História Queria muito te odiar - Capítulo 43


Escrita por: ~

Postado
Categorias Camila Cabello, Justin Bieber, One Direction, Selena Gomez
Personagens Camila Cabello, Harry Styles, Justin Bieber, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Personagens Originais, Selena Gomez, Zayn Malik
Tags Drama, Romance
Visualizações 107
Palavras 1.522
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 43 - Capitulo 42


Sendo a pessoa asquerosa que é, Justin ainda está no meu quarto quando volto, sentado na minha cama.

Imagens minhas pegando um abajur e quebrando na cabeça dele surgem na minha mente, mas no momento não tenho energia suficiente para brigar.

“Não vou pedir desculpas” , Justin avisa quando passo por ele a caminho da cama de Camila.

Recuso-me a sentar na minha cama com ele lá.

“Eu sei” , digo antes de me deitar.

Não vou me deixar levar para outra briga, nem quero que ele se desculpe. Eu o conheço bem demais para isso. Mas, pensando bem, não sei nada sobre ele. Ontem à noite Justin era só um menino revoltado por ter sido abandonado pelo pai e usava esse ressentimento como escudo para manter as pessoas à distância.

Hoje de manhã, eu o vejo como uma pessoa terrível e odiosa. Não existe nada de bom em Justin. Se em algum momento acreditei que existia, foi só porque me deixei enganar por ele.

“Ele precisava saber” , afirma Justin.

Mordo meu lábio para segurar o choro. Fico em silêncio até ouvir Justin se levantar e vir na minha direção.

“Vá embora, Justin” , peço, mas quando olho o vejo de pé ao meu lado.

Quando ele se senta na cama, eu me levanto em um pulo.

“Ele precisava saber” , Justin repete, e a raiva borbulha dentro de mim.

Sei que só está querendo me provocar.

“Por quê, Justin? Por que ele precisava saber? Me diz o que isso trouxe de bom além de magoar Zayn. Para você não faz diferença se ele sabia ou não… você podia continuar sua vida normalmente se tivesse mantido a boca fechada. Não tinha o direito de fazer isso com ele, nem comigo.”

Sinto as lágrimas brotarem outra vez e não consigo segurá-las.

“Se eu fosse ele, ia querer saber” Justin diz com um tom de voz frio e impassível.

“Mas você não é ele e nunca vai ser. Fui burra de pensar que você poderia ser como ele. Aliás, desde quando se preocupa com o que é certo ou errado?” digo.

“Nem tente me comparar com ele” Justin esbraveja, deixando-me ainda mais irritada por não responder à minha pergunta e ainda distorcer o que estou dizendo.

Ele se levanta e tenta se aproximar de mim, mas eu me encolho do outro lado da cama.

“Não existe comparação. Ainda não deu para entender? Você é um babaca cruel e asqueroso que não está nem aí para ninguém além de si mesmo. E ele… ele me ama. Está tentando me perdoar pelos meus erros.” Digo e olho bem em seus olhos.

“Meus erros terríveis” , acrescento.

Justin dá um passo para trás como se eu o tivesse empurrado.

“Perdoar você?” ele pergunta.

“É, ele vai me perdoar por isso. Sei que vai. Porque ele me ama, então seu plano patético de tentar fazer eu terminar na sua frente, enquanto você fica dando risada, não funcionou. Agora sai do meu quarto.” Digo.

“Não foi isso que… eu…” , ele começa, mas o interrompo.

Já perdi tempo demais com Justin.

“Fora daqui! Sei que você já deve estar tramando seu próximo golpe contra mim, mas adivinha só, Justin? Não vai mais funcionar. Agora dá o fora do meu quarto, porra!” grito.

Fico surpresa com a aspereza das minhas próprias palavras, mas não me sinto mal em usá-las.

“Não é nada disso, Sel. Depois de ontem à noite, pensei que… Sei lá, pensei que você e eu…” Ele parece estar tropeçando nas próprias palavras, o que para mim é inédito.

Parte de mim, uma parte nada pequena, está ansiosa para ouvir o que Justin vai dizer, mas foi assim que comecei a me envolver. Justin sabe como usar minha curiosidade contra mim, e para ele tudo não passa de um jogo. Limpo meus olhos com gestos furiosos, aliviada por não ter passado maquiagem ontem à noite.

“Você não acha que vou acreditar nessa conversa, né? Vai me dizer que sente alguma coisa por mim?” digo.

Preciso parar de discutir, e ele precisa ir embora antes de cravar suas garras ainda mais em mim.

“Claro que sinto, Selena. Por sua causa eu…”

“Não! Eu não quero ouvir nada disso, Justin. Sei que é tudo mentira, uma forma doentia de se divertir. Só para me fazer acreditar que sente por mim o mesmo que eu sinto por você e depois puxar meu tapete. Já entendi tudo e não vou mais entrar nessa.”

“O mesmo que você sente por mim? Está me dizendo que você… você sente alguma coisa por mim?” ele diz.

Algo parecido com uma esperança surge em seus olhos. Ele é um ator muito melhor do que eu imaginava. Justin sabe que sim, não é possível que não saiba. Por que razão eu manteria aquela relação nada saudável? Dominada por um medo que nunca havia experimentado, percebo que mal consigo admitir meus sentimentos por Justin para mim mesma, e ainda assim estou tratando do assunto abertamente, expondo-me mais do que nunca à crueldade dele. Sinto minhas barreiras serem demolidas uma a uma pela maneira como Justin me olha, mas não posso deixar isso acontecer.

“Vai embora, Hardin. Não vou pedir de novo. Se não sair daqui, vou chamar o segurança.” Grito.

“Sel, por favor, responde” , ele implora.

“Não me chame de Sel. Só minha família, meus amigos e as pessoas que gostam de mim de verdade podem me chamar assim… Agora sai daqui!” , grito, muito mais alto do que pretendia.

Preciso que ele saia, que se afaste de mim. Detesto quando Justin me chama de Gomez, mas detesto ainda mais quando me chama de Sel. Alguma coisa na maneira como seus lábios se mexem ao dizer isso o faz parecer alguém tão íntimo, tão adorável… Droga, Selena. Pare com isso.

“Por favor, eu preciso saber se…” ele diz mas é interrompido.

“Que fim de semana foi esse, amiguinhos? Estou acabada!” , anuncia Camila ao entrar no quarto, fingindo um cansaço exagerado.

Porém, quando percebe meu rosto lavado de lágrimas, ela detém o passo e estreita os olhos na direção de Justin.

“O que está acontecendo? O que você fez?” , ela grita.

“Cadê o Zayn?” , Camila pergunta, olhando para mim.

“Ele foi embora, e o Justin também está de saída” , respondo.

“Sel…” Justin insiste.

“Camila, por favor, pede pra ele ir embora” , suplico, e ela faz um aceno de cabeça.

A boca de Justin se contorce de irritação quando percebe que estou usando Camila contra ele. Devia estar pensando que ia conseguir me prensar contra a parede outra vez.

“Vamos lá, garotão” , ela diz, segurando-o pelo braço e o arrastando porta afora.

Fico olhando para a parede até ver a porta se fechar e imediatamente começo a ouvir a voz dos dois no corredor.

“Qual é, Justin? Falei pra você não fazer isso. Ela é minha colega de quarto e é diferente das meninas com quem você está acostumado. Ela é meiga, inocente e, sinceramente, não é pro seu bico.” Camila diz.

Fico satisfeita e surpresa pela maneira como ela sai em minha defesa. Mas isso não é suficiente para aplacar o aperto que sinto no peito. Meu coração está doendo, literalmente. Pensei que sabia o que era um coração partido depois da noite com Justin no riacho, mas aquilo não foi nada em comparação com o que estou sentindo agora. Por mais que eu deteste admitir isso, passar a noite com Justin só fortaleceu meu sentimento por ele. Ouvir sua risada enquanto me fazia cócegas, a forma carinhosa como me beijou, seus braços tatuados me envolvendo, a maneira como fechou os olhos quando percorri sua pele com os dedos, tudo isso fez com que eu ficasse ainda mais caidinha por ele. Esses momentos de intimidade fizeram crescer minha estima por Justin, mas também fizeram meu sofrimento ser muito maior.

Além disso, magoei Zayn de tal maneira que só me resta rezar para que ele me perdoe.

“Não é nada disso.” Quando está irritado, o sotaque de Justin se torna mais evidente e suas palavras, mais incisivas.

“Não é o cacete, Justin, conheço você. Vai procurar outra pra atormentar. Tem um monte de meninas por aí. Ela não é a pessoa certa pra você. Além de ter namorado, não sabe como lidar com esse tipo de situação.”

Fico incomodada de ouvi-la sugerir que sou sensível demais, uma pessoa frágil ou coisa do tipo, mas acho que ela tem razão. Não faço outra coisa além de chorar desde que conheci Justin, e agora ele tentou arruinar meu relacionamento com Zayn. Não tenho estômago para manter uma relação puramente física e sem compromisso com alguém, por melhor que isso seja. O respeito que tenho pelo meu corpo não permite isso, e sou sentimental demais.

“Tudo bem. Vou ficar longe dela. Mas nada de aparecer com ela de novo nas festas lá em casa” , ele esbraveja, e escuto seus passos se afastando, pisando duro. Já no fim do corredor, volto a ouvir sua voz, aos gritos:

“Estou falando sério, não quero mais que ela apareça na minha frente. Se isso acontecer, acabo com ela”.


Notas Finais


Capitulo novo amorzinhos, espero que gostem, comentem que hoje ainda tem mais :**


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...