História Quebrando Regras - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Camren, Camreng!p, Norminah
Exibições 240
Palavras 2.086
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Escolar, Famí­lia, Festa, Lemon, Orange, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Mutilação, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 7 - 2


- Isso não teve graça Ally... – a baixinha ainda se curvava para frente enquanto tentava controlar o riso.

- sério, você tinha que ver sua cara de desespero... queria a Mani aqui e a Kea, puta que pariu... daria um belo vídeo...

- menos Allycat bem menos... – terminei de secar o rosto enquanto me olhava no enorme espelho do instituto.

Não havia nada de errado com o meu rosto.

- eu sou um gênio... – ela fazia uma dancinha ridícula e eu bufei enquanto me virava e saia do banheiro.

- ok senhorita gênio, temos que ir para biblioteca fazer uma pesquisa sobre inumanos.

- ainda nessa?

- com certeza, quero saber se vou virar uma criatura, pelo amor de deus, Dinah era um lobo, um grande e feio lobo...

- não fica paranoica, o que aconteceu com ela não é certeza que irá te acontecer.

- meus olhos ficaram cintilantes enquanto eu estava com a Camila.

- hum?

- eu dormi com a Cabello... e meus olhos ficaram brilhantes.

- sério?

- sim... foi o que ela disse.

- não... estou dizendo, você dormindo com a Cabello... tipo, vocês se chuparam? Porque você ainda tem esse cheiro...

- não... a gente só dormiu...tipo mesmo sabe, fechar o olho, sonhar com unicórnios.

- ooh... e porque você dormiu com ela?

- porque ela não desgrudava... e eu estava exausta.

- deveria ter aproveitado... eu teria

- ok, você não é mais a doce Allycat, está mais para taradacat.

- percebi que preciso perder o cabaço antes de nos unirem, imagina eu ser unida a uma única e exclusiva pessoa sem antes possuir outras?

- logo você entra no cio baixinha, e vai estar dando mais que chuchu no terreiro. – achei que ela fosse me dar uma bofetada, mas a pintora de rodapé apenas sorriu de canto.

- deus te ouça.

- oi... – Mani brotou e eu suspirei

- oi... como você está? – a puxei para um abraço e ela suspirou.

- bem...

- soube algo da Dinah?

- aham... a médica que está com ela, quer me ver hoje depois da aula.

- e isso é um bom sinal? – perguntei.

- acho que sim... se não já teria algum carro fúnebre me esperando...

- o que pensa em fazer?

- com relação a que?

- com relação a tudo isso... você, Dinah... inumano...

- meu cio está se aproximando Laur... acho que tenho que pensar um pouco em mim mesma... não sei se consigo lidar essa coisa de ficar inconsciente ao mesmo tempo que meu corpo tem uma carga sexual...

- você definitivamente acha defeito em tudo – Ally protestou. – você é tão linda, teria qualquer Alfa aos seus pés.

- deus Ally... nunca fui uma maníaca sexual, e não vou me tornar... eu só quero um pouco de paz... aliviar essa merda dessa tensão que percorre o meu corpo, eu não me dou bem com a Dinah fora da cama, isso não é normal... além de... ela está comigo e com Camila, que merda é essa?

- mas você gosta dela ou não?

- eu odeio ela, mas...– Mani disse de uma só vez suspirando longamente.

- você teve seu primeiro ciclo com ela – a baixinha declarou – e isso te pegou desprevenida.

- por isso quero terminar entende? Não quero depender de algo fútil... quero gostar de alguém... alguém que me compreenda... e me cuide.

- agora ela é uma inumana... talvez a Cabello por ser tão certinha a descarte...

- e eu vou ficar com o resto de alguém?

Escutamos um rugido baixo e logo as nossas atenções seguiram até um verdadeiro monstro, os olhos do lobo eram genuinamente negros, assim como seu pelo um tanto mesclado a um castanho brilhante. Era fácil compreender que sua atenção seguia para a morena parada ao meu lado.

Dinah

Outro rugido baixo quase entoando um animal ferido.

- Dinah... - Mani sussurrou e o lobo bufou se virando bruscamente e desapareceu dali.

- acho que você acabou de destruir os sentimentos de alguém...

Ally sussurrou e eu puxei o corpo de Mani para mim apoiando seu rosto no meu peito e deixando que ela desmoronasse por alguns segundos.

- eu sempre me fodo...

- acho que ela gosta de você... – murmurei a afastando e limpando suas lágrimas teimosas.

Minutos mais tarde a gente voltava para o prédio que compartilhávamos com Lauren e Dinah, mas para o nosso asar havia uma enorme faixa com aviso de interdição.

Os seguranças nos avisaram que o prédio fora desocupado e nossas coisas foram mudadas para um apartamento nas redondezas do instituto, um taxi estava a nossa espera e pelo jeito as garotas tinham adorado a novidade.

- deus, agora eu posso dormir com a Laur? – Keana propôs e eu suspirei.

- não... – Mani fungou enquanto roçava seu rosto no meu ombro, sorri de canto enquanto acariciava seu rosto. – ela é todinha minha.

- a gente poderia marcar um foursome... – Keana gargalhou – aposto que Allypimenta iria gostar...

- calada – Ally quase gritou do banco ao lado do motorista, coitado deveria estar traumatizado com aquela nossa conversa.

O prédio ficava a menos de duas quadras... quase engasguei gargalhando quando o motorista estacionou de frente a um dos condomínios mais luxuosos dali.

Definitivamente estava acontecendo alguma merda.

- uool, olha só isso... será que vão nos colocar como empregadas? Definitivamente uma diária aqui pagaria qualquer merda que eu já tive na minha vida... – neguei com a cabeça – acho que toda a merda da minha vida.

- deve estar acontecendo algum engano...

- na verdade não... – fomos surpreendidas por uma garota alta de pele pálida e enormes cabelos castanhos.

- você é a médica do instituto... – Mani começou.

- aaah... sim... sou.... estou encarregada de acompanhar Dinah Jane Hansen... ou aquele lobo gigante... – ela deu de ombros e eu curvei os meus olhos.

- onde nós nos encaixamos nisso?

- o instituto fechou o prédio de vocês para uma análise minuciosa, e as instalaram aqui como forma de se desculparem com todo esse negócio inumano...

- a Jane estava hoje na escola... – eu ia dizer que estavam perdoados, mas a Mani me interrompeu.

- sim... ela recebeu alta... ficou claro que ela só irá conseguir controlar sua forma se voltar a sua antiga rotina...

- ela fica andando pelada, bem que poderiam obrigar ela a vestir o uniforme... – gargalhei e acabei sendo censurada pelas minhas amigas. – qual é... seria engraçado.

- acho que você anda dormindo demais com a Cabello... mas voltando ao assunto... – Mani mandona continuou enquanto Lucy nos olhava curiosa. – ela é perigosa?

- ela é apenas um lobo... só a parte física... o resto é a Hansen...

- então sim... ela ainda é perigosa... – sussurrei.

Logo o porteiro veio nos receber e indicou a mim e Mani para um apartamento e Keana e Ally para outro ao lado. Pelo jeito o instituto estava tendo muita consideração, algo que eu não engolia.

- deus... esse lugar é enorme.... – sussurrei enquanto observava apenas a sala de estar.

- você acha que ela está bem?

- fala de sua namorada? – Mani me olhou furiosa – deus... você gosta dela... – gargalhei a pegando pela cintura. – está caidinha de amores pela garota lobo...

- me solta... sua babaca... – Mani começou a gargalhar alto enquanto cravava suas unhas nas minhas mãos.

- nossa quanta agressividade nesse seu coraçãozinho. – me joguei no sofá e ela se sentou ao meu lado deitando sua cabeça nas minhas pernas. Abusada.

- a gente bem que poderia dar certo... – ela me fitava com aqueles grandes olhos negros e eu suspirei acariciando seus cabelos.

- falta algo em nós que não nos conecta... algo como...

- paixão?

- isso... é... seria bizarro ser casada com você e ter que transar com outras pessoas...

- eww... – ela fez cara de nojo e eu gargalhei. – prefiro tentar mudar aquela ogra da Dinah... e você a Cabello... ou acha que eu engoli todo esse papo de nós nos conectarmos a elas e nos vingar...

- mas...

- naaah, qual é... você está toda ouriçada pra pegar a Cabello... e perder esse cheiro de cabaço...

- cala a boca – fiz careta tentando esconder minha decepção. – não gosto dela...

- gosta sim... e acho que ela gosta de você...

- o que?

- ou ela não teria te correspondido certo? Que nem daquela vez que a garota tentou te beijar na festa de halloween e você deu um empurrão na coitada... ela teria se afastado de você...

- não inventa... só peguei ela de surpresa.

- e que surpresa.

- ai para...

- vai lutar hoje?

- pretendo... tenho treino de aquecimento daqui uma hora...

- eu posso ir?

- você sabe que não... essas lutas são proibidas... e seu pai é um cara público.

- certo... mas quando você se tornar uma lutadora de verdade e não me deixar assistir, juro que arranco suas bolas... e mando pra Cabello de presente... – gargalhou e eu fiz bico logo revirando os olhos e a atacando com cócegas.

- deus... para... – dedos na sua barriga e ela não resistia, Mani estava toda contorcida em baixo de mim, na verdade ela estava bem encaixada na minha cintura. – PARA LAUREN... SOCORROOO

Quem ela queria que ouvisse o pedido de socorro?

O que aconteceu a seguir me pegou desprevenida, tudo parecia acontecer em câmera lenta, um lobo, gigante simplesmente entrou pela porta e pulou em cima de mim me afastando de Mani.

A garota deu um grito e eu joguei o corpo peludo para o lado, mas Dinah para um monte de músculos revestidos em algo fofo, ela saltou para o lado da morena ficando a sua frente e rosnando para mim.

- como você entrou aqui? – perguntei enquanto me levantava do chão ainda tentando me recuperar do susto. – merda vou ter que colocar umas cinco trancas nessa porta.

Dinah se virou fitando Mani e rosnou baixo e aproximando o focinho de suas mãos, a garota assim como eu ainda parecia em choque com aquilo tudo.

- Di-Dinah?

- não... Jacob de crepúsculo... – respondi – o que ela quer?

Dinah soltou outro rosnado.

- oi... – Cabello entrou no apartamento também, quando isso tinha virado a casa da mãe Joana? – Dinah... vamos...

- é você deveria arrumar uma coleira pra ela... e uma focinheira... – Dinah ainda estava a frente de Normani, mas mudou a posição colocando suas patas dianteiras para um ataque e abriu a boca estampando enormes dentes.

Dentes demais.

- o instituto poderia ter aplicado uma vacina contra raiva também... – gargalhei jogando a cabeça para trás, mas logo senti um corpo irrompendo a minha frente.

- Dinah não... – Cabello estava parada a minha frente evitando que sua amiga me lambesse, aquela cena era patética. – se você machucar ela vai ser presa... sabe que agora precisa manter a calma...

O enorme lobo recuou e eu dei de ombros.

- Mani... por favor.... – Camila pediu e eu frisei os olhos não entendendo nada – peça...

Eu e Normani trocamos um olhar onde nenhuma conseguiu explicar o que estava acontecendo. A garota acuou e caminhou devagar até o corpo do Lobo.

- hey... – ela passou os dedos nos pelos e puxou a face de Dinah para perto. – você precisa ir... – Dinah emitiu um som baixo e rouco. – sabe que se virem você aqui vão te machucar... – o lobo bufou e soltou um espirro movendo a cabeça negativamente enquanto ia até a Cabello.

Pelo jeito ela não falava, mas esse seu ultimo gesto deixou evidente que era Normani quem mais a tina machucado, agora ela entende como é ser magoada por quem amamos e admiramos.

Nem sempre eu odiei Camila... só quando ela começou a se portar como uma babaca.

- olha... ela está estressada... alguma coisa aconteceu na escola... por que ela estava bem até chegar lá... – Camila começou e eu fiquei pensando em porque ela não tinha ido embora junto com a bola de pelo?

 

- bom... seria uma pena se ela fosse expulsa do instituto... ou presa num canil... – dei de ombros pouco me importando com o olhar censurador que Mani me lançava. 

- vá se foder Jauregui – Camila disse antes de virar as costas e desaparecer pela porta.

- serio... Canil? – Mani se virou para mim e eu me joguei no sofá.

- ela é grande... talvez um zoológico seria mais apropriado...

- as vezes eu simplesmente odeio esse seu humor dark.

- será que tem alguma coisa para comer? – me levantei num pulo indo até a cozinha, que era pequena e prática muito melhor que a antiga.  

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...