História Rage and Love - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Twenty One Pilots
Tags Joshua Dun, Twenty One Pilots, Tyler Joseph
Exibições 51
Palavras 1.197
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Escolar, Festa, Ficção, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Espero que gostem desse segundo capítulo!

Boa Leitura! <3

Capítulo 2 - Banda


Fanfic / Fanfiction Rage and Love - Capítulo 2 - Banda

No fim do dia, Tyler me ofereceu carona para casa, mas eu rejeitei por conta do Josh ir com ele também. Não queria que aquele garoto começasse a me infernizar de novo, e além disso, eu também precisava parar em algum lugar antes para comprar um maço de cigarros e voltar pra casa o quão tarde possível.

Quando cheguei na porta de casa, joguei o cigarro que fumava no chão e pisei em cima para apagá-lo. Antes que eu pudesse entrar em casa, escutei um barulho muito alto vindo da casa do Tyler. Ótimo, ele ligou o som de novo e daqui à pouco começaria a cantoria cheia de performance que eu via da janela do meu quarto às vezes e me fazia rir.

Entrei em casa e disparei em direção às escadas que levavam ao meu quarto para tentar ver a dancinha do Tyler, mas antes que pudesse subir o primeiro degrau, meu braço fora puxado com tal força que caí de costas no chão, e, por sorte, minha mochila amorteceu a minha queda, mas ainda senti minhas costas estalarem quando meu corpo chegou no chão. E quando minha alma encontrou meu corpo e eu me localizei, vi meu pai em pé ao lado do meu corpo largado no chão. Ele segurava uma garrafa de rum quase vazia e na outra mão segurava um taco de beisebol, e à partir daquele momento eu sabia o que iria acontecer....

- Porque demorou tanto para voltar para casa, mocinha? - ele perguntou largando a garrafa de bebida no chão, fazendo com que quebrasse e espalhasse o resto do líquido no chão junto com os cacos de vidro, e empunhou o taco.

- Eu fui dar uma volta no parque e ler um pouco ao ar livre - disse me colocando em posição fetal e colocando os braços na frente do meu rosto, já me preparando para a surra. Eu não poderia dizer a verdade à ele sobre os cigarros, porque a surra seria pior.

Então senti o impacto do taco nas minhas costas, depois no meu estômago e depois os socos no meu rosto, deixando minha boca com gosto metálico de sangue e o nariz ensanguentado, somando com os cortes de vidro espalhados pelo meu corpo, misturando mais sangue com bebida alcoólica. E logo quando acabou, eu subi para o meu quarto me limpar chorando de dor.

Enquanto tomava banho, ainda podia escutar a música da casa do Tyler mais alta do que o normal, mas eu não conhecia aquelas músicas. Então quando eu saí e me vesti, fui correndo para a janela baixa do meu quarto e me sentei no chão e vi Tyler cantando no microfone e logo atrás dele, Joshua tocando bateria sério e concentrado. Por incrível que pareça, Tyler tinha uma voz bonita pra cantar e quando éramos crianças, brincávamos de fazer rap, e eu sempre sempre fazia o ritmo pra ele cantar, o que me deixava brava com ele, porque ele sempre dizia que eu não sabia fazer rimas legais.

Então, em meio aos meus devaneios, eu notei que a música tinha parado. Então quando vi, meu pai estava dentro do quarto do Tyler aos berros, ameaçando bater nos dois se não parassem com o "barulho".

Corri para a casa do lado tentar acalmar meu pai. Quando cheguei lá, meu estava jogando os CD's do Tyler pro alto, enquanto os meninos tentavam acalmá-lo.

- PAI! - gritei e ele parou na hora, fazendo com que os três olhassem pra mim - Chega de atormentar os outros!

- Meu deus! O que aconteceu com o seu rosto? - perguntou Josh assustado, mas eu o ignorei e continuei voltada para o meu pai.

- Vamos embora daqui! - peguei seu braço a puxei.

- Você não vai me dizer o que fazer, vagabunda! - ele soltou o braço e me deu uma bofetada no rosto que fez um estalo muito alto.

Tentei não chorar na frente dos meninos, mas não consegui evitar os meus olhos de encherem de lágrimas. Então meu pai pegou meu rosto dolorido e o segurou.

- Já que gosta tanto desses vagabundos, então porque não dorme aqui hoje? Só volta pra casa quando aprender à ficar calada!

Então ele me largou e antes de sair do quarto, seu um soco no meu estômago. Eu recuperei o fôlego e fui atrás dele para tentar entrar em casa, mas quando cheguei, ele bateu a porta na minha cara.

Olhei para trás e Josh e Tyler estavam na porta da casa dele. Àquele ponto eu já chorava igual criança, mas não podia perder o controle da situação.

- O que estão olhando? - perguntei tentando disfarçar inutilmente a voz de choro.

Tyler veio até mim e abriu os braços para me abraçar, mas eu recuei.

- Não vou te machucar, Annie. Eu não sou ele.- ele disse. Então eu deixei que me abraçasse - Você pode dormir em casa hoje. Meus pais estão viajando e só voltam no fim de semana.

- Obrigada.

Então fui para a casa de Tyler e fui recebida pelo Joshua com um abraço consolador. Eu estava me odiando muito naquele momento por ter chorado na frente dos dois... Eu me sentia fraca, estava toda dolorida e com fome.

No quarto, Josh estendeu dois colchonetes no chão. Eu estava encolhida na ponta da cama observando tudo envolta. O quarto era consideravelmente grande com paredes vermelhas, um armário pequeno e uma estante com cinco prateleiras onde ele guardava os CD's, livros e aparelho de som.

Me levantei e fui recolher os CD's que meu pai havia jogado no chão, e quando Tyler entrou no quarto com três hambúrgueres na mão, eu já tinha terminado de arrumar tudo.

- Não precisava ter se incomodado, Annie. - ele disse, me dando um dos hambúrgueres.

- Eu causei tudo isso. - eu disse olhando para o chão - Me desculpe por tudo Josh e Tyler.

- Ei, você não causou nada. - Josh entra no meio - Você só estava tentando ajudar.

Eu devorei o hambúrguer enquanto eles conversavam entre si. E depois eu fui me deitar em um dos colchonetes para dormir.

- Nananinanão! - Tyler me interrompeu - Você vai dormir na minha cama.

- Certeza? 

- Absoluta. Você é visita.

- Mas você nunca me deixou dormir na sua cama, Tyler. - Josh começou em tom de advertência.

- Minha cama, minhas regras! - Tyler respondeu com uma voz afeminada.

Eu ri um pouco e me deitei na cama macia de Tyler tentando achar uma posição confortável para dormir, mas meu corpo doía tanto que não deixava meu cérebro descansar.

Então, quando eram 2 horas da madrugada, Josh se levantou do chão e sentou na cama.

- O que acontece? - ele perguntou.

- Meu corpo está doendo muito. - respondi

- Eu também não consigo dormir. 

Então eu virei para o lado da parede tentando novamente achar uma posição confortável, e logo depois senti Josh deitando na cama e me abraçando.

- O que pensa que está fazendo? - perguntei assustada.

- Tentando te fazer companhia. Sem segundas intenções, juro.

Então deixei que ficasse. E logo depois adormeci profundamente...

 

Continua.


Notas Finais


Espero que tenham gostado do capítulo!

I-/


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...