História Reality Show Macabro - INTERATIVA - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Macabro, Reality Show, Terror
Exibições 25
Palavras 2.752
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Ficção, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Canibalismo, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Necrofilia, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


heeyyy meus amores trago-lhes mais um cap, espero de verdade que esteja do agrado de vocês, caso queiram me dizer alguma coisa fiquem a vontade, e não se preocupem mais emoções aguarda os personagens de vocês bem é isso bjinhoos amo vocês😘😘❤❤

Capítulo 16 - Passions and Emotions - E Tudo Só Piora...


Fanfic / Fanfiction Reality Show Macabro - INTERATIVA - Capítulo 16 - Passions and Emotions - E Tudo Só Piora...

― gigi, gigi, acorda o que aconteceu acorda. Ema tenta acordar gigi, e a mesma vai abrindo os olhos

― ahh, ahaa. Grita a moça assustada e respirando rápido

― o que aconteceu? Pergunta Nicolai

― gente, não são apenas canibais que vivem aqui, ah mais coisas estranhas sobrenaturais. Ela fala apreensiva e assustada

― acho que ela bateu a cabeça forte mesmo. Diz ema

― eu não bate a cabeça, eu sai da água e vi uma garota, ela é horrível ela não é humana. Gigi continua apavorada

― precisamos sair daqui. Nicolai levanta-se e caminha e assim fazem as duas, gigi continuava sem esquecer o que viu...

...

― acha que pode caminhar sem precisar de ajuda? Fala melissa

― e mesmo que precisasse não iria lhe pedir. Enzo diz sendo grosseiro

― porque me trata assim? Você é um bruto sabia disso

―, será que pode calar a boca, você quando quer, sabe ser muito irritante. Ele caminha com dificuldade

― escuta sei que você é metido demais se acha o melhor, mais deixa eu te ajudar, se continuar nesses passos vamos ser atacados novamente, precisamos ser rápidos. Ela o olha com razão

Ele olha de lado e faz cara ruim. ― tudo bem, mais não encosta muito em mim, você ta fedendo iguais aquelas coisas. Ele mentiu

― seu mentiroso eu tomei banho logo cedo no rio, e para de reclamar se não eu te deixo aqui mesmo. Ela fala estressada

― nossa a boneca de porcelana está irritada. Ela fica irritada com ele e o empurra no chão.

― aaa me desculpe, foi mal. Ela diz debochando dele

― deixe de gracinhas pro meu lado, e não fique ai parada me ajude a levantar. Ele sempre grosseiro

― como você é chato. Ela reclama

Ela estende sua mão pra segurá-lo, mais o mesmo a puxa de propósito fazendo-a cair por cima dele. Os dois se encaram por uns instantes, os olhos azuis penetrantes de Enzo se encontravam com os olhos castanhos claros de melissa surgindo assim algo estranho, porem especial, suas bochechas logo queimaram e coraram rapidamente, ele a olha com um jeito sexy e atraente, ele morde seus lábios discretamente. Mais Enzo como sempre cortar a cena empurrando sem nenhum cuidado melissa que cai do outro lado

― vai me ajudar a levantar ou vai ficar me encarando que nem uma trouxa?

Ela se levanta ainda estranha com essa situação que acabou de acontecer, Enzo por outro lado agia como se nada tivesse acontecido

― Enzo, espera, espera, deixe de ser turrão

― não, não quero sua ajuda, ah e fique atrás você é muito desastrada pode acabar pisando em algo não devido. Ele caminha sozinho

― hum, olha só quem fala, o cara que acabou de pisar numa tremenda de uma armadilha. Melissa debocha

― é mais não fui eu que esbarrei naquele balde chamando a atenção dos canibais naquela casa maldita. Ele lhe responde na hora

― quer saber eu estava muito melhor sozinha. Ela encruza os braços

― se quiser continuar sozinha vai em frente...

...

― yukine, você ta bem? Rose o olha aflita

― acabo de cair em uma armadilha cheia de estacas bem afiadas e tenho meu braço perfurado e um arranhão na perna ACHA QUE ESTOU BEM! Ele estava irritado e sentindo muitas dores

― não grita comigo, ou então vou te deixar ai ta me ouvindo estúpido. Ela sai e tenta pensar em como tirá-lo dali

Ela olha de lado e vê alguns cipós numa arvore, ela tem uma idéia um pouco louca mais é a única em mente. 

Ela pega todos quanto pode, e começa a amarrá-los uns nos outros, ainda bem que eles eram bem molinhos davam para ser uma corda bem legal.

Depois de tudo feito, ela se aproxima de onde yukine está

― tive uma idéia, confia em mim?

― NÃO! Ele gemendo de dor

― acha que pode segurar essa corda?

― oh meu deus, se esse cipó quebrar eu morrerei sua maluca. Ele diz já não suportando tanta dor.

― morrerá se não fizer o que eu mando, agora vê se pega logo essa droga.

Ele tenta, pega o cipó, apenas com um braço

E o mesmo se lastima de dor.

― AAAAAAAAIIH, MEU DEUSS. Ele tenta pegar com o braço ferido, sua dor era arrasadora mais ele segurou firme no cipó, e torcia pra ele não quebrar ― rose me puxa rápidooo.

Rose tentava puxá-lo o mais rápido possível, mais ela não é forte o suficiente pra puxá-lo de uma vez

― eu estou fazendo o que posso. Ela diz enquanto colocava todas as suar forças. Yukine via sua vida passando diante de seus olhos, ele estava quase chegando ao topo, e quando olhava pra baixo, ele sentia um treco, fora que seu braço estava quase o matando.

Quando faltava pouco pra ele finalmente chegar à cima, o cipó começa a se desfazer.

― não, nãoo. Grita rose apavorada

― vaiiii me puxaaa, depressaaaa. Grita ele feito um louco ― rosseee, você consegue, vamos lá depressa, por favor. Ela via o medo de morrer nos olhos dele o puxou mais forte ainda, até o cipó se desfez por completo e yukine fecha seus olhos mais logo senti a mão de rose sobre a sua, ela consegue num ato de ligeireza o segurar, pela mão

― aaannn. Ela coloca força e com bastante dificuldades consegue o puxar pra fora. Yukine se afasta da armadilha e rose o abraça por trás enquanto continuavam sentados sobre o chão, yukine olhava com pavor pro buraco.

...

Olive e harley estavam sentados sobre as margens de um rio que eles ainda não tinham visto.

― essa dor está me matando. Reclama ela ― harley, me dá a manga de sua camisa preciso amarrar sobre o meu braço.

Harley rasga a manga de sua roupa e dá pra moça. Ela amarra pelo braço fazendo caretas, mais ela continua sendo forte.

Harley vai até o rio e pega um pouco de água.

― precisamos beber essa água, é nossa única chance. Harley toma um pouco depois da pra garota. Ela olha receosa e bebe.

― agora é só esperar que isso não inflame. Ela olha pro braço machucado, vendo o pano começar a sujar. ― meu pai, ele sempre foi contra esse reality, sinto falta dele.

― não tive a mesma sorte que você. Ele a olha meio entristecido

― o que aconteceu?

― fui abandonado assim que eu nasci, me deixarem na porta de um casal de... Lesbicas! Ele baixa a cabeça

―wow, que... Estranho?

― passei minha vida toda sofrendo bullyng da parte de amigos da escola, acabei fugindo da escola e de casa...Morei na rua por 3 anos enfim é uma longa história mais eu jurei pra mim mesmo que não deixaria ninguém mais pisar em mim.

― sinto muito. Pelo menos você não tem uma vó chata que passa o resto do tempo que lhe resta de vida pra atanazar você, dizendo o que deve ou não deve ser feito, o que vai vestir ou não, te liga a cada 10 minutos pra saber o que está fazendo...Olive por incrível que pareça estava gostando do papo.

― você é uma ótima companhia, achei que você deveria ser uma pessoa que não liga pras outras mais acho que me enganei.

― não, você está ligeiramente certo. Precisamos de comida, e não seria nada mal uma pomada, esse braço ta me matando

― nossa esse lago costuma ser assim tão agitado? Diz Harley que não para de olhar algo pular na água

De repente pula algo de dentro do lago perto de Olive a fazendo tomar um susto pelo ato inesperado

...

― corram! Grita Lorena parando e Rafael e Julia se afastam

Lorena tira uma granada de seu bolso puxa o pino e joga em direção do cachorro demoníaco, ele é dilacerado, explodindo, voando pedaços de carnes para todos os lados.

― que droga. Julia diz aliviada

― ele me mordeu, que bicho de dentes afiado. Ele pega sobre a mão sangrando, ele amarra um pano sobre a mão.

― precisamos achar um lugar mais seguro pra nos. Lorena diz os guiando

Eles seguiram pra algum lugar mais seguro...

...

Bianca estava se aquecendo sobre a fogueira que Jack se encarregou de preparar.

― a única coisa que se pode fazer é isso, não temos comida, e a minha ultima barra de kikat foi-se para os ares.

― temos outra opção. Jack aponta para uma cobra cascavel que os olhavam esperando pra dar o bote.

― ahhhh, tira essa coisa daqui. Bianca diz não gostando da presença da espiã rastejante

Jack atira bem na cabeça do animal.

― isso vai ser nossa comida. Ele diz sorridente

― eca que nojento. Bianca faz cara feia

― não sei se você percebeu mais é isso ou então morrer de fome e ai o que prefere? Ele pega a cobra e com um punhal começa a abri-la, Bianca estava a ponto de vomitar. Ele pega um graveto de pau e coloca dentro da cobra, coloca duas estacas e coloca a cobra por cima da fogueira pra assar.

― churrasco de cobra que delicia. Ele passa a faca sobre a língua sentindo o gosto da cobra

― Jack, podemos ir a algum rio e pescar peixe é melhor que isso. Bianca resmunga

― se estiver disposta a encontrar algum rio no meio dessa floresta macabra cheia de canibais esfomeados e todo o tipo de coisa bizarra vai fundo. Ele senti alegria em torturá-la

Ela faz cara de choro e se aproxima da fogueira...

...

Ema estava perto do rio, com seu arco e flecha apontados, de repente ela mira em um peixe, mais acaba errando.

― merdaa. Ela diz impaciente

― ta com a mira ruim hoje arqueira? Nicolai sorri logo apontando sua flecha pra um peixe e acaba acertando bem na cabeça.

― eu estou estressada, angustiada, com fome acha pouco? Ela senta sobre a pedra enquanto Nicolai retira o peixe.

― acho que devemos ser fortes, em breve iremos sair de perto do rio, é melhor nos abastecermos bem, antes de ir. Ele afirma

A ruiva encara os olhos verde intensos do rapaz fascinada com seu jeito certo de fazer as coisas

― sabe Nico, posso te chamar assim quando estivermos só? Ela pergunta com um largo sorriso no rosto

― claro. Ele diz sendo galanteador

― você é bem diferente dos caras que eu conheço.

― em qual aspecto? Ele se mostra interessado

― sei lá, você é gentil, amigável, sabe manusear bem um arco e flecha. Os dois sorriem― e é um bom ouvinte

― você não mencionou minha melhor qualidade. Ele a olha enquanto acerta mais um peixe

― e qual seria?

― saber conquistar as mulheres. Ele se aproxima dela

Os dois se encaram por uns instantes, os olhos de ambos estavam um no outro, Nicolai desliza seus dedos sobre a face da ruiva, a fazendo corar, ela sorri e faz duas covinhas

― amo essas covinhas. Ele aperta sua bochecha e mira o olhar em sua boca

O mesmo aproxima seus lábios dos dela, e os dois acabam se encontrando de uma forma doce e suave. Ela dá passagem pra sua língua e responde ao beijo de Nicolai, ela coloca suas duas mãos sobre o rosto dele, e senti sua pele delicada e macia, Nicolai por sua vez escorrega as mãos até a cintura da ruiva a apertando contra seus braços.

― espera, espera...Diz ela afastando-se dele

― me desculpe, eu não queria ser atirado pro seu lado. Ele fica envergonhado

― não tem problema, mais acho que devemos esquecer isso e voltar a pescar. Ela levanta-se e volta à mira sobre os peixes.

O clima entre eles estava estranho agora...

...

― dernieee, você ta legal, ai meu deus, responde pra mimmm. Jess fica aflita ao ver dernie com os braços amarrados, ele estava preso bem alto, seus braços estavam abertos e cada um amarrado pelo pulso. Sua barriga estava machucada, parecia que alguém tinha escrito algo nela com a ponta de uma faca.

― ahhhhh... Ele grita de dor

― dernie fica calmo eu vou te tirar daí, calma. Ela corre até onde eles tinham dormido, e pega uma faca, rapidamente volta pro lugar onde ele estava e corta as cordas, ela o segura pra ele não cair. Ela o deita com cuidado sobre o chão colocando sua cabeça sobre o colo da mesma

― dernie, o que aconteceu? Quem fez isso com você fala pra mim. Ela diz angustiada

― eu não sei quem fez isso jess, eu só me lembro de ter me levantado pra fazer xixi, tive a leve impressão de ver um vulto preto, mais nem ligou, de repente sinto uma pancada na cabeça, e acordei só agora. Esses ferimentos estão doendo pra caramba, ele faz careta

― precisamos sair daqui vamos. Ela o ajuda a levantar e os dois se preparam pra sair, eles pegam tudo o que precisa.

Ele joga água sobre seus ferimentos limpando os mesmos, depois baixa a camisa.

― será que os outros estão vivos dernie?

― não sei, precisamos sair dessa floresta, mais não sei pra onde fica a fronteira. Eles conversam enquanto caminham.

― para jess! Dernie alerta

Ela para, e ele pega uma pedra, jogando e acionando uma grande armadilha.

― precisamos ter cuidado onde pisamos. Ela comenta com medo...

...

Justin brigava com os canibais, um deles havia mordido seu braço tirando sangue do mesmo. Ana estava apavorada ela precisava o ajudar.

Ela desce da arvore com cuidado, e pega um pau que estava no chão acertando um pelas costas, mais ela não taca direito e ele a olha zangado.

― Ana, saia daquiiii. Grita Justin que por algum motivo decide ser corajoso

O canibal a pega pelo pescoço tirando a mesma do chão

― ela se debate sem fôlego

Justin consegue derrubar o que estava em cima dele, e parte pra cima do que estava estrangulando Ana

Ele pula nas costas do mesmo

― larga ela, sua coisa feia.

O canibal joga Ana contra a arvore a deixando desacordada, e ele vai com toda fúria pra cima de Justin, ele o derruba no chão, pegando em seu pescoço e o enforcando. Justin tentava tirar o bicho de cima dele, mais o mesmo não conseguia, o canibal retira uma faca do bolso e mostra pra Justin com um sorriso macabro nos lábios que nem existiam quase mais

Ana acorda e vê a cena, ela se desespera, dessa vez ela agarra novamente o pau e parte pra cima dele, ela taca em sua cabeça o fazendo desmaiar, ela taca sobre o canibal mesmo ele estando desacordado, o matando logo em seguida.

Sua respiração saia acelerada e ela estava com medo, Justin a abraça e olha seu braço ferido...

...

Zayn caminha pela floresta a fim de encontrar alguém pra fazer o mal. De repente ele é acertado com uma flecha sobre o braço

― ahhhh, desgraçadooo. Ele começa a atirar sobre o canibal e acerta o mesmo no olho o deixando irritado, as balas estavam quase no fim, e zayn corre atras de esconder-se, ele fica escondido atras de uma arvore, pegando em seu braço e fazendo careta de dor. A flecha estava em seu braço e ele está perdendo muito sangue. De repente ele olha para todos os lados e não vê mais o maldito canibal...

...

― kook precisamos dar o fora daqui, estou com um mal pressentimento desse lugar de uma hora pra outra. Kim tenta arruma suas coisas e kook e ele seguem viajem. No meio do caminho kook avista algo

― Kim? KIM?

― o que foi?

― precisamos sair daqui imediatamente. Kook aponta pro amigo algo...

...

A noite chegou, Lorena Rafael e Julia estavam dormindo. Mais algo desperta a audição sensível de Lorena, ela acorda e vê Rafael se mexer muito.

― pode parar de fazer tanto barulho cara? Ela diz querendo se irritar e ela não quer que isso aconteça

Rafael continua se mexendo sem aparar, Julia acorda

― Rafael? Rafael você tem algum problema?

As duas estranham ele não responder, e se aproximam dele.

― Rafael deixa de gracinha. Julia insiste

Lorena o vira, porque ele estava de costas pra ela, e quando ele fica de barriga para cima elas notam algo sinistro nele, ele estava babando, e seus olhos estavam revirados

― que droga é essa? Diz Lorena



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...