História Rebel - Capítulo 26


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Jaxon Bieber, Jazmyn Bieber, Jeremy Bieber, Justin Bieber, Personagens Originais
Tags Chaz Somers, Gigi Hadid, Justin Bieber, Nash Grier, Ryan Butler, Zayn Malik
Visualizações 33
Palavras 1.054
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Mistério, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 26 - Revenge


Fanfic / Fanfiction Rebel - Capítulo 26 - Revenge

Atlanta,Geórgia. 4 anos depois.

Justin Bieber On

Hoje,hoje é o dia em que vou sair daqui.

Esses quatro malditos anos,os piores anos da minha vida.

Peguei seis meses primeiro,por porte ilegal de arma de fogo. Logo depois dois anos por tráfico.

Sai para visitar minha mãe á sete meses atrás e não tinha voltado em uma semana e então me encontraram vendendo umas ervinhas por aí. Resultado;mais seis meses.

Num todo foram quatro anos. 

Quatro anos sem ver a Liss

Quatro anos sem ver o sol direito

Quatro anos sem pegar em uma faca  ou arma 

Quatro anos sem comer um bolo de aniversário 

Quatro anos sem ouvir música 

Quatro anos sem dirigir um carro

Quatro anos sem ser "feliz".

O que eu fiz nesses quatro anos?

Fiquei aqui nesse quarto,dormindo em cima de um pedaço de concreto.

Tive  que comer uma comida horrorosa.

Ryan,tentou me tirar daqui. Mas Não adiantou 

Só fui acusado por isso mesmo,não descobriram nada a respeito das garotas mortas.

E hoje,com vinte e três anos eu saio daqui.

Vou me vingar de todos aqueles que se esqueceram de mim. 

Irei atrás de cada um e não adianta nenhum deles se esconderem.


[...]


 O policial,abre a cela em que eu estou e eu saio dali.

Vou até um lugar e me visto,uma camiseta preta simples e uma calça. 

Finalmente,livre daquela roupa laranja ridícula. 

Pego meu celular que não vejo à anos e meus óculos pretos,junto vem minha mochila com meus documentos e umas roupas que eu não usava nem via tinha quatro anos.

Minha arma? Confiscada pra sempre nessa merda. As drogas de Ryan? Apreendidas também.

Coloco meu boné por último e caminho por cerca de cinco minutos com um policial ao meu lado até ver o portão central ser aberto me dando visão da rua novamente.

Eu estou livre denovo. 

Caminho pelas ruas de Atlanta,olho pra todos os lugares e várias pessoas ainda me olham torto.

Quando fui preso sai nos jornais daqui,e acredite,até hoje as pessoas lembram do "Bieber o Traficante de Atlanta".

Rio com isso,e continuo caminhando por ali.

Nem me lembro direito da última vez que andei assim m sentindo livre.

Após meia hora me vejo em frente a minha casa,a casa onde cresci. 

A casa em que transei com Liss pela primeira vez.

 A casa onde eu brigava com Jeremy todos os dias.

Mas ainda assim é minha casa,sempre será um lugar especial pra mim.

Caminho até a entrada lembrando de meu quarto,meu quarto onde eu guardava minhas facas,minhas armas.

Onde eu guardava minhas drogas e onde eu guardava tudo.

Pego a chave dentro da minha mochila e entro.

Sorte que meus pais não trocaram a fechadura.

Entro,e o  lugar tem uma cara nova e nada familiar.

Paredes na cor gelo e móveis brancos.

Um sofá bege no centro da sala e uma televisão ótima pra ver um jogo de hóquei.

Jogo minha mochila no chão e corro para meu quarto,quero ver se está tudo como deixei.

E sim,estava. Concerteza a minha mãe não liberou que os policais babacas entrassem aqui.

Vejo grudada a cabeceira da minha cama uma foto minha e da Liss,tirada no aniversário dela de  dezesseis anos.

Sorri olhando a foto mas meu sorriso se desfez quando lembrei que nesses quatro anos preso ela não foi até a delegacia   me ver.

Só quero saber o motivo dela não ter ido.

Ouvi um gemido? Foi isso mesmo?

Não era Liss e concerteza não era Pattie,na última visita que ela me fez na cadeia ela disse que Jeremy e ela estavam em seu pior momento.

Só podia ser a amante dele!

Hoje eu mato esse velho idiota!!!


[...]


Se passaram três horas desde que cheguei aqui,fui até a casa de Ryan e peguei uma arma calibre 38.

Irei matar Jeremy e sua puta hoje!

Não tem quem me impeça!

Ouço o barulho de um salto na escada e olho para trás vendo a visão dele e de uma mulher de no máximo trinta anos,loira,olhos azuis.

Não,Não é possível!

Sra.Jorney? A diretora da escola de Bradford?

A loira gostosa que eu quis comer?

A diretora dos óculos de grau?

Não é possível!!

-Ora,ora. Diretora? Não esperava ver a senhora por aqui.

Ela me olha assustada,e Jeremy parece surpreso demais pra falar algo.

-E aí papai,saudades do filhinho aqui. 

Mexo a arma na minha mão direita e aponto pra mim.

-Justin? 

Ele fala.

-O que... O que você faz aqui? Devia estar preso.

Eu dou risada.

-Não,querido pai. Hoje é o dia que eu sai. Ja cumpri minha pena de quatro anos. Mas  sabe que me deu vontade de voltar pra cadeia por algum motivo?

Aponto a arma em sua direção e vou caminhando com meu sorrisinho no rosto até chegar bem perto e encostar a arma em sua testa.

-Fi... Filho eu sinto muito...

Falou como se fosse adiantar algo,e sua amantezinha de quinta olha tudo no canto da escada sentada e chorando horrorizada.

-Não vai sentir mais nada papai.

Puxo o gatilho e ouço o som alto do tiro sendo disparado.

A loira grita e chora no canto trampando seus ouvidos e chamando por Deus.

Meu pai,cai pra trás e seu corpo desfalecido se choca contra a parede.

Morto.

Viro meu rosto para olhar a diretora sentada na ponta da escada,e encaro sua face assustada.

-Diretora Jorney. Nunca soube seu primeiro nome... Pode me dizer qual é?

-Olívia,Olívia Jorney.

Diz com a voz trêmula e eu rio.

-Bom,Olívia Jorney... Seu dia chegou,mas sabe... Talvez você vá pro céu,afinal não fez nada muito ruim pra ninguém não é? 

Ela me encara.

-Não me mate Justin,por  favor não me mate.

-Tarde de mais.

Disparei três tiros por seu corpo,o primeiro foi na perna e ela gritou de dor,aquilo parecia música para mim.

O segundo eu acertei na barriga e o último na cabeça.

Ri olhando o corpo dos dois idiotas na escada e sai de casa com meu celular e a arma em minha cintura.

Dois ja estavam bem longe daqui e agira faltava o resto.

"Yeah, he found a six shooter gun

In his dad's closet, hidden in a box of fun things

And I don't even know what

But he's coming for you, yeah, he's coming for you

All the other kids with the pumped up kicks

You better run, better run, out run my gun

All the other kids with the pumped up kicks

You better run, better run faster than my bullet"


"É, ele encontrou um revólver

No armário do seu pai, escondido numa caixa de coisas legais

E não sei nem o que aconteceu

Mas ele virá atrás de você, é, ele virá atrás de você

Todas as outras crianças com sapatos caros

É melhor correrem, correrem mais rápido que a minha arma

Todas as outras crianças com sapatos caros

É melhor correrem, correrem mais rápido que as minhas balas"

Pumped up kicks,Foster The People




Notas Finais


Foi issae meus bbs.
Demorei um pouco mais do que devia mais escrevi.
To vendo o show do chão Mendes agr e ele canta mto msm ner ❤❤❤ mto amor por ele.
Bjobjo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...