História Rebel Heart - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Aquarius, Aries, Bacchus Groh, Bickslow, Cana Alberona, Câncer, Capricórnio, Carla (Charle), Chelia Blendy, Elfman Strauss, Erza Scarlet, Evergreen, Flare Corona, Freed Justine, Gajeel Redfox, Gemini, Gildartz, Grandine, Gray Fullbuster, Happy, Igneel, Jellal Fernandes, Juvia Lockser, Kagura Mikazuchi, Laxus Dreyar, Levy McGarden, Lisanna Strauss, Loki, Lucy Heartfilia, Lyon Vastia, Macao Conbolt, Makarov Dreyar, Mavis Vermilion, Meredy, Minerva Orland, Mirajane Strauss, Natsu Dragneel, Nikora "Plue", Pantherlily, Personagens Originais, Rogue Cheney, Romeo Conbolt, Scorpio, Sherry Blendy, Silver Fullbuster, Sting Eucliffe, Ultear Milkovich, Ur, Virgo, Wendy Marvell, Yukino Aguria, Zeref
Tags Drama, Fairy Tail, Gale, Gruvia, Jerza, Miraxus, Nalu, Romance, Rowen, Super Poder, Suspense
Visualizações 97
Palavras 2.843
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Fantasia, Festa, Hentai, Magia, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Olááá !

Sim, eu sei que estou tremendamente atrasada, e que ainda tenho que fazer o especial - que a propósito eu preciso de mais perguntas e desafios -, mas pelo menos não abandonei vocês não é? Hehe e.e

Esse cap ta pronto desde Terça-feira (dia 08/ 08/ 2017), mas pra respeitar as regras de postagem eu resolvi deixar pra postar ele sábado - hoje no caso.

Bem, espero que gostem...

Boa Leitura ;3

Capítulo 10 - Dez - Vai ficar tudo bem


Fanfic / Fanfiction Rebel Heart - Capítulo 10 - Dez - Vai ficar tudo bem

​~ Chapter Ten ~

 

Narradora On

O ​final de semana passou rápido e duas semanas seguintes também. Estava tudo tão tranquilo que chegava a ser entediante, mas isso não duraria muito. Os alunos estavam todos no meio de uma aula chata com o professor tentando pela terceira vez explicar pelo menos uma das leis de Newton sem ser atrapalhado por brincadeirinhas idiotas, perguntas sem sentido ou conversa paralela na sala entre os alunos. A aula estava enfastiosa tanto para os alunos - tanto que alguns já dormiam as escondidas - como para o professor - que já tinha uma voz desanimada e arrastada demonstrando um cansaço e tédio quase palpável. Mas para felicidade de alguns e infelicidade de outros, ouviu-se alguém bater na porta, e quando a mesma foi aberta pelo professor, viu-se que a pessoa que baterá era nada mais nada menos do que o diretor Makarov. Todos esperavam o óbvio naquele momento: Que ele entrasse na sala de cara fechada chamasse um ou mais alunos e saísse; ou desse uma bronca geral na sala.  Mas contrariando diversos pensamentos e causando espanto em alguns alunos, o diretor estava aparentemente de bom e estava... Sorrindo? Okay, aquilo era definitivamente estranho e incomum. 

Diretor Makarov: Alunos tenho um comunicado a fazer.

Todos os alunos olhavam o homem baixinho e sorridente que estava na frente da sala com temor.

Diretor Makarov: Vim lhes comunicar que daqui a 2 dias ocorrerá um acampamento recreativo organizado pela escola com as turmas do ensino médio. Vocês irão a uma xácara no interior da cidade e ficarão lá por 5 dias e realizarão diversas atividades. Eu, o professor Gildartz de Educação Física, a professora Mery de Biologia e o professor Freed de sociologia iremos acompanha-los no passeio. Peço que estejam aqui às seis e meia da manhã pois o ônibus sairá daqui às sete horas em ponto e não esperaremos ninguém. Mais tarde os professor passaram uma lista de coisas que precisam levar.

O silêncio era absoluto na sala. Ninguém estava acreditando e os que acreditavam estavam fascinados demais para falar qualquer coisa que fosse. O silêncio era algo tão incomum naquela sala, que o diretor ficou surpreso - talvez até assustado - com aquilo. A vontade de perguntar  "Ué, não vão fazer o mesmo estardalhaço de sempre?" era grande, mas a maravilhosa sensação de não estar quase surdo graças aos gritos era, de longe, a vencedora. Então, vencido pelo fascínio de não precisar ir a um Otorrino depois de sair da sala, o diretor agradeceu ao professor pelo tempo cedido e despediu-se dos alunos, enfim, saindo da sala macabramente quieta.

Os alunos, apesar de não parecem, estavam genuinamente felizes, porém extremamente surpresos. Tão surpresos que a algazarra começou depois de - pelo menos - 15 minutos que o professor retornará a suas explicações.

A loira que tentava concentrar-se o máximo possível em voltar a dormir, teve suas expectativas completamente frustradas quando sentiu uma bolinha branca de papel pousar no espaço entre seus braços. Mas que merda! Era pedir demais que todos calassem a boca pra que ela pudesse terminar de dormir o que não dormiu a noite graças aos seus fortes e constantes pesadelos? Pelo visto, era sim. Lucy levantou a cabeça - sem o menor ânimo - e abriu a bolinha de papel já sabendo que seria um bilhetinho de alguma das meninas.

​"Lucy, eu ouvi umas meninas falando de você!

- Erza."

Após ler a mensagem a única coisa que a loira foi capaz de fazer foi soltar uma lufada de ar demonstrando toda sua falta de interesse no assunto e escrever sua resposta algumas linhas abaixo da mensagem da ruiva.

"E eu com isso Erza?

- Lucy."

​E mais uma vez, uma bolinha de papel amassada foi lançada dentre os alunos que escreviam em seus cadernos, mas dessa vez chamando a atenção de um certo rosado que sentava atrás de Lucy. Natsu não pode deixar de ficar curioso ao ver a loirinha lançar o papel, afinal Lucy não era o tipo de garota que ficava passando bilhetes durante a aula. O rosado observou a bolinha de papel aterrissar na mesa de Erza e a mesma abrir o bilhete e tornar a escrever algo, então vencido pela curiosidade, o rosado apanhou o bilhete assim que a ruiva o lancou de volta a Lucy e não fez a mínima cerimônia para abri-lo. 

​"Como assim "E eu com isso Erza?" garota? Além de você ser o assunto,
elas estavam falando sobre como os garotos do 3º Médio ficam te chamando de puta

e outros comentários maldosos sobre você!"

​- Erza."

Nesse momento Natsu sentiu algo que não pensaria sentir outra vez: seu sangue ferveu dentro de suas veias. A raiva que sentia era algo sem motivo - pelo menos aos olhos do mesmo - e totalmente ridículo! O rosado só recobrou a consciência quando sentiu o papel ser arrancado de sua mão por Lucy que já lia o bilhete apressadamente.​ A loira olhou para Natsu que tinha uma expressão mista de raiva e uma tentativa falha de fingir indiferença, e em seguida olhou para Erza que tinha uma expressão surpresa no rosto devido a ação repentina de Natsu e Lucy podia ter certeza de algo: se tivessem tirado uma foto de seu rosto na hora que o rosado efetuara sua ação sua expressão não estaria tão diferente.

Mas ao contrário do que se pensa que alguém faria naquela situação, Lucy não fez alarme, não ficou triste e muito menos brava, ela apenas se levantou na maior calmaria possível e rasgou o papel da forma discreta que conseguiu e andou até a lata de lixo que estava perto da porta no fundo da sala e jogou o papel rasgado ali. Sem mais, e sem menos. E após se sentar em seu lugar outra vez, apenas fingiu escrever a matéria em seu caderno e quando teve certeza de que Natsu e Erza não tinham mais seus olhares em cima da mesma, permitiu-se abaixar a cabeça e soltar um longo e demorado suspiro baixo. "Ele se importa afinal...", essa era a única coisa que se passava na cabeça da loira, e a mesma não conseguiu conter o sorriso com tal pensamento.

[...]

Após o que pareciam dias dentro daquela prisão denominada "sala de aula", o sinal do intervalo finalmente tocou para a alegria de muitos alunos, como Lucy, que assim que ouviu o sinal tocar levantou-se rapidamente sendo seguida por Natsu, mas diferente do que pensava, ele passou reto e apressado por ela. A loira por sua vez, apesar da surpresa, continuou seu caminho até o refeitório, porém sua curiosidade a venceu assim que o barulho de algo batendo contra os armários e gritos não muito altos inundou seus ouvidos. Depois de alguns segundos tentando decidir de ignorava aquilo e seguia seu caminho ou ia ver o que estava acontecendo, a loira suspirou e foi em direção ao barulho, logo avistando um aglomerado de pessoas formando uma roda gritando coisas como "Vai! Revida!" ou "Acaba com ele!".

Lucy: Mas que merda...?

Antes que Lucy pudesse terminar sua frase viu uma cabeleira rosada no meio da roda a foi ali, naquele momento, em que toda sua curiosidade deu espaço ao medo e preocupação quando Natsu veio-lhe a cabeça. Então, empurrando as pessoas da maneira que podia, enfiou-se no meio da multidão e viu Natsu em cima de um garoto o qual ela nunca tinha visto disferindo diversos socos no rosto do mesmo. A loira sentiu seu corpo se mexer sozinho e entrou no meio da briga de Natsu.

Lucy: Natsu! Chega Natsu!

A loira tentou segurar o braço do rosado no pensamento de impedi-lo mas o mesmo soltou-se das mão de Lucy desferindo mais um soco certeiro no rosto de seu oponente. Então Lucy partiu para mais uma tentativa, porém dessa vez Natsu inconscientemente empurrou Lucy para trás não tendo noção de quem ou o que era que atrapalhara sua luta.

Gray: Lucy!

A loira que já estava no chão olhou para o lado e viu Gray vindo em sua direção.

Gray: Lucy, você esta bem?

Lucy: Eu... Eu estou bem Gray. Temos que parar o Natsu, ele pode se machucar.

Antes que a loira pudesse dizer mais alguma coisa, Gray se levantou e foi em direção a Natsu, e sem dizer um única palavra ao amigo o empurrou para o lado tirando o mesmo de cima do outro menino.

Natsu: Gray! Mas que merda você pensa que esta fazendo!?

Gray: Eu que te pergunto seu imbecil! - Disse Gray apontando para Lucy que se levantada com um pouco de dificuldade por ter caído com todo seu peso por cima de sua perna.

Natsu nessa hora entendeu. O "algo" ​que ele tinha empurrado alguns segundos antes era Lucy. O rosado correu até a loira e ajudou ela a se levantar com uma preocupação quase palpável.

Natsu: Lucy, esta tudo bem?

Lucy: Sim, e com você?

Natsu: Comigo? - perguntou o rosado sem entender.

Lucy: Sim, com você. Você estava em uma briga, se machucou?

Natsu não pode evitar de sorrir pela preocupação da loira.

Natsu: Estou sim, vem eu te ajudo. - Natsu segurou na cintura de Lucy passando um dos braços da mesma por seu pescoço dando apoio para a mesma andar e assim que os três saíram daquela confusão sem dizer ao menos uma palavra, Lucy soltou-se de Natsu sem a menor cerimonia ficando em pé por si só.

Lucy: Você é um idiota Natsu. Sabia disso? - perguntou olhando fixamente pro rosado.

Natsu: Lucy eu...

Lucy: Por que bateu nele?

Natsu: Como é?

Lucy: Por que bateu naquele garoto Natsu?

Natsu: Esta do lado dele?

Lucy: Não, droga Natsu, não estou do lado de ninguém! Por que bateu nele!?

Natsu: Porque era ele era um dos garotos do 3º Médio que ficava falando merda sobre você!

A loira ficou surpresa com a resposta de Natsu, ela definitivamente não esperava que Natsu fosse ​"vinga-la".

Lucy: Não faça mais isso okay? Deixe eles falarem Natsu, eu nunca me importei com esse tipo de coisa.

Gray: Alguém pode me explicar o que esta acontecendo?

Lucy olhou para Natsu, em seguida para Gray, e soltou um longo e pesado suspiro. Não iria adiantar de nada discutir naquela altura do campeonato, então Lucy apenas se virou e saiu andando acenando para os garotos por sobre suas costas. Mas Natsu foi atrás dela, para a surpresa da mesma. Ela apenas esperou que Natsu passasse reto ou a atormenta-se com algo e fosse embora em seguida, contrariando o casual, o rosado passou seu braço pelos ombros de Lucy e chegou seu rosto bem perto do ouvido dela. A loira sentia a respiração quente de Natsu em sua nuca e podia sentir o cheiro doce e amanteigado do mesmo ao mesmo tempo que sentia-se arrepiar.

Natsu: Luce, - chamou o rosado - você vai fazer alguma coisa mais tarde?

Okay, aquela pergunta pegara Lucy de surpresa. Depois de alguns segundos raciocinando, a loira virou seu rosto olhando para Natsu.

Lucy: Não, por quê?

Natsu: Que tal a gente sair? Um cinema talvez?

Lucy: Esta me chamando pra sair Peppa? - perguntou com um sorriso debochado nos lábios, mas apesar de estar levando aquilo na brincadeira, Lucy estava genuinamente feliz pelo convite.

Natsu: Talvez. - respondeu rindo, não demorando muito para sua risada contagiar Lucy também e os dois rirem juntos. - Mas e então? Aceita?

Lucy: Hm... - a loira fingiu pensar por alguns segundos (que pareciam horas para Natsu), mesmo já sabendo a resposta. - Certo. Eu aceito sair com você Natsu. - respondeu sorrindo.

Natsu: Te pego às 19 horas então?

Lucy: Fechado.

Natsu e Lucy então sorriram um para o outro e por fim foram encontrar com seus amigos junto de Gray.

[...]

A manhã estava bonita. Céu claro, sem muitas nuvens e um sol quente e relaxante. Todos estavam a caráter, os meninos de calça e manga curta, e a meninas também não ficavam pra trás, saias xadrez e blusas de mangas curtas também. Todos com as roupas que se esperava usar em um dia como aquele; Bem... Todos, menos Levy. A azulada baixinha usava a calça do uniforme feminino e uma blusa branca que não era do uniforme e tinha gola alta. Aquela não era primeira vez que Levy usara roupas daquele tipo no calor, mas diferentes das outras vezes, sua desculpa de que estava resfriada não foi o suficiente para uma pessoa - e talvez para a pessoa que ela menos esperava -, Gajeel.

Mira: Hey Lu, você parece cansada. Aconteceu alguma coisa?

Lucy: Não é nada, só não dormi direito.

Wendy: Ué, por quê?

Lucy: São só alguns pesadelos gente. Esta tudo bem.

Mira: Tem certeza Lu?

Lucy: Sim, juro. - E nesse momento Lucy sorriu. Sorriu verdadeiro. De um jeito que não se lembrava de sorrir, ou pelo menos, não se lembrava de sorrir depois de Zeref ter morrido. Lucy sentiu-se feliz e ao mesmo tempo com medo. Feliz por sentir que finalmente estava tudo bem, que ela tinham amigos ​de verdade,​ e sentiu-se com medo por saber que existe a possibilidade de acabar machucando essas pessoas, ainda mais agora que sabia que Minerva estava atrás dela. E droga! Não sabia o que era pior, sumir do mapa outra vez para que Minerva não a encontra-se ou ficar ali e fazer seus amigos correrem riscos por puro egoísmo. Talvez - e apenas talvez ​- a mesma também estivesse também sem a mínima vontade de deixar uma certa Peppa Pig para trás... Calma, isso era realmente uma possibilidade? Bem, não, isso só poderia ser coisa de sua cabeça. A loira nunca tinha gostado de alguém, e aquela não seria a primeira vez, muito menos por alguém como Natsu que era um cafajeste de primeira.​

O silêncio se fez presente entre os amigos, cada um preocupado em comer seu próprio lanche. A quietude parecia ser tão grande, que se você se concentrasse um pouco, talvez fosse possível ouvir o batimento cardíaco da pessoa ao seu lado, e assim continuaria se não fosse pela mesma azulada baixinha que estava resfriada.

Levy: Gente vou ao banheiro okay? - avisou seus amigos já se levantando. - Volto logo.

​A azulada saiu de perto de seus amigos e assim que teve certeza que não poderiam ouvir-lhe ou ver-lhe com clareza, deixou um suspiro pesado sair de sua boca seguido de um ​"Mas que droga...!". Porém, Levy não havia percebido que logo em seguida que ela saíra de perto de seus amigos, Gajeel tinha se levantado e ido atrás da mesma. Levy apenas se deu conta de não estar desacompanhada, quando sentiu uma mão grande e quente segurar seu braço e lhe virar fazendo-a ver Gajeel ali encarando a mesma com uma preocupação quase palpável.

Levy: O que aconteceu Gajeel?

Gajeel: Eu que te pergunto. Por que esta com essa roupa?

Levy: Eu já disse, estou resfriada.

Gajeel: Eu vou te perguntar mais um vez okay? - ele disse olhando firme nos olhos da menor - Por que esta com essa roupa Levy?

A azulada, sem reação, abaixou a cabeça por reflexo não olhando nos olhos do moreno e isso fez om que ele ficasse ainda mais preocupado. Em um movimento rápido e delicado, Gajeel abaixou a gola da camisa de Levy vendo ali uma grande marca roxa e isso faz o mesmo travar.

Gajeel: O que aconteceu baixinha? - perguntou ele não obtendo resposta o que o fez soltar um suspiro cansado e levantar o rosto da mesma com as mãos fazendo Levy olha-lo nos olhos - Levy, pode confiar em mim. Eu estou aqui por você.

A única coisa que Levy conseguiu fazer foi abraça-lo. Ele tinha dito tudo o que ela precisava ouvir naquele momento. "Eu estou aqui por você."​ Como era bom saber que ainda tinha uma pessoa que se importava. Era tudo o que ela tanto pedirá. Um alguém que se importasse com ela e a quisesse ajudar quando todos lhe virassem as costas. Ela queria uma luz; Uma luz que iluminasse toda aquela escuridão que se fazia presente; Uma luz que a desse um pingo de esperança; Uma luz que a fizesse enxergar um palmo a frente do rosto quando o breu caia sobre sua vida. E agora, ela tinha essa luz. Ela finalmente tinha conseguido conforto em algo, e não eram em narcóticos e dopantes como se pensa, e sim em uma pessoa; um ser humano; um algo feito de carne, ossos e calor; um amigo. E Deus, como isso era bom. Essa sensação de não estar sozinha, de ter alguém com quem você pode contar, de saber que quando você precisar desabafar essa pessoa estará ali pra você. Isso era realmente melhor do que Levy cogitaria conseguir um dia.

O moreno segurou a menor pelo pulso e a puxou até uma escadaria que tinha perto e sentou-se nos degraus colocando a ao seu lado.

Levy: G-Gajeel... Eu...

Gajeel: Não precisa dizer nada. - e então ele abraçou-a. Um abraço calmo, porém necessitado. - Vai ficar tudo bem.

 

​Continua...


Notas Finais


Próximo cap: 26/08

Aviso: Talvez eu poste dia 19 - Um sábado antes do previsto.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...