História Rainbow Heart - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Undertale
Personagens Personagens Originais, Sans
Tags Sans, Underfell, Underswap, Undertale, Zuera
Exibições 19
Palavras 1.397
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Necrofilia, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


hOi! Bem... ahn... Espero que gostem! :D
Aliás, eu que vou desenhar a maioria das capas para essa fic! Eu amo desenhar!
Desculpem-me por qualquer erro... Eu Faço o que posso kkk

Capítulo 1 - O melhor presente


Fanfic / Fanfiction Rainbow Heart - Capítulo 1 - O melhor presente

 

— Estava por aqui… Eu Juro Lya

 

Meus amigos disseram que viram um buraco enorme nessa montanha. E deste então eles colocaram na cabeça que querem me mostrar isso, como se eu estivesse interessada. Mas como sou trouxa, aceitei. Afinal não tem nada pra fazer em casa.

 

— Meus pés doem… - Gemi de dor.

 

— Calma Lya - Nathaniel passou as mãos em meus fios Avermelhados, com um sorriso gentil no rosto que logo sumiu - Nós vamos achar essa buceta e vai ser hoje.

 

Olhei pra ele com uma cara de “Quem precisa se acalmar é você amigo”.

Estamos procurando essa droga há mais de uma hora, Meu corpo já estava implorando por uma cama. Sinceramente, acho que esses cuzões estão me zoando.

 

— Vocês estão me zoando, só pode… - Eu estava andando corcunda como sempre então só olhei para cima com a cara mais putaça que eu poderia fazer - Me fazendo andar assim, como eu nunca andei antes…

 

Murmurei

 

— Eu vou estuprar esses seus cuzinhos virgens. - Completei rangendo os dentes.

 

Eles definitivamente estão me zoando… Cara, três filhos da puta procurando um buraco gigante às 10h da noite, já era pra termos achado essa porra faz tempo. Obviamente. Afinal, como eles disseram, É GIGANTE! e fica bem em cima de uma montanha, é quase impossível não achar de primeira. Espero que um animal selvagem coma os pescoços deles.

 

— Amiga, relaxa o oco.- Minha amiga disse em um tom imperativo, como sempre - Hoje é seu aniversário e eu e o Nathaniel queríamos te mostrar algo diferente.

 

Amy Minha amiga. Imperativa, rude, barraqueira, fofa e ao mesmo tempo bizarra e calma. Ela é muito inteligente também, chega a dar medo. Mas olhe… Nem sei como virei amiga dessa desgraça, pois ela sempre quer matar todo mundo.

 

— Ai que fofo… Um buraco no chão? Que legal amiga- Debochei, deixando minha coluna ereta e estampando no rosto o sorriso mais falso e fofo que podia dar - Agora vai tomar no seu cu.

 

Ela riu ironicamente, mas uma veia saltou de sua testa e ela me mostrou o seu dedo do meio.

 

— Eu também te amo sua arrombada - Ela disse, puta.

 

Mostrei a língua pra ela e fiz o mesmo gesto mostrando o dedo do meio.

 

— Lyazinha, não é só um buraco! - Disse Nathaniel, dando uma volta para ficar na minha frente, nisso, se aproximando de mim - Quando eu e a Amy Fomos lá nós vimos alguma coisa estranha caminhando lá embaixo…

 

Meu amigo Nathaniel, apaixonado por coisas do outro mundo. Inteligente, Sexy, Zueiro… Ele até parece Perfeito, não? Mas fique sabendo que esse filho de uma rapariga é um completo masoquista e a Amy Adora brincar com ele. Inclusive, eu acho que eles transaram aqui.

 

— Eu espremi os olhos para ver melhor - Ele continuou, fazendo alguns gestos com os dedos tornando aquilo… Um pouco sinistro (?) - E aquilo sorriu pra mim…

 

— Sangue de Jesus tem poder - Exclamei pondo a mão no peito com um olhar interrogativo - Vocês vão me levar pra ver o Demônio?

 

— É…. Basicamente, sim - Ele terminou, com um sorriso desleixado no rosto

 

Meus amigos são doentes, eu sei. Deve ser por isso que nós somos tão evitados no colégio. Quem leva a amiga pra ver o demônio em um buraco no aniversário dela? Cara, isso só acontece nas melhores famílias, aqueles filhos da puta da creche deveriam amar a gente.

 

— Porém… - Amy Parecia pensativa - Tem uma história que minha mãe me contava quando eu era criança...

 

— Qual? - Ele perguntou

 

Ela apertou os olhos.

 

— Bem... Uhm… No passado monstros e humanos viviam no planeta. Após uma guerra, os monstros foram derrotados e selados embaixo de uma montanha. - Ela ficou meio pálida e olhou fixamente para o Nathaniel - No subsolo…

 

— Nossa… Isso é bizarro cara.

 

— MEU DEUUUUS!!!! - Gritei impulsivamente fazendo com que eles olhassem pra mim assustados - COMO ASSIM EU ACHEI A PORRA DE UMA CANETA DE MESA DIGITALIZADORA?!!!? MEU DEUS EU TAVA…

 

Percebi que os seus olhos se encontravam em mim. Acho que perdi alguma coisa importante.

 

— Precisando...- Completei - O quê?

 

— Você pelo menos ouviu o que eu disse? - Amy Perguntou com uma cara de cu

 

— Aaaahn - Olhei para cima coçando a cabeça - Não…?

 

Ela bufou. Sim, eu sou estranha e distraída demais…. Isso não é um defeito, eu sou especial e meus amigos me amam mesmo assim, eu sei disso.

 

— Ah… Ellysa - Ela riu - Você tem sorte de ter um rosto bonito senão a minha mão iria decolar e pousar na tua cara.

 

Engoli em seco.

 

— Pousa na minha - Nathaniel disse, sério com o rosto corado. Mas sua animação estava bem evidente em sua voz.

 

— Com todo pr- AAAAAAH - Amy começou a gritar igual uma vadia.

 

— Eita… O quê foi…?  - Perguntei colocando a caneta no meu bolso esquerdo.

 

— A-hn? O-o que foi mest - Nathaniel olhou pra trás e ficou pálido - PUTA QUE PARIU ELLYSA!

 

— NÃO ME CHAMA DE ELLYSA SEU VAGABUNDO - Me alterei

 

Odeio que me chamem de Ellysa, por mais que seja o meu nome.

 

— Amiga… fique quieta… E-eu já vou aí… - Amy Estava vindo até mim devagar, tremendo - E não olhe pra trás!!

 

Esse povo é idiota? Quando dizem “Não olhe” é lógico que você vai olhar.

 

Me virei vagarosamente, com medo do que iria encontrar atrás de mim… E lá estava, um buraco para ir direto pro inferno. É tarde demais pra dizer que eu entrei em pânico e comecei a perder o equilíbrio?

 

Fico me perguntando… “Como porras eu vim parar na beira desse rombo…? ” Senti uma lágrima percorrendo o meu rosto e um sorriso idiota se formando em meus lábios.

 

— Eu vou morrer…- Pensei

 

— Eu disse pra não olhar pra trás sua vadia! - Amy Gritou brava correndo até a minha direção agora na tentativa de me salvar, mas… A porra de uma abelha saiu das trevas e picou o meu olho direito me fazendo cair igual bosta.

 

— LYAAAAAAAAAAAAA!! - Amy Tentou pegar a minha mão. Eu senti o calor de sua mão se aproximar da minha, mas não adiantou. Eu já estava caindo.

 

— FILHO DA PUTAAAAAAAA!!  - Eu estava me debatendo igual uma vadia prestes a gozar - AAAAAAAAAAAA!

 

~x~

 

— … - Me sentia tonta e desordenada. Uma estranha sensação de medo misturado com euforia tomava conta de meu ser, fazendo eu me sentir estranhamente vazia ao mesmo tempo - Eu…. Eu morri?

 

Murmurei.

 

Morri e fui direto para o inferno. Puta que pariu.

 

Abri meus olhos vagarosamente a espera de que o demônio me desse as boas vindas e me nomeasse como sua nova Putinha. Mas meus olhos apenas conseguiram ver estalactites enormes, bonitas feito cristais. No meio delas um céu estrelado se encontrava.

 

Cocei meus globos para ver se eu realmente não estava confundindo um monte de demônios com estalactites, mas meus globos oculares estavam certos, não eram demônios.

 

Pude ver também algo estranho no final do buraco, perto do céu estrelado. Apertei meus olhos com um pouco de dificuldade e consegui ver duas sombras olhando para baixo, desesperadas.

 

— Idiotas de merda… - Deduzi que eram os meus amigos, afinal a estranha sombra estava batendo na outra como uma condenada, era a Amy batendo no Nathaniel sem sombra de dúvidas.

 

Depois dessa perturbadora visão senti aquela estranha sensação sumir como um passe de mágica e uma sensação de pós adrenalina correr por todo o meu corpo. Olhei para os lados, ainda desordenada. As coisas estavam extremamente calmas…, Mas eu me sentia observada. Eu sabia que não estava sozinha.

 

— Oh… Man - Meus lábios rosados tremiam por conta da brisa gelada que passava pelo meu corpo deitado em algo estranhamente macio.

 

Um sorriso vitorioso e estúpido se formou em meus lábios.

 

— Eu… EU ESTOU VIVA CARALHO!! - Me levantei rapidamente - VIVAA–

 

— ahn? - Ouvi alguém gritando algo como “PUTA QUE PARIU!” Estragando meu momento de vitória.

 

— Amy…? - Apertei os olhos na esperança de ver algo e pra minha surpresa alguma coisa estava vindo em ALTA VELOCIDADE para cima de mim.

 

— PUTA QUE PARIU!!!  - Senti meus olhos saltarem para fora. - EU SOBREVIVI PRA DEPOIS MORRER!!! AAAAAAAAH!

 

Aquilo caiu em cima de mim como uma pedra, senti minhas costas quebrando como pau de viado e minha vista escurecendo.

 

Eu sou muito azarada... PUTA MERContinua.


Notas Finais


Alguns erros foram realmente propositais! Comentem. Até!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...