História Quer casar comigo? - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Angélica Vale, Jaime Camil
Exibições 43
Palavras 868
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Álcool, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oi monamur! Esse é o inicio de um romance que eu fiz pensando em vocês! Estão saboreem queridas! 😍

Capítulo 2 - Fiança


Fanfic / Fanfiction Quer casar comigo? - Capítulo 2 - Fiança

Angel P.S.M

Meus dedos eram flexíveis e rápidos nas teclas, eu amava aquela sensação de escrever oque eu penso, de saber que em muitos lugares do mundo, estão pessoas ansiosas para ver oque eu iria compartilhar com o mundo, e essas pessoas são muito especiais na minha vida, porque, ha menos de um ano, meus pais morreram em um acidente de carro, e meu psicólogo me indicou escrever, até que uma editora, viu minha história que eu mandei por e-mail, e ficaram interessados, depois disso, eu vivo plenamente, e apaixonadamente escrevendo meus romances, e  quando acabara de terminar o capítulo, me joguei pra trás na cadeira -Ufa!- levantei o braço, e vi no relógio marcando onze horas -Ah não!- me lembrei que deveria ir ao mercado, -Droga!- falei me levantando, e desci as escadas e ao mesmo tempo fazendo um rabo de cavalo, peguei as chaves do carro em cima da messa -daqui a pouco eu volto Kate!- falei pra minha cachorrinha, e saí, trancando a porta, e peguei o elevador, já na recepção falei com o porteiro -Oi Billy!- falei -Olá Angel!- falou o velhinho, e eu fui até o estacionamento, entrei no carro e coloquei a chave -mais oque?- não estava ligando -Mais que merda!- lembrei que ele haverá quebrado hoje de manhã, e a revisão já estava marcada, desci do carro, e resolvi ir de bicicleta

Jaime P.S.M

Eu estava no carro, com uma garrafa de whisky na mão, haverá passado boa parte da noite bebendo, oque não é uma coisa anormal na sua despedida de solteiro, mais no meu caso, eu não estava imensamente feliz com o casamento, minha noiva até é bonita e legal, mais é a minha prima de 04 grau, aquela que nem seu sangue tem, e somente vou casar pois eu a deixei grávida, e minha "Família" me obrigou a se casar. -ha! Qual é?- falei buzinando para o carro que estava parado lá na frente com o sinal fechado, acelerei, e tomei mais um gole de Whisky, até que vi tudo embaçado,

Angel P.S.M

Eu estava com fone de ouvidos, ouvindo "Six days - DJ shadow- e estava pedalando em direção ao mercado, até que quando passei por uma faixa de pedestres, um carro em alta velocidade veio em cima de mim, e eu paralisei de medo, e ele apitava, até que senti a batida, a dor foi tão insuportável, que desmaiei. Acordei, estava no chão, haverá muitas pessoas em volta, e ambulâncias, e um homem bêbado falando " se essa menina morrer eu to mais ferrado ainda! Que droga!" e vários policiais prendendo ele, e várias pessoas chorando, e eu apaguei.

Jaime P.S.M

Eu estava no quarto de hospital com a mulher que atropelei, a policia me deu a permissão, bom, a obrigação, de vir vê-la, na noite passada eu fui preso, por dirigir embriagado, minha cabeça estava explodindo, minhas mãos estavam presas as algemas, e quando ela se mexeu, me levantei e chamei a enfermeira por um botão do lado da porta, E eu dei passos em direção a ela -Oi... Tá tudo bem?- falei em um tom mais preocupado que o normal, pois se ela saísse viva, a minha situação iria melhorar, mais ela não respondia, só estava lá, parada, sem piscar -Bom dia querida, como se sente?- falou a enfermeira entrando na sala com uma bandeja com um suco de laranja, e uma maçã -Eu não vejo nada- ela falou baixinho, quase chorando, ela não estava enxergando, não era possível, eu acabei com a vida dessa mulher, que merda -Ahh, como?- falou a enfermeira, e eu mexia no meu cabelo, deixando os cachos caírem no rosto, e vi que uma lágrima correu pela face dela -Eu não posso ficar cega! Não posso! Eu sou uma escritora! Não posso!- ela gritava tentando se levantar, mais a enfermeira de merda tentou segura-la. -Não! Não! Não!- ela falava em meio a lágrimas, Eu me sentia péssimo, não só pelo fato da minha dor de cabeça estar insuportável, mais por aquela pobre mulher, -Eu sou um animal mesmo!- eu gritei -Quem tá ai?- ela falou ainda chorando -Eu... Eu... Eu sou o... O cara que te atropelou.- falei envergonhado -Por que você fez isso? Porque? Tomara que Deus te perdoe, por que eu nunca vou te perdoar! Nunca! Jamais! - ela chorava muito -Senhor, senhor por favor, saia da sala e fique lá fora, por favor!- falou a enfermeira -sim...sim!- falei saindo, fechei a porta, a se sentei em uma cadeira azul, e ouvi os gritos dela, até que minutos depois ela parou, e a enfermeira saiu da sala, e ouvi ela disser pra outras enfermeiras "Parece que ela é aquela escritora famosa que escreveu "My amor"! E vocês sabem que ela perdeu a família, né? Coitadinha!" isso só me fez se sentir pior, coitada dessa moça, perdeu a família, e agora, a visão, eu me senti na obrigação de cuidar dela, ate que um policial veio em minha direção-Vamos?- falou me puxando pelo braço, e me levou ate a viatura, na delegacia, eu liguei pra minha... Futura mulher! -Margo, Margo! Eu sei... Não... Na cadeia!... Você paga a fiança?... Sim,... Tudo bem,... Tchau!- ela iria pagar minha fiança


Notas Finais


Gostaraum?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...