História Rainha da Tempestade - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias As Crônicas De Gelo e Fogo (Game of Thrones)
Personagens Aegon Targaryen, Cersei Lannister, Euron Greyjoy, Jaime Lannister
Tags Baratheon, Game Of Thrones, Got, Lannister
Visualizações 45
Palavras 1.027
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Hentai, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 13 - Acordo de Paz


Lyanna-

-Você é mais burra do que eu imaginava. Achava mesmo que poderia ser Rainha? Uma bastarda? O que ganhou agora é um filho bastardo de um homem regicida – Asha resolveu dizer isso pela primeira vez para a amiga. Na viagem nenhuma das duas tiveram coragem de conversar sobre isso. –Sua barriga está inchada. E agora você não tem pai para essa criança.

A menina choramingou, tinha saudades de seu marido. Não o via a dias e como teria notícias do Lannister? Ela de fato, tocou-se de que gostava realmente dele.

Mas sua amiga não terminava por aí, queria humilhá-la ainda mais.

-E você me TRAIU. Acha mesmo que ia conseguir algo com o Euron? Você é bastarda, ele nunca ia querer se casar com você. Ele ia te querer como uma escrava. Uma cachorrinha.

Lyanna secou as lágrimas e disse com todo o coração.

-Você nunca vai saber o que é ser uma bastarda. Baixo nascimento. Conviver com selvagens – disse, com calma. – Você foi embora. Você tem seus homens. E eu? Que tenho eu, irmã? Depois que seu pai morreu, nada me sobrou. A qualquer segundo eu seria violada pelos homens da Ilha. Quantas vezes tentaram? Cem? Eu tive oportunidade de sair da miséria, casar-me com o homem mais rico de Westeros.

-E agora ele a largou para que morra na miséria novamente. Ele sabia de seu bebê? – Perguntou. Lyanna negou com a cabeça. E disse outra coisa chocante.

-Quando disse que estava grávida do nosso primeiro bebê, ele foi morto ainda em meu ventre.

-Por quem, irmã?

-Cersei. Ela ama ele. Acha que me deixaria ter filhos com ele? Agora a criança é somente minha. O herdeiro dos Lannister, quem diria? – Respondeu Lyanna acariciando a barriga.

Os dias em Ponta Tempestade estavam contados, uma vez que ela foi invadida pela Companhia Dourada.

Não houve derramamento de sangue. A Companhia Dourada chegou com o seu novo contrato: O Pretendente que se dizia Targaryen.

Lyanna sentava-se no trono, com a barriga grande e com ódio no rosto. Seus homens e de sua ‘’irmã’’ eram deveras inferiores ao do tal ‘’Aegon Targaryen’’. Ou o seu farsante.

Asha obedeceu às ordens de Lyanna, uma vez que foi por conta de Lyanna e seu marido, Jaime que Asha foi libertada, não mataria ninguém até que ordenasse.

Negociariam, Lyanna expulsaria quem quer que fosse ou ordenaria uma batalha ali mesmo.

Afinal, ela não estava ali atoa. Aproveitaria o poder de Asha e também de seu tio, Victarion que em poucos dias chegaria ali. Poderia fazer um exército para matar seu ‘’tio’’ Euron e Cersei, sua cunhada.

Quando a Companhia Dourada invadiu as Terras da Tempestade, Lyanna esperou no Trono, até que o próprio Aegon em pessoa foi vê-la. Não tinha muitas informações da mulher.

A única coisa que pensou foi em como a mulher era atraente. Olhos bonitos, cabelos negros como a meia-noite, sua gravidez lhe deixava mais atraente. Era da mesma idade que ele. Mas mesmo assim esperava uma criança.

-Olá – sorriu o garoto em tom sarcástico. – Quem é a Lady?

Pela primeira vez, viu uma mulher atraente como ela, jovem, exótica. E seus olhos eram azul-violeta como os dele. Quem ela era? Quem era o pai de seu filho?

-É muita audácia sua invadir as Terras de meus parentes. Sou Lyanna Storm, nascida na Tempestade e sua Rainha. Filha de Robert Baratheon. Está invadindo minhas terras, Sor.

-‘’Sor’’? Não sou um simples Sor, minha senhora. ‘’Storm’’? Uma bastarda? Por favor, seja pacífica e eu serei com você. É bonita e não gostaria de ser hostil. Sou Aegon Targaryen, e ao meu ver, o seu pai matou o meu.

A mulher franziu a sobrancelha. Também não queria guerras. Quem era aquele? Um pobre coitado. Não tinha ódio de Targaryen’s. Somente de um, Rhaegar. Aquele homem nojento que roubou aquela que poderia ter sido sua mãe, Lyanna.

Contudo, não queria seu nome afiliado à falecida Lyanna. Ela era única.

Mas se Aegon queria tomar a terra que era sua por direito, teria guerras.

------ //------

Jaime -

Fazia muito tempo que não via sua mulher. E para confessar, tinha saudades.

Jaime ainda amava sua irmã, mas Lyanna lhe dava sentimentos a mais, a mulher era jovem, de beleza encantadora e ambos tiveram relação muito próxima.

Quando fugiu de Porto Real, soube que seria rastreado por Cersei por traição, mas ele de fato não a ajudaria.

Agora ele queria que Lyanna estivesse segura e iria seguir seus próprios passos, ao lado de seu melhor amigo, Bronn.

-Você estava apaixonado? – Perguntou o amigo enquanto cavalgavam.

-Não. Claro que não – Jaime fez um olhar triste enquanto se lembrava dos olhos violetas da mulher. Sua pele macia, seu jeito delicado, sorrisos.

-Ela era mais bonita que sua irmã. Quem diria que você trocaria sua amada loira por uma mulher tão... Diferente. Ela era gostosa e jovem. Muito jovem – comentou o homem em tom sincero e provocou à ira do Lannister – você gostava daquelas tetas durinhas? Aquele corpo lisinho e novo? Pois se eu fosse você nunca a teria deixado.

-Ela está segura agora. Espero que não se meta em confusões.

Mas o que Jaime pretendia fazer? Algo um tanto quanto insano. Mas um acordo de paz.

Sabia que Daenerys e seu próprio irmão estavam em Pedra do Dragão, zarparam de navio até o território.

O que ele queria era entregar o Reino, em troca disso, deixaria Lyanna em segurança em Casterly Rock.

E sua irmã? Sua irmã estava quase morta em seu coração. O amor estava sumindo, ainda existia. Mas sabia que era somente ele que sentia amor. Ela não o amava.

Tudo seria mais fácil se Cersei fosse como Lyanna, uma esposa fiel, doce, frágil.

Antes mesmo de chegar ao território Targaryen, foi pego numa emboscada pelo exército da Mãe dos Dragões.

Quando ele e Bronn foram levados até ela, reencontrou seu irmão.

Era difícil diálogos com aquela mulher, mas ela hesitou em matar o irmão de sua Mão.

-Não quero guerras. Somente a paz. Não lutarei. Quero somente um acordo de paz.

Quando questionado em troca do que seria esse ‘’acordo de paz’’, todos se espantaram.

-Quero viver em paz com minha esposa. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...