História Real Me - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Ace of Angels, AOA, CNBlue, F.T. Island, N.Flying, Sensational Feeling 9 (SF9)
Personagens Cha Hun, Chani, Chanmi, Choa, Choi Jong-hoon, Choi Min-hwan, Dawon, Hyejeong, Jimin, Jung Yong Hwa, Kang Min Hyuk, Kim Jae-hyun, Kwon Kwang-jin, Lee Hongki, Lee Jae-jin, Lee Jong Hyun, Lee Jung Shin, Lee Seung-hyub, Mina, Seolhyun, Song Seung-hyun, Yuna
Tags Comedia, Fnc, Kpop, Musica, Romance, Suspense
Visualizações 19
Palavras 1.475
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Hentai, Lemon, Luta, Orange, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Perdoem qualquer erro gramatical, estou sem beta.

Obrigada ♥

OBS: Vejam as notas finais.

Capítulo 5 - Capítulo V


Domingo havia chego finalmente e logo as 7:30 da manhã o despertador posicionado ao lado esquerdo de Yuna despertava estridente. A garota esticava um dos braço tateando em busca de desligar o relógio, após algumas tentativas conseguindo.

            Ainda sem conseguir abrir os olhos direito e com os cabelos pouco bagunçados a mesma sentava-se na cama, afagando a nuca, ainda raciocinando sobre o que havia de fazer naquele dia. E ao lembrar-se que iria levar café ao patrão de ChanMi e manager da grande empresa FNC Entertainment, também veio a recordação do primeiro contato que teve com o rapaz, fazendo ela resmungar audivelmente, se remexendo sobre o colchão.

 

            - Vamos Yuna, pensa que é pra realizar seu sonho! Pensa no que ChanMi lhe disse, ele devia estar só com uma ressaca bem, bem forte... – Suspirava, falando para si mesma, na sequência levantando-se da cama preguiçosamente e indo realizar a higiene matinal como de costume.

 

            Após ficar algum tempo maquiando-se e pensando em que roupa utilizar para poder impressiona-lo de alguma maneira, finalmente escolhia um vestido de mangas longas, nas cores preto e branco com detalhes pequenos vermelhos, somente ao final disso, quando direcionava o olhar a hora em seu celular e vendo “9:30”, se desesperava jogando os últimos pertences na bolsa, calçava os sapatos sem salto e corria para comprar as bebidas e chegar a tempo no local combinado.

            Com todo o tráfico de Seoul utilizando transporte público, apenas as 10:50, Yuna chegava, passando correndo pela porta giratória da FNC com cautela, carregando em uma das mãos o suporte de papelão que sustentava os dois copos de café que havia comprado.

            Claramente um pouco ofegante, ganhava facilmente a atenção da recepcionista que falava com um tom levemente assustado pela rapidez e urgência com que entrara ali.

 

            - P-pois não senhorita? Precisava de alguma ajuda?

            - Aigo, desculpe, e-eu.. preciso, quer dizer.. por favor, vim falar com o sr. Choi JongHoon.. – Yuna respirava fundo, recuperando o fôlego que havia perdido correndo, com medo de perder aquela oportunidade.

            - Sr. Choi JongHoon..? Bem, ele não vem a empresa aos domingos. – Ao ouvir aquelas palavras, a garota loira congelava sem reação por alguns segundos que pareciam minutos.

            - Acho que deve haver algum engano, eu combinei com o próprio de estar aqui. Tem certeza que ele não está em alguma dessas salas? – Tentava manter a calma, porém por dentro ela fervia de raiva de imaginar ser enganada daquela maneira.

            - Tenho certeza srta., nos meus plantões que são aos domingos ele nunca apareceu. – Ao que Yuna tinha a sua certeza, não conseguia se controlar, ou canalizar sua raiva e desgosto por JongHoon, mesmo sem o conhecer direito.

            - AQUELE PABOYA! ELE... YA, AISH! – A mais nova movida pelo estresse momentâneo, esquecia-se da presença da recepcionista a sua frente, pegando o suporte dos cafés de qualquer maneira, de tal modo que escapavam de sua mão ao se virar, trombando com alguém, derramando toda a bebida sobre o mesmo. – Omo.. m-me desculpe.. me desculpe – Dizia voltando de imediato a sua sanidade, vendo que quem havia molhado era um rapaz, com diversas tatuagens visíveis nos braços, cabelos castanhos claro, curtos e levemente bagunçados que logo fora também acudido pela recepcionista que o chamava pelo nome.

            - HongKi sunbae! Quer que eu vá buscar alguma coisa? – A recepcionista dizia com algum desespero, fazendo com que Yuna ficasse ainda mais aflita por conta do acidente.

            - Primeiramente, quem é você e o que faz aqui? – HongKi após um período considerável em silêncio, com uma expressão totalmente enfezada, quebrava o silêncio, ignorando a funcionária. – Segundo, você sabe quanto custa essas roupas, garota?

            - Me d-desculpe.. foi um acidente, eu.. eu.. posso lavar pra você, eu.. me desculpe.. – A cantora amadora estava em choque que não conseguia olhar para mais nada além da mancha que havia deixado nas roupas do rapaz, que com certeza eram bem caras.

            - Você acha que eu vou dar minhas roupas a uma desconhecida para lavar? – O mais velho dizia indignado. - ...Você sabe quem sou eu?

            - Uhn? – Yuna finalmente direcionava o olhar para o rosto de HongKi, reconhecendo-o só naquele momento, vendo que quem ela havia molhado era nada mais, nada menos que um dos solista, compositores mais famosos da Coréia. – Omo.. – Sem acreditar direito ainda no que estava lhe acontecendo, os olhos da mesma enchiam-se de lágrimas, chegando algumas a escorrerem pela face dela.

            - V-você tá chorando..? – HongKi tinha fama de ser amigável, embora difícil e com uma personalidade forte, contudo ele era o tipo de pessoa que não sabia como lidar ou reagir quando outra chorava, mais comumente conhecido como “coração mole”. – N-não chora.. é só uma roupa, tá tudo bem, foi um acidente, ne?! – O mesmo abria um sorriso demonstrando que não estava bravo, tentando de tudo para que ela não chorasse a sua frente.

            - Não é por causa disso que eu tô chorando.. – A mais nova fungava baixo, limpando com a canhota os rastros das lágrimas que haviam escorrido.

            - ...Então porque? – O compositor arqueava uma das sobrancelhas, a fitando confuso.

            - Eu me atrasei, saí correndo pra trazer a porcaria do café pro pabo do Choi JongHoon, pra descobrir que ele não vem de domingo, me fez de trouxa e eu acabei derrubando o café num dos maiores compositores da Coréia e.. e.. eu não consegui falar o que eu precisava de novo.. – Yuna falava tão rápido, que o mais velho quase se perdia na história, ainda mais que as palavras ainda se misturavam ao choro causado pelo estresse.

            - Aaah, Funi, agora entendi. – HongKi não conseguia evitar um riso soprado de soar, suspirando antes de continuar. – Qual o seu nome? – Perguntava, pendendo levemente a cabeça para o lado para chamar atenção dela.

            - Seo Yuna.. – A menor respondia um pouco incerta do motivo pelo qual alguém como ele se interessaria pelo seu nome.

            - Yuna-ah, você realmente não deve conhecer o Funi, isso são coisas bem típicas dele, já que é um Casanova. – O compositor ria divertido ao explicar aquilo a garota loira. – Mas, para que você não perca a viagem, acho que eu vou aceitar que lave isso aqui pra mim, pode ser? Afinal, eu não tenho culpa ne. – O mesmo brincava, arrancando um sorriso quase imperceptível dela. – Desculpe por não te dar atenção, ela vai subir comigo, uhn? – HongKi finalmente se dirigia a funcionária que ficara o tempo todo os observando.

 

            Yuna acompanhava o compositor até o elevador, onde durante o trajeto ficava quase que o tempo todo de cabeça baixa, envergonhada pelo modo com que conhecera o outro.

 

            - Não querendo ser curioso, mas já sendo, o que é que quer com o JongHoon? Quer dizer.. você não parece com o tipo de garota com quem ele.. enfim.. – HongKi perguntava tentando fazer que a mais nova se sentisse mais a vontade naquela situação.

            - Eu não sou esse tipo de garota, ele se quer faz meu tipo, aquele pabo! – A cantora amadora resmungava baixo as últimas palavras, lembrando-se da raiva que sentia ainda do rapaz citado. – E eu queria apenas uma oportunidade de realizar meu sonho.. – Dizia com algum desânimo na voz.

            - Sonho? E qual seria? – O compositor achava cada vez mais engraçado em como a ela reagia ao lembrar do ocorrido, mas continha-se para não rir.

           

            Saindo do elevador no quarto andar, logo adentravam num closet bastante grande e com diversos tipos de roupas, cores e tamanhos.

 

            - Espere aqui, vou apenas trocar de camiseta, mas pode ir me contando, estou ouvindo. – HongKi completava, se dirigindo para trás de um biombo após escolher a troca de roupa.

            - N-ne.. sempre quis tentar a carreira de cantora, mas meus pais são contra.. estou fazendo isso escondida, para provar que posso ter uma vida digna cantando.. – A mais nova inconscientemente deixava aparente o quanto aquilo era difícil para ela. – Mas a julgar em como tem sido difícil.. acho que meus pais estavam certos..

            - Pra começar, acha que pra entrar nesse meio é fácil? Não, não é, acha que cheguei até aqui como? – HongKi saia de trás do biombo já com a nova camiseta, dirigindo um olhar sério para a menor que mal conhecia ainda, mas era evidente o quanto música era importante para o mesmo. – Outra coisa, o JongHoon não decidi sozinho pra quem dar uma audição, é um conselho de 4 pessoas e uma delas.. pra sua sorte, sou eu. Então se quer voltar pra casa e lamentar o resto da sua vida que não teve de mão beijada uma oportunidade, fique a vontade.. agora se é realmente seu sonho e tiver mesmo talento, eu lhe dou minha palavra, farei o que posso para lhe dar uma chance. – O compositor mirava os olhos de Yuna com intensidade, notando a surpresa dela por um “estranho” falar assim consigo logo no primeiro contato.

 

---

 

Continua . . .


Notas Finais


OBS: Visual que Yuna está utilizando no capítulo:
http://68.media.tumblr.com/c34c083422905362fa2f3db4a43a8a8c/tumblr_olijw4DHtR1ua5db3o1_540.jpg

A todos que lerem esta fanfic, por favor, deixem seus comentários


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...