História Quero-te de volta - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias A Última Música
Personagens Personagens Originais
Exibições 0
Palavras 10.408
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Hentai
Avisos: Adultério
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 3 - O pedido de ajuda


Dois meses passaram desde que Liliana apanhou a troca de emails entre o marido e a amante e desde então as coisas entre Liliana e Sérgio tem vindo a piorar de dia para dia e um enorme vazio tem-se vindo a apoderar da alma de Liliana que se sente mergulhar num mar de angústa solidão e desespero, sobretudo agora que acabou de descobrir que está novamente grávida o que a deixa sem saber o que fazer e certo dia ao visitar os pais, Liliana olhou a mãe olhos nos olhos e achando a filha triste, Maria perguntou:

– Então filhota! O que se passa? Que carinha tão triste é essa?

Ao ouvir as palavras da mãe, Liliana baixou o rosto e deixando a dor que sentia falar mais alto respondeu:

– É o meu casamento minha mãe! As coisas entre mim e o Sérgio vão de mal a pior e o que mais me doi e que o teu genro já nada faz para esconder que deixou de me amar e embora ele diga que ainda me ama e que nada mudou entre nós dois mudou cada vez mais me convenso que ele tem outra pessoa…

– Outra mulher? Oh meu amor, tem calma! Isso pode até nem ser nada de importante. Os homens são mesmo assim, não podem ver um rabo de saia que ficam doidos. Agarra-te ao amor que a tua filha te dá!…Pediu Maria ao vêr a filha chorar

– É o que eu tenho feito , minha mãe! É o amor da tua neta que tem dado.forças para continuar a lutar para tentar salvar o meu casamento mas as vezes é tão dificil sobretudo agora que…Desabafou Liliana chorando enquanto olhava a mãe olhos nos olhos

– Agora que o quê meu amor ? Fala com a mamã! Desabafa comigo querida! Pediu Maria preocupada com a filha

Ao ouvir as palavras da mãe, Liliana sentiu uma tremenda vontade de chorar e enquanto uma lágrima lhe caia do rosto Liliana respondeu:

– Que estou novamente grávida, minha mãe! Fiz o teste hoje de manhã e deu positivo mas para te ser sincera não sei o que hei de fazer.

Ao ouvir as palavras da filha, Maria olhou-a olhos nos olhos e ao ver o desespero estampado no rosto da filha Maria disse:

– Oh meu amor , tem calma! Já passou , tudo se vai resolver. O Sérgio já sabe?

Ao ouvir as palavras da mãe, Liliana olhos nos olhos e deitando a cabeça no colo da mãe como fazia em miuda sempre que se sentia assustada e chorando respondeu:

– Não minha mãe, ainda não! As coisas entre nós dois andam tão más que eu até tenho medo da reacção que o Sérgio possa ter quando eu lhe disser que estou novamente grávida! O que é que eu faço minha mãe? Ajuda-me já não sei mais o que fazer para tentar salvar o meu casamento.

– Oh meu amor, tem calma! Eu e o pai estamos aqui para te ajudar em tudo o que precisares. Disse Maria limpando as lágrimas do rosto da filha

Ao ouvir as palavras da mãe, Liliana olhou-a olhos nos olhos e enquanto uma lágrima lhe caia do rosto respondeu chorando:

– Ah minha mãe, obrigada por tudo! É tão bom saber que nem eu nem os meus filhos estamos sozinhos se o pior acontecer.É tão bom saber que tenho alguém que me ama incondicionalmente e que se preocupa com o facto de eu ter ou não ter vida, e neste momento a minha vida são os meus filhos.

– Oh meu amor, não tens que agradecer! Sou tua mãe, é meu dever ajudar-te e depois tudo o que eu faço por ti, é feito por amor e com muito amor querida! Agora limpa as lágrimas desse rosto lindo porque tu não estás sozinha, e fico muito feliz por saber que vais ter esse bebé. Respondeu Maria limpando as lágrimas do rosto da filha

– É claro que vou ter este filho, minha mãe! Nem esta criança nem a Iara têem a culpa do meu casamento estar no estado em que está mas ás vezes é tão dificil, isto doi tanto minha mãe, já nem falo só por mim mas pelos teus netos porque se esta situação continuar tal como está são os teus netos que vão sofrer e eu não quero isso para os meus filhos. Quero dar-lhes um destino feliz, não quero que os teus netos cresçam a vêr os pais a discutir! Quero que eles cresçam num ambiente calmo feliz e sem guerras. Respondeu Liliana chorando

– Oh meu amor, eu sei disso! Eu sei disso melhor que ninguém, eu conheço bem a filha que tenho, e sei que és uma mãe maravilhosa e sei que a tua maior preocupação neste momento é o futuro da Iara e do bebé que trazes dentro de ti. Disse Maria

– Acredita que sim minha mãe. A minha maior preocupação e preoridade são os meus filhos. São eles que me dão forças para não desistir de tudo, mas isto doi tanto! Estou tão cansada de sofrer. Respondeu Liliana chorando no ombro da mãe

– Pronto meu amor, já passou! Eu e o teu pai estamos aqui, vai correr tudo bem. Disse Maria limpando as lágrimas do rosto da filha

– Ah minha mãe, tenho tantas saudades do tempo em que tinha a idade da tua neta, ao menos naquela altura era feliz e conseguia sonhar. Respondeu Liliana num tom triste

O tempo foi passando e as coisas entre Liliana e Sérgio pioram de dia para dia, afinal Sérgio abriu o jogo e assumiu finalmente que tem um caso com outra mulher mas fê-lo em tom de brincadeira dizendo que era muito normal um homem trair a mulher pois o sabor da aventura quebrava a rotina do casamento e certo dia em conversa com a sua melhor amiga e confidente, Karina achou-a triste e perguntou:

– Então Lili que carinha tão triste é essa?

Ao ouvir a pergunta da amiga, Liliana baixou o rosto e respondeu:

– É o meu casamento “mana”! As coisas entre mim e o Sérgio vão de mal a pior, sinto-me tão sozinha Ká! Já não sei mais o que,fazer á minha vida, o meu casamento transformou-se num verdadeiro inferno e o pior é que já nem a minha filha eu consigo proteger e afastar do sofrimento. Estou a perder as forças sobretudo agora que…

– Agora que o quê “mana”? Perguntou karina tentando acalmar a amiga

– Prometes que guardas segredo “mana”?Respondeu Liliana visivelmente angústiada

Ao ouvir as palavras da amiga, karina viu o quão angústiada a amiga estava e ao vê-la de lagrimas nos olhos, karina percebeu que o caso era sério e limpando-lhe as lâgrimas do rosto disse:

– Claro fofimha, desabafa comigo! Já deu para perceber que algo te deixa angústada!

Ao ouvir as palavras da amiga, Liliana baixou o rosto e respondeu:

– Estou grávida “mana”.

Ao ouvir as palavras da amiga, Karina sentiu um arrepio na espinha como se tivesse levado um “murro” no estomago e ao vêr o desespero estampado no rosto da amiga, Karina engoliu em seco e disse:

– Bem, eu nunca pensei que o caso fosse assim tão grave!

– Mas é “mana”e para te ser sincera não sei mais o que fazer á minha vida nem por quanto tempo mais vou conseguir aguentar esta situação. Respondeu Liliana acendendo um cigarro

Ao ouvir as palavras da amiga e ao vê-la naquele estado ,karina olhou-a olhos nos olhos e limpando-lhe carinhosamente as lagrimas do rosto disse:

– Acho que refugiares-te no tabaco não é lá muito boa ideia no estado em que te encontras. Agora mais do que nunca tens que pensar em ti e no bebé que trazes dentro de ti em primeiro lugar.

– Eu sei “mana”, mas isto é tão dificil! Tenho medo da reacção que o Sérgio quando souber que vai ser pai novamente. Disse Liliana de lágrimas nos olhos

– Eu entendo querida, e conta comigo para tudo o que precisares. Respondeu Liliana Limpando as lágrimas do rosto da amiga

– Ah’ mana”, eu quero tanto ter este bebé.Desabafou Liliana chorando

– Eu sei querida. Respondeu Karina limpando o rosto da amiga

O tempo foi passando e ao chegar a casa, Liliana sentia-se bem mais aliviada, desabafar com a sua melhor amiga deixara Liliana bem mais leve, e sentando-se no sofá da sala, Liliana acariciou o próprio ventre e ao vêr o quão já amava aquele pequenino ser desabafou em pensamento:

“Olá amor da mamã,as coisas não teem sido nada faceis para mim pequenino mas quero que saibas que tu e a mana são tudo o que eu mais amo nesta vida e custe o que custar eu juro que vou lutar pela vossa felicidade!”

Nesse preciso momento, uma lágrima caiu do rosto de Liliana e aproximando-se da mãe Iara achou-a triste e perguntou:

– Então mamã que carinha tão triste é essa? As coisas com o papá andam assim tão más?

Ao ouvir as palavras da filha, Liliana sentiu as lágrimas cairem-lhe do rosto e olhando-a olhos nos olhos respondeu:

– Anda cá “pipoca”, senta-te aqui no colinho da mamã! Eu não te vou esconder mais nada do que se passa. Sim meu amor as coisas entre mim e o teu pai não andam nada bem e para piorar ainda mais esta situação acabo de descobrir uma coisa que me deixa ainda mais angústiada e triste

Ao ouvir as palavras da mãe, a pequena Iara olhou-a olhos nos olhos e ao vêr que o caso era grave perguntou:

– O que se passa mamã? Não estás doente pois não?

Ao ouvir a pergunta da filha, Liliana abraçou-a e enquanto uma lágrima lhe caia do olhar respondeu:

-Nãio meu amor, eu não estou doente. Só estou â espera de um bebé “pipoca”!

– Eu vou ter um mano? Perguntou a pequenina Iara olhando a mãe olhos nos olhos

– Vais meu amor, tu vais ter um mano. Respondeu Liliana enquanto uma lágrima lhe caia do rosto

– Mas isso é bom mamã, não fiques assim. O papá já sabe? Perguntou a pequena Iara abraçando a mãe

– Não meu amor, as coisas entre nós dois estão tão más que eu até tenho medo da reacção que ele possa ter quando ele souber que vamos ter mais um filho, mas eu juro que quero muito ter o teu mano, meu amor! Ajuda-me “pipoca”! Respondeu liliana chorando no ombro da filha

Ao ouvir as palavras da mãe a menina beijou-a e sorrindo pediu:

– Pronto mamã, nào chores! Eu estou aqui…

Ao ouvir as palavras da filha, Liliana aconhecou a filha nos braços e chorando no seu ombro pequenino respondeu:

– Oh meu amor, obrigada pelo teu carinho! Amo-te tanto princesa!

O tempo foi passando e ao chegar a casa, Sérgio viu a mulher e a filha na cozinha a preparar o jantar e num tom frio perguntou:

– O que é o jantar?

– É empadão meu amor! Hoje fiz empadão para o nosso jantar. Respondeu Liliana sorrindo

Ao ouvir as palavras da mulher, Sérgio engelhou o nariz e olhando-a olhos nos olhos resmungou:

– Pois é sempre a mesma “merda” Liliana! “Porra” até parece que não sabes cozinhar mais nada.

Ao ouvir as palavras do marido, Liliana “explodiu” e deixando a mágoa que sentia falar mais alto respondeu:

– O que foi Sérgio? Não gostas é? Se não gostas tens bom remédio. Vai ter com a tua amante, talvez ela te dê mais e melhor!

Ao ouvir aquilo, Sérgio perdeu a cabeça e num acto de loucura ergueu a mão e agrediu a mulher dando-lhe um violênto estálo que deitou Liliana ao chão deixando-a sem forças para reagir e furioso, Sérgio continuou com as agressões dando-lhe pontapés atrás de pontapés, e sentindo-se completamente derrotada, Liliana pediu chorando:

– Pára Sérgio, por favor! Olha a menina, por favor pára pelo amor de Deus!

Mas Sérgio estava tão cego de raiva que nem sequer ouviu o pedido da mulher e já sem forças, Liliana implorou chorando e tentando a todo o custo proteger o proprio ventre:

– Por favor Sérgio pára! Eu estou gravida!

Nesse preciso momento e sem que Liliana contásse Sérgio parou de lhe bater e saiu porta a fora deixando a mulher ali deitada no chão cheia de dores e entregue ao seu desespero.

Ao ver a mãe deitada no chão cheia de dores e a chorar, a pequena Iara assustou-se e aproximando-se da mãe perguntou começando a chorar:

– Estás bem mamã?

Completamente cheia de dores e com a ajuda da filha, Liliana sentou-se e olhando a filha olhos nos olhos pediu:

– Ai!!! Sim meu amor, não te preocupes! A mamã está bem ” pipoca”, não chores meu amor. Agora só preciso que me tragas o telefone, trazes amor da mãe?

– Claro mamã, é para ja! Respondeu a menina correndo para a mesa do telefone portatil

– Obrigada meu amor, ai!!! Disse Liliana gemendo de dores.

Ao aproximar-se da mãe, a pequena Iara beijou-a tentando apaziguar-lhe o coração e visivelmente preocupada a menina perguntou:

– Toma mamã, aqui tens! Estás mesmo bem?

Ao ouvir a pergunta da filha e ao vê-la assustada, Liliana acariciou-lhe o rosto tentando acalmar a sua menina e sentindo uma tremenda vontade de chorar, Liliana pediu:

– Oh meu amor, não chores! A mamã está bem! Não te preocupes “pipoca”! Está tudo bem amorzinho da mãe.

Reunindo todas as suas forças, Liliana pegou no telefone ligando á sua confidente e melhor amiga e chorando pediu:

– Ká ajuda-me ” mana”! Preciso tanto de ti, vem cá a casa.

Ao ouvir aquilo, Karina percebeu logo que algo grave havia acontecido e preocupada perguntou:

– O que se passa querida? Aconteceu alguma coisa?

– Sim “mana”, foi o Sérgio! Nós discutimos novamente e desta vez ele perdeu a cabeça. Respondeu Liliana chorando

– Ele bateu-te outra vez não foi ”mana”?Perguntou Karina visivelmente preocupada

– Sim “mana” e o pior é que eu estou cheia de dores no baixo ventre! Ai “mana” ajuda-me, estou cheia de medo! Pediu Liliana chorando desesperadamente

Ao ouvir o pedido desesperado da amiga, Karina tentou acalmá-la e carinhosamente respondeu:

– Tem calma querida, vai correr tudo bem! Eu vou já para ai não chores…

– Deus te oiça “mana”, estou com tanto medo. Desabafou Liliana chorando

O tempo foi passando e ao chegar a casa da amiga, Karina deparou-se com um cenário desolador e ao vêr a mancha de sangue no chão no local onde a amiga estava sentada, Karina percebeu logo o que acontecera mas para não assustar ainda mais a amiga, Karina disse:

– Pronto querida! Agora está tudo bem…

– Tenho tantas dores ” mana”! Ajuda-me, eu não quero perder o meu bebé. Desabafou Liliana chorando

– Tem calma querida, vai correr tudo bem! Eu vou já chamar o INEM e vamos imediatamente para o hospital. Respondeu Karina tentando acalmar a amiga

Nesse preciso momento, a pequena Iara aproximou-se da mãe e pegando-lhe carinhosamente na mão pediu:

– Não chores mamã! Eu estou aqui…

Ao ouvir as palavras da filha, Liliana beijou-lhe a mão com carinho e enquanto as lágrimas lhe caiam do rosto respondeu:

– Eu sei amor! Eu amo-te tanto, meu anjo!…

Ao ouvir as palavras da amiga e ao vêr aquela cena, Karina aproximou-se e disse:

– “Mana”, já chamei o INEM e aproveitei e liguei também á tua cunhada para vir buscar a Iara. Queres que avise mais alguém?

– Sim “mana” avisa os meus pais! Conta-lhes o que se passou e pede-lhes para virem ter connôsco ao hospital. Eu preciso deles ao meu lado. Respondeu Liliana de lágrimas nos olhos

– Tem calma, querida! Eu ligo-lhes, fica descansada! Não te preocupes. Disse Karina

Nesse preciso momento, a pequena Iara aproximou-se da mãe e acariciando-lhe o rosto e carinhosamente pediu:

– Por favor mamã, não chores! Vai correr tudo bem, eu estou aqui e adoro-te!

– E eu a ti meu amor! Amo-te tanto “pipoca” da mamã! Respondeu Liliana chorando enquanto beijava a filha

Nesse preciso momento, Carla chegou a casa da cunhada e ao vê-la karina contou-lhe tudo o que se passara, o que deixou Carla chocada, e visivelmente preocupada Carla perguntou:

– Então querida! Como é que estás?

– Apavorada cunhada, eu não quero perder o meu bebé! Eu já desejo tanto esta criança. Ele é um filho tão desejado e eu quero muito tê-lo! Respondeu Liliana chorando

– Eu sei querida, mas vai correr tudo bem! Vais ver! Disse Carla

– Deus te oiça cunhada! Olha querida, eu queria pedir-te um grande favor. Respondeu Liliana chorando

– Diz querida. Disse Carla olhando a cunhada olhos nos olhos enquanto lhe limpava as lágrimas do rosto

– Dá para ficares com a Iara enquanto a Ka vai comigo ao hospital? Perguntou Liliana enquanto as lágrimas lhe caiam do rosto

– Claro que sim querida, tem calma! Vai descansada, a Iara fica bem. Pensamento positivo ok e vai dando noticias. Respondeu Carla

– Vou tentar cunhada, mas o meu medo é tão grande. Disse Liliana chorando

Nesse preciso momento, a âmbulancia chegou e despedindo-se da filha, Liliana beijou-a e tentando a todo o custo não chorar á frente da sua princesa pediu:

– Não te preocupes meu amor! A mamã fica bem “pipoca”, dá-me um beijinho e um sorriso dos teus para eu ter a certeza que ficas bem princesa! Ai!!!

Ao ouvir as palavras da mãe, a pequena Iara sorriu e beijando-a carinhosamente disse:

– Eu sei mamã, não te preocupes! Eu fico bem, adoro-te muito.

Ao ouvir as palavras da filha, Liliana não conseguiu continuar a conter as lágrimas e beijando a filha respondeu:

– E eu a ti “pipoca”! Amo-te tanto, meu amor! Obrigada por me teres dado esse sorriso lindo que eu amo com todas as suas forças.

– Não chores mamã, vai correr tudo bem! Disse a menina

Ao ouvir as palavras da filha, Liliana respirou fundo e de lágrimas nos olhos respondeu:

– Deus te oiça amor da mamã! Deus te oiça!…

O tempo foi passando e ao chegarem ás urgências, Liliana foi imediatamente atendida, sendo levada para fazer exames de diagnóstico e olhando a amiga olhos nos olhos Liliana desabafou:

– Estou com tanto medo “mana”! Eu não quero perder o meu bebé!

– Eu sei “mana”, mas tenta manter a calma! Vai correr bem, não penses nisso agora. Respondeu Karina acariciando o rosto da amiga

O tempo foi passando e apos ter feito uma “bateria” de exames, uma ecógrafia veio confirmar o pior cenário, Liliana sofrera um descolamento da placenta o que provocara um aborto espontâneo, e ao ver o médico, Karina perguntou:

– Então doutor! Como é que está a minha amiga?

– Bem dentro dos possiveis mas infelizmente a sua amiga perdeu o bebé. Nós fizemos tudo o que estava ao nosso alcance para salvar o bebé mas infelizmente já era tarde demais. Agora vamos leva-la para o bloco para proceder-mos a uma curetagem para remover-mos os restos da placenta.

– Posso vê-la doutor? Perguntou Karina visivelmente preocupada

– Claro dona Karina. Respondeu o medico.

Ao ouvir as palavras do médico Karina respirou fundo e aproximando-se da amiga perguntou:

– Então “maninha”! Como é que estás?

– Apavorada “mana”, o meu bebé não apresenta sinais vitais! Tenho tanto medo, eu não o quero perder. Respondeu Liliana chorando desesperadamente

Ao ouvir as palavras da amiga, Karina limpou-lhe as lágrimas do rosto e disse:

– Pronto fofinha, tem calma! Não penses nisso agora! Eu estou aqui, não chores!

Ao ouvir as palavras da amiga,Liliana olhou-a olhos nos olhos e perguntou:

– Fazes-me um favor “mana”?

– Claro que sim querida, diz! Respondeu Karina olhando-a olhos nos olhos

– Telefona aos meus pais e pede-lhes para virem para cá! Agora mais do que nunca eu preciso deles ao meu lado! Pediu Liliana chorando

– Claro que sim querida, não te preocupes! Respondeu Karina Limpando as lágrimas do rosto da amiga

– Obrigada querida! Obrigada por tudo. Disse Liliana chorando

– Então fofinha, o que é isso não tens que me agradecer, vá tenta acalmar-te. Estares assim, não te faz nada bem…Respondeu Karina acariciando-lhe o rosto

O tempo foi passando e depois da amiga ter sido levada para o bloco, Karina ligou para os pais da amiga colocando-os a par da situação e pedindo-lhe que viessem ate ao hospital.

O tempo foi passando e ao chegarem ao hospital Maria e António viram a amiga da filha que os cumprimentou com carinho e disse:

– Olá “Ti Maria”, “Ti António” obrigada por terem vindo. Agora mais do que nunca a Lili vai precisar de vocês.

– Nós é que agradecemos por nos teres avisado. Como é que a nossa filha está? Perguntou Maria

– Felizmente está bem dentro dos possiveis “Ti Maria” mas infelizmente a Lili perdeu o bebé. Os médicos fizeram tudo o que podiam mas infelizmente as agressões do Sérgio fizeram com que a Lili sofresse um aborto espontâneo. Respondeu Karina olhando a mãe da amiga olhos nos olhos

– Oh meu Deus, a minha menina vai sofrer tanto! Ela já sabe? Perguntou Maria

- Não “Ti Maria”, a Lili estava tão assustada que eu achei melhor esperar-mos pelo momento certo para lhe dar-mos essa triste notícia. Respondeu Karina olhando a mãe da amiga olhos nos olhos

Ao vêr aquela cena, António “explodiu” de revolta e furioso exclamou:

– “Filho da mãe”, eu “mato” aquele “sacana de merda”! Quem é que ele pensa que é para bater na minha filha?!

– Por favor “Ti António”, eu entendo a sua revolta mas vamos esquecer isso pelo menos por agora. Neste momento a Lili vai precisar do nosso apoio. Vamos deixar de lado todas as diferenças que houverem para não aumentar ainda mais a dôr que a Lili vai sentir quando cair na realidade! Pediu Karina

– Tens toda a razão querida. Respondeu António

O tempo foi passando e a certa altura, o médico aproximou-se de Karina e disse:

– Pronto dona Karina, já terminámos a curetagem e correu tudo como previsto. A sua amiga foi levada para o recobro onde ficara a recuperar do efeito da anestesia, mas pode receber a visita de duas pessoas.

– Posso vê-la doutor? A Liliana é minha filha! Disse Maria visivelmente preocupada

– Claro minha senhora, venha comigo! A sua filha ainda está sob o efeito da anestezia por isso é normal que ela ainda esteja meio zonza. Disse o médico

– Eu compreendo doutor. Respondeu Maria olhando o médico olhos mos olhos

Ao chegarem ao quarto onde Liliana estava, Maria viu a filha ainda meio adormecida, e apercebendo-se da presença de alguém no quarto, Liliana perguntou:

– Mamã, és tu?

– Sim meu amor, sou eu! A mamã está aqui querida. Respondeu Maria acariciando o rosto da filha

Ao ouvir as palavras da mãe, Liliana desabou num pranto descontrolado e enquanto as lágrimas lhe caiam do rosto desabafou chorando:

– Ele bateu-me tanto mamã! Nunca tive tanto medo de um homem como hoje tive do Sérgio! Ah minha mãe, estou cansada de tanto sofrer.

– Pronto meu amor, não chores! Eu e o papá estamos aqui para te ajudar e depois tu não estás sozinha, tens a Ká e a Carla que estão do teu lado nos momentos bons e maus e depois tens a Iara que te adora. Respondeu Maria

– E eu amo a minha filha com todas as minhas forças. Ah minha mãe, a Iara foi a melhor coisa que me aconteceu. Ela é a minha alma, mãezinha a Ka ainda está lá fora no corredor, não está? Perguntou Liliana de lágrimas nos olhos

– Sim meu amor, queres que a chame? Perguntou Maria

– Sim mamã, eu preciso muito de falar com ela! Respondeu Liliana com um brilho triste no olhar

– Está bem meu amor, eu chamo-a. Disse Maria acariciando o rosto da filha

Ao ouvir as palavras da mãe, Liliana esboçou um sorriso triste e olhando-a olhos nos olhos disse:

– Obrigada mamã!

Ao ouvir as palavras da filha, Maria beijou-a carinhosamente e afagando-lhe o rosto respondeu:

– De nada meu amor, não quero que me agradeças! Sou tua mãe, é meu dever ajudar-te em tudo o que tu precisares e depois tudo o que eu faço, fiz e ainda farei por ti é feito com amor e com muito amor pequenina!

“Hum que beijinhos tão bons minha mãe! Obrigada por estares aqui comigo! Contigo ao meu lado sinto-me mais segura e tenho a certeza que vai correr tudo bem!” Pensou Liliana enquanto as lágrimas lhe caiam do rosto

– Não chores meu amor! Então não fiques assim! Pediu Maria limpando as lágrimas do rosto da filha

Ao regressar ao corredor, onde a amiga da filha estava, Maria aproximou-se e disse:

– Karina, a minha filha chamou-te!

– Está bem “Ti Maria”, eu vou lá já. Respondeu Karina

Ao chegar ao quarto onde a amiga estava, karina ouviu-a chorar e ficou por momentos parada á porta do quarto em silêncio e sentindo a presença da amiga Liliana pediu:

– Entra Ká! Eu sei que estás ai “mana”!

– Pois, já me conheces bem demais para saberes quando eu estou por perto. Então como é que te sentes querida? Perguntou Karina

– Meio zonsa e com uma sensação de perda inexplicavel “mana”! Respondeu Liliana num tom triste

Ao ouvir aquilo Karina engoliu em seco e olhando-a olhos nos olhos disse:

– Pois é normal.

Ao ouvir as palavras da amiga, Liliana percebeu logo o que acontecera e enquanto uma lágrima lhe caia do rosto perguntou:

– Eu perdi o meu bebé, não foi?

Ao ouvir a pergunta da amiga, Karina engoliu em seco e olhando a amiga olhos nos olhos e num tom calmo e carinhoso respondeu:

- Sim "mana", infelizmente sim querida! Oh fofinha, perdoa-me por ter que ser eu a dar-te esta noticia horrivel!

- Nãããooooooooooooooo! O meu bebé não, não pode ser verdade! Desabafou Liliana chorando desesperadamente

- Pronto "mana" chora á vontade querida! Respondeu karina abraçando a amiga

- Pronto "mana", chora! Chora á vontade querida! Respondeu Karina abraçando a amiga

- Porquê "mana"? Porque é que eu tinha que perder aquilo que eu mais queria? Eu já amava tanto aquele bebé. Ele é um filho tão desejado. Desabafou Liliana chorando

Ao ouvir as palavras da amiga, Karina limpou-lhe as lágrimas do rosto e tentando consolar a dor que Liliana estava a sentir disse:

- Pronto querida, vai ficar tudo bem. Não chores!

Ao ouvir as palavras da amiga, Liliana baixou o rosto e acariciando o proprio ventre respondeu:

- Não "mana", nao vai. Eu já não tenho o meu bebé a crescer aqui dentro de mim e isto doi tanto! O Sérgio fez-me perder aquilo que eu mais queria e o que mais me doi é que ele ainda nen se dignou em ligar ou em aparecer para ver como é que eu estou. Quando ele é o único responsavel por isto ter acomtecido.

- Oh fofinha, tem calma! Ele vai acabar por aparecer,vais vêr. Disse Karina limpando as lágrimas do rosto da amiga

Ao ouvir as palavras da amiga, Liliana respirou fundo e olhando a amiga olhos nos olhos respondeu chorando:

- Oh "mana", quem me dera conseguir acreditar nisso! Oh querida, obrigada por tudo o que tens feito por mim, tu tens,sido um amor comigo!

- Não tens que agradecer miuda! Nós somos amigas e os amigos servem para estas coisas e eu estou aqui para tudo o que precisares.

- Tudo o que eu mais precisava agora,era ter o homem que amo aqui comigo para juntos chorar-mos a perda do nosso bebé mas duvido que ele apareça. Respondeu Liliana chorando no ombro da amiga

Ao ouvir as palavras da amiga, Karina limpou-lhe as lágrimas do rosto e carinhosamente disse:

- Pronto "mana", tem calma! Chora á vontade!

Ao ouvir aquilo, Liliana olhou a amiga olhos nos olhos e chorando pediu:

- Chama a minha mãe, "mana"! Estou a precisar de colo de mãe!

- Claro querida, eu vou já chamá-la. Respondeu Karina acariciando o rosto da amiga

- Obrigada linda,és um amor! Disse Liliana enquanto uma lágrima lhe caia do rosto

Ao chegar ao corredor, Karina aproximou-se da mãe da amiga e disse:

- "Ti Maria", a Lili chamou-a!

- Está bem querida, eu vou já lá! Obrigada. Respondeu Maria dirigindo-se ao quarto onde a filha estava

Ao chegar ao quarto onde a filha estava, Maria ouviu-a chorar e batendo a porta perguntou:

- Posso entrar meu amor?

- Claro mamã! Abraça-me, preciso tanto de ti!

Ao ouvir as palavras da filha, Maria aconchegou-a nos seus braços e ao vêr que a filha precisava de chorar beijou-a e disse:

- Pronto meu amor, já passou! Chora á vontade , a mamã está aqui!...

Ao ouvir as palavras da mãe, Liliana aninhou-se nos seus braços e chorando como uma criança que perdeu o seu brinquedo favorito respondeu:

- Ah minha mãe, isto doi tanto! Eu já amava tanto aquele filho! Eu já desejava tanto aquele bebé!...

- Pronto meu amor, tem calma! Já passou, agora está tudo bem. Eu e o papá estamos aqui para te ajudar! Oh meu amor, não chores! Pediu Maria limpando carinhosamente o rosto da filha

Ao ouvir as palavras da mãe, Liliana desabou num pranto descontrolado e sentindo-se completamente vazia perguntou:

- Porquê mamã? Porque é que eu tinha que perder o meu bebé? Porque é que Deus mo levou? Será que eu não tenho o direito de ser feliz?

Ao ouvir as palavras da filha, Maria sentiu um aperto no peito e emocionada pediu:

- Oh meu amor, claro que tens o direito de ser feliz meu amor! Pronto tem calma! Não fiques assim!

- Fica aqui comigo mamã! Sinto-me tão sozinha! Respondeu Liliana chorando

- Claro meu amor, tem calma! A mamã está aqui contigo! Já passou, agora está tudo bem. Disse Maria embalando a filha nos seus braços

O tempo foi passando e cansada de tanto sofrimento, Liliana acabou por adormecer nos braços da mãe no meio de um pranto descontrolado vencida pela dor, e saindo de mansinho do quarto onde a filha estava, Maria regressou ao corredor e ao vêr a mãe da amiga, Karina perguntou:

- Então "ti Maria"! Como é que a Lili está?

- Triste, está tão triste que acabou por adormecer nos meus braços no meio de um pranto descontrolado. Respondeu Maria

- Eu imagino " ti Maria" eu vi bem o estado em que a Lili estava quando cheguei lá a casa depois dela me ter ligado e só eu sei o tamanho do desespero que vi naquele olhar e sinceramente acho que a Lili não merecia passar por nada disto...

- Não merecia mesmo querida, a minha filha não merecia tanto sofrimento. Respondeu Maria

- Bem "ti Maria", vou ligar á Carla e pedir-lhe que traga a Iara. Agora mais do que nunca a Lili vai precisar do carinho da filha, além disso acho que a Lili vai adorar receber o abraço forte e carinhoso da filha. Disse Karina

- Obrigada querida! Respondeu Maria

Ao ouvir aquilo, Karina pegou no telemovel e ligando á cunhada da amiga disse:

- Estou Carla, é a Ká!

- Sim querida, diz! Como é que estão as coisas por ai? Como é que a Lili está? Há novidades?

- Sim Carla há novidades mas infelizmente não são nada boas. Infelizmente a Lili perdeu o bebé. Respondeu Karina

- Oh não, pobre Lili! Como é que ela está? Perguntou Carla

- Mal, está destroçada e a precisar de todo o carinho do mundo, por isso eu estava a pensar se podias passar por cá e trazer a Iara. Agora mais do que nunca a Lili vai precisar do carinho da filha para sentir que não está sozinha. Respondeu Karina

- Claro que sim querida! Nós vamos já para ai. Disse Carla

Depois de ter falado com a cunhada da amiga, Karina aproximou-se da mãe da amiga e ao ver os pais da amiga tristes disse:

- Então " ti Maria"," ti António" o que é isso? Agora temos que ser fortes, agora mais do que nunca a Lili vai precisar do nosso carinho e do nosso apoio.

- Nós sabemos querida, mas custa-nos tanto ver a nossa filha naquela tristeza tão grande. Respondeu Maria num tom triste

Depois de ter falado com a mãe da amiga, Karina dirigiu-se ao quarto onde a amiga estava e ao ouvi-la chorar entrou de mansinho e disse:

- Então Lili o que é isso? Não quero ver-te assim!

- Ah mana isto doi tanto! O Sérgio destruiu todos os meus sonhos! Sinto-me vazia "morta" por dentro..Respondeu Liliana chorando

- Eu imagino querida, mas tens que ser forte ! Vá lá, não chores! Daqui a pouco vais receber a visita de alguém muito especial que te adora, que esta ansiosa para te ver e quer muito dar-te um beijinho. Disse Karina olhando a amiga olhos nos olhos

Ao ouvir as palavras da amiga, Liliana baixou o rosto e chorando perguntou:

- Quem "mana"? Não sei se tenho forças para receber visitas agora

- Eu sei "mana", mas esta tenho a certeza que vais querer receber. A Iara vem ai e está ansiosa para te dar um abraço e enxer-te de beijinhos e miminhos. Disse Karina

Ao ouvir as palavras da amiga, Liliana sentiu as lágrimas cairem-lhe do rosto e chorando perguntou:

- A minha "pipoca" vem ai "mana"?

Ao ouvir as palavras da amiga, Karina limpou-lhe as lágrimas do rosto e carinhosamente respondeu:

- Vem "mana"! A Iara vem ai para te abraçar querida!

- Ah" mana" ,isto doi tanto! Preciso tanto de sentir o calor do corpinho quente da minha "pipoca" para me sentir segura. Ah "mana", Deus queira que a minha filhota ainda não saiba que perdemos o irmãozinho dela. Desabafou Liliana chorando

Ao ouvir aquilo, Karina abraçou a amiga e carinhosamente disse:

- Pronto querida, não chores! Eu imagino que não esteja a ser nada facil para ti!

Ao ouvir as palavras da amiga,Liliana olhou-a olhos nos olhos e enquanto uma lágrima lhe caia do rosto perguntou:

- Fazes-me um favor "mana"?

- Claro que sim linda, diz! Respondeu Karina limpando o rosto da amiga

- Dá para me deixares um pouco sozinha "mana"preciso de me refazer antes da minha princesa chegar! Disse Liliana chorando

- Claro que sim fofinha, se precisares de alguma coisa estou lá fora. Respondeu Karina

- Obrigada querida! Desabafou Liliana fazendo um esforço enorme para não chorar a frente da amiga

O tempo foi passando e já sozinha, Liliana desabou num pranto descontrolado e acariciando o proprio ventre sentiu-se completamente vazia e chorando pensou:

" Porquê meu Deus? Que mal é que eu fiz para merecer tanto sofrimento?"

O tempo foi passando e a certa altura, Carla e a sobrinha chegaram ao hospital e ao vêr a amiga da cunhada, Carla perguntou:

- Então Ká! Como é que está a Lili?

- A Lili está triste...magoada...arrasada. A Lili está desfeita por dentro e a precisar de todo o carinho do mundo, principalmente do carinho da filha. Respondeu Karina olhando a cunhada da amiga olhos nos olhos

- Eu imagino querida. Disse Carla

Nesse preciso momento, a pequena Iara aproximou-se da amiga da mãe e da tia e olhando para ambas perguntou:

- "Tia Ka", onde é que a minha mãe está?

- Está ali no quarto fofinha, e está ansiosa para te vêr e abraçar. Queres vir dar-lhe um abraço e um beijinho? Respondeu Karina

- Claro que sim "tia Ká". Disse a menina

- Então anda, vamos ter com a tua mamã. Respondeu Karina pegando na mão da menina

Ao dirigir-se com a menina ao quarto onde a amiga estava, Karina ouviu-a chorar e olhando a menina nos seus olhitos pediu:

- Iara espera aqui só um mais um pouquinho está bem?!

- Sim "tia Ká". Disse a menina

Ao entrar no quarto onde a amiga estava, Karina viu-a chorar e abraçando a amiga Karina disse:

- Então "mana", o que é isso? Tens que ser forte!

Ao ouvir as palavras da amiga, Liliana baixou o rosto e chorando respondeu:

- Não consigo "mana"! Quem me dera ter a minha filhota aqui comigo! Preciso tanto do seu abraço forte e do seu beijinho carinhoso para apaziguar o meu coração que não para de sangrar.

- Bem eu acho que isso se pode resolver"mana". Entra Iara, já podes vir dar um abraço apertado á tua mãe. Disse Karina chamando a filha da amiga

Ao vêr a filha entrar no quarto, Liliana sentiu uma tremenda vontade de chorar, e vendo o sorriso lindo da sua menina Liliana pediu em pensamento:

" Por favor meu Deus, dá-me forças para não começar a chorar á frente da minha "pipoca"!"

- Olá mamã! Como é que estás? Ainda doi muito? Perguntou a menina

Ao ouvir a pergunta da filha, Liliana olhou-a olhos nos olhos e esboçando um sorriso triste respondeu:

- Não meu amor, não te preocupes! Já não doi nada, a mamã já está bem. Contigo ao meu lado, já nada me doi!

- Posso dar-te um abraço e um beijinho mamã? Perguntou a menina sorrindo

Ao ouvir a pergunta da filha, Liliana sentiu uma tremenda vontade de chorar e procurando força no sorriso carinhoso da filha e no olhar terno da amiga Liliana respondeu:

- Oh meu amor, é claro que podes! Aliás tudo o que eu mais preciso agora é do teu abraço e dos teus beijinhos. Anda cá, ",pipoca" da mamã! Preciso tanto de ti, meu amor!

Ao ouvir as palavras da mãe e com a ajuda da amiga da mãe, Iara aninhou-se nos braços da mãe e sorrindo disse:

- Adoro-te mamã!

Ao ouvir as palavras da filha, Liliana sentiu as lágrimas cairem-lhe do rosto e olhando a sua menina olhos nos olhos respondeu:

- E eu a ti meu amor! Amo-te muito, muito mesmo meu anjo!

Ao ouvir as palavras da mãe, Iara viu no seu olhar o tamanho da tristeza que a mãe sentia e carinhosamente pediu:

- Não fiques assim mamã! Eu estou aqui...

- Eu sei meu amor, mas isto dói tanto! Mas não quero que te preocupes comigo princesa! Isto passa meu amor! Respondeu Liliana acariciando o rosta filha

Nesse preciso momento, Maria e António entraram no quarto onde a filha estava e ao verem-na quase a chorar , António olhou para a neta e perguntou:

- Iara queres vir ao café com o avô?

Ao ouvir as palavras do avô, a pequena Iara olhou para a mãe e para o avô e respondeu:

- Desculpa avozinho, mas não posso! A minha mamã precisa de mim aqui.

Ao ouvir as palavras da filha, Liliana comoveu-se com a preocupação da sua menina e acariciando-lhe o rosto disse:

- Oh meu amor, podes ir á vontade com o avô! A mamã fica bem princesa!

- A sério mamã? Perguntou Iara olhando a mãe olhos nos olhos com um ar desconfiado

- Sim meu amor, eu fico bem e depois a avó Maria está aqui comigo! Vai descansada doçura!

- Então está bem mamã! Eu vou mas eu prometo que não demoro nada. Disse a menina beijando a mãe

Ao sentir o beijo carinhoso, Liliana viu o quão amava a sua menina e esboçando um sorriso triste pensou:

" Obrigada meu Deus,obrigada por me teres enviado este anjo lindo como filha!"

- Está bem meu amor! Amo-te muito mas mesmo muito princesa da mamã!

Ao ver a filha afastar-se, Liliana sentiu as lágrimas cairem-lhe do rosto e visivelmente emocionada pediu em pensamento:

" Oh meu Deus faz com que a minha "pipoca" seja bem mais feliz do que eu. Por favor da-lhe um destino bem melhor que o meu!"

Ao vêr a filha quase a chorar, António aproximou-se da filha e dando-lhe um beijo carinhoso e segredando-lhe ao ouvido disse:

- Leva o tempo que precisares para te refazeres filhota! O papá está aqui para te ajudar!

Ao ouvir as palavras do pai, Liliana esboçou um sorriso triste e visivelmente emocionada respondeu:

- Obrigada papá, eu não queria nada que a tua neta me visse chorar mas para te ser sincera preciso mesmo de chorar.

- Eu sei filhota, eu sei! Dá para ver isso no teu olhar . Disse António ao vêr a tristeza estampada no rosto da filha

Ao vêr a neta e o marido, afastarem-se, Maria olhou-a olhos nos olhos e acariciando-lhe o rosto disse:

- Parabéns meu amor, tens uma filha linda!

- Obrigada minha mãe, a Iara é a "coisa" mais linda que eu tenho na vida. Ela é a minha alma. Foi a melhor coisa que me aconteceu na vida. É a tua neta quem me dá forças para continuar a lutar para tentar salvar o meu casamento. Respondeu Liliana tentando controlar as suas emoções a frente da mãe

Ao ver que a filha estava a fazer um esforço para não chorar á sua frente, Maria abraçou-a e carinhosamente segredou-lhe ao ouvido:

- Não precisas de te fazer de forte á minha frente sou tua mãe, no meu colo podes chorar á vontade. Eu prometo que não te faço perguntas desnecessárias.

Ao ouvir as palavras da mãe, Liliana desabou num pranto descontrolado e chorando desabafou:

- Ah minha mãe, eu já amava tanto aquele bebé! Eu queria tanto ter aquele filho...

- Pronto meu amor, não chores! A mamã está aqui para tudo o que precisares. Não chores querida, lembra-te que não estás sozinha. Tems a Carla e a Ka do teu lado e depois tens uma filha linda que te adora. Disse Maria embalando a filha nos seus braços.

- A Iara é a minha alma minha mãe. Foi a melhor coisa que me podia ter acontecido e é ela que me da forças para continuar a lutar para tentar salvar o que resta do meu casamento...Eu amo a tua neta com todas as minhas forças minha mãe. Respondeu Liliana chorando

O tempo foi passando e tal como Karina havia previsto Sérgio apareceu no hospital e ao ver os sogros perguntou:

- Olá "ti Maria", "ti António"! Como é que está a Lili?

Ao ouvir a pergunta do genro, António perdeu as estribeiras e agarrando o genro o genro pelos colarinhos e furioso respondeu:

- Ainda tens a coragem de perguntar como é que a minha filha está qusndo é por tua causa que ela está neste estado meu "sacana de merda"? Será que não tens vergonha na cara meu palhaço?!

- Tem toda a razão "ti António" mas estou aqui para tentar remediar o meu erro e reconquistar o coração da mulher que amo. Disse Sérgio olhando para o sogro olhos nos olhos

Ao ver que o clima entre ambos estava a ficar tenso, Karina aproximou-se e disse:

- Então meus senhores vamos deixar de lado todas diferenças que houverem. O mais importante agora é o bem estar da lili. Lembrem-se que agora mais do que nunca a Lili vai precisar de todo o nosso apoio.

Ao ouvir as palavras da amiga da mulher, Sérgio olhou-a olhos nos olhos e perguntou:

- Então Ka! Como é que a Lili está?

Ao ouvir as palavras do marido da amiga, Karina perdeu a cabeça e dando dois pares de estalos em Sérgio respondeu:

- Ainda perguntas Sérgio? Como é que achas que a tua mulher está? De rastos não achas? Por tua causa ela perdeu um filho...Não achas que é motivo mais que suficiente para ela estar arrazada? Perguntou Karina revoltada

Ao ouvir as palavras da amiga da mulher, Sérgio baixou o rosto e respondeu:

- Tens razão querida mas estou aqui arrependido e disposto a tudo para ter o perdão da mulher que amo. Achas que ela aceita receber-me? Respondeu Sérgio visivelmente arrependido

- Não sei Sergio,ela está super magoada contigo mas tenta... Disse Karina

- Fala com ela Ká, tenho medo que ela me expulse do quarto a pontapé. Respondeu Sérgio

- Achas Sérgio. A Lili Ama-te demais e apesar de se sentir magoada é incapaz de te expulsar lá do quarro. Disse Karina

- Não sei Ká, tenho medo. Fala com ela, diz-lhe que a amo e que estou super arrependido! Pediu Sérgio num tom arrependido

- Ok Sérgio vou tentar mas não prometo nada. Disse Karina

Dirigindo-se ao quarto onde a amiga estava, Karina ouviu-a chorar e entrando de mansinho no quarto disse:

- Então Lili, o que é isso? Va la tens que reagir, não quero ver-te assim!

- Não consigo mana, o Sérgio magoou-me tanto! Por causa dele perdi aquilo que mais queria. O meu bebe.

- Eu sei querida. Olha fofinha, o Sérgio está la fora e quer falar contigo para te pedir desculpa... Disse Karina

- Não quero vê-lo, ele destruiu todos os meus sonhos. O Sérgio magoou-me tanto e eu não sei se consigo perdoá-lo... Desabafou Liliana chorando no ombro da amiga

- Eu entendo querida, mas eu estive a falar com ele e o Sérgio pareceu-me arrependido. Ouve o que ele tem para dizer. Disse Karina olhando a amiga olhos nos olhos

- Não consigo querida, isto doi tanto.Ele magoou-me tanto. Respondeu Liliana enquanto as lágrimas lhe caiam do rosto

- Eu calculo querida, mas ouve o que ele tem para dizer. Faz isso nem que seja pela Iara. Ela merece ser feliz e precisa de vocês dois juntos...Disse Karina

Ao ouvir as palavras da amiga, Liliana viu que Karina tinha razão e respirando fundo respondeu:

- Está bem querida, tens razão se há alguém que merece ser feliz é a minha filhota e por ela temos que estar unidos....Podes mandar o Sérgio entrar.

- Está bem querida, eu vou chamá-lo...Disse Karina

Ao sair do quarto depois de ter falado com a amiga, Karina aproximou-se de Sérgio e disse:

- Vai lá Sérgio, a tua mulher aceitou receber-te...

Ao ouvir as palavras da amiga, Sérgio dirigiu-se ao quarto onde a mulher estava e entrando perguntou de cabeça baixa:

- Então amor, como é que estás? Estava tão preocupado...

Ao ouvir as palavras do marido, Liliana baixou o rosto e tentando não chorar respondeu:

- Como é que achas que eu estou Sergio? Estou triste, por tua causa perdemos um filho que já desejava e amava da mesma forma que amo a Iara.

- Eu sei querida, perdoa-me! Eu não sabia que estavas grávida! Disse Sérgio olhando a mulher olhos nos olhos

Ao ouvir as palavras do marido, Liliana olhou-o olhos nos olhos e num tom magoado disse:

- Mas eu disse-te que estava gravida quando a chorar te gritei implorei para parares de me bater mas mesmo assim não valeu de nada porque tu estavas tão cego de raiva que mem sequer me deste ouvidos...e á custa da inconsciencia dos teus actos perdemos um filho que eu já desejava e amava tanto quanto amo a nossa filha...

Ao ouvir as palavras da mulher, Sérgio baixou o rosto e disse:

- Eu sei amor desculpa...eu sei que fui um parvo, um brutamontes mas estou super arrependido. Perdoa-me!

- Não consigo Sérgio, desculpa! Mas a tua atitude magoou-me muito e por mais que eu te ame, não consigo perdoar-te... Respondeu Liliana chorando

Ao ouvir as palavras da mulher, Sérgio olhou-a olhos nos olhos e disse:

- Tudo bem Lili, eu respeito a tua decisão. Estás magoada comigo e eu compreendo a tua atitude... Bem vou andando, a nossa filha não pode ficar sozinha...

Ao vêr o homem que ama sair do quarto, Liliana respirou fundo e num tom triste pediu:

- Espera Sérgio! Não vaz ainda...

- Diz Lili precisas de alguma coisa? Perguntou Sérgio olhando a mulher olhos nos olhos

-Sim Sérgio! Preciso de ti... não te vaz embora! Eu preciso do teu carinho e do teu abraço. Respondeu Liliana chorando

Ao ouvir as palavras da mulher, Sérgio abraçou-a e carinhosamente disse:

- Pronto meu amor, não chores! Eu e a menina estamos aqui e vamos ajudar-te a superar essa dor...

Ao ouvir as palavras do marido, Liliana olhou-a olhos nos olhos e respondeu chorando:

- Eu preciso tanto de vocês dois ao meu lado amor. Por favor, Sérgio vamos tentar mudar as coisas na nossa relação...Só assim é que vamos poder salvar o nosso casamento nem que seja só pela nossa filha.

Ao ouvir as palavras da mulher, Sérgio olhou-a olhos nos olhos e abraçando-a pediu:

- Pronto meu amor, não chores! Eu e a nossa filha estamos aqui... e as coisas vão melhorar e eu prometo que qusndo as coisas estiverem mais calmas, nós havemos de ter o nosso menino e ele terá o nome do pai prometo...

Ao ouvir as palavras do homem que ama, Liliana olhou-o olhos nos olhos e disse:

- Eu não preciso de promessas Sérgio! Preciso de um homem que me ame por inteiro e que esteja incondicionalmente ao meu lado nos bons e maus momentos. Só assim é que a nossa história vai resultar.

Ao ouvir as palavras da mulher, Sérgio baixou o rosto e num tom triste respondeu;

- Eu sei. ..tens toda a razão, ultimamente eu não tenho sido o homem por quem um dia tu te apaixonaste e só agora é que eu vi o parvalhão que tenho sido...será que ainda vou a tempo de salvar o amor que há entre nós? Perguntou Sérgio olhando a mulher que ama olhos nos olhos

Ao ouvir as palavras do homem que ama, Liliana olhou-o olhos nos olhos e enquanto uma lagrima lhe caia do rosto respondeu:

Sim vais basta voltares a ser o homem que eu amo..Basta trazeres o meu Sérgio de volta. As vezes és tão frio comigo que me pergunto a mim mesma onde anda o rapaz carinhoso por quem me apaixonei...

Ao ouvir as palavras da mulher, Sérgio abraçou-a e dando-lhe um beijo apaixonado respondeu:

- O teu Sérgio está aqui princesa... Eu amo-te...

Ao ouvir as palavras do marido, Liliana aninhou-se nos braços do homem que ama e rendendo-se a paixão Liliana beijou o marido e enquanto uma lágrima lhe caia do rosto desabafou:

- Abraça-me meu amor, preciso tanto de ti Sérgio! Isto doi tanto... eu queria tanto aquele filho....

Ao ouvir as palavras da mulher, Sérgio beijou-a e abraçando a mulher que o ama com carinho disse:

- Pronto meu amor, não chores! Eu e a menina estamos aqui.

- Por favor Sérgio vamos tentar dar uma chance ao nosso casamento nem que seja pela nossa filha e depois agora mais do que nunca eu preciso de vocês dois ao meu lado...Respondeu Liliana enquanto as lagrimas lhe caiam do rosto.

O tempo foi passando e a certa altura uma enfermeira entrou no quarto e ao ver Liliana e o marido num clima romantico disse:

- Liliana querida, lamento interromper o vosso clima romantico mas o horario das visitas acabou.

- Está bem senhora enfermeira, eu e o meu marido só nos estamos a despedir. São apenas dois minutos....Respondeu Liliana esboçando um sorriso triste

- Está bem querida, deixo-vos a sós. Disse a enfermeira saindo do quarto

Depois da enfermeira ter saido do quarto, Liliana beijou o marido e sorrindo pediu:

- Amor diz á nossa filha que eu já estou bem e que a amo muito....

- Está bem meu amor, eu digo mas prepara-te porque a nossa filha vai querer ligar-te para te dar um beijinho de boa noite. Respondeu Sérgio beijando a mulher

- Se a nossa pipoca quiser ligar para me dar um beijo de boa noite deixa-a ligar... Eu vou adorar receber o beijo carinhoso da nossa filha...Disse Liliana fazendo um enorme esforço para não chorar á frente do marido

Ao ouvir as palavas da mulher, Sérgio beijou-a olhos nos olhos e disse:

- Amo-te princesa....

Ao ouvir as palavras do marido e ao sentir o beijo carinhoso do homem que ama, Liliana deixou a dôr que sentia falar mais alto pediu:

- E eu a ti meu amor, vamos tentar salvar o nosso casamento em memória do anjo que perdêmos e pela nossa filha...mesmo que já não haja amor entre nós, vamos fazer um esforço...Será que ainda há amor entre nós? Ás vezes sinto que não....

Ao ouvir as palavras da mulher, Sérgio beijou-a e disse:

- É claro que há amor Lili, eu ainda te amo muito e prometo que ainda vamos ser muito feliz, eu ,tu, a nossa filha e os filhos que ainda haveremos de ter....

- Tudo o que eu mais quero é que as coisas entre nós voltem a ser como eram. Quero o homem que amo de volta... Respondeu Liliana olhando o marido olhos nos olhos

Ao ouvir as palavras da mulher, Sérgio beijou-a e carinhosamente disse:

- Eu estou aqui querida, vai correr tudo bem prometo...

O tempo foi passando, depois do marido ter ido para casa, Liliana sentiu o peso da solidão e da dôr invadirem-lhe a alma e desabando num pranto descontrolado perguntou em pensamento:

" Oh meu Deus porque é que tudo tinha que acabar assim? Eu queria tanto ter aquele filho!"

Nesse preciso momento o telemovel de Liliana tocou e ao ver que era de casa, Liliana esboçou um sorriso triste e atendendo o telefone perguntou:

- Estou! Quem fala?

- Olá mamã! Sou eu: a Iara estou a ligar para saber cpmo estás...Disse a pequena Iara

Ao ouvir as palavras da filha, Liliana sentiu uma tremenda vontade de chorar e tentando acalmar-se respondeu:

- Oh "pipoquinha" da mãe! Eu sei que és tu amor, sim já estou melhor.

- A serio mamã? Já não te doi? Perguntou a menina num tom carinhoso do outro lado da linha

Ao ouvir a pergunta da filha, Liliana sentiu uma tremenda vontade de chorar e emocionada respondeu:

- Não meu amor já não me doi nada... olha bebé nunca te esqueças que te amo muito "pipoca". O papá está ai?

- Sim mamã, ele está a acabar de tirar a mesa do nosso jantar e eu papei tudinho. Disse Iara

- Linda menina, bem vai para a caminha e passa ao papá. Dorme bem meu amor, amo-te muito "pipoca" da mãe. Respondeu Liliana

- Está bem mamã, eu também te amo muito. Disse a pequena Iara

Ao pegar no telefone Sérgio olhou a filha olhos nos olhos e carinhosamente perguntou:

- Ola meu amor! Como é que estás?

- Com saudades vossas, agora mais do que nunca eu vou precisar de vocês dois ao meu lado. Respondeu Liliana começando a chorar

Ao ouvir as palavras da mulher, Sérgio respirou fundo e carinhosamente pediu:

- Então meu amor, o que é isso? Vá lá não fiques assim...Tens que ser forte, eu e a nossa filha estamos do teu lado para te ajudar a superar essa dor.

- Eu sei meu amor, tu e s nossa menina são tudo o que eu tenho e eu amo-vos tanto mas tanto Sergio! Respondeu Liliana chorando

- Eu sei meu amor, vá lá não chores! Pediu Sérgio

- Isto é tão dificil amor. Desabafou Liliana chorando

O tempo foi passando e sentindo-se completamente vazia Liliana sentiu o peso da solidão invadir-lhe a alma e acariciando o próprio ventre pensou chorando:

" Oh meu Deus, porque é que tudo é tão dificil? Será que eu não tenho o direito de ser feliz?

Nesse preciso momento, uma enfermeiira que passava a porta do quarto onde Liliana estava, ouviu-a chorar e entrando perguntou:

- Então Liliana, estás bem? Doi-te alguma coisa?

- Sim senhora enfermeira, doi mas não não é uma dôr fisica... eu acabei de perder um filho e isto doi imenso... Respondeu Liliana enquanto as lágrimas lhe caiam do rosto

- Eu sei o que isso doi Liliana. Disse a enfermeira limpando-lhe as lágrimas do rosto

- Pois deve ver milhares de casos como o meu todos os dias aqui no hospital. Respondeu Liliana chorando

Ao ouvir as palavras de Liliana, a enfermeira olhou-a olhos nos olhos e disse:

- Vejo sim mas não é por isso que compreendo a dor que estás a sentir... eu também já perdi um filho e sei o que isso doi..Não há palavras para descrever a dor que é...

- Não há mesmo senhora enfermeira... é uma dor cortante. É como se me tivessem arrancado um pedaço de mim.Respondeu Liliana enquanto uma lágrima lhe caia do seu rosto

- Eu entendo querida, era o teu primeiro filho? Perguntou a enfermeira

- Não senhora enfermeira, eu já tenho uma filhota linda que é a melhor "coisa" que me aconteceu. A minha filha é o meu maior tesouro. Veja! Respondeu Liliana mostrando a fotografia da filha que traz sempre consigo na carteira

- Parabéns querida, tens uma filha linda. Disse a enfermeira

O tempo foi passando e na manha seguinte depois de ter sido novamente examinada e uma vez que se encontrava bem, o médico decidiu dar-lhe alta e depois de se ter preparado, Liliana decidiu esperar pelo homem que amava para regressar a casa e a certa altura, o telemovel de Liliana tocou e ao ver o numero do marido perguntou:

- Bom dia amor! Como é que tu e a nossa "pipoca" estão?

- Estamos bem, e tu? Perguntou Sérgio do outro lado da linha

Ao ouvir as palavras do homem que ama, Liliana respirou fundo e tentando não chorar respondeu:

- Triste muito triste e com muitas saudades vossas tu e a nossa filha sao tudo para mim.Amo-vos tanto meu amor....

- E nós a ti querida, já sabes quando vens para casa? Perguntou Sérgio

- Sim já recebi alta, ja arrumei as minhas coisas. Agora só estou á espera dos meus amores para ir para casa. Respondeu Liliana

Ao ouvir as palavras da mulher, Sérgio sorriu e disse :

- Não seja por isso vou só dar o pequeno almoço á nossa filha e vamos já para ai.

Ao ouvir as palavras do homem que ama, Liliana respirou fundo e sorrindo disse:

- Está bem amor, diz a nossa filhota que a amo muito...

Nesse preciso momento, Liliana ouviu a filha mandar-,lhe um beijo e sorrindo pediu:

- Amor, passa o telefone á nossa filhota!

Ao ouvir as palavras da mulher, Sérgio sorriu e disse:

- É para já meu amor!

Ao ouvir as palavras da mulher sorriu e passou o telefone á filha e sorrindo, a pequena Iara sorriu e perguntou:

- Olá mamã! Como estás? Ainda doi muito?

Ao ouvir a voz doce e carinhosa da filha, Liliana sentiu uma tremenda vontade de chorar e visivelmente emocionada respondeu:

- Estou melhor meu anjo e já não doi nada. Agora só preciso do teu carinho e do carinho do papá...

Ao ouvir as palavras da mãe, a pequena Iara disse

- Isso tu vais ter sempre mama, eu e o papa amamos-te muito...

Ao ouvir as palavras da filha, Liliana respirou fundo e respondeu:

- Eu sei meu amor, eu também vos amo muito!

O tempo foi passando e ao chegarem ao hospital, Liliana sorriu e ao ver a filha pediu:

- Olá amor da mamã... dá-me um abraçp dos teus daz?

- Claro mamã... Disse a menina abraçando a mãe

Ao ouvir as palavras da filha e sentindo duas lágrimas cairem-lhe do rosto e desabafou:

- Hum que abraço tão bom "pipoca"! Preciso tanto de ti meu amor!

Ao ouvir as palavras da mãe, a pequena Iara apercebeu-se que a mãe estava triste e dando-lhe um beijo carinhoso disse:

- Não fiques triste mamã, eu estou aqui... O meu mano esteja onde estiver não vai gostar de te ver triste.

Ao ouvir as palavras da filha, Liliana apercebeu-se que a sua pequenina ja sabia o que tinha acontecido e aconchegando a filha nos seus braços perguntou:

- Tu sabes o que aconteceu "pipoca"?

- Sim mamã, o papá contou-me! E eu quero que saibas que podes contar sempre comigo...Adoro-te mamã! Respondeu Iara sorrindo

Ao ouvir as palavras da filha, Liliana aconchegou-a nos seus braços e chorando pediu:

- Oh meu amor, desculpa! Eu não queria nada que me visses assim!

Ao ouvir as palavras da mãe, a pequena Iara beijou-a e carinhosamente disse:

- Não tens que pedir desculpa mama, sou tua filha e é meu dever ajudar-te...

Ao ouvir aquilo, Liliana aconchegou a filha nos braços e chorando sussurrou-lhe ao ouvido:

- Oh meu amor, obrigada por estares aqui meu anjo! É tão bom saber que apesar do vazio que sinto no meu peito.. eu sei que não estou spzina e que tenho o amor da filha mais linda do mundo, mas queria tanto o teu mano...

- Então mamã, não fiques assim! Eu estou aqui... Respondeu Iara beijando a mãe

Ao ouvir aquilo, Liliana baixou o rosto e num tom triste desabafou:

- Eu sei meu amor mas isto doi tanto, eu não queria ter perdido o teu mano.

- Eu sei mas pensa assim... tu não perdeste o mano,de uma certa forma ele tornou-se no teu anjo da guarda e tal como eu adora-te e não gosta de te ver triste. Disse a menina acariciando carinhosamente o rosto da mãe

Ao ouvir as palavras da filha, Liliana sentiu as lágrimas cairem-lhe do rosto e aconchegando a filha nos seus braços respondeu:

- Oh meu amor, obrigada por estares aqui bebé! Sabes meu amor, é o teu amor que me dá forças para suportar esta dor. Amo-te tanto meu anjo...

Nesse preciso momento, Sérgio aproximou-se da mulher e da filha e disse:

- Iara não estejas a incomodar a mamã..Ela precisa de descansar....

Ao ouvir as palavras do marido, Liliana olhou-o olhos nos olhos e esboçando um sorriso triste respondeu:

- Amor deixa a nossa filha estar aqui...Eu descanso na mesma, ela não me incomoda...

Ao ouvir aquilo, Sérgio beijou-a carinhosamente e disse:

- Está bem meu amor...se precisares de alguma coisa estou aqui...

O tempo foi passando e a certa altura, a pequena Iara olhou a mãe olhos nos olhos e beijando-a perguntou:

- Doi muito não doi mamã?

Ao ouvir as palavras da filha, Liliana não conseguiu continuar a esconder a dor que sentia e deixando a dor que sentia falar mais alto resppndeu:

- Doi meu amor, quem me dera poder dizer que não doi mas ultimamente a vida da mamã não tem sido nada facil.

- É o papá nao é? As coisas entre vocês não andam lá muito bem pois não?Perguntou a pequena Iara

" Oh meu Deus, até tu ja te apercebeste que as coisas com o teu pai não andam bem?" Pensou Liliana enquanto uma lágrima lhe caia do rosto

Ao vêr a mãe chorar, a pequena Iara abraçou-a e carinhosamente respondeu:

- Pronto mamã, não precisas de responder. Se isso te magôa, não precisas de me dizer nada...

Ao ouvir as palavras da filha, Liliana desabou num pranto descontrolado e desabafou:

- Desculpa meu amor, eu não queria nada que me visses assim mas tenho mesmo que desabafar...

Ao ouvir as palavras da mãe, a pequena Iara sorriu e disse:

- Não tens que pedir desculpa mamã, sou tua filha e depois somos amigas e se tu não desabafares comigo, vais desabafar com quem?

Ao ouvir as palavras da filha, Liliana aconchegou a filha nos braços e respondeu:

- Para alem da avó Maria que me ouve desde miuda só contigo que eu desabafo meu amor. A avó Maria é minha mãe e esta do meu lado sempre que eu preciso mas tu és a minha vida, o meu maior tesouro e eu agradeço-te por estares sempre do meu lado...Amo-te tanto "pipoca"!

- Não tens que agradecer mama...é para isto que servem as filhas. Respondeu Iara

- E eu tenho a melhor filha do mundo. Amo-te tanto "pipoca"...Desabafou Liliana beijando a filha

Nesse preciso momento, Sérgio aproximou-se da mulher e da finha, e sorrindo perguntou:

- O que é que as minhas princesas estão a fazer? Será que me posso juntar a vocês?

Ao ouvir as palavras do pai, a pequena Iara olhou-o olhos nos olhos e disse:

- Claro papá, anda cá!

Ao sentar-se no sofá, Sérgio beijou a mulher e olhando-a filha olhos nos olhos e perguntou:

- Princesa do papá, dá para saires um pouco? O papá precisa de falar com a mamã....

- Claro papá! Namorem á vontade que eu vou brincar para o meu quarto...Respondeu Iara

Nesse preciso momento, a pequena Iara saiu do quarto deixando os pais a sós e ao ver a mulher triste perguntou:

- Será que algum dia vais conseguir perdoar pelo mal que fiz?

Nesse preciso momento, Liliana baixou o rosto e num tom triste respondeu:

- Por favor amor, eu preferia não falar mais nisso. Doi muito, sabes?

- Claro meu amor, desculpa! Eu estou aqui, e prometo que te vou apoiar em tudo...Disse Sérgio

Ao ouvir as palavras do marido, Liliana aninhou-se nos braços do homem que ama e chorando desabafou:

- Isto doi tanto Sérgio! Por favor querido, pela nossa filha e pelo anjo que acabamos de perder vamos tentar mudar os nossos comportamentos. Agora mais do que nunca eu preciso de vocês dois ao meu lado.

Ao ouvir as palavras da mulher, Sérgio abraçou-a e carinhosamente disse:

- Eu sei amor, eu sei que ultimamente não tenho sido o melhor marido do mundo mas eu prometo que as coisas entre nós vão melhorar e nós vamos ter o nosso bebé...

Ao ouvir as palavras do marido, Liliana olhou-o olhos nos olhos e pediu:

- Por favor Sérgio sem promessas... Eu quero viver o presente ao teu lado e ao lado da nossa filhota. O que acontecer no futuro aconteceu...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...