História Raccoon Chronicles: The last survivors - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Resident Evil
Tags Resident Evil
Visualizações 4
Palavras 646
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Canibalismo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Algumas observações:
-Elza Walker é uma personagem descartada de Resident Evil 2. A personagem foi substituída por Claire Redfield e a versão acabou ficando conhecida como Resident Evil 1.5
-Alguns personagens desta fic apareceram no jogo Resident Evil Outbreak, para PS2. Farei as alterações necessárias nos personagens.

Capítulo 1 - Prólogo - A calmaria antes do inferno


Fanfic / Fanfiction Raccoon Chronicles: The last survivors - Capítulo 1 - Prólogo - A calmaria antes do inferno

32 horas antes do vazamento 

Raccoon City, uma pacata cidade estadunidense de uma pacata região do país. É assim que Elza Walker vê sua cidade. A estudante universitária acompanhou as notícias sobre os ataques canibais na Montanha Arklay e o desenrolar do caso envolvendo os S.T.A.R.S. de Raccoon, que terminaram suspensos. Ninguém sabe o que houve com aqueles soldados, provavelmente escaparam para um lugar mais agitado. É o que ela faria se fosse suspensa e achasse isso injusto.

Elza estaciona sua motocicleta na vaga indicada e desce do veículo, desligando-o e levando o capacete consigo. Entrando no bar, Elza se senta perto do balcão e fala com a garçonete, que é também sua melhor amiga, Cindy Lennox. Com o tradicional e simpático sorriso na cara, a garota loira limpa o copo enquanto vê a presença de Elza.

-Oi, musa do sorriso lindo!

-Oi, musa da motocicleta.

-Pronta para amanhã?

-Como nunca. É bom respirar ares novos. Sinto que a qualquer momento Raccoon deixará de ser como conhecemos. A qualquer momento aqueles ataques canibais podem acontecer outra vez.

-Aí. Eu estou aqui para protegê-la. Se um canibal tentar te comer, eu chuto a bunda dele.

-Minha heroína.

As duas riem, então Cindy entrega um copo limpo e traz uma garrafa de uísque.

-Alguma novidade legal?

-Bom... - Cindy ri, balança a cabeça para a esquerda e logo abaixa como se sentisse envergonhada. Elza, discretamente, olha para a direção e identifica um rapaz. Ele é alto, cabelo preto, parece bem mais velho que Cindy, mas é bonito independente disso.

-Já sabe o nome dele?

-Eu soube que é Kevin. É da nova leva de policiais que o RPD convocou. Hoje ele está de folga, eu acho. Chegou no início da semana.

-Legal. Já falou com ele?

-Mais ou menos. Ele falou do meu sorriso, disse que é bonito. Eu disse obrigada. E foi só isso.

-Melhor do que nada. - Elza bebe um pouco do uísque no copo. - Daqui a pouco transam e transam mais.

-Cala a boca. - Cindy bate no ombro da menina.

-Estou brincando. Melhor ficar nos beijinhos mesmo. E se for transar, que não seja na minha cama de novo.

-Mas foi você que...

-Com licença - Convenientemente Kevin chega ao balcão. As duas param de conversar imediatamente. Cindy fica nervosa. - Senhorita?

-Ah, sim. Em que posso... - Ela tosse, então ajeita o cabelo - Em que posso ajudá-lo?

Elza pisca rapidamente para Cindy, então desce da cadeira e vai ao banheiro. Antes de entrar, ela bisbilhota a conversa e gargalha baixinho. "Ai Cindy, você nunca muda!". Entrando no banheiro, viu alguns fios de cabelo no chão. Até olhou a porta de novo para saber se era mesmo o banheiro feminino. Alguém está mudando de visual. Os banheiros do J's Bar nunca foram exemplos de limpeza, mas encontrar cabelo no chão chega a ser bizarro.

Elza se encara no espelho e sorri. Não é feia, seu cabelo amarrado dá um charme e o sorriso não é como o de Cindy, mas ainda é um belo sorriso. Talvez sejam os peitos, soube que os meninos da universidade gostam de meninas com peitos. "Bobagem, Elza. Eles gostam de peitos para admirar".

Ouve barulhos de ratos, mas costuma ignorá-los. Contanto que não passem sobre seus pés, eles podem ficar à vontade. A garota sai do banheiro e, percebendo que Kevin não está mais lá, volta para conversar com Cindy. A garçonete está de costas, lavando alguns copos. Parece nervosa, aparentemente a conversa foi proveitosa.

-Então... Ainda preparada?

-Valeu por me deixar sozinha. - A voz dela é nervosa, rápida e divertida, pelo menos para Elza.

-Sua boba, aprenda a falar com homens bonitos e sarados. - Sussurra Elza, rindo. - Preciso ir. Põe o uísque na minha conta.

Mal sabia Elza que ela nunca pagaria esta conta... O maior pesadelo de sua vida iria começar.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...