História Rage Eyes - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Visualizações 4
Palavras 299
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Ficção Científica, Lírica, Poesias, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 4 - H E D G


A insônia me pegou de jeito dessa vez. Olho para a porta, com o medo implícito de ver alguma coisa ali. Minhas alucinações estão cada vez mais frequentes, mais fortes, mais insanas. 

Hoje mesmo, eu ouvi você me chamar mais uma vez. 

Lembro-me o dia em que percebi que minha mente ainda continuava obscura como antes, pregando-me peças. 

"Silêncio na noite
Seja qual for o resultado
Chegarei cansada antes da pernoite
Luzes vermelhas misturam-se com as brancas
Em um flash alucinante de viagem
Grande trânsito
Até agora tudo normal
Eu só estava pensando em chegar em casa
Pelo menos no local em que chamam ela assim
Mas sua voz me chama aos ventos
Ecoando por todas as dimensões
Despertando sensações
Desespero, angústia, pavor, frio
No clima morno de um começo de noite no outono,
Eu escuto o retombar da sua voz
Mas dessa vez sua súplica não entrou por um e saiu pelo outro
Mesmo sabendo que aquilo era delírio
Procurei pelo motivo do meu desespero
Meus olhos enxergaram luzes rápidas que tentavam chegar em casa antes que eu
Estava sendo perseguida
Perseguida pela culpa de ter deixado te ir
Deixado tudo nessa situação
Estar entrando na escuridão
Naquele momento tão importante
Me deixando levar por demônios que você diz que não são meus amigos
Meu divago durou alguns segundos
Porém tenho certeza que me perturbará por anos
Meu pesadelo eu não lembro essa noite
Meus medos eu encosto
Enquanto sinto o coice nas costas
O peso enorme de suas mãos embrasantes não querendo soltar os meus ombros
Faz tanto tempo
Faz anos que não ouço sua voz implorando por mim daquele jeito
Eu não sei o que aconteceu
Se o perigo estava tão perto de mim para você aparecer
Mas saiba
Que hoje
Nenhum perigo é maior que eu mesma" 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...