História Queda Livre - Capítulo 14


Escrita por: ~

Visualizações 24
Palavras 876
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Hentai, Mistério, Poesias, Romance e Novela, Saga, Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Olarrrr, meus nenéns!
Cês pensaram que eu não ia soltar outra bomba hoje? hahahaha

Boa leitura! <3

Capítulo 14 - Anular a própria dor por aquele que ama


Fanfic / Fanfiction Queda Livre - Capítulo 14 - Anular a própria dor por aquele que ama

- Eu prometo que assim que chegar em casa, vou conversar com as meninas – Henrique falava tranquilamente enquanto caminhava com Flor no jardim da casa – Tudo o que peço é que fique calma, meu amor! – ele beijou a testa dela – Você sabe que precisamos conversar e resolver várias questões, mas preciso que esteja bem. Por enquanto, fique aqui.

- Eu sei, meu bem – Flor respondia docemente – Não vejo a hora de abraçar minhas meninas! Temos muito que conversar e resolver. Principalmente com a sua família. Eu perguntei diversas vezes, mas você ainda não me respondeu. Por favor, peço que seja sincero. Você se relacionou com alguém durante esse tempo que eu estive “morta”?

- Não – Henrique falou sério.

- Caso isso tenha acontecido, sabia que não tenho raiva nem de você e nem da outra mulher. Pelo contrário, tenho muita gratidão por saber que essa pessoa cuidou de você e das minhas meninas enquanto estive longe...

Lolita

Estava me arrumando pra ir à faculdade e estava muito aflita! Eu tinha medo do que poderia acontecer quando eu descesse para tomar café. Eu poderia encontrar todo mundo agindo como se nada tivesse acontecido, como poderia não encontrar alguém à mesa e tomar café sozinha. Ainda existe a possibilidade de encontrar uma cena de guerra na mesa de café da manhã. Tudo tem sido muito imprevisível nesses últimos dias.

Terminei de me arrumar, beijei a foto de minha mãe e pedi força. Quando desci, para minha surpresa, estavam Papai Dani, Lilica, Joe, Bebeca e Elisa tomando café juntos como se nada tivesse acontecido.

- Bom dia! – falei docemente e sentei ao lado da Elisa – Estamos bem?

- Tudo certo, gatinha – Lilica respondeu sorridente, como se tudo estivesse muito bem – Você dormiu bem?

- Não muito – respondi triste – Fiquei preocupada com você...

Henrique

Saí da minha casa de campo em Ghosttown com o coração apertado! Eu sabia que o certo era contar a verdade pra Flor, mas eu não consegui. Eu amo o Daniel e amo a Flor. E nenhum dos dois tem culpa do que minha família fez. Mas o que eu devo fazer?

Chegando à cidade, fui direto para minha clínica, ali eu teria um tempo pra pensar no que poderia fazer. Todavia, para minha surpresa, assim que abri a porta, Daniel estava mexendo no meu computador e sentado na minha cadeira.

- Precisamos conversar – ele falou sério.

Bebeca

- Você nunca acreditou em felizes para sempre, Bebeca? – Elisa me perguntou.

- Eu não sou de acreditar em histórias de princesas, Elisa. Cheguei perto de ter o meu “feliz para sempre” com Helena. Ela era a minha princesa! Por mais que eu não acreditasse, ela me fazia sentir como se estivesse em um conto de fadas.

- E o que você sente por mim? Aquele beijo que demos no bar do Carlinhos e a noite que passamos juntas significaram algo pra você?

- Você sabe que te amei, não sabe? – perguntei sem conseguir encará-la – Mas nosso relacionamento foi conturbado demais. Eu nem ao menos sei te responder a essa pergunta. Desculpe-me, Elisa. Eu nunca quis usar você. Entretanto, Helena sempre foi e sempre vai ser a minha primeira namorada, mesmo que você tenha vindo antes dela. E com tudo que anda acontecendo com minha família, eu mal tenho tempo de pensar em romances.

- Mais uma vez você anula as suas próprias dores pra cuidar de quem você ama. Até quando pretende fazer isso?

Lilica

- Lilica, você tem que parar de anular suas dores só pra cuidar da Lolita! Meu amor, eu consigo sentir o mesmo que você – Joe falava enquanto fazia carinho no meu cabelo e me abrigava em seu colo – Sinto que você quer gritar, brigar e botar tudo pra fora.

- Você me conhece mesmo, né? – respondi rindo – Minha vontade é de socar a cara do Edgar até ele morrer! E depois quebrar a sala da minha tia... Minha tia não, ela não pode ser chamada assim. Quebrar a sala da Carolina todinha! Mas não posso trazer mais tumultos para dentro do meu lar.

- E quando vai conversar com Henrique?

- Assim que ele voltar de viagem...

Henrique

- Por que você não me contou a verdade logo que soube, Daniel?! Você é tão cruel quanto a Carolina e o Edgar – falei gritando e tremendo – Eu passei a vida inteira tratando mal a minha própria filha! Sabe quantas vezes chorei de arrependimento?!

Lolita

- Sei que gosta dos ventos do norte, mas é bom se agasalhar, princesa Lolita – Erick colocou seu casaco em mim.

- Há quanto tempo está aí? Nem te vi chegar! – respondi sorrindo – Obrigada pelo casaco!

- Eu também não te vi chegar – Erick sentou ao meu lado – Mas agora, não quero que vá embora da minha vida – ele me beijou.

11hs

Depois da calorosa discussão que teve com Daniel, Henrique foi pra casa, ansioso para abraçar Lilica e acertar todos os pontos com ela. Chegando em casa, viu Lilica, Bebeca, Joe e Elisa assistindo um filme e comendo pipoca. Ele jogou sua mochila no chão e com lágrimas nos olhos gritou o nome da Lilica.

Os olhos dela também se encheram de lágrimas, ela correu em direção a ele e gritou “Papai”. Algo que fez seu coração disparar.


Notas Finais


Eu disse que ia ser pesado! hahahaha
O que acharam, nenéns? <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...