História RBD: El Retorno - Vondy e Ponny - Capítulo 32


Escrita por: ~

Postado
Categorias Rebelde (RBD)
Personagens Alfonso Herrera, Anahí, Christian Chavez, Christopher Uckermann, Dulce Maria, Maite Perroni
Tags Alfonso Herrera, Anahi, Christian Chavéz, Christopher Uckermann, Dulce Maria, Maite Perroni, Ponny, Rbd: El Retorno, Vondy
Exibições 100
Palavras 899
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 32 - I'll Be There For You


O som do tiro ainda ecoava na minha cabeça, arrepiando-me. Apertei Christopher e os meus olhos com mais força.

Foi então que eu ouvi um som diferente. Algo chocar-se contra o chão, abri os olhos e de canto de olho, vi o corpo do capanga esparramado no chão. Meus olhos rondaram a noite escura a tempo de ver um policial abaixando sua arma.

Suspirei para dar início a um choro, um choro de alívio.

Virei meu rosto para a janela embaçada do carro para encarar o grandalhão, massageei o pelo de "escape" enquanto o cara me encarava de volta e abaixavam sua cabeça para dentro da viatura. Ele já não parecia tão assustador assim.

Olhei para o cachorrinho chochilando no meu colo logo depois que fecharam a porta da viatura.

Eu ainda não havia encontrado a dona/dono do filhote, mas não iria desistir. Afinal, eu havia feito uma promessa.

Christopher parecia nervoso ao meu lado, não havia falado uma letra desde que nos enfiaram em uma viatura para nos levarmos salvos para casa.

Olhei de canto de olho para ele.

— Sua mão está mesmo bem? — perguntei.

Uma equipe de paramédicos havia enfaixado a mão que Christopher havia fraturado ao amortecer sua queda.

Ele levou seu olhar para a mão e depois pra mim.

— Sim, bem — disse. — E você, como está?

— Tirando o fato de eu ser um imã para a morte, tudo bem.

Fitei as costas do policial que acabava de se sentar atrás do volante. Christopher soltou um risinho.

— Não é bem assim — contrapôs.

— É assim sim — falei. — Primeiro o desmaio, depois a praia e agora isso. O que há de errado comigo?

— Você é.. delicada.

Olhei-o de canto de olho.

— Isso é bom ou ruim?

Ele ergueu os ombros, eu sorri olhando para a janela e todas aquelas luzes passando em flashes.

— Obrigado por usar um salto como arma — disse ele. — Não sei se conseguiria entrar.

— Uma garota tem que saber se defender — franzi os lábios. — Obrigada por vir me buscar, apesar de eu não saber exatamente como me encontrou.

— Disponha, você sabe que eu faria qualquer coisa por você.. quer dizer.. — sacudiu a cabeça. — Pra te ajudar.

— Hm, obrigada mesmo assim.

Ele não disse nada depois disso. Eu também não consegui. Meu coração estava batendo rápido demais.

Antes mesmo de eu sair do carro, Annie e Mai já corriam em minha direção para me enlaçar em um abraço apertado. Sorte que eu não estava com o cachorro nos braços, os olhinhos dele provavelmente teriam saltado para fora.

— Nunca mais faça isso — Annie murmurava contra o meu ombro. — Nunca mais, por favor.

Só notei que as duas estavam chorando quando elas começaram a soluçar. Acabei não aguentando.

O sol batia contra o vidro da janela, as manchetes não diziam outra coisa que não fosse "a donzela em perigo", Christopher e Mai dormiam. Após publicar que eu estava bem e responder alguns surtos dos fãs, estava eu tentando fazer "escape" olhar para a lente do celular.

— Vamos lá, só olhe.. — estalei os dedos.

— Ah fala sério, ele não vai olhar — Annie falou bebericando uma caneca de chocolate quente. — Me deixa segura-lo.

Ela deixou a caneca na bancada e puxou o cachorro para o colo.

— Tá legal, mas não me responsabilizo se te incluírem no "animalzinho perdido" — disse eu após tirar a foto.

— Ai, vaca — me deu um tapa no braço.

— Acordem os outros, Pedro e Luís estão no área — disse Alfonso plantando um notebook na mesinha ao meu lado.

— Eu acordo — disse Annie, antes de correr.

— Acham que é o quê ? — perguntou Chris, empoleirando-se ao meu lado.

Eu e Poncho demos de ombros.

Logo Annie apareceu empurrando Mai e Ucker igualmente fofos com suas carinhas de sono e moletom rosa e cinza.

— Vou matar ele por interromper meu sono de hm.. beleza — espreguiçou-se Mai.

— Vamos ver o porque — disse Poncho deslizando o dedo no notebook para enfim abrir conexão com eles.

Logo as caras dos dois apareceram numa imagem ligeiramente ruim.

— Que bom que estão todos aí — disse Pedro.

— Bom dia pra você também — disse Chris bem no meu ouvido, lhe fiz cara feia, mas ele pareceu não ligar.

— Não quis interromper o soninho de beleza de vocês.. mas já interrompendo — apressou-se ao ver que Mai iria dizer algo. — Só preciso atualizar vocês com algumas coisas.

— Tudo bem, pode falar — falou Annie, tomando um gole de chocolate quente.

— Então, estão cientes que pretendemos fazer uma nova temporada de Rebelde e mais um capítulo para RBD La Família, não é? — perguntou ele.

— Hm, sim — Christopher respondeu, olhando de soslaio para nós. — A gente queria mesmo falar sobre isso. Achamos que vai ficar muito..

— Cansativo — completou. — Sabemos, é por isso que temos uma proposta.

— Que tipo que de proposta? — foi eu quem perguntou.

— Mesclagem — respondeu — "Family Way", uma junção. Rebelde em RBD La Família, RBD La Família em Rebelde e RBD em ambos.

Ninguém disse nada, apenas ficamos olhando para a tela.

— E então, o que me dizem ? — soltou um sorriso que mal cabia na cara.




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...