História Reality - Capítulo 6


Escrita por: ~

Exibições 34
Palavras 2.624
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Crossover, Ecchi, Famí­lia, Festa, Ficção, Ficção Científica, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sadomasoquismo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Olá pessoa que estão vivas e fantasmas, como vão vocês? Aqui está mais um capítulo de Reality, e se eu fosse vocês passava lá nas notas finais. Eu fiz um trailer pra fic e o link dele vai tá nas notas finais, espero ver vcs nos comentarios

Capítulo 6 - Interrogatório


Sentiu o corpo ficar mais leve quando a arma caiu de sua mão e foi parar no chão. Ela olhou para frente e o homem, que antes sufocava Wanda, agora tinha apenas seus olhos arregalados e as mãos perto do pescoço da mulher. Então, ele virou a cabeça, olhando em direção à Mackenzie. Ela ouviu passos pelo corredor e sabia que os super-heróis, agora, se encontravam no corredor. Virou o rosto para encará-los, então ela ouviu um grande estrondo e voltou a olhar para a morena, vendo que o agente da Hidra não se encontrava mais em frente a ela e, sim, no chão, ensanguentado, ainda com os olhos arregalados. Ela sentiu a adrenalina indo embora e, finalmente, percebeu o que tinha acontecido. Ela havia acabado de atirar naquele homem.

 

— Hill, preciso de uma equipe médica urgentemente na Torre — ela ouviu a voz de Fury ao seu lado, mas, mesmo assim, não desviou os olhos do homem no chão. Ela não conseguia olhar para outro lugar. Sentiu uma sensação de déjà-vu e viu algumas memórias passarem por sua mente — Senhorita Colman... — Ele não teve tempo de terminar de falar, pois logo em seguida, a garota, que já estava pálida, desabou no chão, inconsciente. Rapidamente, Rogers pegou-a em seu colo, se virando para o Fury. Logo, a equipe médica entrou naquele corredor, tirando o agente da Hidra dali, que por incrível que pareça, ainda estava vivo, e o levaram até a base da S.H.I.E.L.D. Todos que estavam presentes os acompanharam. Mackenzie foi deixada em um quarto da área hospitalar enquanto não acordava e, depois de que todos foram examinados e remendaram os machucados de cada um, eles se encontraram na sala de reuniões.

 

— Stark, quem é aquela garota? — Steve foi o primeiro a se pronunciar na sala. Olhou para o Stark, que apenas desviou o olhar. O loiro estava curioso e, assim que ele olhou para a garota na sala e para aqueles olhos verdes, ele teve a certeza de havia algo conhecido lá, e acabou despertando uma grande curiosidade dentro dele. — O que você não está nos contando, Tony?

 

— Mackenzie Colman, Capitão. E a filha recém-descoberta do Stark — falou Fury entrando na sala, ganhando a atenção de todos na e recebendo, também, um olhar feio do Homem de Ferro — Não entendo o porquê de tanto mistério.

 

— Espera! Você tem uma filha? — falou Thor. — Parabéns, meu amigo —  Asgardiano desejou ao moreno, dando alguns tapas em suas costas, fazendo Tony revirar os olhos.

 

— Confesso que por essa eu não esperava — falou Clint com um sorriso sarcástico no rosto. — Quem diria que eu viveria para ver isso. Tony Stark com uma filha.

 

— Chega! Como eu já disse anteriormente, nós temos assuntos de maior importância do que Mackenzie Colman para tratar — Fury falou antes que uma briga acontecesse ali.

 

— Não temos mais o que tratar. Não sei como pode considerar que Loki fique aqui — Tony falou sentando em uma das cadeiras vazias por perto.

 

— Sinto lhe informar, Stark, mas ao que parece, nós não temos escolha — Fury falou, deixando o moreno chocado.

 

— Então onde ele vai ficar? A cela em que ele ficou da última vez está fora de cogitação — Barton comentou.

 

— Eu estou pensando sobre isso. Quando alguma decisão for tomada, eu comunicarei a vocês — ele falou finalizando a conversa. — Estão dispensados, menos você Romanoff. Preciso de você.

 

Assim que o diretor finalizou, todos seguiram para a porta e por um caminho diferente do mesmo. Menos Natasha, que o seguiu. Eles andaram por muitos corredores, até Fury parar em uma porta, onde digitou algo no painel ao lado e a porta se abriu, revelando uma pequena sala com uma grande janela, mostrando, no outro lado, um homem sentado na cadeira com as mãos algemadas à mesa. A ruiva olhou para o chefe, que apenas acenou com a cabeça e, então, a mulher abriu a outra porta, chamando a atenção do homem sentado ali.

 

— Então... Por onde vamos começar?

 

 

 

A garota havia tido um sonho estranho, onde ela estava conversando com os vingadores e, de repente, a sala era invadida por agentes da Hidra. Ela fugia para o andar de cima, mas era seguida por um deles e quase morria sufocada. A Feiticeira Scarlet salvava sua vida, mas quase morria da mesma forma que ela, então, ela atirava contra o homem duas vezes. Foi um sonho louco. Ela, então, abriu os olhos e não reconheceu o lugar em que estava. Sentou na cama em que dormia para observar o lugar, que era todo branco, como um hospital. Tinha,  até mesmo aquele apoio para o soro que a ruiva não sabia o nome do lado da cama, que ia até sei braço. Ela arrancou aquilo e sentiu uma leve dor no local, fazendo-a passar a mão por lá.

 

— Deveria ficar calma. Eles disseram que você tem passado por muito estresse nos últimos meses, por isso desmaiou — ela levantou a cabeça e viu Wanda Maximoff escorada na porta, a encarando com um sorriso de lado. Ela jogou uma sacola na cama de Mackenzie, que a pegou e viu uma calça, blusa, suas roupas íntimas e uma toalha lá dentro. — Peguei da sua mala. Pensei que fosse preferir ficar com suas roupas,  em vez dessas aí que está vestindo agora — só depois de a morena ter comentado que Colman percebeu que não usava mais suas roupas, e sim um daqueles vestidos de hospital. — Também trouxe sua bolsa, por precaução.

 

— Obrigada — ela falou, desviou o olhar das roupas e o mirou em Wanda. – Não só pelas roupas, você sabe... Por ter salvado minha vida.

 

— Você também salvou a minha, então acho que estamos quites — ela falou abrindo um sorriso amigável no rosto. — Se quiser tomar banho, — ela caminhou até o outro do quarto e abriu uma porta — o banheiro é aqui. — Ela finalizou a fala — Bom, eu acho que vou avisar seu pai que acordou.

 

— Meu pai? Ah! O Stark, é claro — ela quis se bater por isso. Por um momento pensou que Harry realmente estivesse ali. Ela tinha que parar com isso.

 

— Não está acostumada ainda, não é? — Ela falou, rindo. — Daqui a pouco você vai chamá-lo de pai e nem vai perceber.

 

— Acho que não — ela falou adquirindo um tom de seriedade no rosto. — Ele pode ter sido o responsável pelo meu nascimento, mas não é meu pai —  falou fazendo Wanda ficar chocada com as palavras da garota. — Eu tenho um pai,  e ele está morto.

 

— Desculpe — a morena falou olhando para o rosto da ruiva, que tinha adquirido um olhar sombrio. A mesma abaixou a cabeça quando se lembrou de seu pai — Vou falar para o Stark que você acordou — depois de que Wanda falou a frase reformulada, ela deu as costas e foi em direção à porta. Então Mackenzie se lembrou de como a noite tinha sido finalizada, de ela puxando o gatilho.

 

— Wanda, espera! — Ela gritou meio desesperada, fazendo a mesma se virar

rapidamente e olhar para a ruiva, preocupada. — Aquele homem... O que eu atirei, por acaso você sabe se eu...

 

— Ele está vivo — ela interrompeu a Colman antes que ela terminasse a frase, fazendo a mesma respirar aliviada — Você não matou ninguém, Mackenzie, fique tranquila — ela terminou de falar, então o rosto de Mackenzie ficou sem expressão.

 

— Obrigada — ela agradeceu, mas sentiu algo se revirar em sua barriga quando a morena falou que ela não tinha matado ninguém. E, então, a Maximoff saiu para avisar à equipe que a ruiva tinha acordado.

 

Assim que Wanda saiu, Mackenzie pegou a sacola com as roupas que a morena tinha lhe entregado e foi em direção ao banheiro. Assim que se olhou no espelho, notou como estava horrível. Seu rosto estava cheio de olheiras, seu cabelo estava quebrado e sua pela, seca. Abriu a sacola e percebeu que a Feiticeira também tinha colocado os produtos para cabelo que tinha trago e agradeceu, mentalmente, a ela por isso.

 

Ela trancou a porta e abriu o chuveiro, sentindo um choque quando a água gelada entrou em contato com seu corpo e, aos poucos, foi se acostumando com a temperatura da água. Sabia que poderia tomar banho com água quente, mas, dessa vez, optou pela fria, pois era do que ela estava precisando: de um banho frio para poder pensar. Pensou em tudo o que estava acontecendo, em como as coisas eram há três meses atrás e como eram agora. Em como tudo mudou tão rápido. Ficou assim até sentir que já estava há muito tempo no banho e resolver sair. Pegou a toalha e secou seu corpo. Colocou a roupa que tinha na sacola, pegou sua bolsa, foi em direção ao espelho e começou a trabalhar. Ela se observou no espelho quando terminou a maquiagem, aprovando o resultado final. Abriu um sorriso, escondendo os verdadeiros sentimentos dentro dela.

 

Mackenzie saiu do banheiro,  guardando a sacola que Wanda lhe deu dentro da bolsa, então ela saiu do quarto atrás do Stark, com a intenção de pedir para ele levá-la de volta à Torre. Mas, com aqueles corredores sem fim, ela acabou se perdendo dentro da agencia. Não sabia para onde ir ou como voltar para o quarto em que estava. Ela suspirou profundamente e olhou em volta, procurando alguém para lhe ajudar. Não achou ninguém até ouvir uma voz atrás dela, a assustando:

 

— Está perdida? — Ela deu um pulo quando ouviu e se virou rapidamente, dando de cara com o Capitão América. Mackenzie nunca gostou muito da historia dele. Era tudo muito ensaiado para ela, e a maneira que eles descreviam-no com a perfeição não lhe passava pela garganta — Peço desculpas, não foi minha intenção assustá-la.

 

— Não, tudo bem. Eu estava distraída — ela dispensou as desculpas dele com a mão.

 

— Bem, você não me respondeu, mas vou presumir que sim. A S.H.I.E.L.D pode ser um grande labirinto, às vezes — ele falou gentilmente, olhando-a nos olhos — Está procurando alguém?

 

— O Stark, para falar a verdade — ela estava examinando o loiro de maneira minuciosa, quando ele indicou a direção certa e começou a andar. A ruiva decidiu segui-lo. Passaram grande parte do tempo em silêncio, até que Mackenzie falou: — Então, Capitão...

 

— Por favor, me chame de Steve.

­

— Então, Steve — ela falou, devagar, o nome do loiro, estranhando o som que saía de sua boca. Hesitou antes de falar, mas, por fim, proferiu as palavras: — Antes da minha interrupção, sobre o que vocês estavam discutido?

 

— Ao que parece, Loki usurpou o lugar de Odin por um tempo. Não foi muito, rapidamente foi descoberto e julgado pela justiça Asgardiana. Então começaram alguns ataques ao palácio, eles não conseguiam entrar no palácio nos primeiros ataques, segundo Thor, mas quando eles conseguiram e foram direto para a área de prisioneiros, quase mataram Loki naquele dia. Então, quando Thor percebeu que todos aqueles ataques tinham como objetivo matar Loki, o trouxe para cá, pedindo que o abrigássemos. — Ele terminou de falar e a ruiva franziu o cenho.

 

— E ele vai ficar? Quero dizer, em Nova York? — Ela falou, ansiosa. Só de pensar na possibilidade de encontrar novamente com o moreno... Ela já estava arrepiada só de pensar na possibilidade.

 

— Ao que parece, ele vai — falou o loiro calmante, fazendo a ruiva engolir seco.

 

— Rogers, você viu... Ah, perfeito! Ela está com você — ela se virou e viu Natasha Romanoff atrás deles. — Fury quer falar com você.

 

— Comigo? — Ela apontou para si mesma, confusa. Romanoff balançou a cabeça, afirmando — O que ele quer?

 

— Só venha — ela falou e Mackenzie concordou, se virando para Steve, que disse que iria com ela. Natasha apenas deu de ombros e começou a andar até chegar em uma porta, onde digitou uma senha e a porta se abriu, revelando uma pequena sala onde o diretor da S.H.I.E.L.D se encontrava. Ele olhava para a janela que dava para ver a outra sala, onde o homem que Mackenzie tinha atirado se encontrava algemado. Ela reconheceu aquela sala como a sala em que vira Fury pela primeira vez.

 

— Senhorita Colman, acredito que se lembra desse homem — ele falou sem desviar o olhar dele. Ela confirmou e ele continuou: — Que bom, pois, por algum motivo, ele pediu pela sua presença, senhorita. Precisamos de informações sobre a razão do ataque de ontem, e ele pode ser a peça que falta para tudo isso. Quero que o interrogue. Vai estar algemado à mesa e, caso algo saia do controle, vamos estar aqui do lado para socorrê-la.

 

— Ele vai estar algemado o tempo inteiro, certo? — Ela falou, meio insegura, e viu o careca balançar a cabeça para afirmar a pergunta. Engolindo  seco, Mackenzie ainda conseguia sentir as mãos dele em seu pescoço. Sem dúvida ele poderia se soltar e tentar terminar o que tinha começado. Ela olhou para o homem, que estava do outro lado do espelho, e viu em sua blusa rasgada o mesmo símbolo que o assassino de seus pais possuía. E foi assim que deu sua resposta. — Eu faço.

Ela olhou para o Fury, que caminhou até a porta abrindo a mesma, dando passagem para a ruiva. Assim que passou, ouviu a porta fechando atrás de si. Ela olhou para o rosto do homem e percebeu que estava bem mais machucado do que se lembrava. Ela não quis pensar no que a outra pessoa que esteve ali tinha feito. Andou até a mesa e se sentou na cadeira.

 

— Então aí está a vadia — ele falou, fazendo com que ela engolisse seco de nervoso.

 

— Por que queria falar comigo? — A voz dela saiu mais baixa do que esperava, mas ela sabia que, se falasse mais alto, sua voz sairia trêmula.

 

— Queria te olhar direito — ele falou e ela ergueu a sobrancelha, duvidando do homem. — Sabe, queria ver direito a garota que deixou tudo de cabeça para baixo, ver se descobria o que você tem de tão especial.

 

— Do que você está falando? — Ela perguntou,  confusa com a resposta do homem e, dessa vez, sua voz saiu mais alto do que a da primeira. E saiu incrivelmente firme.

 

— O que você realmente sabe, Mackenzie? Sobre sua vida? Sobre a Hidra? — Quando ele falou o nome de Mackenzie, ela sentiu todos os pelos do corpo arrepiarem, juntamente com uma leve dor em sua cabeça. Ela estava com medo dele, mas iria ter que enfrentar se quisesse respostas. — Sobre sua mãe?

 

— Qual é o motivo de vocês estarem atrás de mim? — Ela perdeu o controle, falando de maneira mais alta. Estava mais desesperada por respostas do que preocupada em se manter viva. — Vocês querem terminar o serviço ou algo assim? — Assim que ela terminou de falar, ele arregalou os olhos, surpreso, e, em seguida, deu uma gargalhada que deixou a ruiva confusa.

 

— Então quer dizer que sabe sobre seus pais? — Ele falou ainda rindo, o que acabou deixando-a com raiva.

 

— Você pode imaginar minha surpresa quando vi esse símbolo, que você está carregando na sua blusa agora — ela falou, apontando com a cabeça para a caveira na roupa do homem. — Na roupa do motorista do outro carro, na roupa do responsável pelo acidente dos meus pais. Afinal, o que vocês querem? Qual é o objetivo de vocês com tudo isso? O que a Hidra quer comigo?

 

Ela falou a última frase devagar, firmando as mãos na mesa e olhando para o homem que estava algemado. Então, ela viu algo passar em seus olhos e ele engasgo, fazendo uma careta. Mackenzie percebeu que ele estava sentindo dor, então ela o viu cair, levando a mesa junto. Ele se mexia sem parar, então seus olhos ficaram avermelhados. Ela ouviu a porta ser aberta atrás dela e foi quando ele parou de se mexer. Mackenzie viu o Fury chegar perto dele e colocar dois dedos em seu pescoço, para ver os batimentos cardíacos. Então ele se virou para trás e declarou:

 

— Ele está morto.

 

 


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...