História Realizar sonhos? - Capítulo 18


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Got7
Personagens BamBam, Jackson, JB, J-hope, Jimin, Jin, JR, Jungkook, Mark, Rap Monster, Suga, V, Youngjae, Yugyeom
Tags 2jae, Jikook, Markson, Namjin, Yoonseokv, Yugbam
Exibições 69
Palavras 1.681
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Lemon, Romance e Novela, Suspense, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá serumaninhos <3
Eu demorei porque estava na bad, e quem consegue escrever lemon na bad?
E eu também comecei outra fic, então tive que pensar na história dela também, mesmo que eu já saiba toda ela.
Bem, boa leitura

Capítulo 18 - Capítulo Dezessete


Pov. Jungkook

- Não devia ter dispensado o passeio.

- Quer passar nosso aniversário com os meninos?

- Não, mas teríamos tempo depois do parque.

- Não seria tempo suficiente.

- Tempo suficiente pra quê?

- Para eu te foder em todos os cômodos da casa. - falei e o vi corar, me fazendo dar um sorriso de lado. - Você fica tão fofo corado.

- Cale a boca. - falou quando estacionei o carro na garagem da casa que havíamos comprado aquele mês, saindo do dormitório da faculdade.

- Vem calar. - o olhei desafiador, e ele deu um sorriso antes de tirar o cinto.

- Com todo prazer. - falou e sentou em meu colo, me beijando logo em seguida.

Sorri dentre o beijo, antes de levar minhas mãos as suas coxas, as acariciando e depois apertando sua bunda, o fazendo gemer baixo dentre meus lábios.

Nos separamos do beijo e aproveitei para tirar o cinto.

- Então, vamos começar pela garagem? - falei e não o deixei responder, o beijando novamente.

Levei minhas mãos ao botão de sua calça, o abrindo e abaixando o fichicler. Apertei seu membro semi-ereto por cima da boxer que usava, o fazendo desgrudar seus lábios dos meus para soltar um gemido baixo. Jimin levou sua cabeça para o meu pescoço, dando mordidas e depois beijando o local, como em um pedido de desculpas pelo que tinha feito. Adorável.

Tirei sua calça com certa dificuldade, afinal não estávamos na melhor posição. Jimin começou a rebolar em meu colo, nossas ereções entrando em um atrito deliciosamente torturante.

Retirei sua blusa e comecei a distribuir chupões de sua clavícula para baixo, sabendo que ele poderia esconder as marcas com a blusa depois. Mordi seus mamilos, e sorri ao ver suas costas arquearem enquanto ele arfava, ainda mantendo as reboladas.

Levei minha mão a tranca da porta e a abri, e Jimin parou os movimentos, me olhando confuso. Segurei suas coxas e me levantei com ele em meu colo, suas pernas entrelaçadas em minha cintura. Sai do carro com dificuldade, indo em direção ao capô do carro e o sentando nele, voltando a beija-lo.

- O-o capô do carro está quente Kookie-ah! - falou enquanto distribuía mordidas não muito fortes em seu pescoço, deixando marcas que sumiriam até o dia seguinte.

- Está te queimando? - perguntei colocando minha mão apoiada no capô, sentindo que ele estava levemente morno, mas nada que pudesse realmente o queimar.

- Não, só está me incomodando... Ah, que se dane. - falou e me puxou para um beijo, explorando minha boca com sua língua.

Levei minha mão ao seu membro já ereto por cima da boxer, que parecia o incomodar.

Retirei sua cueca e comecei a estimular seu membro lentamente, o vendo gemer enquanto tentava se manter firme em cima do carro. Ele levou suas mãos a barra de minha blusa, a retirando ao mesmo tempo que eu tirava meus sapatos com os próprios pés.

Fazia movimentos lentos com a mão, sabendo que estava o torturando, e sorrindo ao ouvir seus gemidos baixos e pedindo por mais.

Ele levou suas mãos à meu membro disperto por cima da calça, o apertando e me fazendo soltar um gemido de surpresa, e o vi sorrir. Ele abaixou minhas calças e boxer de uma vez só, e parei os movimentos com a mão para o ajudar a tirar o tecido incômodo de meu corpo. Jimin desceu um pouco seu corpo, juntando nossos membros e começando a masturba-los juntos em um ritmo acelerado, meus gemidos se misturando aos seus. Olhei para seu rosto, vendo que ele sorria maliciosamente com suas bochechas coradas. Sorri com essa cena.

Ali estava o Jimin que só eu conhecia. O Jimin safado e malicioso, sem vergonha alguma, e ao mesmo tempo sempre tendo reações fofas.

Ele começou a morder meu pescoço, e joguei ele para trás, lhe dando mais espaço. Me deu um chupão na clavícula, e um gemido baixo saiu de meus lábios.

Separei nossos corpos e fui em direção a porta aberta do carro, abrindo o porta-luvas e pegando um vidro que sempre tinha no carro e em alguns cômodos da casa. É bom se precavir. Voltei em direção a ele, que substituiu sua expressão confusa para uma maliciosa quando viu o frasco em minha mão.

- De costas. - falei com a voz meio rouca, e ele me olhou sem entender.

- O quê?

- Vire de costas, se apoiando no capô.

- Sério?

- Vamos lá ChimChim, faça isso por mim, sim? - falei fazendo uma expressão fofa, e o vi formar um bico nos lábios enquanto se virava.

- Fazer aegyo é golpe baixo. - falou e soltei uma risadinha baixa.

Abri o lubrificante e deixei o líquido gelado escorrer por entre meus dedos, os lambuzando. Levei meus dedos a sua entrada, o penetrando com os dois dedos de uma vez, ouvindo um xingamento baixo sair da boca do outro. Comecei a fazer movimentos de vai e vem com os dedos enquanto distribuía mordidas por suas costas, logo em seguida lambendo o local mordido. Quando os gemidos de dor passaram a ser de prazer, retirei meus dedos de seu interior, ouvindo um muxoxo da parte de Jimin.

Passei um pouco de lubrificante em meu membro e o levei a sua entrada, o penetrando de vez.

- Filho da puta! - Jimin grunhiu alto, suas mãos que se apoiavam no capô vacilando por um momento. - Você acha que eu sou o que, desgraça? - falou virando seu rosto pra mim, lágrimas escorriam por seu rosto, mas apesar de toda a "raiva", seus olhos transbordavam luxúria.

- A pessoa que me fez sofrer por amor antes de me mandar um poema um ano atrás. E sabe de uma coisa? - falei me deitando por cima de seu corpo, sentindo seu interior se retrair, tentando me expulsar de seu corpo. - Foi uma honra sofrer por você. - sussurrei em seu ouvido, depositando um beijo em sua nuca, vendo seus pelos se arrepiarem.

Retirei lentamente meu membro quase que por completo de seu interior, antes de estoca-lo novamente, soltando um gemido baixo e ouvindo um gemido alto sair de sua boca.

- Já te disse como você é apertado? - falei baixo enquanto retirava meu membro novamente, começando a me mover lentamente em seu interior.

- I-isso deveriar ser considerado bo-bom, não?

- Quando eu disse que era ruim? - falei dando um sorriso e aumentando a velocidade dos movimentos, levando minha mão em direção ao seu membro, que já estava molhado pelo pré-gozo, e comecei a masturba-lo no ritmo com que estocava, o ouvindo gemer mais alto e constantemente.

Levei minha mão que antes se apoiava no capô para sua cintura, a segurando de forma possessiva.

Admirei a cena que se passava a minha frente: Jimin de costas para mim, apoiando suas mãos sofregamente em cima do capô de meu carro, soltando gemidos altos por ser masturbado e estocado ao mesmo tempo. Eis uma fantasia realizada.

Ouvi Jimin gemer mais alto, e soube que tinha acertado sua próstata, me fazendo sorrir de lado e aumentar a velocidade das estocadas, focando naquele lugar. Beijei toda a extensão de suas costas, sentindo seu corpo vibrar abaixo de mim e vendo seus pelos se arrepiarem.

Seu corpo começou a dar espasmos, e aumentei meus movimentos com a mão, sentindo que ele estava próximo.

- Ko-Kookie-ah! - gemeu alto antes de se desmanchar em minha mão, seu corpo sofrendo espasmos fortes enquanto tentava com o resto de força que lhe sobrava se manter apoiado no carro.

Seu interior se apertou mais ainda, e senti um formigamento no baixo-ventre, e o estoquei uma última vez profundamente, antes de chegar também ao meu ápice, soltando um gemido.

Parei meus movimentos, minha respiração ofegante se misturando a dele. Me retirei de seu interior, e ele se virou para mim lentamente, se sentando e me olhando com o rosto corado.

- Isso foi... Incrível.

- Quando eu não sou incrível? - perguntei e recebi um tapa no braço.

- Não seja tão convencido.

- Não sou convencido, sou realista. - falei depositando um selinho em seus lábios. Peguei o frasco de lubrificante que havia caido no chão, e o olhei com as sobrancelhas erguidas e um sorriso malicioso. - Para que cômodo vamos agora?

[...]

Estava olhando para o teto branco a mais ou menos um minuto, um sorriso bobo no rosto.

- Esse foi definitivamente o melhor aniversário. - falei, me lembrando do dia.

Havíamos transado na garagem, na mesa da cozinha, no sofá da sala, debaixo do chuveiro, e por último no quarto, em nossa cama. Estava exausto, mas isso nem importava no momento.

- Você me deixou todo dolorido. - Jimin choramingou abraçado a mim.

- Não reclame porque eu sei que você gostou.

- Eu não disse que não tinha gostado. - falou e dei um sorriso. - Espero que esteja preparado para o próximo aniversário, porque você vai ter que me dar o que eu pedir.

- Por que eu sinto que deveria me preocupar com isso?

- Porque você deve. - falou se levantando e me dando um selinho, logo depois virando e pegando seu celular, no qual havia chegado uma mensagem.

Vi o sorriso em seu rosto se desfazer e uma lágrima escorreu de seu olho, e rapidamente peguei seu celular de sua mão.

"Youngjae:

A senhora Sunhee faleceu. Se você e Jungkook puderem vir aqui em casa, ajudaria muito, pois já não sei o que fazer para animar Jaebum, sendo que eu mesmo não estou bem.

Por favor, venham assim que for possível."

Reli a mensagem duas vezes antes de finalmente associar o que havia lido. Sunhee, aquela senhora simpática e direta que eu havia conhecido a pouco tempo e já se tornara uma pessoa muito querida para mim, havia morrido. E o pior de tudo: Jaebum, aquele poço de seriedade e alegria, sempre com um pensamento positivo e uma solução para tudo, estava mal.

Afinal, por que as pessoas queridas para nós tem que morrer?


Notas Finais


Foi isso, o que acharam?
Até o próximo capítulo
Eu te amo vocês

~Beijos Sugasticos


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...