História Rathi - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amor, Gays, Rafhaethiago, Rathi
Visualizações 6
Palavras 1.507
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Ta uma porra

Capítulo 4 - Descobertas


Fanfic / Fanfiction Rathi - Capítulo 4 - Descobertas

 Depois de ter uma noite um tanto quanto estranha e mal conseguir dormi pois a insônia e os pensamentos falavam mais alto que meu sono, estava agora muito ansioso pra vê aquela garota novamente. Mas algo estranho poderia está acontecendo, pois, ela não atendia minhas ligações e nos outros dias ela faltará na escola e ninguém tinha noticias sobre o por que desse seu sumiço.Eu não conseguia pensar em nada além de "ela não deve ter gostado daquela noite" e feito um bobo eu me culpava e via todas minhas atitudes perante ela , como um erro. Imbecil? Idiota? Retardado? eu me questionava e escolhia qual pior nome poderia me entitular. Sim ! estava me sentindo péssimo, mas tanto , que até o insensível do meu colega dereck notou, me perguntou o que havia sucedido e me derá conselhos

-- Ela não sumiu, deve ter apenas sido abduzida e depois de uma serie de testes foi trocada por uma vaca, e nesse momento deve está comendo capim pra sua sobrevivência, e esperando que por sorte o dono da fazenda a note e a ajude.

-- eu sorri, mas já estava desperançoso. Mesmo assim levantei a cabeça pensei alto -- vida que segue!

Agora conformado, na saída espero a perua.Quando sinto alguém jogando pedrinhas em minhas costas, antes de virar pensei eu sou um merda mermão

Eu gritei

--- para seu infel...

Antes que eu terminasse aquele ser colocou as mãos em minha boca e pediu pra irmos pra um lugar mais afastado, eu não sabia quem era até, ela tirar o capuz.Pra minha surpresa era a amiga da Tayla , a Isa. Ela estava disfarçada e assim como a amiga, também havia sumido.

--- Eu sei onde a tay está e ela pediu pra você ir comigo até ela.

--- meu medo me atormentava mas mesmo assim me fiz de macho alfa e então ela me disse que estavamos indo até sua casa.

 -- meus pais não estao em casa e eu mandei o meu irmão sair , mentira! na verdade ele está no sótão desmaiado. Sorrindo fomos até seu quarto, e lá estava a tay no chao, em meio a folhas e mais folhas, repletas de desenhos e rabiscos. Pergunto surpreso o por que do seu sumiço e ela apenas sorrir. Eu a olhei fixamente e confuso a disse:

-- Eu estou quase fazendo minhas necessidades fisiologicas na calça , eu realmente queria que você me desse uma satisfação não que eu precise mas estava preocupado com você e estava me culpando todo esse tempo. Ela se levantou abriu a gaveta da cômodo que estava próxima a cama e pediu pra que eu me aproximasse

-- veja, eu tive que sumir pra conseguir essas belezinhas. Com cara de assustado faço uma serie de perguntas ,pois o que estava na gaveta eram armas 

-- como conseguiu isso? e o nosso plano ? Fechando a gaveta ela me disse

-- Bem, a isa achou essas armas no sótão, são do pai dela , e estão carregadas.

-- eu já o coloquei em prática ,eu fui atrás do filho do prefeito e pedir pra que pudesse me ajudar com grana já que eu precisaria comprar alguns materiais e blá blá blá, foi só alimentar o ego dele e conseguir tudo facinho.

-- no dia que fomos por em prática, eu te digo ! O dinheiro que conseguimos vai nos servi pra comprar bobinhas daquelas simples de festa junina e que vai ser bastante útil. Disse ela com uma carinha maliciosa.

-- uau! Mas ainda estou confuso , onde entro nesse plano?

-- logo você saberá .

Marcamos de se vê todos os dias na casa da isa e tudo agora era tão divertido, me sentia super foda. Passavamos horas e horas fazendo piadas e falando muita bobagem sem esquecer do nosso foco. Porém eu sempre chegava tarde em casa e meu irmão começou a desconfiar que algo não estava certo, e em meio a suas ameaças de contar pra nossos pais ,eu virei seu subordinado , pois era isso ou teria que contar todo o plano pra ele , além de levar bronca dos meus pais , que por um lado adorariam descontar seus stress em mim. Não demorou muito pra que eles soubessem das minhas notas baixas e faltas na escola.

Era uma tarde fria quando eles apareceram no colégio, eu estava quase dormindo ,e de fones, fingindo prestar atenção na aula do professor chato de matemática ,quando me chamaram pra conversar na diretoria. Naquele momento imaginei como seria se eu fosse uma das winx , logicamente sairia voando dali.

-- Pois bem, o rapaz não está mais como era antes , como já viram , nota boa no seu boletim é tipo o mundial do palmeiras , não tem.

Meus pais decidiram me colocar num cursinho a noite. Eu estava nervoso poderia faltar , mas questionariam mais e não se convenceriam só com minha resposta de que estava jogando na casa de amigos. Com blusa de capuz preto, no estilo , vou pra a aula de reforço, o que eu não esperava era que o professor seria o filho do prefeito.

-- Cara eu não esperava te vê por aqui

-- por acaso tenho cara de nerd ?

-- vamos pra outra sala daqui a pouco chega mais gente.

-- disse o thiago que estava incrivelmente belo,com aquela blusa social azul e calça jeans clara.

Na sala ele bate a porta.

-- eu não quero dizer isso mas ,eu não suporto mais te vê, você poderia fazer o esforço de sair por aquela porta e procurar outro professor de reforço ou sei lá trocar de escola?

-- eu adoraria, mas não tenho o que fazer .Meu coração começou a bater tão rápido, e eu insensível não conseguia entender o por que, Enquanto ele me olhava fixamente . -- Eu vou sair já que é assim vou faltar meus pais nem vão saber mesmo.

-- Ei não vai, eu não suporto mais te vê porque toda vez que isso acontece meu corpo não mais me pertece e me arrepio pois ele deseja loucamente ser seu. Assim como o meu coração que agora está saindo pela boca quase que com as tripas e todo o meu estômago.Em questão de segundos ele me beijou. Quase sem reação e sem me dar conta do que havia acontecido fico travado de frente pra ele.

-- Eu me sinto estranho, não posso descrever, eu gosto de homens?

-- Acho que gostamos. E ninguém precisa saber do nosso caso. Eu quero você assim como quero te ajudar e te amo como o hitler amava a arte.

-- me sinto muito confuso eu tenho que ir pra casa.

Em minha residência mandei um sms dizendo que havia gostado daquele beijo e que poderá considerar como um sim. Pela primera vez eu estava confiante mais achava tudo estranho e me encontrava tão confuso. Mas considerei que a ajuda dele seria mais importante que tudo. Marcamos de se vê no outro dia cedo. As meninas haviam ficado bravas por eu não está comparecendo as nossas "reuniões". Mas a data pra realização do nosso plano ainda estava indefinida.

O dia estava lindo  e eu flutuava olhando pro nada. Com uma pegada maravilhosa aquele ser me agarra  por trás.

-- Alguém pode vê a gente vamos sair daqui. Passando perto de um parquinho olhando crianças brincando ele me questiona.

-- porque você vive com aquelas meninas? Vocês tem algo?

-- não ! Disse em voz alta somos amigos apenas .

-- hm interessante.

-- está com ciúmes né pois não fique eu não sou desses .

-- você disse que estava confuso então não sei..

-- não vai começar a brigar agora né

porque se for eu não vou pegar leve

-- aah eu não acredito ,que grosso você devia ser menos rude com as pessoas.

-- vai se ferrar filho da Dilma

-- eu também te odeio imbecil.

 Seguir adiante enquanto ele foi em direção contrária. Gostaria de dizer que estava tudo tranquilo mas eu sentir falta daquele imbecil. O orgulho não era tão grande então o mandei mensagem enquanto estava a caminho da casa da isa.

-- finalmente temos um dia pra nosso plano ser posto em prática. Haverá uma festa no colégio na qual o prefeito irá está, pelo que soube vai ter uma homenagem da diretora pra o prefeito. Terá varias apresentações e será ao anoitecer.

-- o que você tem contra o prefeito? Não para de falar nele. Virei os olhos em repulsa

--- sou contra  puxa sacos só isso.Ela concluiu dizendo que nosso plano séria daqui um mês e que estava tudo certo ,nada nem ninguém poderia atrapalhar. Eu me senti estranho novamente quando lembrei do Thiago, e exitei dizendo que não seria bom por em prática nesse dia e que  iam descobrir quem foi, mas ela pensava em tudo, e até já tinha planejado caso a gente precisasse fugir da cidade. Aquilo tudo me soava bobo e agora eu estava muito mais que confuso. Porém o desejo de vingança me possuía e eu já não podia ir de contra ao que eu tanto sonhei em todos esses anos de escola.


Notas Finais


Vou tentar postar tudo o mais rápido possível ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...