História Question and Answer - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias F(x), Jay Park, Orange Caramel, Seventeen
Personagens Amber Liu, Hansol "Vernon" Chwe, Jay Park, Junghan "Jeonghan", Lee Chan "Dino", Lee Jihun "Woozi", Raina, Seungcheol "S.Coups", Soonyoung "Hoshi", Wen Junhui "JUN", Xu Ming Hao "THE8"
Exibições 16
Palavras 1.622
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Fantasia, Ficção, Hentai, Lemon, Orange, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Sexo, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


DESCULPA PELA FALTA DE CAPÍTULOS, NAO ME MATEM AAAA
o capitulo parece meio curto sei la

Capítulo 10 - Oh mom


Fanfic / Fanfiction Question and Answer - Capítulo 10 - Oh mom

P.O.V Raina

  Dirigi meu carro o mais rápido o possível, já que aquela hora da noite não havia nenhum carro na rua. Depois de um bom tempo, cheguei ao endereço anotado no papel. Uma casa azul claro, com um jardim cheio de flores brancas. Tão clássico, me sentia em um filme de adolescentes americanos. Estacionei o carro em frente ao portão, tocando a campainha impacientemente.

  -Ham... boa noite moça. –Uma garota de cabelos castanho-escuro compridos com mechas azuis abria a porta, vestindo um pijama de unicórnios. Tinha de admitir que era realmente muito fofo. Bom, acho que aquela era a pessoa que eu estava procurando - Te conheço?

  -Sim querida, não sei se lembra de mim... –Disse com um sorriso aparentemente amigável- Sou Oh Hyerin, filha da sua professora do jardim de infância. Eu estava sempre na sala de aula com minha mãe.

  -Raina? –Ela perguntava dando um sorriso animado, o brilho nos olhos da garota me lembravam da pequena Takagui Süzan- Você está tão...bonita! –Por um momento pensei que ela me chamaria de velha- É um prazer vê-la de novo! Vamos, entre!

  Entrei na casa da garota, que estava ligeiramente bagunçada. A televisão estava ligada, e nela passava um jornal aleatório. Ela me convidou à sentar na mesa de jantar, onde me ofereceu um chá (que por sinal estava doce demais).
  Nós tivemos uma conversa sobre meu emprego e sobre o quão maravilhoso era meu colar de pérolas. Ela não tinha etiqueta, era toda atrapalhava e fazia barulho enquanto tomava o chá, o que me fazia sentir enojada.

  -Bom...como andam os garotos, Senhorita Takagui? –Perguntei dando um sorrisinho malicioso.

  -Ham... atualmente eu estou em um relacionamento um tanto quanto estranho com um garoto da minha universidade...-Ela colocava uma mecha azulada atrás da orelha e corava levemente. Bebi mais um gole de chá, e forcei uma expressão de curiosidade- O nome dele é Kwon Soonyoung.

  -Oh não querida, não me diga que... –Tentei parecer chocada e preocupada, desviando o olhar e bebendo outro gole do chá. Voltei meu olhar para a garota com uma expressão de tristeza- Você está falando do Kwon Soonyoung alto, loiro e fofinho?

  -É ele sim...por que?

  -Trate de se afastar, é uma cilada. –Disse, o que fez a garota me olhar confusa, tremendo um pouco- Sou ex namorada dele, e não me arrependo de ter me afastado. Ele saía de noite pra ir pra baladas e ficava com outras garotas, bebia... –Limpei minhas lágrimas falsas e tomei mais um gole do chá, ficando em silêncio por mais alguns segundos- Ele só está te usando, confie em mim.

  -I-isso é sério? –Assenti com a cabeça e os olhos da garota marejaram- O-obrigada por me avisar Raina...

  -Poxa, já é tarde e eu tenho um jantar em família hoje. Não quero me atrasar de jeito nenhum...-Disse olhando para o relógio de parede em forma de gato. Me levantei e fui até a porta- Passar bem querida. -Antes que ela pudesse se despedir fechei a porta e corri para meu carro.

P.O.V Amber

  A Hyerin acha mesmo que eu vou usar as coisas que ela quiser que eu use? Eu já tenho 24 anos, na cabeça dela acho que tenho 15. Apenas coloquei uma camiseta quente preta e branca e uma calça jeans escura, eu ia jantar com a família que me adotou, eu não ia fingir ser o que não sou para as pessoas que me acolheram.
  Meus pais adotivos não me veem há 14 anos, eles só vinham visitar a Hyerin enquanto eu estava no trabalho. Eu mudei bastante durante esses anos, espero que o amor que eles sentiam por mim ainda seja o mesmo. Não conseguia acreditar que a qualquer momento eles poderiam aparecer ali, bem ali, na frente da porta. Eu vou abraça-los com toda a força que tiver. Ouvi um barulho na porta e me levantei do sofá, porém me sentei desanimada ao ver que era apenas minha irmã.

   -O que você está usando? –Ela perguntava me olhando da cabeça aos pés, com uma expressão nada amigável- Eu te disse pra colocar o vestido garota, é surda por acaso? –Ao ouvir um carro estacionando, a face da garota mudou completamente, agora ela estava sorridente, era como se uma auréola imaginaria pairasse sob a cabeça dela- Papai, mamãe! –Dizia ela saindo de casa para acompanhar nossos pais até dentro de casa. Até seu tom de voz havia mudado, agora estava doce e calmo. Aquilo realmente me irritava.

  Abaixei a cabeça enquanto esperava ela entrar novamente, porém agora acompanhada dos nossos pais. Quando eu ouvi a voz de meu pai perguntando: ‘’Onde está Amber?’’ me levantei e fiquei os esperando perto do sofá. Ao entrarem, olharam ao redor. Analisei-os e meu coração acelerava a cada detalhe que percebia sobre eles.
  Mamãe tinha cabelos curtos e marrons, seus olhos eram pequenos e escuros, porém possuíam um brilho intenso. Papai tinha cabelos negros e parecia muito elegante. Ambos olhavam para mim um tanto quanto confusos.

  -Esse é seu marido, Hyerin? –Minha mãe perguntava, o que me fez me sentir realmente muito mal. Hyerin me encarava, e seu olhar me dava medo.

  -Não. –Respondi indo até meus pais- Sou eu mamãe, Amber. –Continuei e os dois arregalaram os olhos.

  -Eu disse que ela deveria ter colocado um vestido mas essa garota nunca me escuta... –Dizia Hyerin, revirando os olhos.

  -Você está tão linda, querida! –A mulher que já possuía fios de cabelo brancos, qual aprendi a chamar de mãe, me abraçava, enquanto o homem qual ajeitava seu chapéu branco começava a chorar.

  -Linda? Mamãe, ela parece um garoto! –Hyerin disse espantada, se não a conhecesse, poderia dizer que ela estava apenas surpresa, mas no fundo sabia que ela estava se mordendo de raiva por meus pais terem me aceitado. Ela sempre me forçava a vestir aqueles vestidos estúpidos, e agora eu simplesmente não dava a mínima pra ela- Vocês vão mesmo aceitar que a filha de vocês vire um garoto? Eu acho isso inadmissível.

  -Hyerin, por que não deixa sua irmã em paz? –Meu pai se virava para a garota baixinha e pálida de cabelos pretos como o ébano, que ficava mais vermelha de raiva- Ela já está bem grandinha e sabe muito bem que caminho quer seguir.

  Após isso tivemos um jantar um tanto quanto chato, pois não falavam nada de interessante pra mim, Hyerin só ficava falando sobre sua carreira ótima de empresária e sobre seu dinheiro ou sobre como ela acha ridículo o jeito que eu me visto. Meus pais apenas ficavam quietos passando as mãos nos cabelos.
  [...]
  Quando meus pais foram embora, Raina me deixou sozinha e foi correndo pro seu quarto, trancando a porta. Acho que ela estava com raiva de mim. De novo.

 

P.O.V Minghao

 

  Estava em casa,ou melhor, na casa do Hoshi. Até hoje agradeço por ele me deixar morar na casa dele até eu conseguir comprar uma casa pra mim. Era madrugada quando ouvi Soonyoung cantando pela cozinha. Saí do meu quarto pra ver o que estava acontecendo e me deparei com um Soonyoung de terno e gravata assobiando e cantarolando nervosamente. Que porra era aquela?

  -Onde vai uma hora dessas e vestido desse jeito? Que eu saiba não precisa vestir terno pra ir na balada não...-Disse ironicamente e Hoshi olhou pra mim, com os olhos quase fechados- Agora sério, onde cê vai?

  -Em nenhum lugar. Só estou experimentando um terno que eu comprei pro baile de inverno.

  -Soonyoung, faltam dois meses pra aquele baile, são duas da manhã, tu tá metido com droga? –Perguntei sarcasticamente, e percebi que Soonyoung estava desconfortável- Não vou te questionar, eu sei que tu é estranho.

  Naquele instante o Kakao de Soonyoung avisa que há uma mensagem nova, então ele abre o aplicativo, e no momento, ele paralisa. Acho que ele havia recebido uma mensagem de alguém indesejado.

  -É a Ra-Raina. –Ele gaguejou,agora seus olhos estavam mais abertos do que nunca. Eu também fiquei assustado e preocupado- ‘’Soonyoung, eu sei que pode não confiar em mim, mas eu tenho que te contar algo. Eu acabei descobrindo que aquela tal Susan está ficando com um outro garoto. Acho que o nome dele é Hansol... Espero que você acredite em mim, se afaste dela, é um conselho’’

  -Você não vai acreditar nela né? –Perguntei cruzando os braços, e Soonyoung me olhou com os olhos marejados.

  -Minghao, ela e o Hansol sempre estão de gracinha e ele sempre vai na casa dela. Eles se conheciam à muito tempo atrás, eu acabei de conhecer ela e...sei lá, não consigo confiar nela e no Hansol.

  -Soonyoung tu tá de brincadeira comigo? Você prefere acreditar na garota que te rejeitou porque não queria transar com ela? Me desculpa, mas você tá sendo meio...burro.

  -Para de me fazer lembrar daquele dia. –Ele dizia se sentando em uma cadeira que estava na pequena mesa da cozinha. O garoto parecia realmente mal. –Ela arremessou aquela taça na minha cara... Ela me xingou de coisas que eu nunca nem havia ouvido na minha vida.

  Me sentei ao lado dele e ouvi o mesmo chorar. Ele abaixava a cabeça e escondia seu rosto com as mãos,o que ele sempre faz quando está confuso. Mais uma mensagem vinha do Kakao, agora Raina havia enviado uma foto. Era uma foto de Susan e Hansol juntos no parque. Quando Soonyoung viu aquilo pensei que ele ia jogar o celular na parede, mas ele apenas chorou mais. Eu ainda não conseguia acreditar em Raina, eu sei que ela é uma DESGRAÇADA COMPLETA, mas eu tinha que apoiar Soonyoung de qualquer jeito.
  Coloquei minha mão sob seu ombro e ficamos lá, ele apenas chorando e eu consolando-o, acariciando seu ombro. Com certeza não é apenas ele que está confuso. 


Notas Finais


é so isso memo tiao <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...