História Reason Second Season - Capítulo 33


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber, Shay Mitchell
Personagens Justin Bieber
Exibições 111
Palavras 2.727
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 33 - Reason.


POV Melissa Broome.

Passei a madrugada acordada sentindo toda a dor percorrer o meu corpo e toda a cafeína tentando amenizá-la. Tudo em mim doía, conseguia sentir até o meu coração bater de uma maneira diferente, nem sabia se isso era ou não possível.

Sophie devolveu meu celular e todos os aparelhos eletrônicos da casa foram religados. Descobri que estava em Nova Iorque e que iria morar ali de agora em diante. Descobri que tinha uma sala espelhada com todos os equipamentos que eu precisava só pra minha dança. Mas nada disso fazia mais sentido. Sem ele ali, não tinha mais graça.
       

    - Vou entrar. - Sophie disse depois de bater na porta - Voce não dormiu?
         

  - Não, Melanie chorou muito essa noite. - menti rapidamente e virei pro outro lado da cama - 
       

  - Só a Melanie chorou? Melissa, você ta acabada. 
       

  - Sophie, eu quero ficar sozinha. - respondi simples e senti vontade de chorar novamente - Eu preciso me acostumar a ficar sozinha.
       

  - Você tem a mim, nunca vai estar sozinha, para com isso, para de generalizar. - ela disse me encarando e eu parei de segurar o choro - 
       

   - Você não tem ideia do quanto tá doendo. - comentei enquanto chorava e ela sentou do meu lado - Eu preciso sentir toda essa dor, eu quero sentir cada membro do meu corpo doendo, eu quero passar por isso, quero ficar bem.
       

    - Mas...
       

 - Mas eu não consigo, Sophie. Eu não consigo. - disse simples e desabei ali - Eu não quero superar o Justin, não quero esquecer da gente.
         

 - Pode ter certeza que isso não vai acontecer, ninguém dessa família vai conseguir esquecer Justin Bieber. - disse rindo e eu sequei o rosto - 
       

  - Posso ficar sozinha agora?
       

  - Posso trazer alguma coisa pra você comer? 
       

  - Estou sem fome. 
         

  - Eu sei que tá, mas vou trazer mesmo assim. - respondeu me ignorando completamente - Você ainda tem a mim, sua família e a Melanie, todos ainda precisam de você, não esquece disso. - disse séria e eu assenti -

Sophie bateu a porta e saiu do quarto. Respirei fundo, tirei as roupas e entrei no banheiro pra tomar um banho super rápido. Mal sabia eu que entrar ali naquele momento me traria um mar de lembranças boas.

Flashback on*

 

 - Deixa eu ir tomar banho com você. - ele disse e eu fui pegar minhas roupas - subir isso aqui me deixou suado po, seu quarto podia ser lá embaixo. 

   

  - Justin eu não vou tomar banho contigo, nem vem. - disse e ele me abraçou por trás e beijou meu pescoço - eu te odeio. 

   

  - isso seria um sim? - ele perguntou e eu assenti - 

 

 - Eu vou colocar meu biquíni porque não vai rolar nada além de um banho aqui. - disse e entrei no banheiro trancando a porta -
Flashback off*

Pela primeira vez dentro daquelas horas eu sorri lembrando de nós dois, lembrando desses dias e do quanto eu era feliz ao lado dele.

Coloquei um vestido floridinho e prendi metade do cabelo, deixando a outra parte solta. Troquei a roupa da Melanie por um outro macacão, coloquei uma touca e joguei umas coisas em sua bolsa. Bebês dão mais trabalho do que eu imaginava. 
     

 - A Melissa tá mal, não vai sair de jeito nenhum. - escutei Sophie dizer enquanto descia as escadas -
         

  - A Melissa precisa de ajuda no momento. - disse chamando a atenção deles e o Chaz me ajudou e pegou a bolsa da Sophie - Quero dar uma volta com ela, respirar um pouco.
         

  - Vai pro Central Park? - Chaz perguntou e eu coloquei o óculos - 
         

  - Acho que sim, dá pra sentar, respirar e admirar minha filha. - respondi simples e coloquei a Melanie no carrinho na minha frente - 
         

   - Se tu quiser ir sozinha a gente fica com ela, não tem problema nenhum. - Mike disse e eu assenti - 
       

   - Ta tudo bem, nós só vamos dar uma volta. - eu respondi simples e ele assentiu, conseguia sentir a preocupação em seu olhar do mesmo jeito -

[...]

Parei em um café pra comprar qualquer coisa pra comer e pra lavar a chupeta da Melanie que tinha caído no chão. Ela estava mais acordada do que nunca. Os olhinhos cor de mel arregalados me encarando e observando cada gesto meu. Olhos que me lembravam o Justin. Tudo nela me lembrava o Justin, impressionante. 

Peguei meu celular e comecei a passar pelos videos antigos até encontrar o que estava procurando. Um video super antigo do Justin cantando uma de suas músicas pra mim. Comecei a rir lembrando da minha reação ao descobrir que ele um dia já tinha realmente pensado em escrever dessa maneira.

Depois de comer, voltei pro carro e fiz meu caminho de volta pra casa. Melanie dormiu na cadeirinha do banco de trás e eu fiquei escutando a rádio e observando a merda do trânsito de cidade grande. 

Quando peguei uma reta e pude acelerar com o carro, juro que por cinco segundos o meu coração parou e o tempo também. Eu vi o carro dele. A mesma placa, a mesma cor, o mesmo carro em Nova Iorque. Eu só posso estar ficando maluca.

Abri a porta de casa respirando pesado e super atordoada com o que tinha acontecido. 
         

 - Cadê o Ryan? Cadê os meninos? - perguntei enquanto a Sophie pegava a Melanie no colo -
     

 - Lá em cima no quarto de jogos. - respondeu simples e eu subi as escadas correndo -

Abri a porta e lá estavam os três, mexendo no computador, com umas caras tão sérias que eu até me assustei.
           

 - O que houve? Viu um fantasma? - Chris perguntou e eu engoli em seco -
         

 - Eu juro que vi o carro do Justin, juro pra vocês. - disse simples de olhos fechados e respirei fundo -
       

 - Melissa... - Chaz começou e eu o interrompi -
         

 - Eu estava na estrada quando vi, foi muito rápido, era a mesma cor, a mesma placa, o mesmo carro...Ryan, eu tenho certeza. - afirmei e ele me encarou - 
         

  - Eu preciso saber aonde você viu, tu lembra o lugar? 
       

  - Não, foi muito rápido, mas ele tá aqui, o carro dele está aqui. - respondi rindo e ele me olhou e riu também -
         

  - A gente acabou de descobrir que a casa do Gregory desabou, explodiu, rolou um incêndio lá. - Chaz interrompeu meus pensamentos quando disse isso - O Justin ainda estava lá dentro quando saímos, acreditar que  ele está vivo é muito difícil depois disso.
         

   - Você acabou de dizer que o celular dele tá ligado e a localização desligada, eu tenho esperanças, de verdade.
           

  - Você ta sendo um idiota acreditando nisso, irmão, de verdade. - Chaz disse aumentando o tom de voz, eu comecei a chorar -
         

   - Por que você tá falando desse jeito? Eu tô dizendo que vi, Chaz, não ia inventar uma coisa dessas.
         

  - Poxa, Mel, eu não quero duvidar de você, mas que é difícil acreditar em tudo isso... - ele disse e eu assenti - Ta doendo pra caralho em mim também.
       

  - Eu tô começando a ficar nervoso, a situação tá começando a me irritar... - Ryan reclamou - Eu preciso de algo que me mantenha acreditando que isso não ta rolando, preciso que seja um pesadelo.
       

  - Vou tomar um ar. - Christian disse e eu notei que aquela foi a primeira vez que ouvi sua voz desde que entrei no quarto - Não sei vocês, mas eu não vou conseguir suportar isso não. 

Pela primeira vez nesses anos todos eu consegui concordar completamente e inteiramente com ele. Eu também não conseguiria suportar isso tudo.

[...]

Melanie acordou chorando no meio da madrugada e ao perceber que eu não estava dando conta, Sophie levantou e pegou ela pra mim. Melhor amiga que a minha impossível. 

Me arrastei até a cozinha pra pegar um copo de água. Dei uma olhada no celular e vi que eram quatro da manhã, revirei os olhos lembrando que ainda teria que tentar dormir por mais tempo. Merda.

Fui ao banheiro fazer xixi e quando estava lavando a mão escutei um barulho de chave. Saí do banheiro e não vi nada de diferente além da porta encostada.
         

   - Calma Melissa, foi o vento. - disse pra mim mesma e bati a porta girando a chave duas vezes em seguida para trancá-la - 

Antes que pudesse virar pra trás senti duas mãos na minha cintura e dei o maior grito da minha vida. 
           

    - JUSTIN? - gritei de novo ao vê-lo na minha frente - Meu Deus, JUSTIN!. - falei ainda mais alto e ele me abraçou -
     
         

   - Eu disse que ia voltar pra você. - ele falou nos meus ouvidos e eu sorri - Eu sempre vou voltar pra você.
         

  - Eu achei que você tava morto, você não tem ideia do quanto eu estava mal... - comentei enquanto chorava em seus braços e ele me apertou ainda mais forte - Você ta bem? O que aconteceu? Meu Deus, eu achei que nunca mais poderia encostar em você novamente. - disse e apertei seu braço, ele afastou a minha mão - 
         

  - Eu levei um tiro aí, ainda ta doendo um pouco, cuidado. - ele pediu e eu assenti - Acabou tudo, Mel. Eu acabei com tudo, me livrei de tudo. - disse e colocou a mão na minha nuca, eu só sabia rir - Deu tudo certo.   
           

   - Deu tudo certo. - respondi grata e ele sorriu e colou nossos lábios -
         

  - Eu não achei um buquê de flores, trouxe só uma mesmo. - ele disse e me entregou, eu ri - Muito bom poder te ver, te tocar... - ele disse e colocou a mão no meu rosto -
         

  - Que gritaria é essa aqui embaixo? - escutei a voz do Michael e seus passos na escada - Acordou a Melanie, de novo!
         

 - Foi por um bom motivo. - eu disse rindo e ele acendeu a luz e olhou pra mim com os olhos arregalados -
           

  - PUTA QUE PARIU! - ele gritou assustado e depois começou a rir - Ta maluco, velho, que bizarro. - disse enquanto fazia uns toques com o Justin, nunca vou entender esses toques - Achei que tu tava morto!
         

 - Me mataram cedo demais. - ele disse zoando e eu continuei sem expressão, estava anestesiada de tanta felicidade e emoção ao mesmo tempo - 
             

   - RYAN, O JUSTIN TÁ AQUI, EU DISSE QUE TINHA VISTO O CARRO DELE EU DISSE! - eu subi as escadas gritando e abri a porta do seu quarto -

Ele levantou todo assustado me encarando e sem falar nada, passou por mim, descendo assim as escadas. Fiquei lá em cima observando a cena, me segurei pra não chorar, mas não deu muito certo. A amizade desses dois sempre mexeu pra caralho comigo.
         

    - Irmão, nunca mais tu se mete nessa porra, nunca mais tu faz essa palhaçada. - ele disse com a voz falha e o abraçou - 
             

  - Nunca diga nunca. - Justin disse e logo depois me encarou - Brincadeira.

Corri pra chamar o Chaz, Chris e a Sophie. Todos me olharam como se eu tivesse algum tipo de demência, mas tiveram a mesma reação ao reencontrarem com o Justin: Um misto de emoções.  

Entrei no meu quarto, respirei fundo e peguei a Melanie no colo. Com meu coração super acelerado, desci com ela e parei do lado dele terminando ele parar de falar com a Sophie.
           

   - Quem diria que um dia eu ficaria feliz em te ver, Bieber. - ela disse enquanto o abraçava e ele riu - A Melissa tava quase morrendo já, não faz mais isso.
         

   - Ih, tá uma vibe triste aqui, eu tô vivo, cadê a bebida? Cadê a festa? - ele perguntou zoando e rindo -

Depois de cinco segundos virou pra mim e viu que eu estava com a Melanie nos braços. 
         

  - Cara, se tu soubesse quantas vezes eu visualizei esse momento, ficaria até preocupada. - ele disse todo delicadinho e eu ri - Você me deu forças pra voltar, tu sabe disso, né?
         

    - Eu ou ela? - disse olhando pra Melanie em seus braços e ele sorriu -
         

   - As duas. - respondeu simples e se ajeitou com ela no colo - Eu te amo, cara. - disse e eu sorri -
         

  - Justin, senta com ela, vai, você não sabe segurar direito. - pedi tentando soar o menos neurótica possível e ele andou em direção ao sofá - 
         

    - Porra, fiquei quanto tempo fora? Um mês? - perguntou debochado por conta da minha super proteção e eu revirei os olhos - Porra! Até disso eu tava sentindo falta, ela fez isso muitas vezes enquanto eu estava fora?
         

    - Quase todos os dias, chega a ser chato. - Chaz comentou comendo pipoca jogado no sofá e eu me segurei pra não revirar os olhos de novo - 
       

    - Deixa de ser insuportável. - falei pra ele e ele riu -
         

  - Melissa é chatona com essa parada mesmo, mas eu já tava me acostumando, pior mesmo é quando ela tá toda trabalhada no drama né, irrita até a alma. - Ryan disse me zoando e eu abri a boca sem acreditar que ele ia me zoar por aquilo - Ryan, cadê o Justin? Ryan, o Justin..., eu não consigo viver sem ele, Ryan, ele fode muito bem, Ryan. - ele disse tentando imitar a minha voz e todo mundo começou a rir, minha vontade era voar no pescoço daquele filho da puta -
         

   - Não acredito que você tá fazendo isso! - eu gritei rindo incrédula e ele riu também é encostou as costas no sofá - Amor, eu não tava fazendo assim, gente, nem vem, eu não tava assim! - gritei rindo e me defendendo -
           

   - Ryan tá exagerando, ela tava na merda, mas não chegou no nível da transa não, tava só no sentimental mesmo.
           

  - Tem nível agora nessa porra? - Justin perguntou rindo e eu arqueei as sobrancelhas -
           

   - Pois é, um absurdo isso, também não entendi. - comentei simples e ele riu - Eu ainda não tô acreditando.
           

    - Ih, Melissa vai ficar assim por um tempinho até formular as coisas. - Michael disse e eu ri, não conseguia parar de rir - 

Levantei rapidamente enquanto eles conversavam e fui a cozinha pegar um copo de água e respirar um pouco. Um peso enorme havia saído das minhas costas e eu nunca me senti tão leve. Na verdade, nunca pensei que fosse me sentir tão leve novamente. 

Fiquei sentada na mesa da cozinha pensando em tudo que havia acontecido, pensando em toda a minha trajetória e no quanto eu merecia ser feliz. 
       

    - Cara, eu já fiz muita coisa foda, mas essa criança é a coisa mais linda de todas, sem neurose. - ele disse enquanto entrava na cozinha com a Melanie no colo e sentou ao meu lado - O que houve?  Tá triste? 
         

  - Muito pelo contrário. - eu respondi e resolvi não segurar as lágrimas, precisava sentir aquilo tudo - Eu nunca ia superar te perder, eu não ia conseguir cuidar da Melanie, eu tava em transe.
       

    - Mel, para com isso, óbvio que você ia! - ele disse baixinho e eu fechei os olhos - Você consegue tudo que quer e sabe disso. 
         

   - Eu tô muito aliviada por você estar vivo, sério, não seria a mesma coisa sem você enchendo o meu saco. - eu disse rindo e sequei o rosto, ele me selou - Obrigada por voltar. 
       

    - Eu sempre vou voltar pra vocês. - disse e abriu o maior sorriso bobo do mundo quando a Melanie se mexeu - Sempre. 

Ele me selou novamente e ficamos abraçados por um bom tempo. Escutando a nossa própria respiração. A nossa vibração. Sentindo aquilo tudo e vivendo aquele momento. 
Na cozinha daquele apartamento em Nova Iorque, com meus amigos na sala e Justin e Melanie ao meu lado, sem nenhuma razão, eu senti que realmente estava completa e assim, eu seria totalmente feliz. Nós seriamos felizes. Por um bom e longo tempo. 


Notas Finais


Por meio desta última nota e com muita dor no coração, venho dizer que esse é o último capítulo de reason.
Essa fanfic me fez feliz, os comentários e favoritos de vocês me fizeram feliz, o alcance da minha história me fez feliz e acredito que não podia estar mais grata por esses 3 últimos anos que passamos separados, porém, bem juntinhos por conta de Reason.
Sem nenhuma razão, eu comecei a escrever.
Sem nenhuma razão, eu continuei escrevendo.
Sem nenhum nenhuma razão, vocês me deram suporte.
Sem nenhuma razão, a primeira temporada passou de 20 mil visualizações.
Sem nenhuma razão, eu tô aqui me despedindo dessa etapa e dessa história que me manteve conectada com vocês durante esses 3 anos.
Obrigada por acompanharem Reason e esse nosso casal complicadinho da história! Vocês são demais e me fizeram bem feliz!!! Beijinhos!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...