História Quem disse que eu te amo? - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Jikook, Vkook
Exibições 73
Palavras 1.039
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 4 - Por que tão imprevisível?


Fanfic / Fanfiction Quem disse que eu te amo? - Capítulo 4 - Por que tão imprevisível?

-Sobe na garupa- Pediu Jimin em frente à minha casa.

 Já passou uma semana desde que eu o conheci, e desde que ele acidentalmente atropelou meu pé, fica insistindo em me deixar na escola.

Claro, eu já havia falado a ele que não era preciso e que eu sabia me virar só, mas sua confiança em minhas palavras parecia tão grande quanto um grão de areia. 

Então, dois dias atrás, eu parei de discutir e simplesmente aceitei a carona que ele me proporcionava tão insistentemente.

 Se eu estava com raiva dele? Claro que não, eu amava andar de bicicleta junto a ele, mas...Eu sentia como se eu fosse um fardo ou um problema. Porém, essa não parecia muito bem o ponto de vista dele. 

Fiz o que me foi mandado e suspirei cansado enquanto Jimin começava a pedalar com animação.

 -Me deixar todos os dias na escola não é ruim pra você?- Perguntei apertando mais meus braços em sua cintura.

 -Tá brincando? Eu adoro fazer isso, e essa bicicleta tava quase virando uma estátua antes de você, de tanto tempo que ela ficava parada em um só canto- Falou com um sorriso. 

Algo que percebi após minha convivência com ele, era seu jeito tagarela e extrovertido, que encantava todos com seu carisma de cara. Claro, isso era sua marca registrada para a maioria das pessoas, mas para mim, era sua insistência, pois sem ela, nem estaríamos nessa situação, muito menos nos falando. 

Só percebi que cheguei na escola quando ele parou de pedalar. Eu queria ficar um pouco mais com ele, mas eu sabia que não poderia mais fazer isso.

 Desci da bicicleta e Agradeci a carona, como sempre fazia. Eu já iria ter entrado na escola junto a todos os estudantes, já que havia tocado o sinal anunciando as aulas, mas Jimin segurou meu braço para não me deixar partir. 

-Jungkook...- Disse, com uma voz surpreendente manhosa- Posso te levar pra casa na volta também? 

-Mas...você não tem coisa pra fazer?- Perguntei nervoso, já que eu provavelmente chegaria atrasado à sala.

 -Hoje não, é a minha folga- Explicou piscando apenas um olho para mim- Só me conta as horas pra você poder ir logo.

 Suspirei, finalmente vencido, e o informei sobre o horário de saída, então ele sorriu e me deixou livre para começar a assistir às aulas que já haviam começado. 

Ele soltou meu braço, com uma expressão triste por algum motivo, por isso comecei a correr para a minha sala de aula. Ao chegar na mesma, o professor já havia chegado, como o esperado, e por isso apenas Caminhei de cabeça baixa para o fundão, que havia virado meu lugar habitual nesses últimos dias, já que o meu original ainda estava ocupado.

 Mais um dia escolar foi completo, vi -infelizmente- as mesma pessoas de sempre, mas as evitava assim que possível.

 Aquele garoto de antes não era insistente como Jimin, então não veio correndo pedindo respostas para mim. Infelizmente, ele parecia já saber quem eu sou, pois uma vez ou outra eu o flagrava espalhando rumores pela escola.

 Fui uma das primeiras pessoas a saírem da sala de aula, e eu já esperava, pelo menos dessa vez, ficar sentado e esperar um bom tempo pela a minha carona.

 Mas não foi isso que aconteceu.

 Jimin já estava lá, assobiando procurando por mim, e quando encontrou, sorriu feliz.

 -V-você já está aqui?- Perguntei surpreso. 

-Por você, eu posso chegar cedo- Falou dando espaço na garupa- Agora sobe e para de reclamar.

 Não pude evitar um pequeno sorriso quando o ouvi falar isso.

 Subi novamente na garupa, mas desta vez sorridente, e o abracei forte acidentalmente, dando minha felicidade cada vez mais explícita. Ele me devolveu o sorriso, e custou um pouco para começar a pedalar, pois estava em devaneios olhando para mim com suas bochechas rubras.

Gostaria de saber o que se passava na cabeça dele. Entretanto, eu não queria que ele soubesse o que se passava na minha, pois ele descobriria pelo menos parte do meu passado, e eu não queria isso. 

Ele era uma companhia tão boa, que eu tinha medo de perder.

Notei, assim que o vi, que ele mudou um pouco o vizual do habitual. 

Seu cabelo, geralmente rebelde e bagunçado, estava um pouco mais arrumado e ajeitado.

Como o tempo estava frio, ele usava uma calça rasgasda e uma blusa-casaco (Aquelas blusas com mangas longas) branca, mas com listras negras bem separadas.

Não posso reclamar dessa mudança.

 Porém, Quando eu fui perceber o que estava acontecendo, já era tarde demais. Aquele não era o caminho da minha casa. 

-Jimin, pra onde você tá indo?- Perguntei alarmado.

 -Surpresa- Disse ele acelerando mais as pedaladas. 

Eu sei que ele era alguém incrível, mas será confiável?? 

-JIMIN, PRA ONDE A GEN...- Eu estava tão desesperado, que nem percebi que paramos na frente de um pequeno parque de diversões.

 -Por que esse desespero?- Perguntou rindo- Desce, quero fazer uma coisa com você. Ou...você tem horário pra chegar em casa? 

Minha mãe era tão despreocupada que eu poderia chegar de meia noite, e ela nem ligaria.

 -Não- Disse descendo do veículo. 

Ele se espantou com a minha decisão, mas não demonstrava estar triste. 

Por ultimo, pôs a sua bicicleta guardada na frente do parque e depois voltou para mim correndo.

 -Vem, vamos antes que feche- Apressou-me segurando a minha mão. 

 Jimin me guiou entre os brinquedos, mas não parecia interessado na montanha russa, carrinho bate-bate e os outros, parecia que ele estava procurando um único.

 De repente, ele parou, me fazendo colidir com suas costas, mas ele não pareceu ter notado. Funguei e afaguei o meu nariz, que estava um pouco dolorido, mas logo após tivemos que correr até onde ele queria.

 Já estava quase no por do sol, e eu sabia que precisava voltar para casa pra dar uma estudada na prova de amanhã, mas no momento não estava muito preocupado com ela. 

Quando ele parou novamente, percebi que o brinquedo que ele desejava ir era em uma roda gigante, que ficava bem no centro do local.

 -Eu sempre quis ir lá- Explicou com um sorriso aberto- Quer ir comigo?.

 Vamos ver...eu tinha prova, com certeza iria levar carão do meu pai, morria de medo de altura...

A minha resposta claramente é:

-Obvio!


Notas Finais


Tomara que tenham gostado ^^
Qualquer dúvida, é só me informar 😉
Bjs com paçoca e até amanhã😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...