História Rain - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Drama, Jungkook, Romance
Visualizações 204
Palavras 1.037
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Self Inserction, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hey guys what's up! ^.^
Então galere só uma passada rápida pra me apresentar e esclarecer umas coisas sobre a fic. Bom eu sou a ~KawaiiAlana mas podem chamar só de Kawaii please, já escrevi umas estórias aqui no spirit mas por falta de tempo na época não pude acabar e exclui. Então alguns de vocês devem me conhecer por escrever muito do gênero terror, mas essa fanfic aqui vai ser bem diferente. A personagem principal eu fiz baseada em garotas de anime e doramas e o papel dela na fanfic é representar vocês armys ou jungkook biased, a estória vai se passar na visão da personagem principal e em tempo real mas pode ser que algumas coisas sejam colocadas no passado pra se encaixar. Essa é basicamente a única coisa que preciso deixar clara aqui eu acho, caso tenham alguma dúvida deixem nos comentários e responderei.
Boa leitura e espero que curtam e acompanhem a fic.

Capítulo 1 - Miraculous Rain


Eu gosto da chuva… Do seu som quando cai a noite bem quando estou quase a dormir, da sua textura quando vem sem avisar e estou andando pela rua vindo ou indo pra algum lugar. Agora por exemplo… a chuva cai e as pessoas desavisadas correm pelas ruas procurando um local para ficarem até que a chuva passe, os carros parados atrás da faixa de pedestres começam a se mover quando o sinal verde se acende. Agora as ruas ficam vazias e sou apenas eu e a chuva… ou não? Vejo que tem uma outra pessoa… ele está parado do outro lado da rua como eu, seu guarda-chuva aberto encosta no chão. Essa pessoa não tem vontade e nem pressa de se esconder da chuva como todos os outros que já não estavam mais ali na rua, ele era como eu… uma pessoa comum talvez só querendo um pouco de paz e encontrando a mesma nas gotas que caíam do céu sem cessar. O sinal vermelhou assinalou novamente para que os carros parassem… mas a rua já estava vazia. 

Atravessamos a rua no mesmo momento, ainda despreocupados por estarmos em meio a chuva. Por algum motivo estranho, conforme seus passos aumentavam e a distância entre nós diminuía o meu coração parecia acelerar… e foi ali a alguns mentros de distância que minha emoção me congelou bem no meio do caminho e parei no meio da chuva naquela faixa de pedestres, o que estava acontecendo era algo muito raro e que provavelmente nunca voltaria a acontecer comigo novamente… Senti minhas pernas fraquejarem mas me firmei apesar de todas as informações que passavam em minha cabeça naquele momento. O garoto se aproximava após ter tirado a máscara cirúrgica e o boné que usava… Conforme seus passos continuavam e ele se aproximava tudo pareceu ficar em câmera lenta e quando o mesmo parou em minha frente eu definitivamente congelei naquele lugar. Nada mais se passa pela minha cabeça neste momento.

- Ei moça, precisa de ajuda? Você fala o meu idioma? - Ele me perguntou a alguns centímetros de distância. Sua postura é impecável, seus gestos corporais são poucos, as gotas de água que molham seus cabelos e logo escorrem pelo seu rosto o deixam com um ar angelical e seu rosto com traços delicados parece de porcelana fina. - Precisa de ajuda? Consegue me entender? Se conseguir por favor me diga o seu nome.

- Eu estou bem… Mas você não deveria estar em baixo de chuva desse jeito, você pode ficar doente e isso vai interferir em seu trabalho. - Realmente estava preocupada com o mesmo, mas posso te-lo assustado ao reconhecer quem ele é.

- Então sabe falar coreano… - Ele deu um suspiro aliviado e logo voltou a me olhar fixamente, seu rosto não mostra emoção alguma. - E também sabe quem eu sou.

- Sei sim. - Deveria me retirar, dizer que já devo ir mas minha intuição me diz outra coisa.

- Jeon Jungkook, é um prazer conhecê-la. - Fez uma breve reverência e estendeu-me sua mão.

- Emma Lynne. - Retribui o gesto e apertei a sua mão.

- Você é estrangeira, de onde veio? - Para outras pessoas seria estranho conversar com alguém, principalmente um famoso no meio da rua e na chuva… Mas pra nós dois parecia o momento ideal, como se nos conhecêssemos a anos.

- Metade da minha família paterna vive nos Estados Unidos e eu vivia com minha Mãe e meu irmão no Brasil, em uma cidadezinha do interior. Agora me mudei pra cá com os dois.

- E o seu pai?

- Ele faleceu… ele era soldado e a missão em que ele foi infelizmente teve muitas baixas. Mas pelo menos a paz continua.

- Sinto muito… - Disse ainda sem expressar sentimentos em seu rosto.

- Tudo bem… Já faz muito tempo.

- Você não me trata como alguém diferente.

- Porque você não é diferente, pode ser famoso, ter uma ótima carreira, ser rico e ter milhares de fãs. Mas continua sendo humano, como todos nós.… Pelo menos pra mim.

- Também não se incomoda com a chuva? - Balancei a cabeça negativamente em resposta. - Tenho que ir agora… Você pode me passar o seu contato? Gostaria de te ver novamente.

- Isso não é estranho demais? - O mesmo me olhou como forma de indagação. - Eu encontro Jeon Jungkook em um dia chuvoso, em uma rua deserta, converso com ele no meio da mesma e ele decide pedir meu contato pois quer me ver novamente… Parece história de adolescente.

- O Jeon Jungkook que você está conhecendo agora, é o simples Jeon Jungkook que morava em Busan e não era famoso.

- Então estou conhecendo um Jeon Jungkook criança prodígio?

- Por que criança prodígio?

- Não é pelo fato de você ser famoso agora… É porque se a alguns anos você era assim e conversasse com essas palavras e com a mesma expressão que tem no rosto agora, você devia ser uma criança bem quieta, detalhista e inteligente. - Finalmente um expressão começa a surgir em seu rosto, um sorriso pequeno, gentil e suave… O sorriso doce de uma criança inocente brincando no parque ou em seu quarto deitada enquanto sua mãe lê uma história para dormir.

A chuva… Jungkook… O momento. Tudo parece se encaixar para me acalmar neste dia. Qualquer um ficaria nervoso perto de Jeon Jungkook, enquanto suas coisas e si próprio molham em uma chuva forte. Mas eu só consigo sentir paz… Incrível como tudo que exala no momento é paz e conforto… a inocência de uma criança, misturada com a leveza da chuva.

- Consegue sentir, não é mesmo? - Ele me pergunta fazendo com que eu desperte para a realidade.

- Sentir o que?

- A paz que a chuva traz…

- Sim... 

Passei meu contato para o mesmo, apesar de não ter esperanças de que ele fosse se lembrar ou ligar-me. No momento é apenas como se tudo estivesse acontecendo pra mim dentro de uma cúpula e nada de fora me impedisse de passar o contato, nem mesmo as minhas preocupações momentâneas. Despedimos um do outro e seguimos por caminhos diferentes o rumo ao nosso destino, ainda sentindo aquela paz que a chuva trazia.

Continua...


Notas Finais


Espero que gostem mais e mais da fanfic e possam dar seu apoio pra continuação! Estarei respondendo vocês nos comentários, byeee...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...