História Ready, set, go! - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Jikook, Jinkook, J-kook, Kookmon, Nanseok, Nansuga, No-sense, Sugamon, Vkook, Vkookmin, Vmin, Yaoi, Yoonjin, Yoonkook
Exibições 246
Palavras 1.318
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Escolar, Fantasia, Lemon, Mistério, Romance e Novela, Shonen-Ai, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Cross-dresser, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Hellou pessoaaaalll nesse cap tem agradecimento especial tb! Giu unnie, sua linda gatosa obrigado pela help 💙 pessoas, estão gostando da fic? Espero que sim :3

Capítulo 4 - Acho que o vermelho é de fogo no cu


Fanfic / Fanfiction Ready, set, go! - Capítulo 4 - Acho que o vermelho é de fogo no cu


-Jovem mestre! Acorde! Se vai dormir, faça isso em seu quarto - abro os olhos devagar e dou de cara com Hye Min. Eu, aparentemente, já estava em casa, mas ainda dentro do carro. Sentei-me devagar, alcançando a mochila atrás de mim e me arrastei até a porta já aberta, saindo do carro. Eu pretendia apenas descansar os olhos e acabei dormindo. Ignoro completamente a garota baixinha ao meu lado- parecia dizer algo sobre meu suposto pai, mas apenas comecei a andar sem dar muita atenção, afinal, eu estava sonolento e não conseguia raciocinar direito - O que vai querer almoçar?


-Almoçar?- cocei minha cabeça, esqueci-me completamente não ter comido nada o dia inteiro - Pode ser qualquer coisa… Que tal hambúrguer?


-Ok, vou mandar o cozinheiro fazer. Pode ir esperar em seu quarto, quando estiver pronto chamarei por você. - assenti. Subi as escadas chamativas até o segundo andar, praticamente chutando a mochila assim que cheguei onde ficava os quartos, ela estava pesada demais e já dava dor em minhas costas. Admito que acabei esquecendo qual dos quartos era o meu, mas um bilhete pendurado chamou minha atenção. Andei até o pedaço de papel. Brotam bilhetes por todos os lugares por aqui... Pego-o em mãos e leio em voz alta mesmo.


-Parabéns pela primeira missão cumprida. Como recompensa, o que acha de voltar a cochilar? Bom, não garanto nenhuma surpresa, de: bubble gum - franzi o cenho curioso. Coloquei o bilhete no bolso e entrei no quarto devagar. Nada de diferente… Foi então que me toquei, não tinham mais caixas e todos os meus pertences estavam em seus devidos lugares. Deixei a mochila jogada e me sentei na cama. O ambiente era nostálgico, de certa forma me deixava triste, afinal, eu estava longe da minha mãe e por mais estranha que ela seja, eu a amo muito.


Deitei-me na cama e me assustei ao sentir algo duro embaixo de mim - O que é isso? - percebo um volume debaixo dos cobertores e cutuco para ver o que era. Bom, aparentemente era um ser vivo, pois assim que o toquei ele se mexeu. Puxei as cobertas aos poucos, com medo do que poderia ser - Mas o que?! - grito alto. Tinha uma pessoa na minha cama! Mas o pior que que eu já sabia muito bem quem era.


-Porque está gritando? - falou com voz manhosa. O menino de cabelos vermelhos que antes estava dormindo, abriu os olhos devagar e sorriu assim que me viu - Que bom que chegou, hyung! Eu até acabei pegando no sono enquanto te esperava… Gostou do quarto? Eu arrumei tudinho, não deixei as empregadas fazerem nada.


-Espera, hyung? O- o que está acontecendo - me afasto um pouco do menor e o mesmo faz um bico com os lábios.


-Como assim o que está acontecendo? Esqueceu do seu irmãozinho mais novo? Nem fomos juntos pra casa também… Deixou de gostar do Jiminnie, oppa?- levanto da cama, engulo seco e vou em direção a porta. Isso é demais para mim, vou cometer suicídio antes de morrer de taquicardia, é muita fofura!- Ya! Eu tava brincando, volta aqui - ele ri e eu, mesmo meio receoso, me aproximo.


- Tipo… Somos irmãos mesmo? - OMG incesto, adoro! Eu me sento novamente na cama e ele se senta ao meu lado.


-Bateu a cabeça ou algo do tipo? - suspira - Sou filho bastardo do seu pai… Moramos justos a apenas poucos meses... Se está me tratando assim porque eu te chamo de irmão, tudo bem, eu paro - fala de cabeça baixa e se levanta - Desculpa te incomodar. Se prefere vou ser dilacerado pela sua mãe, então.


-Não foi isso que eu quis dizer, pode ficar. Você não é um incomodo e eu até que gosto de ser chamado de Hyung - ele continua com um bico - Me desculpa por ter te magoado.


-Posso dormir com você se eu te desculpar? - começa a sorrir novamente.


-Você é bipolar por acaso? - acabo rindo e ele também.


-Não, só estava sendo dramático pra você ficar com pena! Nem ligo pra essa história dos meus pais. Passado é passado, né?Mas…- se aproxima de mim e deixa nossas respirações muito próximas - Ainda quero passar a noite com você… Kookie. Sabe, tenho muitos pesadelos de noite. Talvez você possa me proteger!


-E- e-eu…


-Não se preocupe - toca meu rosto e passa seu polegar por cima de meus lábios. Puta merda, faz isso comigo não, Jiminnie - Prometo ser um bom menino - fala inocentemente, mas mesmo assim, sinto um tom de malícia em sua voz.


Agora é oficial, paralisei de vez! Minha boca estava um pouco aberta e eu olhava para frente (para ser mais exato para o torço amostra do ruivo) Quem foi que inventou as blusas transparentes es?! Essa pessoa devia ser santificada! Engulo seco e tento desviar o olhar para outro lugar, mas minha vontade mesmo era de atacar esse ser que está na minha frente. Quem mandou ter nascido medroso ein? Cadê a coragem pra pular no crush e pedir pra ele te engravidar?!


-Jimin eu- ele me olha curioso, finalmente tinha conseguido um pingo de atrevimento pra tentar dizer "não posso atacar ele enquanto ele dorme, não posso fazer isso, o nível de paixão e amor não tá no máximo, não quero ser expulso do jogo, mas mesmo assim ainda quero abraçar essa criatura enquanto eu durmo, aí meu santo GD!"


-Jovem mestre, sua comida está pronta! -Hye Min aparece e escancara a porta do quarto- Ah você esta aqui Jimin? Venha comer também. - o ruivo assentiu e seguiu a mulher. Eu fiquei pra trás para tirar o uniforme e… Ver se conseguia me acalmar um pouco... Como uma pessoa pode ser tão inocente e tão maliciosa ao mesmo tempo?! Vou acabar enlouquecendo nessa casa.


Vou até o armário que tinha no canto do quarto e o abro, achei que as roupas que eu tinha o costume de usar estariam lá, mas me enganei, tinham apenas dois pares de roupa e ambas eram extremamente provocativas. Respiro fundo e lembro de olhar nas gavetas. Na primeira: nada. Na segunda: uma espécie de lingerie cor de rosa e cheia de lacinhos (não faço ideia do porque isso está aqui)… Assim que vi isso, fechei a gaveta e desisto de procurar algo decente. Tiro o blaiser do colégio, taco na cama e saio do quarto apenas de regata branca e calça, até deixei meus óculos para trás.


Com um pouco de dificuldade, achei a cozinha, me sentei numa pequena mesa que tinha lá e observei de longe Jimin comer um hambúrguer, enquanto estava sentado na grande bancada - Vocês deviam estar comendo na sala de jantar. - repreendeu Hye ao se aproximar de mim com um prato, que tinha a mesma coisa que o ruivo estava comendo.


-Me sinto mais confortável aqui, lá os empregados ficam me trucidando com os olhos. - diz o avermelhado após dar uma última mordida em sua comida.


-Comer lá parece ser solitário. - digo e abro um sorriso. Meu "irmão" também sorri, saindo da bancada e sentando-se ao meu lado. Começo a comer, alternando entre morder o hambúrguer e prestar atenção no que eles falavam.


-Viu, Hye noona, nenhum de nós gosta de comer lá. Bem que podiam tirar aquela mesa quilométrica e fazer uma sala de jogos… Até uma sala com pole dance eu aceito, com certeza seria bem mais divertido do que ter que comer com a família toda reunida. Faríamos bom uso de uma sala de pole dance, né maninho - me engasgo com seu comentário. A empregada logo trouxe um copo de água para me ajudar, demorou um bom tempo pra eu recuperar meu fôlego novamente. O mais novo apenas ria, como se fosse a coisa mais divertida do mundo.


"Esse aí de anjo só tem a cara" penso. Me recupero e volto a me alimentar. Por mais estranho que parecesse, mesmo eu estando dentro de um jogo, eu sentia muita fome.

  





Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...