História Quero-te de volta - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias A Última Música
Personagens Personagens Originais
Exibições 0
Palavras 3.439
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Hentai
Avisos: Adultério
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 4 - A desilusão


 Três meses passaram desde que Liliana perdeu o seu bebé e desde então as coisas entre Liliana e Sérgio pioram de dia para dia pois ao contrario do que Liliana pensara a perda daquele filho em vez de os unir ainda mais, Liliana sente que isso só os afastou aumentando ainda mais o vazio em que a sua alma mergulhou desde o dia em que perdera aquele bebé que já era tão desejado, e certo dia ao ver a mãe triste, a pequena Iara aproximou-se da mãe ficando quieta e ao vêr a filha tão quieta, Liliana percebeu que a filha lhe queria perguntar algo disse: 

- Então meu amor que carinha é essa? Ao ouvir ss palavras da mãe, Iara olhou-a olhos nos olhos e respondeu: 

- Nada mamã... 

Ao ouvir as palavras da filha, Liliana olhou-a olhos nos olhos e acariciando-lhe o rosto disse: 

- Nada não Iara sou tua mãe princesa, estás a esquecer-te que eu comheço-te melhor que ninguém meu anjo...

 - A sério mamã? Perguntou a menina 

- Sim meu amor, tu és um pedacinho de mim e isso faz com que eu te conheça melhor que ninguém. Entre nós não há segredos, fala comigo bebé! Pediu Liliana olhando a filha olhos nos olhos enquanto lhe acariciava o rosto 

- Posso fazer-te uma pergunta mamã? Perguntou a menina

 - Claro meu amor, pergunta tudo o que quiseres. Respondeu Liliana acariciando o rosto da filha 

Ao ouvir as palavras da mãe, Iara olhou-a olhos nos olhos e num tom carinhoso perguntou:

 - Tens saudades do mano não tens mamã? 

Ao ouvir a pergunta da filha, Liliana olhou-a o olhos nos olhos e enquanto uma lágrima lhe caia do rosto respondeu: 

- Tenho meu amor, tenho muitas saudades do teu mano. Tal como tu ele já era um bebé muito amado pipoca... Ao ouvir as palavras da mãe, Iara abraçou-a e ao vê-la chorar pediu num tom triste: 

- Desculpa mamã, eu não te queria magoar.... 

Ao ouvir as palavras da filha Liliana aconchegou-a nos seus braços e chorando respondeu:

 - Oh meu amor, tu não me magoáste bebé! 

Ao ouvir as palavras da mãe, a pequena Iara olhou-a olhos nos olhos e disse:

 - Pois mas derrepente ficaste triste mamã.... 

Ao ouvir as palavras da filha, Liliana acariciou-lhe o rosto e num tom triste respondeu: 

- Não foste tu quem me deixou triste meu amor, eu estou triste mas é com o estado do meu casamento não contigo. Tu és a minha vida meu amor! O tempo foi passando e a relação entre Lilana e Sérgio tem-se vindo a detriorar de dia para dia, pois Sérgio está cada vez mais distante e passa cada vez mais tempo fora de casa o que gera discussões que muitas vezes acabam em cenas de violencia fisica aumentando ainda mais a solidão e o vazio em que a alma de Liliana mergulhou e certo dia ao chegar do infantário na companhia da avó, a pequena Iara viu a mãe chorar e sbraçando a mãe disse carinhosamente:

 - Então mamã, o que é isso? 

Ao ver que a filha se aproximara, Liliana enxugou rapidamente as lágrimas do próprio rosto e tentando disfarçar respondeu: 

- Nada meu amor, isto já passa...Amo-te muito mas mesmo muito "pipoca"!

 Ao ouvir as palavras da mãe, a pequena Iara abraçou-a e carimhosamente perguntou:

 - Então mamã,o que é isso? As coisas com o papá andam outra vez esquisitas não andam? 

Ao ouvir as palavras da filha, Liliana abraçou-a com todas as suas forças e chorando no seu ombro pequenino respondeu: 

- Ah meu amor,quem me dera que as coisas com o teu pai não tivessem chegado a este ponto? Gostava que tudo voltasse a ser como era antes de.... 

- Antes de teres perdido o meu mano não é mamã? Tens saudades do tempo em que eras feliz com o meu pai mão tens? Perguntou a pequenina Iara Ao ouvir as palavras da filha, Liliana olhou-a olhos nos olhos e num tom triste disse chorando: 

- Tenho meu amor, tenho muitas saudades do tempo em que era feliz. As vezes olho para o teu pai e tenho saudades dos primeiros tempos do nosso namoro... 

Ao ouvir aquilo, a pequena Iara abraçou carinhosamente a mãe e pediu: - Não chores mamã, eu estou aqui.... 

Ao ouvir as palavras da filha, Liliana abraçou-a e chorando no seu ombro pequenino respondeu:

 - Oh "coisa" boa da mamã, obrigada por estares aqui comigo! É o teu amor que me dá forças para aguentar tanta dor e continuar a tentar salvar o meu casamento ou o que resta dele.

 - Tu gostas mesmo do meu papá, ninguém o pode negar. Disse a menina acariciando o rosto da mãe

 - Muito meu amor. A seguir ao avô António, o teu papá é o homem que mais amo e a prova disso mesmo és tu meu anjo. Respondeu Liliana beijando a filha....

 - Eu mamã? Perguntou a menina olhando a mãe olhos nos olhos 

Ao ouvir as palavras da filha, Liliana acariciou-lhe o rosto e chorando respondeu:

 - Sim meu amor, tu foste o melhor presente que a vida me deu e isso eu agradeço ao teu papá e apesar das coisas entre nós dois não estarem nada bem eu não me arrependo de me ter casado com ele... ah filhota tenho tantas saudades do tempo em que era feliz... 

Ao ouvir as palavras da mãe, a pequena Iara acariciou-lhe o rosto e carinhosamente pediu: 

- Então mamã, o que é isso? Então, não fiques assim vá lá! 

Ao ouvir as palavras da filha, Liliana abraçou-a e chorando respondeu: 

- Oh meu amor, anda cá! Abraça a mamã, preciso tanto de ti "pipoca"! 

Ao ouvir as palavras da mãe, a pequena Iara abraçou-a e num tom carinhoso disse:

 - Não fiques assim mamã? Tu não estas sozinha, eu estou aqui e adoro-te....

 Ao ouvir as palavras da filha, Liliana olhou-a olhos nos olhos e enquanto as lágrimas lhe caiam do rosto respondeu:

 - Oh meu amor, eu também te amo muito... tu és a "coisa" mais linda que eu tenho nesta vida... Acredita que é o teu amor que me dá forças para lutar contra a solidão.... 

O tempo foi passando e as coisas entre Liliana e Sérgio agravam-se de dia para dia, o que aumenta o vazio em que a alma de Liliana mergulhou e certo dia em conversa com a cunhada, Carla olhou-a olhos e perguntou: 

- Então cunhada, o que é isso? 

Ao ouvir as palavras da cunhada, Liliana baixou o rosto e enquanto uma lágrima lhe caia do rosto desabafou:

 - É o mesmo de sempre cunhada.....

 - O meu irmão está outra vez distante não está? Perguntou Carla olhando-a olhos nos olhos 

- Sempre esteve cunhada, para te dizer a verdade ás vezes sinto que o meu casamento ainda se mantem só por causa da tua sobrinha. Respondeu Liliana enquanto as lágrimas lhe caiam do rosto

 Ao ouvir as palavras da cunhada, Carla enxugou-lhe as lágrimas do rosto e disse: 

- Oh querida, tem calma! Eu falo com o meu irmão.

 - Será que vale a pena? Perguntou Liliana chorando

 Ao ouvir as palavras da cunhada, Carla olhou-a olhos nos olhos e respondeu:

 - É claro que vale cunhada... Porra, vocês têem una filha em comum...

 Ao ouvir as palavras da cunhada, Liliana baixou o rosto e chorando disse: - Pois é cunhada, nós temos uma filha mas as vezes tenho a sensação que o teu irmão não está nem se importa com isso... 

Ao ouvir as palavras da cunhada, Carla olhou-a olhos nos olhos e perguntou: 

- Mas as coisas estão assim tão más cunhada?

 Ao ouvir as palavras da cunhada,Liliana desabou num pranto descontrolado e num tom visivelmente magoado respondeu: 

- Infelizmente estão cunhada, o teu irmão está cada vez mais distante... nós até já nem amor fazemos.... 

Ao ouvir aquilo, Carla acariciou-,lhe o rosto e perguntou: 

- Ele não terá outra pessoa, cunhada? 

Ao ouvir a pergunta da cunhada, Liliana baixou o rosto e enquanto uma lágrina lhe caia do rosto respondeu:

 - Não sei cunhada, sinceramente não sei . Só sei que o teu irmão está distante e isso leva-me a pensar em tudo e mais alguma coisa... 

Ao ouvir as palavras da cunhada, Carla acariciou-lhe o rosto e disse: 

- Tem calma, eu falo com ele. O tempo foi passando e ao chegar a casa, Sergio viu a mulher e a filha na cozinha e ao vê-lo, Liliana abraçou-o e e perguntou:

 - Olá amor! Tudo bem? 

- Achas Liliana? Achas mesmo que está tudo bem? Respondeu Sérgio num tom frio

 - Sim amor, o que se passa? Perguntpu Liliana olhando o marido olhos nos olhos 

- O que se passa Liliana? Passa-se que a minha irmâ já me veio moer o juizo por causa das queixinhas que lhe foste fazer. Porra Liliana quando é que deixas de ser menina do papá. Porra Liliana se as coisas são entre nós deviam ficar entre nós não devia chegar aos ouvidos dos outros. Cresce Liliana , deixa de ser a menina do papa. 

Ao ouvir as palavras do marido, Liliana perdeu as estribeiras e disse: 

- Não é justo que me chames menina da mamã. Porra Sérgio nos ultimos tempos eu vivo somente para ti e para a nossa filha e se me abri com a tua irmã foi porque já não aguento tanta indiferença e tanto despreso da tua parte. Será que vês que eu já não sou feliz?

 - Não sei porquê, eu estou contigo não estou? Perguntou Sérgio 

Ao ouvir as palavras do marido, Liliana perdeu a cabeça e dizendo -lhe tudo o que lhe ia na alma respondeu:

 - Sim realmente estás aqui fisicamente, mas a tua cabeça está longe e centrada noutra pessoa que eu nen sei quem é!

 - Oh pah eu não estou para ouvir os teus delirios de mulher enciumada. Disse Sérgio saindo porta fora

 Ao ver o homem sair porta fora, Liliana desabou nun pranto descontrolado, o tempo foi passando e a certa altura a pequena Iara aproximou-se da mãe e ao vê-la chorar perguntou:

 - Então mamã! Outra vez a chorar? O que se passa?

 Ao ouvir a pergunta da filha, Liliana abraçou-a com todas as suas forças e chorando desesperadamente pediu: 

- Oh meu amor, anda cá! Abraça a mamã e por favor não me faças perguntas!

 - Pronto mamã, não fiques assim! Eu estou aqui, tu tens-me a mim e eu adoro-te! Respondeu a menina enxugando as lágrimas do rosto da mãe Ao ouvir as palavras da filha, Liliana abraçou-a com todas as suas forças e chorando desabafou: 

- Oh "pipoca" da mamã, ainda bem que estás aqui! É o teu amor que me tem dado forças para aguentar tanta dor. Amo-te tanto filhota....

 Ao ouvir aquilo, a menina deixou-se aninhar nos braços da mãe, onde acabou por adormecer e ao vêr a filha dormir tão tranquilamente nos seus braços, Liliana sentiu a angústia invadir-lhe a alma e enquanto as lágrimas lhe caiam do rosto pensou: 

" Oh meu Deus, porque é que tudo é tão dificil? Será que eu não tenho o direito de ser feliz?" 

O tempo foi passando e a certa altura Liliana olhou para o relógio e apesar de estar magoada com o homem que ama, a preocupação falou mais alto e pegando no telefone, Liliana decidiu ligar ao marido mas a tentativa foi vã pois Sérgio não atendeu e nun tom triste pensou: 

" Onde é que tu andas Sérgio? Não é fugindo de mim que vamos resolver os nossos problemas!" 

Como queria falar com o homem que amava, Liliana decidiu ligar para Marco: o primo e melhor amigo de Sérgio que ao ouvi-la perguntou:

 - Olá prima! Tudo bem?

 - Nem por isso Marco, eu e o teu primo discutimos e o teu primo saiu porta fora. Estou preocupada com ele. Tu por acaso não sabes dele pois não? Perguntou Liliana 

- Por acaso ele está aqui comigo. Vocês discuram novamente? Perguntou Marco

 - Discutimos primo e eu estou preocupada com ele. Ele saiu daqui super nervoso. Respondeu Liliana

 - A sério prima? Tem graça que nós estamos aqui nas docas na discoteca e o Sergio não me parece nada nervoso. Até está bem relaxado ali a conversar com umas miudas. Disse Marco

 Ao ouvir as palavras do primo do marido, Liliana respirou fundo e perplexa respondeu:

 - Não pode ser Marco, o teu primo não era capaz de me fazer uma coisa dessas. 

- Mas está prima, se não acreditas em mim vem até cá e vê com os teus proprios olhos. Disse Marco 

Ao ouvir as palavras do primo,Liliana ficou intrigada e respondeu: 

- É o que eu vou fazer primo! O Sérgio nunca mais faz de mim otária... 

- Tu é que sabes prima. Disse Marco O tempo foi passando e depois de ter falado com o primo, Liliana ligou á cunhada explicando-lhe o que se passara pedindo-lhe que ficasse com a pequena Iara e ao chegar a casa da cunhada, Carla viu-a desanimada e carinhosamente disse:

 - Tem calma Lili...vais ver que não se passa nada. O meu primo so disse aquilo para te picar. 

Ao ouvir as palavras da cunhada, Liliana baixou o rosto e num tom desanimado respondeu: 

- Deus te oiça querida e se quizeres podes levar a Iara para tua casa estás a vontade afinal eu não sei que cenário é que vou encontrar. Eu depois vou lá ter.

 Ao ouvir as palavras da cunhada, Carla acariciou-lhe o rosto e disse: 

- Está bem querida, vai com calma! Já na rua, Liliana apanhou o primeiro taxi que encontrou na rua e ao vê-la tão triste, o motorista disse:

 - Então menina! Que carinha tão triste é essa? Algum problema?

 - Muitos vizinho, muitos problemas mesmo. Respondeu Liluana num tom triste

 - Não fique assim, tudo se há-de resolver. Disse o taxista num tom carinhoso

 Ao chegar á discoteca, Liliana viu o primo que a cumprimentou com o olhar e ao ver a mulher do primo, Marco empurrou-o para cima de uma das raparigas com quem estava a dançar e enquanto a desilusão tomava conta da sua alma perguntou: 

- O que vem a ser isto Sérgio?

 - Liliana o que é que estás aqui a fazer? Respondeu Sergio visivelmente atrapalhado 

- Isso pergunto eu Sergio mas escusas de me responder agora ja sei para onde vens descarregar as tuas frustraçoes sempre que discutimos. Disse Liliana furiosa 

- Liliana ouve-me, não é nada disso que estás a pensar! Deixa-me explicar.! Pediu Sérgio

 - Eu não estou a pensar em nada Sergio! O que eu vi disse tudo. Respondeu Liliana visivelmente magoada 

- Lili, por favor acredita em mim! Pediu Sergio

 Ao ouvir as palavras do marido, Liliana saiu dali a correr apanhando primeiro taxi que vira na rua e enquanto as lágrimas lhe caiam do rosto rumou ate casa da cunhada que ao ve-la chorar perguntou: 

- Não correu bem pois não, cunhada?

 Ao ouvir as palavras da cunhada, Liliana desabou num pranto descontrolado e num tom triste respondeu:

 - Correu pessimamente cunhada, não imaginas o que doeu ver o teu irmão agarrado a uma gaja qualquer. Ah cunhada isto doi tanto... 

- Pronto querida, tem calma! Descansa, aqui ninguém te vai chatear. Disse Carla limpando as lágrimas do rosto da cunhada

 Ao ouvir as palavras da cunhada, Liliana baixou o rosto e disse: 

- E agora cunhada o que é que eu faço? Eu nem as minhas coisas trouxe. Ao ouvir aquilo, Carla olhou-a olhos nos olhos e disse: 

 - Não te preocupes com isso. Eu e o Pedro tramamos disso... 

Ao ouvir as palavras da cunhada, Liliana olhou-a olhos nos olhos e respondeu:

 - Não cunhada, tenho que ser eu a tratar disso sozinha. 

Nesse preciso momento Sérgio apareceu em casa da irmã e ao vê-lo ali Carla perguntou: 

- O que é que estás aqui a fazer Sérgio? 

- Vim buscar a minha mulher e a minha filha para irmos para casa conversar. Respondeu Sérgio 

- Bonito irem conversar para casa, vocês não teem privacidade nenhuma. O Marco está sempre a meter o bedelho onde não é chamado.... ate parece uma "Maria Adelaide". Disse Carla 

Ao ouvir as palavras da irmã, Sérgio olhou-a olhos nos olhos e furioso respondeu:

 - Não tens o direito de te meteres Carla! Isto é entre mim e a minha mulher. 

- Deixa de ser só entre vocês dois quando maltratas a tua mulher e ela me liga a chorar para pedir ajuda... Olha para ti Sérgio, tu nem na tua filha pensas. Ela também sofre com esta situação sabes. Disse Carla chamando o irmão á razão

 Ao ouvir as palavras da irmã, Sérgio baixou o rosto e num tom arrependido respondeu: 

- Tens razão mana, eu sou mesmo estupido. 

- Não Sérgio, tu não és nada estupido..apenas es muito impulsivo e isso deita tudo a perder. Disse Carla olhando o irmão olhos nos olhos

 Ao ouvir as palavras da irmã, Sergio olhou-a nos olhos e olhos e perguntou: 

- E agora mana, o que é que eu faço? Achas que ela me ouve?

 - Não sei Sérgio, da-lhe tempo! Espera até as coisas estarem mais calmas, amanhã conversam com mais calma. Agora vai lá e dá-lhe um beijo. Respondeu Carla

 Ao ouvir as palavras da irmã, Sêrgio aproximou-se da mulher e disse: - Lili desculpa!

 Ao ouvir aquilo, Liliana baixou o rosto e num tom magoado perguntou:

 - Porque Sérgio? Porque é que me fizeste isto? Eu não merecia....

 - Eu querida, perdoa-me! Não volta a acontecer prometo. Respondeu Sergio acariciando o rosto da mulher

 - No dia em que nos casamos tu disséste que estava segura. Disse Liliana olhando o marido olhos nos olhos 

- E estás juro que estás.Respondeu Sergio abraçando a mulher enquanto a beijava 

- Eu não quero sofrer mais Sérgio,nos ultimos tempos já perdi demasiado e se te perder também a ti eu morro... Respondeu Liliana aninhando-se nos braços do homem que ama 

Ao ouvir as palavras da mulher, Sérgio abraçou-a e carinhosamente disse: 

- Não vais perder prometo-te.... O tenpo foi passando e ao aproximando-se do irmão e da cunhada disse: 

- Vejo que já resolveram as vossas diferenças.

 - Ja mana, agora vamos para casa. Respondeu Sergio olhando a irmã olhos nos olhos.

 - Acho bem que sim e tu porta-te bem porque eu estou de olho em ti. Disse Carla trocando um sorriso cumplice com a cunhada

 Ao ouvir as palavras da cunhada, Liliana aproxinou-se e num tom agradecido disse: 

- Bem cunhadinha, eu quero agradecer-te por toda a ajuda que me deste e obrigada por me teres dado a mão quando cheguei aqui desesperada. - O que é isso miuda,não tens que me agradecer. Es minha cunhada certo. É minha obrigação puxar as orelhas do meu irmão. Respondeu Carla acariciando-lhe o rosto 

Nesse preciso momento, Sérgio aproximou-se da mulher com a filha ao colo e disse:

 - Vamos andado querida? 

Ao ouvir a pergunta do marido, Liliana olhou-o olhos nos olhos e respondeu: 

- Sim meu amor, temos que deitar a sua pipoca na sua caminha.... 

O tempo foi passando e ao chegar a casa, Liliana deitou a filha na sua cama e ao vê-la dormir tao tranquilamente pensou enquanto as lágrimas lhe caiam do rosto: 

" Oh meu Deus ajuda-me! Protege a minha pipoca do sofrimento! Ela é tão pequenina!" 

Nesse preciso momento, Sérgio entrou no quarto da filha e ao vê-la chorar perguntou:

 - Então amor, o que é isso? 

Ao ouvir as palavras do homem que ama, Liliana limpou rapidamente as lágrimas do próprio rosto e respondeu:

 - Nada querido, isto passa. A vida não tem sido facil pra mim, ultimamente sinto que tenho perdido muita coisa.

 Ao ouvir aquilo, Sérgio abraçou-a e carinhosamente disse: 

- Eu sei querida, desculpa! 

Ao ouvir as palavras do marido, Liliana aninhou-se nos braços do marido e chorando pediu: 

- Por favor Sergio, abraça-me! Tenho tantas saudades daquele rapaz carinhoso por quem um dia me apaixonei....

 - Eu estou aqui bebé e prometo que tudo vai voltar a ser como antigamente, prometo. Respondeu Sergio beijando a mulher 

Ao ouvir as palavras do marido, Liliana baixou o rosto e chorando pediu: - Muda Sergio, não é traindo-me nem batendo-me que vamos conseguir salvar o nosso casamento... 

- Tens razão meu amor, ultimamente tens tido todos os motivos para me deixar! Perdoa-me princesa! Respondeu Sergio

 Ao ouvir as palavras do marido, Liliana beijou-o apaixonadamente pediu:

 - Só depende de ti e das tuas atitudes. Se não me fizeres sofrer eu não me vou embora....



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...