História Que dure todo inverno. - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias A Origem dos Guardiões, Como Treinar o seu Dragão, Enrolados, Frozen - Uma Aventura Congelante, Valente
Personagens Anna, Astrid, Bocão, Elsa, Flynn Rider, Hans, Jack Frost, Kristoff, Mérida, Personagens Originais, Rapunzel, Soluço
Tags Amizade, Amor Adolescente, Brigas, Romance, Sexo
Exibições 48
Palavras 1.341
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Ecchi, Famí­lia, Ficção, Fluffy, Hentai, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá românticos de plantão! 👋

Hoje preparei um capítulo especial do mais novo casal da fic, espero todo mundo shippando os dois, é um bônus super fofo.

Boa leitura! 😘

Capítulo 15 - Um encontro inesperado (bônus Anna)


Fanfic / Fanfiction Que dure todo inverno. - Capítulo 15 - Um encontro inesperado (bônus Anna)

ANNA


Não acredito que fui convencida a sair com aquele garoto.

Kristoff podia até ser uma gracinha, mas não pertencia a mesma classe que eu, fiquei imaginando o que meus amigos diriam se me vissem com o grandão. Nem fiz questão de me produzir toda, apenas uma calça jeans, uma blusa simples rosa e um casaco de capuz, assim dava para me esconder se meus amigos aparecessem.

Não pedi que fosse na minha casa, jamais o papai poderia vê-lo, então combinei de nos vermos no cinema, todo mundo dizia que ele era medroso, então pedi a ele para comprar entradas para um filme de terror, pois faria daquele encontro um desastre.

De longe pude vê-lo em um grosso casaco segurando as pipocas e refrigerantes, ele era a pessoa mais alta que eu conhecia, parecia um enorme urso.
__ Nossa! Você veio. _seu tom era meio sarcástico.
__ Sempre cumpro minhas promessas. _usei o mesmo tom.
__ Bela espinha! _arregalei os olhos quando apontou para meu rosto.
__ Onde? Cadê? _me desesperei procurando o espelho na bolsa, então ele soltou uma gargalhada.
__ Estava só brincando. _o encarei com os dentes cerrados e soquei seu ombro.
__ Não teve graça! _meu soco nem fez cócegas.
__ Pra mim teve, sua cara foi hilária.
__ Sabia que nunca se deve fazer esse tipo de brincadeira em um encontro com uma garota?! _coloquei as mãos na cintura.
__ E quem disse que isso é um encontro? _o encarei confusa. __ Só vamos assistir um filme. _deu de ombros e se virou entrando no cinema.

Tive que praticamente correr para alcançá-lo, ele era um idiotas total, sequer me esperou para entrarmos juntos, era um caipira mesmo e dos piores. Sentamos nas poltronas e o filme logo começou, percebi que estava um pouco tenso e bebeu praticamente todo o refrigerante, em poucos minutos ele desistiria do encontro e iria pra casa.

Foi dito e feito, Kristoff levantou apressado e saiu do cinema sem nem se despedir, por dentro estava caindo na gargalhada, consegui me livrar dele, então satisfeita voltei a atenção para o filme.
__ Perdi muita coisa? _engasguei com a pipoca ao vê-lo parado na minha frente.
__ O… o… quê… o que faz aqui? _ele sentou na poltrona pegando sua pipoca.
__ Só fui fazer xixi! Estava muito apertado. _não conseguia acreditar que aquele imbecil tinha me enganado.

Minha felicidade havia acabado, Kristoff era oficialmente um encosto, ele assistiu o filme inteiro sem se queixar que estava assustador, apenas ficou quieto sem dar um pio, aquele menino não era desse planeta.

Depois que o filme acabou, respirei aliviada, pois iria finalmente pra casa, mas me surpreendi com sua mão segurando meu pulso, ela era tão quente que me fez arrepiar.
__ Quer conhecer um lugar legal? _levantei uma sobrancelha desconfiada, mas vi que nas suas palavras não haviam malícia.
__ Olha só grandão… nosso "não encontro" foi legal, mas tenho que ir, está tarde. _respirei fundo e ele soltou meu pulso desapontado.
__ Então você vai embora com seus amigos?
__ O quê? _não entendi até ele apontar por cima dos meus ombros, virei vendo de longe alguns amigos meus do colégio.
__ Boa sorte! _ele disse me dando as costas e saindo em passos largos.
__ ESPERA! _não queria que me vissem ali, então corri para tentar alcançar Kristoff.
__ Mudou de ideia? _disse quando consegui lhe alcançar.
__ Mudei! _respondi ofegante.

Ele era um enigma, em todo caminho não trocamos uma palavra, parecia imerso nos pensamentos e pensei que nunca saí com alguém que para mim era só um cara enorme, bobalhão e pobre, mas Kristoff tinha algo que me intrigava. Andamos por um bom tempo até chegarmos no parque, por causa da neve, as belas árvores estavam cobertas com verdadeiros mantos brancos.

Gosto mais do verão!

Pensei com meus botões e nem percebi que o grandão havia se afastado, corri novamente o encontrando na ponte escorado olhando para o rio que estava congelado.
__ Por que anda tão rápido? Quase que não te alcanço. _digo ofegante.
__ Eu não ando rápido, você que tem as pernas curtas. _respondeu voltando a encarar o rio.
__ Agindo assim nunca irá conseguir uma namorada. _me aproximei.
__ Não pretendo arrumar namorada, principalmente porque logo irei embora daqui. _fui surpreendida com sua revelação.
__ Como assim? Você vai embora para onde?
__ Ainda não me decidi. _ele tinha o olhar triste e fixo no rio. __ Meu pai quer que eu vá para Oxford e minha avó para Harvard.

Como é que é??

__ Desculpe a grosseria, mas como vai pagar por essas universidades. _ele sorriu forçado e depois me encarou.
__ Não acha que sou capaz de entrar nessas duas universidades?
__ Não quis dizer isso! _fiquei corada, estava me sentindo mal. __ É que são muito caras e parece que só os gênios podem entrar.
__ Para sua informação, consegui bolsa para quatro universidades, mas essas duas são as preferências. _aquilo era totalmente surpreendente e fiquei cada vez pior por achar ele alguém sem importância.
__ Então você é quase um gênio? _perguntei para quebrar o clima tenso.
__ Quase isso, mas minha mãe foi aluna em Harvard e meu avô foi reitor em Oxford, então contribuiu. _deu de ombros e voltou a olhar o rio.
__ Por que nunca contou sobre sua mãe?
__ Nunca perguntou.

Nossa que óbvio!!

__ Sinto muito! _suspirei dando as costas, mas novamente senti sua mão quente em meu pulso.
__ Onde vai? _ele me encarou com o cenho franzido.
__ Pra casa! Não sou uma boa companhia. _baixei a cabeça envergonhada por todos aqueles anos tratar Kristoff como um Zé ninguém, sendo que ele era um cara incrível.
__ Deixa de besteira! _respondeu com um sorriso fofo no rosto. __ Ainda não te mostrei uma coisa legal. _sorri fraco e me aproximei da borda da ponte, era simplesmente a coisa mais linda, a lua refletida no rio congelado formava uma linda aurora boreal.
__ É lindo! _aquilo realmente era lindo.
__ É sim! _respondeu sorrindo.

Nunca imaginei que fosse gostar da companhia de Kristoff, ele era incrível e suas conversas eram muito maduras para um simples adolescente, as horas voaram ao lado dele, seu jeito de mamãe urso era algo tão encantador que me peguei o admirando feito uma boba.

Já era bem tarde quando estava indo para casa, dessa vez deixei ele ir até lá comigo e o mais engraçado foi que quando reclamei por estar cansada de andar, Kristoff me fez subir em suas costas e me levou até em casa assim. Antes de sair do parque mandei uma mensagem para Elsa avisando que estava indo pra casa e ela teria que abrir a porta pra mim, porque não queria que meus pais soubessem que eu estava na rua até tarde e ainda por cima com um rapaz.
__ Obrigado pela carona. _agradeci quando ele me colocou no chão, viemos quase o caminho todo rindo como dois malucos.
__ Disponha princesa! _ele fez uma reverência e eu fiz o mesmo.
__ Foi um ótimo passeio nobre cavaleiro. _sorri.
__ Até amanhã na escola vossa alteza. _ele ia se virar quando lhe surpreendi com um beijo em seu rosto.
__ Nos vemos amanhã! _ele sorriu seguindo seu caminho de volta, então percebi que não pediu meu número. __ EI KRIS! NÃO QUER MEU NÚMERO? _gritei e ele se virou sorrindo.
__ UM DIA DESSES VOCÊ ME DAR.

Fiquei sem reação, isso nunca havia acontecido antes comigo, todo garoto que saía sempre me pedia meu número de telefone e ele foi o único que não fez isso, aquele garoto era com toda certeza único.

Andei até a porta e ela se abriu por uma Elsa descabelada usando um pijama ridículo de ursinho, ri daquela cena e se não estivesse tão abobada teria tirado uma foto e postado em todas as redes sociais.
__ Belo pijama! _digo entrando.
__ Como foi o encontro? _ela nunca perdia tempo.
__ Diferente de como imaginava! _dei um longo suspiro sorrindo.


Notas Finais


E aí, gostaram??
Fiz com muito carinho e queria ver nos comentários o que acharam desse capítulo.

💋💋💋 no ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...