História Rain (chuva) - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Kuroko no Basuke
Tags Akakuro
Visualizações 113
Palavras 1.031
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Musical (Songfic), Romance e Novela, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Drogas, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi gente o cap ficou curto, mas espero que gostem.

Estou em semana de provas e não sei quando vou postar o próximo cap.

Boa leitura
Bjs

Capítulo 10 - Confissão acidental


Fanfic / Fanfiction Rain (chuva) - Capítulo 10 - Confissão acidental

​Autora ON

Kuroko,definitivamente, não estava bem. Um certo ruivo percebeu isso muito facilmente.

O pequeno não conseguiu dormir e para não preocupar o outro disse que tinha coisas a fazer e por isso não dormiria no momento, o que não era uma mentira, Kuroko tinha que costurar os figurinos e entrega-los para Himuro... Não era difícil apenas um pouco trabalhoso, ele teria que costurar um parte das roupas a mão e deixar com que o tio finalize o trabalho com a maquina, Mas Akashi notou que na hora de costurar, as mãos de Tetsuya tremiam bastante e ele nem sequer conseguia colocar a linha na agulha.

Não era culpa dele estar nesse estado, nunca tinha sido ameaçado antes e se perguntava varias, e varias vesses se devia mesmo ter contado ao amigo e ao primo sobre tal acontecimento, não queria envolver as pessoas, mas ele estava desesperado e agiu sem pensar.

-Tetsuya. -Chamou a atenção  do menor, tirando a agulha do menor e a colocando sobre a mesa, para depois acariciar as, ainda tremulas, mãos de Tetsuya. -Não precisa ficar preocupado, não vou deixar que nada te aconteça. - Seijuro olhava com certa raiva os curativos de Kuroko, com certeza faria Furihata pagar por isso.

-Porque? - O ruivo se sentiu completamente confuso e arqueou uma sobrancelha. -Porque você faz isso? - Se o maior já estava confuso antes, agora havia alcançado um novo patamar de desentendimento.

-V-você está com raiva de mim? - Akashi estava pouco se importando com sua postura, gaguejar foi o de menos. Ele sentiu um medo terrível tomar conta de si, ''será que Tetsuya se cansou de mim?'', isso era alguns dos pensamentos que passavam pela cabeça do ruivo, e se seu pequeno passasse a odiá-lo, como conviveria com isso?

-Não, e não é disso que eu estou falando... Eu perguntei porque você faz isso? Porque você se preocupa comigo? Porque sempre que eu preciso você aparece e me ajuda? Porque quando estamos sozinhos você fala coisas como ''eu vou te proteger''? ​Porque você faz meu coração bater tão rápido? ...Não que eu não goste, na verdade, eu adoro conversar com você, adoro quando olha pra mim com cara de preocupado, adoro como você parece saber tudo que eu estou pensando, adoro que você parece ser a única pessoa que eu não consigo ''ler''... Eu adoro tudo em você e como me trata... -Corou um pouco. -... Mas e se você se meter em confusão por minha culpa? Eu também me preocupo com você, mas as vesses você parece não se importar consigo mesmo... Eu... - Poucas lagrimas saiam dos olhinhos do menor. -Eu tenho medo... Medo de te perder. -O pequeno passava a mão pelo rosto enxugando as lagrimas, ele não se tocou que acabara de fazer uma confissão para o outro.

O ruivo ficou admirado e surpreso, não fazia ideia de que o outro se sentia assim, arriscaria disser até que era parecido como ele se sentia. O maior segurou como as duas mãos o rosto do azulado, admirando cada centímetro daquele delicado rosto Akashi sentia seus olhos brilharem encantados com o menor,  e foi aproximando seus rostos. Kuroko se assustou com a respiração de Akashi batendo em seu rosto e tirou sua mão para ver o que estava acontecendo, corando logo em seguida, e antes que pudesse falar qualquer coisa o maior colou seus lábios. No começo Kuroko ficou assustado, mas aos poucos foi fechando os olhos e abrindo a boca, sem jeito algum o pequeno tentava copiar os movimentos do outro falhando a maioria das vesses, deixando claro sua falta de experiência, mas isso não tornou o beijo ruim. Aos poucos o ruivo ia envolvendo os braços na cintura do menor, enquanto o azulado se enrolava no pescoço do outro, o puxando mais pra perto. Com um tempo o ar fez falta e tiveram que se separar deixando uma fina linha de saliva os ligando por mais alguns segundos após o termino do beijo. Kuroko estava mais vermelho do que o cabelo do outro, eles ainda estavam abraçados e sem saber o que fazer, não conseguiam se encarar, nem se separar por completo.

-Então... -O menor tentou quebrar o silencio, com o pouco de coragem que tinha.

-Você... -O maior também estava desnorteado, não tanto quanto ou outro, ele havia agido por instinto sem pensar, o que não é de seu feito, mas ele tinha que continuar, ele queria continuar. -Quer fazer de novo?

-Eu quero. -E então o beijo foi reiniciado, desta vez com um pouco mais de sincronia e menos de vergonha. Akashi se sentiu na vontade para esquentar mais as coisas, o que foi um erro, o maior adentrou a camisa do outro com a mão o fazendo recuar. E mais uma vez Seijuro se pegou fazendo as coisas sem pensar, ele nem imaginou a possibilidade do menor se assustar com sua investida, um tanto quanto atrevida, ''mas é claro que ele se assustaria ele não tem experiência com um simples beijo, imagine com sexo.'' pensou o ruivo.

-Desculpa eu me apresei... E acabei te assustando. -Falou coçando a parte de traz da cabeça, desviando o olhar.

-T-tudo bem. -O menor estava com raiva de si mesmo, se ele não tivesse se afastado eles teriam continuado, ele não vai negar que gostou, mas aquelas mãos bobas o pegaram de surpresa. -Eu vou deitar... - Se dirigiu até sua cama percebendo só agora que eles não haviam desfeito a ''cama de casal''. O menor viu o outro o seguir até a cama, mas ele não podia fazer nada, não tinha nem coragem para encaram o ruivo.

Eles se deitaram e o maior apagou as luzes, eram em momentos como esse que o azulado agradecia pegar no sono fácil, apesar de estar assustado com a ameaça com essa confusão toda ele acabou esquecendo, Akashi também não tinha problemas pra dormir, mas ele estava ocupado demais olhando o azulado dormir e em certo momento ele viu o pequeno se remexer desconfortavelmente, provavelmente em um pesadelo, então o maior apenas o abraçou, e depois de ver o mais novo se acalmar se permitiu descansar sussurrando um ''boa noite.''

​--FIM DO CAPITULO 10-CONFISSÃO ACIDENTAL--


Notas Finais


Até o próximo cap
Bjs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...