguntei confusa.

-Tem tudo haver com isso, como sabe?.

-É intenso, transmite muitos sentimentos. -disse o que eu havia percebido.

Eu conseguia ver com muita facilidade o que Lauren queria passar em suas obras, ou ao falar, era automático, e isso me assustava um pouco, mas eu estava gostando bastante daquilo ultimamente, era como se ela fosse um livro de metáforas no qual eu conseguia entender cada vírgula.

-Fui a casa dos meus pais ontem. -ela disse brincando com a comida em seu prato. -Era só para entrar um pouco mas acabei ficando para o jantar, antes da minha mãe chegar, estava tudo bem. -ela fez uma breve  pausa e mexeu no cabelo o colocando de lado para logo depois continuar falando. -Acabou que sai correndo do lugar após ela chamar meu trabalho de medíocre.

Encarei Lauren um tanto triste, só de imaginar minha mãe me falando aquilo eu já ficava mal, pensei no quão difícil deveria ter sido para Lauren ouvir aquela coisas da própria mãe.

-É o problema de quem fecha os olhos para esse mundo Lauren, eles não veem como nós, não se sentem como nós, eles simplesmente não entende.

Ela me encarou com o olhar de certa admiração, desejei que ela brincasse com sua comida novamente, mas ela não o fez continuou me encarando com aqueles olhos verdes intensos, me senti um pouco perdida neles e logo desviei o olhar para conseguir continuar a falar.

-Mas somos privilegiadas de não ver o mundo como eles, como dissemos aquele dia, o exterior é o que importa pra eles, mas para nós o que vem de dentro é o mais importante.

-Minha mãe queria que eu seguisse a carreira dela por causa de dinheiro e nome, ela não se importou em enterrar o meu amor pela arte.

-Mas não adiantou não é?. -disse sorrindo amenizando o clima.

Lauren sorriu de canto e umideceu os lábios livres de qualquer batom logo em seguida.

-Não, você tem toda razão. -disse soltando uma risada nasal em seguida.

Voltamos a comer e conversar, Lauren ficou admirada ao saber que eu era imigrante e havia nascido em Cuba, fiquei feliz em saber que ela também era, seus avós haviam sido imigrantes também, não sabia o exato momento em que paramos no assunto da minha dança, mas Lauren falava disso animada alegando que eu dançava mesmo como uma latina, e que eu tinha um dom muito raro.

-Você faz tudo com tanta paixão que qualquer um cai nos encantos das suas aulas, como o flautista que atrai as pessoas com o som da flauta, você atrai com a dança. -ri do seu jeito de falar sobre minha profissão.

Naquele momento percebi no quanto eu havia sido boba ao pensar que ir ao apartamento de Lauren fosse desconcertante, era muito pelo contrário, eu me sentia muito a vontade na presença da mulher.

E não sentia aquilo com alguém a muito tempo, na verdade desde o meu namoro com Hailee, porque eu também não dava brecha a ninguém, eu afastava qualquer sinal de apego ou afeto, mas Lauren estava derrubando aqueles medos que haviam dentro de mim, ao contrário das outras pessoas ela conseguia quebrar minhas barreiras sem ao menos se esforçar, era natural. 

Terminamos de comer e arrumamos tudo logo em seguida, dessa fez Lauren não se opôs, e me deixou ajudar sem protestar, lavei a louça e ela secou, depois nos servimos de mais um pouco de vinho e Lauren falou que me levaria ao cômodo dela preferido do lugar, andamos até uma porta que estava mais para dentro do apartamento e ela não demorou para abrir.

Meus olhos não sabiam por onde começar, se pela as várias pinturas em toda parte, ou pelo os vários pincéis tintas e lápis que estavam espalhados em uma prateleira baixa de madeira, haviam alguns armários também, e um suporte para câmera.

-É aqui que eu trabalho. -ela disse caminhando até a prateleira e pegando algumas folhas de papéis.

Lauren caminhou até mim e me mostrou alguns esboços que foram feitos a lápis, demorei um pouco para perceber que era eu ali, pois o desenho focava mais em meu corpo que parecia estar em movimento, os detalhes me surpreenderam muito, não podia negar que estava muito bonito, na verdade estava fantástico, era eu e não era ao mesmo tempo, se aquele era apenas um esboço imagina a obra completa?.

-Nossa. -foi a única coisa que saiu da minha boca no momento.

-Não gostou?, é só um dos esboços você pode..-Lauren falava gesticulando com as mãos a tornando completamente adorável, não deixei ela terminar de falar e a interrompi.

-Lauren. -disse a fazendo parar e me encarar. -Eu não gostei eu amei, é incrível. -disse trocando de folha observando outro esboço.

-Sério?. -ela disse sorrindo aliviada.

-Com o talento que você tem, não deveria ser tão insegura. -falei fazendo ela me encarar tímida.

-Eu tento. -ela disse me fazendo rir. -Bom, isso quer dizer que aceita minha ideia?.

Lauren me encarou ansiosa esperando a resposta, fui levada pelo momento e não resisti concordar, ainda estava com certo receio mas algo me dizia que aquela seria uma experiência muito boa, só ali vi o quanto entrar naquela academia estava mudando minha vida e não tinha se passado nenhum mês ainda, a ansiedade me envolveu também, eu não fazia idéia do que iria acontecer dali pra frente,mas algo me dizia que só iria vim coisa boa.

-Não vai se arrepender senhorita Cabello. -Lauren disse me encarando com intensidade.

Meus olhos passearam pelos detalhes do rosto da morena, seus lábios estavam entre abertos deixando pequenas lufadas de ar escapar por entre eles, seus olhos eram escuros e avaliativos, com o pouco tempo que havia passado com Lauren reparei que querendo ou não sempre nos olhávamos com intensidade, e com uma certa presa de tentar decifrar o que a outra estava sentindo ou pensando.

-Começamos como?. -perguntei cortando o contato visual com a pintora.

Ultimamente eu me sentia despida com os seus olhares mais que intenso, e isso fazia eu pensar em coisas nada convenientes, não poderia esquecer que tudo aquilo era para eu fazer melhor o meu trabalho, eu não poderia me envolver com Lauren.

-Podemos começar tirando algumas fotos de você. -ela disse caminhando até uma das portas dos armários que haviam espalhados por ali.

Observei cada paço seu até ela pegar uma câmera em suas mãos, ela a tomou em seus dedos com todo o cuidado do mundo, como se estivesse pegando um recém nascido no colo, encostou na bancada e continuou mexendo na mesma, eu não conseguia tirar os meus olhos daquela imagem, Lauren segurando a câmera toda concentrada passando seus dedos pelos pequenos botões que haviam nela e que belos dedos por sinal, pude reparar uma tatuagem em um deles, havia um pincel pintado na lateral, achei aquilo tudo muito sexy, neguei com a cabeça afastando os pensamentos que taimavam em aparecer em minha mente.

-Não vai fazer isso agora não é?. -perguntei com o cenho franzido.

Lauren me encarou com um sorriso de canto que me deixou um pouco nervosa, ela negou com a cabeça e colocou a câmera em cima de um banquinho de madeira que havia ali. Me encarou logo depois.

-Não, como você disse não estou com pressa. -ela disse para logo depois guardar a câmera no armário.

-Bom, estava pensando em começar tudo daqui a uma semana, eu não entendo muito então não faço ideia do tempo que você precisa, então se precisar de mais.

-Uma semana e meia esta bom, mas como já havia dito, você terá que participar de tudo, das fotos depois dos desenhos. -ela disse ainda encostada na bancada.

-Não irei me importar, é só me ligar. -terminei de falar e coloquei os desenhos em cima da bancada.

Nos encaramos por longos segundos, suas expressão estava um pouco tensa, só nossas respirações eram pressentes no lugar que parecia mais pequeno a cada minuto que passava, o vinho estava começando a fazer efeito.

-Iria te apresentar o restante mas só falta a sacada, e meu quarto. -ela disse com um sorriso, malicioso?, ou eu já estava ficando louca?.

-Eu conheço depois, tenho que ir esta ficando tarde não avisei a Dinah que iria sair. -menti pois Dinah nem ligava quando eu chegava tarde ou quando não avisava. -Ela deve estar querendo me matar. -disse um tanto afobada.

Eu tinha que sair dali antes que eu fizesse algo que poderia me arrepender depois, o medo naquele momento me envolveu novamente medo de apego medo de tudo.

-Tudo bem, consegue dirigir?. -ela disse se aproximando um pouco.

Recuei alguns passos me afastando dela, a mulher me olhou com o cenho franzido e não era pra menos, eu parecia uma louca fugindo de alguma coisa que ela não entendia.

-Não estou bêbada. -disse a fazendo rir. -Obrigada pelo dia, foi tudo. -meus olhos caíram para seus lábios mas eu logo levantei o olhar. -Maravilhoso.

Um sorriso tímido nasceu em seus lábios me deixando um pouco aliviada, ela tinha uma facilidade enorme de me deixar a vontade na sua presença.

-Eu que agradeço. -ela disse no mesmo tom.

Saímos do quarto juntas e eu não demorei para pegar minha bolsa, Lauren abriu a porta do apartamento pra mim e prometeu que me ligaria para combinar nosso próximo encontro, dois minutos depois e eu já estava dentro do meu carro com o corpo afundado no banco do motorista, alternava o olhar entre as pessoas andando e o apartamento de Lauren, minha mente gritava várias coisas e suposições ao mesmo tempo, mas a pergunta mais predominante era o que estava começando a acontecer, por que deixa-la foi tão difícil, por que eu queria tanto ficar, e por que naquele instante em que ficamos em silêncio todos os sentidos do meu corpo gritava pelo dela, respirei fundo e coloquei as mãos no volante, dei partida logo depois indo para longe daquela mulher.

Cheguei em casa e não demorei para ir direto para o meu  quarto, o trancando ao entrar, entrei no banheiro logo em seguida, tirei minhas roupas e me enfiei embaixo do chuveiro com certa presa, o jato de água morna caiu violentamente contra meu corpo, coloquei a cabeça de encontro a água sentindo meus cabelos cairem em meus ombros e ficarem cada vez mais pesado na médida em que a água os consumia, por alguns instantes teimosos flashes de lembranças tomaram minha mente, elas começaram no instante em que entrei no apartamento de Lauren, levei as duas mãos até os cabelos os colocando para trás, sai do banheiro coberta por meu roupão, sequei meus cabelos com uma toalha e me sentei em minha cama deixando minhas costas caírem pra trás até eu estar deitada totalmente, fitei o teto branco por alguns instantes e senti meus olhos pesarem até que não aguentei e cai no sono.

[...]

-Camila. -ouvi Dinah gritar após bater na porta mais uma vez.

Afundei minha cabeça no travesseiro me perguntando por que diabos ela estava me acordando daquele jeito.

-O que foi?. -perguntei impaciente.

Meu humor não era dos melhores quando alguém me acordava, ainda mais sem motivo.

-Quero saber como foi lá. -ela disse óbvia.

-Não aconteceu nada, agora ao menos que o apartamento esteja pegando fogo me deixa dormir. -disse levantando e cabeça para minha voz sair melhor.

-Você deve ter dormido no mínimo quatro horas. -Dinah disse me fazendo encarar o relógio.

Apertei os meus olhos embaçados para enxergar melhor a hora, e eles se arregalaram ao ver que Dinah tinha razão, me levantei da cama notando que eu ainda estava de roupão, abri a porta do quarto e voltei para cama sentando na ponta dela, Dinah se sentou ao meu lado me lendo com os olhos.

-Oh meu deus o que ela fez com você?. -Dinah perguntou me fazendo rir.

-Nada Dinah, apenas fizemos o que eu fui lá pra fazer. -disse dando de ombros.

-Camila, eu te conheço, tava dormindo por que?. -ela perguntou e a olhei incrédula.

-Porque eu estava com sono?. -disse óbvia.

-Não sei, não é muito de você, você só dorme tarde. -me levantei e fui até meu guarda roupas.

-Decidi fazer a minha pintura. -escolhi um vestido leve branco e o peguei.

Queria fugir do assunto, porque já estava difícil tirar Lauren da cabeça e com Dinah querendo me fazer relembrar cada momento não ajudaria muito.

-E como é o apartamento dela?.

Peguei uma lingerie qualquer e tirei meu roupão para coloca-lá.

-Não sei Dinah, não fiquei reparando. -menti.

Tudo que eu não queria naquele momento era ouvir as teorias de Dinah, porque talvez tivesse medo de que ela pudesse estar certa.

-Essa sua falta de interesse me desanima, eu realmente achei que agora você se entregaria a alguém novamente. -ela disse com a voz desanimada.

-A única pessoa capaz de fazer eu me entregar até hoje foi embora é nunca mais deu sinal de vida. -disse colocando meu vestido e o arrumando em meu corpo.

-Esquece essa garota Camila, ela já deve estar com outra pessoa a muito tempo, enquanto você fica remoendo seu passado com ela. -Dinah disse irritada.

-Eu já esqueci, não é por causa dela caramba. -disse encarando Dinah que me olhava sem entender. -Não é por causa dela que não me envolvo com alguém.

-É por causa do que então?. -Dinah perguntou confusa.

-Por que ninguém me interessou tanto até hoje, me sinto vazia Dinah. -disse sentindo meus olhos lacrimejarem. -Sinto que nunca mais vou ser capaz de amar alguém outra vez, ou que nunca mais alguém vai me amar novamente.

Dinah se levantou e me abraçou forte logo em seguida, senti  algumas lágrimas rolarem por meu rosto, abracei sua cintura deitando a cabeça em seu peito, Dinah me afastou depois de alguns minutos para encarar meu rosto, passou o dedo por debaixo dos meus olhos secando minhas lágrimas.

-Ela não tem o direito de tirar isso de você, não tenha medo de se entregar ao que te faz bem Mila. -Dinah disse com um sorriso carinhoso que me acalmou no mesmo instante. -Não se prive de amar, não tem coisa mais mágica do que se apaixonar.

-Não sou eu, é algo dentro de mim que entra em alerta toda vez que começa a acontecer.

-Talvez se você acabar com esse medo bobo, e se permitir, aconteça, e você vai estar amando novamente sem ao menos perceber, porque é assim que acontecesse, você dorme normal e acorda apaixonada, com a pessoa em cada centímetro do seu pensamento. -Dinah disse com um sorriso que a entregou totalmente, a encarei com as sobrancelhas arqueadas e um sorriso sugestivo nos lábios.

-Por um acaso, esta falando por experiência própria?. -disse a fazendo rir.

-Talvez. -ela disse sorrindo mais abertamente.

-Agora é eu que digo pra você ir me contando tudo.

Nos sentamos em minhas cama com as pernas cruzadas, me senti uma adolescente novamente, quando eu e Dinah íamos uma para a casa da outra e sentávamos do mesmo jeito para conversar, uma felicidade me invadiu naquele momento ao lembrar de quantas vezes nos imaginávamos morando juntas, Dinah era uma parte de mim que sempre estava ali para me ouvir e me colocar pra cima, e eu era totalmente igual a ela, nós duas tínhamos a necessidade de ver a outra bem, e a amizade dela era uma coisa que eu nunca trocaria por nada.

[...]

-Que tal assistirmos um filme?. -Dinah disse após sair da cozinha com um pote de pipoca nas mãos.

-Pode ser. -disse pegando o pote de sua mão após ela se sentar.

Enchi minha mão de pipoca e coloquei na boca ignorando o olhar incrédulo de Dinah.

-Você ainda come com uma adolescente. -ela disse se levantando e caminhando até o aparelho do dvd.

Ignorei seu comentário e me servi de um pouco de suco que estava em cima da mesinha com dois copos ao seu lado, Dinah observou as capas dos DVDs e escolheu um sem pedir minha opinião, como sempre. O telefone tocou e eu me levantei para atender já que Dinah estava ocupada, engoli o restante do suco rapidamente e atendi a ligação.

-Alô?. -disse limpando o canto de minha boca com as costas das mãos.

-Oi Camila. -a voz rouca e conhecida disse do outro lado da linha e eu não evitei sorrir.

-Oi Lauren. -disse no mesmo tom casual da pintora.

-Queria saber se já podemos tirar as fotos, minha câmera está ansiosa para ser usada. -ela disse divertida me fazendo rir.

-Então diz pra ela acabar com a ansiedade, por mim tudo certo.

Me encostei na bancada mordendo o lábio inferior em seguida, me sentia nervosa por falar com Lauren após sair de seu apartamento praticamente correndo, torcia para ela não se lembrar mais do ocorrido.

-Então podemos marcar para semana que vem, tudo bem?.

-Tudo sim, pode ser depois da minha aula, podemos tirá-las aonde você achar melhor. -observei Dinah me encarar com um sorriso malicioso nos lábios.

Revirei os olhos a fazendo gargalhar, não resisti e ri da idiota a poucos metros de mim.

-Vou pensar em um lugar, bom sobre ontem. -Lauren disse me fazendo ficar nervosa novamente.

Pensei em milhares de coisas que ela diria, talvez perguntasse por que sai daquele jeito, ou que se sentiu um pouco desconfortável com a minha presença.

-Lauren eu sinto muito se invadi demais sua privacidade. -comecei a falar mas logo fui interrompida por ela.

-Deixa eu terminar Camila. -ela disse soltando uma risada nasal e me deixando mais calma. -Iria dizer que adorei sua companhia, de verdade, não me sentia a vontade com alguém a muito tempo.

Lauren disse cada palavra com uma sinceridade visível, não evitei sorrir com a fala da mulher, queria que ela soubesse que era tudo recíproco.

-Confesso que senti o mesmo. -disse com sinceridade.

-Bom, só isso mesmo tenho que ir agora, te vejo semana que vem. -ela disse um pouco apressada.

Imaginei que ela iria sair e me peguei imaginando com quem, afastei os pensamentos de minha mente pois eu não tinha o direito de saber aonde ela iria e muito menos com quem.

-Tudo bem, até semana que vem. -disse e ouvi o telefone ser desligado.

-Hmmmmmm. -Dinah disse me fazendo rir.

Caminhei até o sofá e me sentei ao seu lado tomando o pote de pipoca de sua mão.

-Nada de hm, é apenas trabalho. -disse dando de ombros logo em seguida.

-Aposto que ela poderia levar os desenhos na sua sala, e não tinha necessidade alguma dela te chamar para o apartamento dela, pelo jeito ela gosta bastante da sua companhia.

-Você acha?. -perguntei com empolgação na voz me arrependo logo depois, após ver Dinah com um olhar de "eu já sabia".

-Tenho certaza. -ela disse me fazendo franzir o cenho.

Dessa vez não houve provocação da sua parte, nos viramos para a tv e por mais que eu tentasse não conseguia me concentrar no que se passava nela, a conclusão de Dinah fazia todo o sentido, e aquilo me deixava um tanto feliz, eu só tive mais certeza de que Lauren sentia o mesmo que eu quando estava em sua presença, iria tentar seguir o conselho de Dinah e não bloquear o que estivesse sentindo ou com vontade de fazer, não que eu fosse ficar com Lauren mas não deixaria meus medos atrapalhar aquela coisa que estava começando a crescer dentro de mim toda vez que eu encontrava com a pintora, se ela me fazia bem eu não a afastaria, não tinha motivo pra isso.


Notas Finais


:0


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...