História Reality Show Macabro - INTERATIVA - Capítulo 18


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Macabro, Reality Show, Terror
Exibições 18
Palavras 3.036
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Ficção, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Canibalismo, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Necrofilia, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Espero que gostem meus lindõess😍😍😘😘😘 Hoje não tem cena com Zayn só o proximo...

Capítulo 18 - No Peace - Atormentados


Fanfic / Fanfiction Reality Show Macabro - INTERATIVA - Capítulo 18 - No Peace - Atormentados

Lorena e Julia continuavam em pé de guerra por causa do triste destino de Rafael

― saia da minha frente Julia já disse.

― não, você não vai tocar nele. Julia continua com os braços abertos bem na frente da louca da Lorena

Lorena começa a revelar sua outra face, e uma raiva lhe invade, seu outro eu é despertado e junto com ele chega ódio, violência psicose e uma pitada de psicopatia.

― muito bem, você e ele vão morrer, melhor assim é menos dois vermes no caminho. Lorena num impulso tira duas facas que tinha sobre suas duas botas. ― preparada pra morrer Julia, será que hoje é seu dia de sorte?

Lorena ataca Julia, caindo em cima da mesma, e colocando a faca em direção do seu rosto. Julia segura sua mão, mais a garota parecia ter uma força sobrenatural.

― para sua louca. Grita Julia

― não, por quê? Se é agora que a brincadeira começa. Julia coloca todas as suas forças, até que consegue dá uma pesada em Lorena ― desgraçadaa, você vai ver o que é bom. Julia sabia que estava em desvantagem. Lorena mais uma vez consegue dominar Julia e a golpeia violentamente contra a barriga logo retirando rapidamente

De repente ela para, parece que ela consegue voltar ao normal. Julia estava sangrando pela boca.

― AHHHHHH ESTÁ ACONTECENDO DE NOVOOO! Grita ela chamando a atenção de Bianca e Jack que estavam mais próximos delas do que elas imaginam.

...

Bianca olha esse grande cachorro bizarro, enquanto Jack se prepara pra lutar, ele começa a recarregar a arma.

― Bianca tenta se proteger, eu vou tentar parar esse bicho medonho. Ele começa a atirar sobre o animal, as balas entravam em sua pele e sumiam misteriosamente.

Jack faz cara feia ― muito bem, parece que isso não vai adiantar muito. Ele retira sua faca, e rapidamente acerta o olho do monstro o derrubando longe, ele pega uma dinamite, enquanto vê o animal se regenerando.

― onde arrumou isso? Diz Bianca fazendo cara feia

― na cabana da louca da sua irmã. Ele lança a dinamite sobre o animal e abraça Bianca a protegendo. A besta da floresta é dilacerada, voando pedaços dela por todos os lugares.

― JULIA ME DESCULPA EU... EU NÃO QUERIA.

― ouviu isso é a voz de Lorena... LORENA! Grita Bianca

Os dois seguem pra onde vinha a gritaria de Lorena, e se deparam com uma cena inusitada. Julia quase morrendo no chão, sua blusa branca estava ensangüentada e a mesma estava quase se engasgando com o próprio sangue

― o deus o que aconteceu aqui? Diz Bianca colocando a mão na boca

― eu, eu não queria. Lorena diz nervosa e agitada

Lorena os olhava atordoada.

― Lorena porque fez isso? Bianca a repreende

― estávamos brigando porque Rafael esta se transformando em uma besta da floresta, ele foi mordido por um cachorro mais não é um cachorro ele é chamado de besta da floresta, seus olhos vermelhos presas afiadas, e se ele te morder você pega um vírus letal...

De repente Rafael levanta-se, seus olhos estavam totalmente avermelhados, e ele abria a boca absurdamente grande, mais ainda não tinha presas como a besta, talvez ele esteja se transformando aos poucos.

― cuidem dele eu preciso ajudar a Julia. Bianca corre até a garota que perdia muito sangue

― muito bem quem o mata você ou eu? Pergunta Jack

Lorena o olhou pensativa, ela não era mais a Lorena psicopata e sim a mais calma.

― ei ninguém vai matar ninguém aqui ouviu? Briga Bianca

Rafael pula em cima de Jack e o mesmo o perfura nas costas fazendo o mesmo soltar um grito ensurdecedor e sobrenatural. Mais algo acontece, o corte de Rafael se regenera como uma mágica, sumido completamente.

― mais o que? Jack fala surpreso ― vamos ter que pegar pesado agora

Rafael passa suas garras sobre o rosto de Jack o sangrando

Lorena, imediatamente pega um pau e atinge Rafael sobre a cabeça o deixando desmaiado.

― merda esse desgraçado me arranhou, eu vou matar esse cara. Jack fica furioso

― eu preciso de ajuda aqui. Grita Bianca

Julia estava fraca, sentia muitas dores, e sua roupa estava ensopada.

― eu não quero morrer. Julia diz com dificuldade

― vocês a ajudem, eu vou buscar alguma coisa pra acorrentar essa besta inquieta. Lorena sai

Bianca pega uma mochila e coloca sobre a cabeça de Julia com cuidado

― vamos lá Julia precisa ser forte. Bianca sabe que não vai ficar mais mesmo assim fala

Bianca tenta identificar a extensão da lesão, e ela rasga a blusa de Julia pra ver os ferimentos. A mesma rapidamente pega duas sacolas plásticas e coloca sobre suas duas mãos. Ela ouve a respiração conturbada de Julia e se preocupa. Bianca começa a estancar o sangramento com cuidado com uma camiseta, para auxiliar o coagulo do sangue. Ela cobre Julia com um casaco.

― Jack eu preciso de água, olhe se acha alguma nessas mochilas. Jack revira os olhos mais vai procurar, e acaba encontrando um resto de águas em uma garrafa. Bianca joga a mesma sobre o ferimento

― aiiiii, ta doendo muito, eu vou morrer. Julia estava suando frio e sua fala quase não se dava pra ouvir mais.

Bianca pega mais um pedaço de pano, e amarra contra a barriga de Julia, e a mesma sente uma dor insuportável.

― parece que essa facada não afetou nenhum órgão vital...

...

Enquanto isso em outro lugar qualquer da floresta...

Giovanna acorda depois do acidente, ela abre os olhos e sente dores horríveis. Sua testa está sangrando e ela faz careta ao pegar sobre o sangue. Ela se lembra de seus parceiros de viajem, ela vê Matt o piloto todo machucado, seu rosto estava completamente encharcado de sangue. Ela se aproxima dele e checa sua pulsação.

― meu deus. Ela coloca a mão sobre a boca chorando. Matt está morto

Mais ela não vê Mary e nem Anne.

Ela pega a enorme bolsa cheia de equipamentos que por algum milagre estava intacta

Ela carrega com dificuldade. ― Anne? Mary? Onde vocês estão? Grita Giovanna enquanto caminha sem rumo. De repente ela escuta uns gemidos vindos de um lado da floresta

Quando ela chega ao local, ela cai no chão, sua face revela perplexidade, medo terror e sofrimento.

― nãaooooo, anneeee. Sua irmã Anne estava morta, havia urubus em volta dela, eles já haviam perfurado seus olhos, e comiam sua carne violentamente. Ela se encontrava completamente nua, e estava presa sobre uma arvore com pregos em suas mãos a segurando sobre a arvore e havia algo desenhado em sua barriga, a mesma frase que estava escrita na barriga de Dernie. Giovanna se aproxima de Anne e passa a mão sobre sua barriga pegando sobre seu sangue

― Anne Quem fez isso com você? Pergunta tristemente para sua única irmã

Ela volta pra perto do helicóptero a mesma ainda não sabia o que havia acontecido com Mary.

...

Ema estava aflita ao ver tanta mancha sobre seu corpo. De repente gigi aparece e mesma se cobre

― eu pensei que já tivesse tomado seu banho. Gigi sorri ― Nicolai está te esperando pra podermos ir.

A ruiva estava em silencio, e gigi percebe que ela está nervosa

― o que você tem?

― nada. Ela entra de roupa na água.

Gigi sorri ― vai entrar de roupa? Nicolai não virá até aqui

― eu prefiro tomar assim. Ela diz sendo grossa. Seu corpo coçava e a mesma se controlava

Depois que terminou seu banho, ela se troca, sem deixar gigi perceber algo.

As duas saem pra onde Nicolai estava. ― muito bem vamos? Diz ele

― sim vamos. Ema diz e os três seguem em mais uma tentativa de salvar suas vidas e saírem dessa floresta que quanto mais eles caminham, mais chegam a lugar nenhum.

...

― melissaaaaaa. Grita Enzo

De repente a água volta a ficar calma novamente. Ele começa a sentir desespero mais não demonstra.

― melisssaaaaaaaaaa...

― ahhhhhhhhhhh socorroooooo... Grita melissa que parecia estar sobre a água se debatendo

Enzo se joga na água e percebe algo em baixo da água, ele não consegue saber o que é mais é algo muito grande

De repente melissa para se debater, e algo começa a surgir na água, uns cabelos pretos lisos, e logo em seguida aparece uma mulher na água, sua pele branca pálida igual à de um cadáver, e seus olhos negros amedrontador arregalados os olhavam e os dois poderiam sentir o mal vindo dela, apenas seus olhos estavam de fora do nariz para baixo não conseguiram identificar.

― que droga é essa? Enzo fica perplexo

― precisamos sair daqui. Diz melissa cansada ela parecia ter engolido muita água

Enzo a retira da água e aquela mulher some do nada. Melissa tinha engolido muita água sua pele estava roxa.

― obrigada você me salvou. Ela o olha

E ele tenta recusar seus agradecimentos. ― eu faria isso com qualquer um.

Ela tosse cuspindo mais um pouco de água.

― o que era aquilo? Pergunta a moça ainda em choque

― não sei. Está bem mesmo? Ele pergunta

― sim estou se não tivesse chegado eu não sabia o que poderia ter acontecido. Ela fala sem jeito levantando-se

― teria morrido. Ele diz quebrando o clima.

― nunca chegaremos a lugar nenhum, essa floresta é imensa, nunca sairemos daqui, e eu estou receosa. Melissa começa o pessimismo

― não vou parar até achar, se quiser vir comigo venha.

― eu queria ter seu animo. Ela diz e ele a olha

― já tem boneca de porcelana, já tem. Ele esconde o riso

Ela revira os olhos pra ele ― chato você enzito.

― mais se eu fosse legal não gostaria de estar comigo, e não me chame assim eu odeio quando faz isso. Ele diz deixando ela constrangida

― como assim? Eu não gostaria de você nem que fosse legal ou chato que isso você já é, mais eu não ia gostar de você de nenhuma maneira.

Ele a olha com um jeito sexy ― é mesmo?

― é sim. Ela encruza os braços.

Ele caminha até suas roupas que estavam secas, e de propósito, ele as joga dentro do rio caindo todas dentro do mesmo.

― olha o que você fez seu IDIOTA!!! E agora o que eu vou fazer? Ela fica desesperada ao ver suas roupas indo água abaixo

― ué, fica apenas de calcinha e de sutiã andando por a floresta, e torcendo pra nenhum canibal tarado te pegar, como você cresceu boneca de porcelana eu não tinha reparado. Ele olha seu corpo. A mesma começa a bater nele, e o mesmo segura em seus braços...

...

Justin estava envergonhado com o beijo de Ana, ele não acredita que ela o tenha beijado.

― Justin você é legal. Ela sorri

― porque me beijou? Ele pergunta

― bem, por que... De repente eles escutam uns esturros de uma onça.

― você ouviu isso? Pergunta Ana olhando tudo

― ouvi sim, acho melhor sairmos daqui.

Eles dois saem com cuidado...

...

Kook e Kim estavam quase para serem devorados por uma onça faminta.

― não se mexa. Diz kook tentando acalmar Kim ― olha pode parecer loucura, mais meu pai sempre dizia que esses tipos de felinos, podem sentir nosso medo, então o melhor a fazermos é demonstrar pra ela que não estamos com medo.

― e como fazer isso kook? Pergunta Kim assustado

― grita, pula, berra, faz essas coisas, pra ele pensar que somo maiores que ele.

― vamos ser é devorados isso sim com essa loucura toda.

― escuta faz o que eu estou te pedindo.

Kim começa a pular gritar, e berrar. A onça estava marcando pula, de repente ela pula em cima de kook. O mesmo pega rapidamente uma lamina em seu bolso, mantendo-a oculta no seu braço dominante, a onça tenta atingir o pescoço e o rosto de kook e ele sempre lutando Kim estava apavorado sem saber o que fazer.

― corraa, chame ajuda Kim. Grita kook com dificuldade

― eu não vou deixar você aqui.

― vaiiii. Ele grita e o mesmo obedece

Kook consegue rola ficando de costa e levanta as pernas como se estivesse na posição fetal, para evitar que o animal use as patas traseiras para lhe perfurar, mais a onça consegue o arranhar no braço o fazendo sangrar. E isso acaba possibilitando kook a usar seu braço esquerdo parar afastar a onça de seu pescoço e rosto. Kook consegue puxar sua lamina sem dificuldade, balançando-a em região media do animal. Ele consegue acertar o olho da mesma que ruge bem alto de dor, porem ela continua em cima do mesmo, kook mais uma vez a acerta sobre a cabeça descendo a faca assim rasgando a pele da onça, a mesma sai de cima dele e isso lhe dá mais vantagem, ele acertá-la na cabeça novamente só que dessa vez com um tronco bem pesado, kook consegue derrubar o animal depois de quase morrer. Ele se aproxima do animal cansado e de repente aparece Kim que acaba de se encontrar com Justin e Ana.

Ana coloca a mão sobre a boca ― meu deus, você conseguiu matá-la?

― depois de tanto lutar consegui sim. Ele passa o braço sobre a testa limpando o suor que saia em excesso.

― que legal cara. Justin fica impressionado

― podemos tirar o coro dela e aproveitar a carne, sabemos que se não fizermos isso passaremos fome. Diz kook fazendo todos os olharem entre ombros

 ― muito bem, eu preparo essa coisa... Kim diz receoso, ele poderia recusar mais a fome falava mais alto, as comidas de ambos havia acabado há muito tempo, Ana e Justin não tinham escolha também..

...

Jess está aflita enquanto Dernie tenta conter aquela criatura

― tem apenas uma bala na arma, as outras estão na mochila, não dará tempo de recarregar a arma, preciso que corra tente achar alguma coisa ou se possível alguém. Dernie olha jess com um olhar pensativo, talvez seja pelo motivo que tenha um pouco de certeza que não conseguirá.

― dernie eu não quero te deixar. A moça fala com uma cara de choro

― preciso que confie em mim, fuja, prometo que procurarei por você. Eles se olham com uns olhares angustiantes, e jess não queria deixá-lo só. O ser bizarro fazia uns sons bizarro enquanto olhava pros dois, ele parecia saber que os dois estavam se despedindo.

― promete que vai ficar bem, e que vai me procurar? Ela diz chorando

Ele suspira ― prometo. Jess arranca um beijo dele, ele a olha

O monstro abriu sua boca cheia de dentes afiados, seu cheiro é insuportável, e ele se preparar pra atacar, sua respiração era aterrorizante.

― correee.

Jess corre e o ser faz posição pra pegá-la mais dernie evita pulando em cima do animal. Jess olha pra trás e vê dernie lutando com aquela coisa demoníaca. Ela corre sem rumo, e com um grande peso em seu coração ao deixar dernie ali sozinho, mais ela sabe que se ficasse talvez só atrapalhasse, de repente ela tropeça em um galho indo ao chão.

― ahhhhhhiii. Ela ouve a voz de derni gritar.

― derniiiiiiiiiiiiiiiieeeeeeeeellllll. Ela grita e senti uma dor enorme ao perceber que quebrou o tornozelo. Ela levanta-se e volta, mais ela não vê dernie, apenas uns rastros de sangue, parece que algo foi arrastado, ela corre em rumo das marcas de sangue, mais acaba logo em seguida e a mesma fica sem saber o que aconteceu...

...

Quando anoiteceu Olive e Harley estavam embaixo de uma arvore, conversando.

― será que os outros estão vivos? Diz Harley

― rum, talvez, acho que Justin já morreu, ele é o mais estúpido do grupo. Ela sorri

― acho melhor nos dormimos, pela manhã tem mais caminhada. Harley pega seu saco de dormir

― caminhar pra chegar a lugar nenhum. Olive diz desesperançosa

― boa noite. Harley diz logo tentando dormir

― boa noite recruta. Os dois sorriem

A noite aparentemente parecia calma, o vento soprava entre os galhos das arvores, o claro da lua dava entre a floresta, formando assim sombras fantasmagóricas das arvores. Olive dormia tranquilamente, se bem que quem está na situação como eles estão, não se pode dizer que tem uma ótima noite de sono.

6h da manhã...

― socorroooooooooo. Olive acorda com um grito angustiante, ela levanta-se estranhando, ela volta a deita, pensa ela que foi apenas um pesadelo. Quando a mesma estava pegando no sono, outro grito de socorro.

Ela vai até perto do saco de dormir de Harley pra ver se ele ouviu também.

― harley acorda, você ouviu isso. Harley não responde, ela tira o coberto de cima, e percebe que o mesmo não está mais lá.

― harley? Harley? Ela grita

Ela pensa onde ele deve estar, a mesma estranha esse sumiço dele.

― aiiiiiiiiiiiiiiiiiiiaiiii socorro. Grita uma voz, ela não tem certeza, mais essa voz parece muito com a de Harley.

― Harley? Harleyyyyyy Ela grita. A mesma começa a seguir os gritos, cada vez que ela caminhava chegava mais perto. De repente ela tapa a boca assustando-se com o que vê.

― Harley? Meu deus que horror, não. Harley está preso a umas correntes de ferro, elas estavam presa sobre suas carnes, tinha em seus pés, braços, e mãos apenas uma em seu queixo. Ele gemia de dor, era insuportável essa cena, ele tem que rasgar a própria pele pra sair.

― me ajuda. Ele diz quase sem força enquanto sentia dores terríveis...

Yukine estava começando a notar a gentileza e sensibilidade de rose. Ele não há via mais como uma riquinha esnobe e sim com apenas rose a garota que está tentando sobreviver assim como ele. Os dois caminham atrás de alguma comida, mais rose simplesmente é atacada por um porco espinho selvagem que ali morava, ela pisa mesmo em cima de um

― aii ai, ai yuki eu pisei em um porco espinho que dor insuportável. Ela diz fazendo caretas, seu pé está machucado.

― espera deixa eu te ajudar vou retirar os espinhos. Ela o olha com medo...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...