História Rachel Fox Castellan? - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Percy Jackson & os Olimpianos
Exibições 4
Palavras 916
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Aventura, Romance e Novela

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá, td bem? Espero que gostem.

Capítulo 3 - Cap.2


A viagem estava cansativa, havia deitado no ombro de Fred quando ouvi uma voz familiar dizer:
—O que? Não acredito. Você pegou o meu carro?! Eu vou matar você. Meu carro novo.
Desgraçado:
—Passa o celular mãe.
Ela passou escondendo a raiva.
—Escuta aqui, você não vai matar ninguém, você vai é se tratar seu estúpido. Bebeu uma a mais né? Quer saber, morre logo!
Desliguei a ligação e o celular.
—Pronto mãe.
Chegamos, minha mãe foi se despedir.
—Mãe, não vai lá. Vai na casa daquela sua amiga, ou pega as chaves da casa do Fred.
Fred entregou suas chaves. Ele disse ser meu protetor, pela lógica ele me protegeria, mas minha mãe também precisa.
—Tchau, então. Até mais. -Fred se despediu.
Nos despedimos ela quase chorou. Eu também. Então entramos. O acampamento era imenso. Fred disse que iria falar com o professor. Fiquei como uma estátua esperando até que vejo de relance um par de olhos azuis me encarando. Me aproximei. O garoto saiu de trás do arbusto com um sorriso debochado.
—Quem é você?
Agora o que eu entendi:
—Blá, blá, blá, blá mas pode me chamar de Luke Castellan. E você? Quem seria?
—Sou Rachel Fox.
—Muito prazer Rachel.
—O prazer é meu.
Neste instante reparei em sua espada. Ele percebeu minha curiosidade e a puxou do cinto.
—Gostou dela?
Peguei a de sua mão, estranhamente eu sabia que era feita de bronze celestial, meia parte e outra ferro normal.
Ele se aproximou e puxou a espada da minha mão. Sem me machucar claro.
—Rachel!
—Aqui!
Fred chegou sem muletas e com pés... de bode. Não estranhei, sempre achei tudo muito louco, um pouco mais de loucura não era ruim.
—Luke.
—Fred.
Eles não pareciam se gostar, vai saber o porque. Sorri para Luke:
—Nos vemos no jantar, senhorita Rachel.
Saímos (eu e Fred) ele perguntou:
—O que você falou com ele?
—Nada.
—Fale.
—Não foi nada Fred.
—Por que?
—Ele não é boa coisa.
—Por que?
—Ele estava...
—Estava?
—Esquece. Se você não notou.
—Notei o que?
—Nada.
Enfim, deixei de lado. Fui falar com o diretor, sim foi confirmado que sou filha de Poseidon. O diretor falou que eu tinha um irmão. Percy Jackson.
—Pode ir jantar agora.
—Tá bom, professor.
No jantar me sentei ao lado do garoto que Fred mostrou ser o meu meio irmão.
—Oi, eu sou Percy Jackson. E você deve ser?
—Rachel Fox.
—Prazer Rachel, acredito que já conheça o Fred. Aquele ao seu lado é Grover, outro sátiro.
—Percy, você poderia me mostrar depois o chalé, que Fred disse que era melhor pedir para você.
—Tudo bem. Agora é a hora das oferendas.
Nos levantamos com as nossas oferendas, após o 'ritual' fomos comer. Observava Luke a uma distância segura. Ele era...misterioso. Nada como um bom mistério. Jantamos e nos juntamos na fogueira para ouvir uma história. A história acabou e por fim chegou a hora de dormir. Segui Percy ao chalé dos filhos de Poseidon.
Fiquei com a cama de baixo da outra beliche. Tinha uma pequena bacia na qual, Percy disse ser possível receber ligações de Íris. Sim eu sabia o que era isso. Alguns minutos mais tarde os roncos de Percy ecoavam pelo quarto, ouço aquela voz misteriosa, que conseguiu prender minha atenção por mais de dois minutos:
—Rachel. Está aí?
Me levantei e me dirigi até a bacia de onde se ouvia a voz.
—Oi. - falei não contendo o sorriso.
—Estava dormindo?
—Impossível com os roncos de Percy.
Ele riu um pouco e disse:
—Me encontre no lugar que nos encontramos pela primeira vez, vou estar te esperando.
—Já vou, então.
Nesse instante a ligação foi interrompida. Será que ele quer que eu seja punida por andar pelo acampamento a noite? Não sei, só vou descobrir indo até lá. Me arrumei (decentemente) e segui o caminho até lá. Avistei o sentado de costas girando sua espada.
—Luke.
—Rachel, pensei que não vinha.
—Decidi vir, afinal o que tenho a perder?
—Nada.
Sentei ao seu lado...o tempo passou rápido, não sei como já eram 03:00 como assim? O tempo não está do meu lado. Sou uma garota de 13 anos e por incrível que pareça BV, sério BV. E Luke tem 14 anos. O que estou fazendo? Já sei! Papel de trouxa. Ele interrompeu meus pensamentos:
—Rachel, são 03:02 você quer voltar pro chalé?
—Você vai fazer o que?
—Vou ficar aqui, não ligo se me apanharem mais uma vez, isso é costume.
—Então vou ficar aqui, não tenho sono.
Esquecendo completamente do meu grampo espada, tirei o da cabeça e ele se tornou a espada de bronze celestial. A espada de Luke se chamava mordecostas. Nome lindo, a minha se chama Onda do Pacífico. Não sei porque então. Conforme amanhecia senti um pouco de frio. Luke me abraçou. Senti meu coração bater acelerado. Ele sorria maliciosamente. Fiquei lá até que do além surgiu uma garota loira de olhos cinzentos. Me olhando como se dissesse Vou te matar. Fiquei confusa e saí dos braços de Luke que parecia mais confuso que eu.
—Aquela é sua namorada?
Ele riu e respondeu:
—Não, ela gosta do seu meio irmão Percy.
—Sério?
—Sério.
A garota se aproximou e me importunou com perguntas de todo tipo. Respondi a todas sem hesitar. Ela sorriu no final e disse:
—Tá bom e meu nome é Annabeth Chase.
—Prazer Annabeth.
Ela saiu e Luke disse:
—Pelo visto ela gostou de você.
Sorri. Estava tudo bem. Enfim felicidade.


Notas Finais


«Opa, td bem? Espero que estejam gostando. Até o próximo. »


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...