História Querido Diário - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Jungkook, Personagens Originais, V
Exibições 11
Palavras 1.073
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oie guys!!!

Está é a primeira fic que eu posto, então eu espero que vocês gostem

Capítulo 1 - Boa noite mundo real e bom dia mundo dos sonhos


Fanfic / Fanfiction Querido Diário - Capítulo 1 - Boa noite mundo real e bom dia mundo dos sonhos

Querido Diário 

Olá Diário, quanto tempo nós não nos falamos, espero que você não tenha ficado entediado sem minhas histórias malucas de cada dia.
 Ultimamente eu ando tão corrida com a faculdade que eu nem mais sei como fazer isso. Pra começar eu.... eu não sei como dar a notícia, mas eu tenho vivido apenas com o meu pai esses dias, pois como você já sabia minha mãe estava com a síndrome de mão alheia, geralmente ela se batia e não entendia nada, ela ficava aos prantos pois ela não sabia o que estava acontecendo. O dia estava ótimo até que eu volto da faculdade e não vejo minha mãe em casa, quando eu entrei no quarto dela para pegar uma escova vejo ela morta com uma faca no peito e um bilhete em cima dela escrito:
      
            "Se for pra viver apanhando de mim mesma pro resto da minha vida, eu prefiro morrer agora"

 Meu mundo desabou em lágrimas, solidão e muitos risos da minha cara por eu ter uma "mãe suicida".
 Já faz sete meses que a minha mãe morreu, meu pai ainda não sabe como ele vai cuidar de nós dois, e ele também não sabe por que a minha mãe não queria fazer o  "maldito do tratamento", é assim que o meu pai chama a coisa que a minha mãe tinha mais medo. Ela não fez o tratamento, pelo simples medo de nos deixar sozinhos, meu pai nunca cuidou de mim, então, a minha mãe tinha razão para ter tanto medo de me deixar aos cuidados do meu pai.
 Eu ainda estou no primeiro ano da faculdade e já tenho apelidos, todos acham que os universitários são mais educados, mas eles são tão selvagens quanto o pessoal da escola. Eu acho que justamente por isso eu já recebi apelidos. Eles eram variados, como: a guria solitária, órfã a estranha (eu tenho certeza que fizeram plágio da Carrie a estranha), DNA suicida, e entre outros.
 É um saco todo dia você olhar para as pessoas e elas começarem a te olhar com um olhar de:

 "Nossa, que dozinha dela" ou "do jeito que ela é estranha, provavelmente matou a sua própria mãe" e tem a clássica "eu acho que  a mãe não aguentou mais olhar para a cara da filha, então ela inventou a doença e se matou, para que no futuro ela não sinta o peso da desgraça da própria filha".

 Quem em sã consciência inventaria uma doença e morreria só para não ver uma pessoa? E outra coisa, eu considerava minha mãe como uma irmã, de tão próxima que ela era.
 
 Enfim, meu pai disse que não sabia como iria pagar a minha faculdade, ele disse que talvez dobraria o horário de trabalho, mas eu resolvi ser uma adulta de verdade e procurar um emprego. Eu vou sair daqui a meia hora, espero que dê tudo certo.

 Beijos Diário, depois eu te conto tudo.

                   TE AMO


•*•VIDA REAL•*•


Já são dez da manhã, se eu quiser ser responsável eu preciso eu preciso ir agora. Tomara que a vida não me decepcione de novo, que pelo menos eu seja aceita no trabalho, e que o pessoal que for me entrevistar não sejam uns arrogantes sem nada para fazer na vida.


•*•NARRADOR•*•


 Sun hee estava se arrumando para ir procurar emprego, ela pegou o currículo, no qual não tinha muitas experiências de trabalho. Ela estava um pouco insegura com o que poderia acontecer.
  Ela desceu as escadas e pegou uma maçã na fruteira, trancou a porta e saiu rumo sua jornada ao trabalho, na qual não saberia o que iria dar. 
  Seu coração estava na mão, ela necessitava deste trabalho, porque ultimamente seu pai estava muito sobrecarregado com todo o horário dobrado no emprego, ela precisava pelo menos pagar faculdade, uma coisa bem difícil de fazer, já que ela não era muito barata.
  Ela entrou na primeira loja, era uma cafeteria chique, Sun hee perguntou se eles tinham vagas de emprego, mas ninguém sabe o porque as pessoas que trabalham em cafeteria de rico se acham as ricas. Só por que trabalham servindo rico? E daí, elas são pessoas que precisa se preocupar pra pagar conta igual a muitos, como algumas pessoas dizem, "pobres".
   Ela ficou zangada, mas Sun hee precisava encontrar um emprego, por isso resolveu seguir em frente e correr atrás do trabalho que iria garantir sua vaga na faculdade.
  
•*•SUN HEE•*•

*Eu estou morrendo de fome, será que tem um restaurante aqui por perto? Se eu não quiser morrer de fome aqui mesmo eu preciso fazer o que eu tenho feito nessas últimas horas. Procurar *
 
  Eu comecei a procurar algum restaurante por perto, eu não queria ficar perdida pela cidade e ir para um posto policial só para ligarem para o meu pai. Felizmente eu encontrei uma cafeteria simples, mas bem bonitinha e aconchegante.
  Quando eu estava entrando no lugar eu sinto um cheiro delicioso de café expresso. Eu me sentei em uma cadeira que tinha em frente ao balcão, o moço que servia alguns clientes ali se direcionou a mim, ele perguntou o que eu queria, pedi um capuccino  de chocolate e um biscoito de baunilha. Depois de vinte minutos ele vem com o meu pedido, eu estranhei a demora, mas logo percebi que ele estava sozinho na cafeteria. Ele começou a se desculpar pela demora:

- Me desculpe pela demora, eu estou sozinho. Quem trabalha aqui é apenas eu e um amigo, nós precisamos de novos atendentes.

- Tudo bem. Mas você tem vaga de trabalho?

- Sim, por quê?

- Eu necessito de um trabalho para poder pagar a minha faculdade.

- Ótimo, você quer pedir emprego? Eu posso trazer a ficha de inscrição.

- Se não for atrapalhar eu gostaria que você pegasse o formulário.

- Eu volto em instantes.

  Depois de alguns segundos ele voltou com o papel e uma caneta azul, antes de começar a preencher tudo eu fiz perguntas de quanto eu ganharia por mês, a quantia era aceitável, dava para pagar a faculdade e ainda sobrava dinheiro para eu poder gastar do jeito que eu quisesse, eu assinei o que tinha que assinar, comi o que eu pedi e fui embora.
  Meu dia foi ótimo, porém muito cansativo. Eu tomei um banho e fui dormir, eu não via a hora de acordar para escrever tudo o que aconteceu hoje. 

Boa noite vida real e bom dia mundo dos sonhos.

 

 

 

 


Notas Finais


Eu espero que vocês tenham gostado.


E para explicar, os meninos não vão entrar agora, então eu espero que vocês esperem.

Outra coisa, cada cap vai falar de um dia de vida dela.

Bjuss!!!! Espero que vocês tenham gostado


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...