História Realeza - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 11
Palavras 1.346
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 10 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Luta
Avisos: Heterossexualidade
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Esse é o meu segundo oneshort, espero que gostem, pois eu adorei escrever e pretendo escrever muitas outas historias ainda desse jeito.
~bjs

Capítulo 1 - Capitulo unico


Seja sempre educada, sempre bonita, gentil e amável.

     Estou cansada de sempre obedecer, nunca ser eu mesma nunca agir como a situação está pedindo, porque devemos seguir os padrões, sendo que os padrões são inúteis e chatos.

     Se sou uma princesa não posso saber lutar, porque ter tudo sobre controle quando eu sou quero perder o controle?

     --Concentração, Annie, o que eu disse- olhei para frente e lá estava Dick, o ajudante do meu pai revisando pela milésima vez um plano de fuga em caso de invasão.

     Eu estava sentada em uma cadeira em baixo de uma cabana para me proteger do sol, totalmente entediante, Dick repetia e gritava em quanto andava de um lado para outro feito um doido.

      Atrás deles estava tendo um treinamento dos novos soldados, eles pagariam tudo para estarem aqui em baixo descansando com agua e eu daria tudo para estar lá com eles, mostrando que sou muito mais que uma simples princesa.

     Como em todas as aulas do Dick eu estava em outro planeta, dessa vez imaginando como eu derrotaria milhares de inimigos, eles ficariam impressionados, ai eu levantaria o meu elmo e todos veriam que eu não era um guerreiro e sim uma guerreira, seria tão divertido ver a cara deles.

    Quando de repente vi ao fundo talvez o menino mais lindo do mundo, seu cabelo brilhava em dourado como mil diamantes, sua pele avermelhada pelo sol, porem dava para perceber com nitidez que normalmente ele não pegue muito sol, talvez ele gosta de ler, ou talvez ele prefira simplesmente ficar em casa em vez de sair para fazer um esporte, e mesmo assim dava para ver que ele estava muito bem em forma, seu braço era forte e mesmo por cima da blusa fina dava para ver que ele tinha um tanquinho.

     Me arrumei na cadeira e pingarei para chamar a tenção de Dick.

     --Sim, me diga- Dick pareceu feliz por mim ter parecido um pouco mais interessada.

     --Por questões de segurança você, tem o nome de todos os novos recrutas, certo? – sua felicidade logo se tornou desconfiança.

     --Annie, o que você quer saber? Seja mais direta...

    --Qual o nome do gatinho loiro com olhos castanhos esverdeados, bem ali- digo apontando para ele

    --Um total desastre se você quer saber minha opinião, até você com aquelas aulinhas de espada quando era mais nova se daria melhor que ele em um campo de batalha, mas não vou falar o nome, pois isso é totalmente irrelevante, ok?! Agora preste atenção.

     Eu realmente queria prestar atenção dessa vez, mas o menino misterioso, naquele exato momento ficou com muito calor, e teve a mais incrível e inteligente ideia de tirar a blusa, sem querer me gabar mas eu estava certa quando supus sobre seu tanquinho.

                                                                              ***

     Eu estava quase dormindo, quando ouvi uma sirene, uma invasão, droga, bem hoje que eu não havia prestado nenhuma atenção no Dick.

     Simplesmente deitei em baixo da minha cama, torcendo com todas as forças do mundo que um soldado entrasse no meu quarto para me salvar, não muito tempo depois percebi como aquilo era totalmente idiota, e decidi sair daquele lugar, mas sair por ali como uma princesa usando um pijama e sem arma nenhuma, sem dúvida não seria uma boa ideia.

     Peguei uma capa preta suficientemente grande o bastante para que ninguém soubesse se quer se eu era um homem ou uma mulher, peguei uma espada, que eu tinha em caso de emergência, infelizmente eu não lutava dês dos meus dez anos de idade, e além da espada ser leve de mais, não fazia ideia de como atacar alguém, mesmo assim aquela ideia me pareceu melhor do que ficar sentada esperando um cavalheiro vir me salvar.

     Sabe aqueles momentos desesperadores da sua vida, que depois quando você lembra dele até parece uma cena de filme? Naquele momento quando sai do meu quarto, com a capa preta voando pelo vento que batia àquela hora da madrugada, com a espada do meu lado, foi um momento que eu queria até tirar foto para lembrar da primeira vez que eu decidi não esperar o meu príncipe encantado.

     Porem aquele momento “perfeito” não durou muito tempo...

     Quando eu estava descendo já o segundo lance da escada, ouvi um barulho de uma flecha, se não fosse pelos meus reflexos incríveis não teria conseguido me desviar, eu estava pronta para ataca-lo, quando um soldado apareceu na minha frente e o derrubou.

     O rebelde caiu no chão, pensei que estava morto, mas logo vi que só estava inconsciente.

     --Eiii, eu estava quase derrotando ele- reclamei com uma voz disfarçada, não queria que descobrissem quem eu era, logo agora que eu estava começando a me divertir.

     --De nada, por impedir que o matassem – disse o soldado sarcástico

     --Ele não iria me matar, no máximo me sequestrar- digo só para implicar com ele

     --Que eu saiba as únicas pessoas que eles estão interessados em não matar são os membros da família real- disse ele, tirando o elmo, foi ai que eu percebi que ele era na verdade o menino loiro, o que fez com que eu soltasse um suspiro- prazer Henri

     Ele esticou a mão para mim, e sorriu, um nome, um nome, que de preferência não seja Annie.

     --Prazer, Spencer- digo por fim esticando a mão.

     Ele me olhou e continuou andando e eu o segui.

     --Sabe Spencer, você é até um ótimo guerreiro, mas sem dúvida um pouco fora de pratica.

     Ai meu deus ele pensa que eu sou ele, ok eu realmente pensei que ele não ia cair nessa, quer disser eu sou a metade do tamanho dele e muito mais magra.

     --Você também luta melhor do que imaginei, quero dizer você não parece muito fã de esportes, quero dizer...

     --Você descobriu isso tudo só vendo minha cara?

     Merda

     --Tô brincando, quer saber estou te devendo uma desculpa, bem eu a princípio estava te seguindo para te matar.

     --Duvido que você iria conseguir.

     --Sério, eu te vi saindo do quarto da princesa Annie, sem querer ser indiscreto, mas o que você estava fazendo lá, pensei que você havia matado ela, mas obviamente você não está do lado dos invasores, você conhece a princesa a muito tempo? - ele disse me olhando com um sorriso bobo no rosto.

     Demorei um tempo para entender o que ele estava dizendo, então eu me senti ofendida, envergonhada e fiquei vermelha que nem um pimentão.

     --NADA DISSO- encarei ele irritada- só estava vendo se ela está bem.

     --Ok, ok, não se ofenda... então você trabalha pro rei?

     --É mais ou menos.

                                                                 ***

     O sol já estava quase nascendo, quando chegamos no abrigo, os rebeldes já haviam fugido, tenho que admitir que aquilo foi incrivelmente divertido, eu e o Henri havíamos lutado lado a lado, aquilo sim tinha sido incrivelmente divertido.

     Mas quando chegamos no salão real onde estava todos reunidos, parecia que alguém importante havia morrido, pois todos choravam, só quando vi meus pais chorando me dei conta de quem havia sumido tinha sido eu.

     Alguns soldados vieram em minha direção, dei um passo para trás, eu ali era uma estranha, Henri me olhou desesperado, percebi que alguns dos guardas já estavam se preparando para me atacar, como se por uma reação tirei o capuz.

     --Sou eu- digo envergonhada- o gentil soldado, Henri me encontrou e me ajudou a vir até aqui, muito obrigada- digo me virando para ele, o qual estava pasmo, mas as pessoas logo vieram para cima de mim me abraçar, então olhei para Henri que me encarava distante e disse baixinho só para ele ouvir- desculpa

     Ele pareceu ainda surpreso mais sorriu parecendo entender.

                                                                          ***

     No outro dia, eu estava andando pelo castelo quando esbarei em alguém.

     --Olá, Spencer- olhei para trás já sabendo quem era

     --Olá Henri. - ele sorriu e eu retribui.

     Ele veio atrás de mim.

     --Sabe você é uma ótima guerreira, deveria treinar.

    --Vou pensar no seu caso

    Fiquei na ponta do pé e roubei dele um selinho. Sai andando como se não houvesse acontecido nada.

     --Te vejo por ai.

     --Estou ansioso para isso- ele sorriu, eu sorri.

 


Notas Finais


Espero que tenham gostado.
~bjs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...