História Rebels vs. Royals - Capítulo 13


Escrita por: ~

Exibições 18
Palavras 4.006
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Escolar, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oie meninas, vamos conversar, sei que a história não está tendo mta repercussão, em outras épocas eu abandonaria por falta de popularidade, mas não vou fazer isso com as leitoras que me seguem, tenho um compromisso com vcs, enquanto tiver gente lendo vou continuar escrevendo ok.
A foto descreve bem o que vai acontecer.

Capítulo 13 - Na boca da raposa


Fanfic / Fanfiction Rebels vs. Royals - Capítulo 13 - Na boca da raposa

      Pov Lola

      Depois de fazer o trabalho com Tyler ficamos no meu quarto no maior amasso.
– Você é gostosa demais Lola!

      Tenho que admitir, ele tem pegada, suas mãos passeavam por todo meu corpo, ainda não tínhamos transado, não por falta de vontade dele, eu que achava muito cedo. Virei e fiquei por cima dele.
– Sabe que esses elogios não surtem efeito em mim não é? – falei passando a ponta da unha pelo seu peitoral nu.
– Sei sim, mas não custa tentar.

      Sorri e mordi seus lábios com vontade, ele gemeu alto. Minha blusa foi arrancada em um piscar de olhos, junto com o sutiã rendado preto que eu usava.
– Desculpe gata, mas eu fico por cima. – dizendo isso ele me jogou em cima da cama de novo e começou a beijar e morder meus seios, ok aquilo era muito bom, bom demais. Ele foi descendo pela minha barriga, até o cós do short, apoiei meu peso nos cotovelos e olhei pra ele sorrindo maliciosamente. Seus olhos encontraram os meus de volta. Seus dedos ágeis desabotoaram meu short.
– Lola! – droga! Lexy me chamou batendo na porta.
– Que foi?! – gritei de volta.
– Mamãe já chegou e ta pedindo pra você descer!
– Tá! – resmunguei. – Eu já vou.   
– Sério? Agora que tava ficando bom?
– Eu preciso ir Tyler, é minha tia, vamos veste a roupa.

      Empurrei-o e levantei abotoando o short e vestindo a roupa.
– Eu não acredito nisso! Toda vez você me deixa assim! – ele passou a mão nos cabelos demonstrando que estava irritado. Eu não tava nem ai.
– Ah Tyler da um tempo! Tenha dó. Você acha que eu não sei que você essas piriguetes por ai? Não enche!
– Escuta aqui garota! Você não fala assim comigo! – de um salto ele levantou da minha cama e pegou meu braço, aquilo foi demais pra mim. Puxei o braço com raiva, homem nenhum põe medo em mim!
– Escuta aqui você! Baixa a bola que você ta na minha casa, e outra. – apontei o dedo pra ele. – Eu não sou nada sua, você não manda em mim!

      Calcei o tênis enquanto ele vestia a camisa. Saímos do quarto juntos e lá embaixo ele mal falou com minha tia e Lexy e foi embora. Joguei-me no sofá.
– O que deu nele? – Lexy perguntou olhando pra mim.
– Mais um achando que pode me controlar, só isso. – sorri e pisquei marota.
– Quero ver quando você vai tomar jeito.
– Um dia titia querida, um dia, mas não agora.
– Eu já lavei minhas mãos. Vocês duas fizeram os trabalhos?     
– Sim. – respondemos juntas.
– Ótimo, e as meninas?
– Devem ta chegando. – Lexy respondeu enquanto eu mudava o canal da TV.
– Certo, eu vou fazer umas ligações e quando elas chegarem, eu converso com vocês. – ela ia subindo a escada, mas lembrou de algo e voltou. – Ah Lexy, o Danilo pediu pra você ligar pra ele mais tarde, não esqueça.
– Pode deixar mãe.

      Esperamos ela subir e olhamos uma pra outra, cúmplices.
– O que vocês tavam fazendo lá em cima?
– O que você acha Alexia?      

      Ela arregalou os olhos.
– Vocês tavam... Transando?!
– Estávamos no começo, mas ai você me chamou.
– Desculpe, eu... – Lexy ficou nervosa, era só tocar nesse assunto que ela ficava assim. – Eu...
– Prima ta tudo bem, não precisa pedir desculpa, na verdade foi uma interrupção até bem vinda.
– Por quê? Não estava bom? – ela perguntou confusa.
– Não, não é isso. Bom estava, mas é que... – pensei um pouco. – Como eu vou te explicar?
– Ele não é o Nathan.

      Olhei pra ela arqueando a sobrancelha.
– Nem o meu irmão.

      Ok, agora minha boca abriu em um ó perfeito.
– Como você... Como... Eu...
– Eu sempre soube Lola, é só reparar o jeito que você olha pro Danilo, mas confesso que agora to meio indecisa.
– Por quê? – foi à única coisa que consegui falar.
– Porque você olha pro Danilo e pro Nathan do mesmo jeito, agora não sei qual dos dois você quer.       
– Pra ser sincera nem eu.
– Eu sei disso. – Lexy sorriu. – Quer um conselho?

      Balancei a cabeça positivamente.
– Manda o Tyler ir plantar batatas e corra atrás do que você quer, aproveita que o Danilo tá vindo morar com a gente e põe na balança o que você sente por ele e pelo Nathan.  
– Você tem razão prima, esse lance com o Tyler não me faz falta. Vou fazer o que você ta sugerindo.
– O que seria de vocês sem mim? – ela falou teatralmente e comecei a rir.
– Não exagera. 
– Não, é sério, não to brincando. Lembra aquela conversa que falei que ia ter com o Liam?
– Lembro, sobre a Kim. E ai?
– Então aproveitei que fizemos o trabalho juntos e perguntei algumas coisas pra ele.
– Fala logo! Para de rodeio caralho!
– Olha essa boca suja!
– To nem ai! – começamos a rir. – Fala logo!
– Perguntei se ele gostava mesmo da Kim, ou só queria brincar com ela.
– E ele?
– Disse que gosta dela e não gosta de ver os imbecis maltratando ela, falou também que não liga pro visual dela, mas sabe que ela pode mudar melhorar, como eu mostrei isso hoje, ela só tem que querer.
– Gostei desse garoto.
– Eu também, ele tá mesmo interessado nela, agora só falta ela enxergar isso.
– É ai onde nós entramos.
– Isso mesmo, o Liam é uma ótima companhia pra Kim, diferente do Leo, agora nós temos que fazer com que ela enxergue isso.

      Ouvimos o som de risadas lá fora, as meninas chegaram.
– Conversamos depois e falamos com a Samantha.
– Ok. – concordei e demos o assunto por encerrado.     

 

      Pov Nathan

      Segunda feira. Dia de voltar pro presídio.
– Valeu cara por liberar sua casa ontem. – Jay disse encostado no carro dele. – Com meu pai lá em casa agora, fica difícil fazer isso lá.
– Beleza cara de boa, mas ainda não entendi porque vocês não chamaram o Leo e as meninas.
– Cara essa história de vingança, esse plano maluco da Kat já ta enchendo. – Ethan respondeu.
– Meu irmão tem razão, isso já deu.
– Será que o Leo vai levar isso adiante mesmo?
– Pelo visto sim, ele me ligou ontem de manhã pra contar que o plano tá indo de vento em polpa. Ele conseguiu beijar a Kim.
– Não acredito! – fiquei chocado e olhei de um para o outro.
– Também fiquei com essa cara quando o Jay me disse. – Ethan disse rindo.
– Kat pelo visto já sabe.
– Com certeza, sua namorada foi à primeira, a saber.

      Jay mal fechou a boca e o Mustang da Kat entrou no estacionamento, logo atrás Milly com Marisol e Deborah na Lamborghini dela. E por último Leo e Vick na Ferrari dele. Todos desceram e vieram falar com a gente.
– Bom dia galera. – Kat disse toda feliz e veio me beijar.
– Precisamos conversar, agora. – falei sério e puxei-a pra longe dos outros.
– Ferrou! – Milly falou e começou a rir abraçando o Jay.
– Ai amor que foi?
– Não se faz de cínica Kat.
– O que foi Nathan?
– Eu quero ver até onde vai essa sua palhaçada de vingança.
– Até onde eu conseguir o que eu quero amor.
– Kat esquece isso, é passado.
– Pode ser pra vocês! Mas pra mim não! Aquela garota me paga e não fica no meu caminho Nathan, você é meu namorado, seu dever é me apoiar.

      Ela voltou pra junto da galera e fui atrás, Kat e as meninas entraram no colégio. Um Audi SUV preto parou e já sabíamos quem era, mas ao invés do motorista que sempre vinha trazê-las, um cara moreno desceu e abriu a porta.
– Danilo você é o melhor primo do mundo! – Lola já desceu agarrando o cara e fiquei nervoso.
– Quem é esse cara?
– É irmão da Lexy. – Jay respondeu. – Vem vamo entrar.

      Só de olhar pra Lola da pra ver que ela sente alguma coisa por aquele cara, acho que ele é uma ameaça pior que o Tyler, bem pior. As outras meninas desceram sorridentes, Kim estava um pouco diferente, mais arrumada. Ela sorriu assim que viu o Leo e deu um tchau pra ele, ele deu um sorriso forçado pra ela e entrou, olhei pra Ethan e Jay, isso não vai prestar.

 

      Pov Kim

      O Leo mal falou comigo, ele deve ta disfarçando. Depois do nosso beijo no sábado conversamos e ele me pediu pra guardar segredo, disse que queria conversar com a Vick antes de ela saber por qualquer um, achei essa atitude dele sensata e concordei em guardar segredo, até das meninas, o que era difícil, já que Lexy tava no meu pé. Danilo nos deixou no colégio e foi embora.
– Vamos. – falei pegando minha mala e entrando, mas Lexy segurou meu braço.
– Que sorrisinho foi aquele pro Leo?
– Oi? – Lola perguntou sem entender e eu fiquei surpresa por ela ter visto.
– Eu a vi sorrir pro Leo assim que viu ele.
– Também vi. – Sam disse cruzando os braços. Lola fez o mesmo me encarando.
– O que é isso? Um interrogatório?
– Não, só queremos saber o que ta acontecendo. Você chegou sábado à tarde e mal falou com a gente e foi pra sua casa, minha mãe ficou preocupada achando que tinha acontecido alguma coisa.
– Desculpe meninas. – eu fui pra minha casa porque sabia que elas iam ficar me enchendo de perguntas que eu não podia responder.
– E eu realmente acho que aconteceu algo, o que você ta escondendo da gente?
– Lexy eu...
– Desembucha loira, o que aquele moleque te disse?
– Lola calma, também não é assim.
– Claro que é Alexia, a garota ta ai toda estranha e foi depois de ter feito esse bendito trabalho com ele no sábado. Anda Kim, desembucha.
– Não aconteceu nada, já falei. – eu tava nervosa, se elas colocassem mais pressão eu ia começar a chorar. – Minha mãe me ligou pedindo pra eu ir pra casa como eu já tinha dito.

      Antes de a Lola abrir a boca, Liam, Eric e Stiles apareceram e vieram falar com a gente.
– E ai meninas.
– Oi gente. – Sam disse alegre.

      Fui salva pelo gongo. Entramos todos no colégio.
– Ta tudo bem Kim?
– Tá sim Liam, e você?
– To bem, seu fim de semana foi legal? – não tava entendendo onde ele queria chegar.
– Sim. – respondi meio desconfiada e mantive silêncio. Meu celular chegou uma mensagem, meu coração disparou ao ver que era do Leo.

      Bom dia princesa. Não pude falar com você direito porque ainda não falei com a Vick. To com saudades. Tem algum lugar que a gente pode se encontrar depois da aula?

      Pensei um pouco até que me lembrei do porão.

      Bom dia, também to com saudades. Tem sim um lugar. – digitei de volta e continuei andando com um sorriso bobo nos lábios, nem tava dando ouvido pra conversa da galera andando na minha frente. Ele mandou uma resposta.

      Beleza gata, a gente se encontra depois da aula. Beijo. (emoticon com olhinhos de coração)

      Não acredito que ele mandou um emoticon apaixonado e me chamou de gata, ele me acha bonita, fiquei sorrindo igual a uma boba.
– Kim? – Stiles me chamou e olhei pra eles que me olhavam em interrogação, as meninas estavam desconfiadas, tenho que aprender a disfarçar.
– Pelo sorriso a noticia foi boa. – Liam comentou.
– Sim. – não disse mais nada e fui guardar minha mala.

      Nunca torci pras aulas passarem tão rápido como hoje, pra completar fiquei feliz em saber que não teríamos o último tempo, já que o professor Chris não veio, pra tristeza das meninas. Lexy, Sam e Lola conversavam e eu fingia prestar atenção, meu celular vibrou no meu colo.

      Onde é o lugar? Vou te esperar lá.

      Olhei pra ele que conversava com Jay, como ele conseguia isso? Disfarçar tão bem. Digitei uma resposta.

      No porão da escola, tá abandonado, ninguém vai lá.                                 

      Ótima ideia, eu vou sair primeiro e to te esperando lá gata.

      Com o canto do olho percebi ele levantar e sair junto com os amigos, as meninas levantaram e fiz o mesmo, agora eu tinha que inventar uma desculpa pra elas.
– Vamo comer alguma coisa? – Lola sugeriu.
– Bora, to com fome. – Sam concordou.
– Não to com fome, mas acompanho vocês, hoje não tem nada pra fazer. Kim? – Lexy olhou pra mim.
– Ah eu vou ao banheiro, depois encontro vocês.
– Você pode usar o banheiro da lanchonete, ou esse aqui de baixo.
– É que eu prefiro usar o banheiro do meu quarto, mais privacidade.  

      As três ficaram desconfiadas.
– É rápido, encontro vocês lá.

      Não dei tempo de elas questionarem e sai quase correndo da sala. Subi a escada voando, ainda bem que eu usava botas rasteiras, porque de salto ia ser impossível. Penteei os cabelos, passei perfume, um gloss de morango nos lábios e sai do quarto com o coração disparado e torcendo pra não encontrar as meninas.

      Sai do colégio por uma porta lateral e tive que dar uma volta enorme pra chegar ao porão, tudo isso pra não encontrar as meninas. Cheguei às escadas que levavam ao porão e desci devagar com medo de cair. Ele me esperava encostado a parece lá embaixo.

 

      Pov Leo

      Eu não queria admitir, mas me sentia mal fazendo isso com a Kim, principalmente por ela ser uma boa menina, não tinha nada daquilo que a Kat falava, mas eu não podia parar, era minha carreira nesse colégio que tava em jogo. Avisei Kat que ia encontrá-la no porão e ela e Milly sorriram, não fazia ideia do que elas iam aprontar.
– De uns amassos bons nela, faça parecer que ela ta dando em cima de você.
– Por quê?
– Você não tem que fazer perguntas garoto, só faz o que a gente ta mandando. – Milly falou, ou melhor, mandou.
– Vem cá ninguém vai saber disso não né? Eu sei que a ideia de vocês é humilhar ela pra escola inteira, mas não quero que ninguém saiba que eu dei uns amassos na nerd.    
– Relax Leo, faça sua parte, só isso. – Kat disse misteriosa.

      Agora me lembrando dessa conversa minha vontade é desistir, mas não posso fazer isso. Percebi um movimento e olhei pra cima, Kim vinga descendo a escada devagar. Ela tinha voltado a se vestir como antes, sem nenhum atrativo, confesso que sábado até que ela tava atraente, mas hoje.
– Oi. – ela disse tímida parando a minha frente.
– Oi, vem vamo ficar mais a vontade.

      Lembrei-me do que Kat disse e puxei-a, mas dando a entender que ela tava me empurrando. Cai no sofá velho e puxei-a por cima de mim. Pelo menos beijar ela sabe. Não faço ideia do que Kat e Milly estão fazendo, mas espero que acabe logo.
– Você beija tão bem...

      Kim gemeu entre o beijo e gostei de ouvir aquilo.
– Valeu. – desci as mãos e apertei a bunda dela que levou um susto. Suas mãos entraram no meu cabelo me puxando e colando a boca a minha. Ótimo. Pensei.

      Ficamos uma meia hora no porão, mas ai o celular dela tocou, era Alexia e ela teve que ir.
– Finalmente! – falei depois que ela saiu.

      Não é que eu não goste de ficar com ela, a garota beija bem e tudo, é cheirosa, a pele macia, mas o que to fazendo é errado. Espero que isso acabe logo. Como uma resposta ao meu pedido meu celular vibrou, era uma mensagem da Kat.

      Parabéns Leo, você cumpriu sua parte, está livre. Não precisa mais fingir que está a fim da nerd. Kiss.  

      Livre finalmente! Sai do porão com a cabeça mais leve, o pessoal estava nas mesas na piscina e fui até lá. Minha gata tava sentada e cheguei puxando ela e lhe dando um beijo daqueles.
– Uau! – ela disse empolgada e voltou a me beijar. A galera bateu palmas.

 

      Pov Lexy

– Kim ta demorando. – Sam comentou.
– Ta mesmo. – concordei e Lola balançou a cabeça enquanto comia batata frita. – Eu vou ligar pra ela.

      Desbloqueei e procurei o nome dela nos contatos, fiz a chamada e chamou quatro vezes antes de ela atender.
Alo! – percebi pela voz que tava nervosa e coloquei em modo viva voz pras meninas ouvirem.
– Onde você ta? Disse que ia ao banheiro e até agora nada.
Então... Eu meio que me enrolei... Mas já to indo!

      Olhamos umas pras outras.
– Tudo bem.

      Ela desligou o celular.
– Tem alguma coisa errada. – comentei.
– E como tem, já farejei isso há muito tempo.
– Qual o seu palpite Lola?
– Meu palpite minha cara Samantha é que tem a ver com esse idiota desse Leo.
– O problema é que ela não quer contar pra gente o que aconteceu, e sinto que isso não vai acabar bem.
– Também acho isso prima, ela ta vindo.

      Lola avisou e encerramos o assunto.
– Desculpem! – Kim chegou nervosa e sentou.
– Onde você tava loira? – Lola já foi logo perguntando.
– Minha mãe me ligou e eu tava conversando com ela.

      Não acreditamos nem um pouco, mas deixamos pra lá.
– Então como vai ficar? – perguntei retornando ao assunto que estávamos conversando.
– Vamo pra algum lugar, fazer algo diferente. – Lola sugeriu.
– Eu acho uma boa ideia. – Sam concordou.       
– Tão falando do que? – Kim perguntou.
– Do feriado na próxima segunda, estamos planejando o que vamos fazer. – respondi.
– Legal e já tem alguma ideia?
– Não, quer sugerir algo?

      Vi seu olhar focalizar em algo além de mim e olhamos também. Leo beijava Vick apaixonadamente a beira da piscina. Olhei pra Kim e ela estava com os olhos cheios de água. 
– Kim o que... – antes que eu terminasse minha pergunta ela saiu correndo.
– Essa é a prova. – Lola disse. – Melhor irmos atrás dela.
– Deixe-me ir falar com ela sozinha, talvez ela confie em mim.
– Eu acho uma boa ideia. – Sam disse.
– Tudo bem prima, vai lá.   

      Levantei e fui atrás dela torcendo para que o meu palpite estivesse errado.

      Bati na porta do quarto.
– Vai embora! – ouvi a voz chorosa da Kim lá dentro. Entrei e fechei a porta devagar e passei a chave.
– Kim...
– Vai embora Alexia! Deixe-me sozinha!

      Aproximei-me devagar da cama.
– Kim o que houve? Você tava bem, tava feliz, o que aconteceu?
– Ninguém quer ficar perto de mim! Ninguém gosta de mim! Todo mundo só me vê como uma maldita nerd e nada mais! – ela levantou e começou a bagunçar a cama, jogando as coisas pra todo lado.
– Kim calma! – fui até tentando segura-la. – Kim para, por favor!
– Ninguém nunca vai vê além da minha aparência! Eu sempre vou ser essa criatura horrorosa!
– Kimberley para! Já chega!

      Segurei seus braços e consegui fazer com que ela ficasse quieta.
– Kim o que houve? Fala pra mim.

      Ela desabou no chão e sentei colocando a cabeça dela no meu colo.
– Eu achei que... Que ele me... Amava! Achei... Que ele poderia... Gostar de mim... – Kim estava aos prantos.   
– Quem você achou Kim que gostava de você?
– O Leo...

      Eu sabia! Sabia que tinha o dedo dele nisso!
– Conta pra mim o que aconteceu amiga, confia em mim. – eu alisava os cabelos dela devagar, tentando confortá-la.
– No sábado quando... Eu fui fazer o trabalho... Ele... Ele me disse... Que eu tava bonita... Diferente... – ela tava mais calma, mas ainda soluçava.
– Fala amiga vai te fazer bem por pra fora.
– Eu acreditei nele. Ele disse que sabia que eu era afim dele, mas disse que não achava ruim, pelo contrario.
– Como ele sabe que você gosta dele?

      Ela levantou a cabeça e olhou pra mim.
– Não sei amiga, só sei que ele sabia.
– O que mais ele disse?

      Ela abaixou a cabeça e voltou a chorar.
– Kim o que mais? – abracei seus ombros e a consolei.
– Ele me beijou.

      Fiquei surpresa com aquilo.
– Foi o meu primeiro beijo, foi tão bom.

      Coitada da minha amiga.
– Tem mais?
– Ele me pediu pra guardar segredo, pra não contar pra ninguém e continuamos conversando. Eu fui embora da sua casa pra não falar nada pra vocês. Desculpa Lexy!
– Ta tudo bem Kim, não precisa se desculpar, você não tem culpa.
– Tenho culpa sim por ter acreditado nele, fiquei feliz quando ele me mandou uma mensagem hoje pedindo pra me encontrar com ele depois da aula, e eu fui, como uma idiota eu cai. E quando voltei, ele tava beijando a Victoria. Eu sou uma idiota!                   
– Não Kim, você não é uma idiota, você só é inocente, ingênua, pura, não vê maldade nas pessoas. Ele que é um cachorro, filho da mãe por ter mentindo pra você, ter te enganado.
– Por favor, Lexy, não conta pra ninguém, não quero mais motivos pra ser humilhada nessa escola!
– Lógico que não amiga, imagina.

      Ficamos alguns minutos em silêncio, a coloquei deitada na cama e com a cabeça no meu colo, fiquei fazendo carinho em seus cabelos.
– Amiga eu vou ver as meninas e depois venho ver como você ta tudo bem?
– Ta.
– Toma um banho, troca essa roupa, daqui a pouco eu volto.

     Eu saí do quarto espumando de raiva, as meninas ainda tavam na piscina e provavelmente os idiotas também. Bingo! Eles ainda estavam na mesma mesa, lá sentados e rindo feito um bando de idiotas, as vadias que eles chamam de namoradas não estavam, ainda bem. Fui até lá e entrei na roda.
– E ai gata. – Kyle disse sorrindo e não respondi.
– Quer alguma coisa Lexy? Eu posso ajudar. – Jay disse e eles sorriram, não achei a menor graça. Meu olhar foi para Leo que estava entre Nathan e o próprio Jay. Coloquei as mãos na mesa e olhei pra ele.
– Se eu ver você perto da Kim de novo eu acabo com a sua raça. – falei bem devagar e eles pararam de rir.    
– Ta maluca garota? Eu nem falo com a sua amiguinha nerd. – mais risos, só Jay e Ethan estavam quietos.
– Você se acha muito homem não é Leonardo? Pois eu vou dizer uma coisa, você pra mim não é homem.   

      Sabia que tinha atingido o ego dele, porque ele parou de rir e levantou me encarando. Tinha conseguido meu objetivo, tira-lo do sério.
– Como é que é? Ta dizendo que eu não sou homem garota.
– Pra mim não é mesmo, aliás, nenhum de vocês. – olhei em volta e todos eles ficaram putos e me encaravam. – E não adianta fazerem cara feia pra mim. E pra você eu aviso de novo, eu quero você longe da Kimberley ou vai se arrepender de ter nascido, é o último aviso.

      Samantha e Lola me olhavam de boca aberta, sai da mesa dos meninos sem olhar pras trás.  

 

      Pov Jay

      Fiquei olhando enquanto a Lexy voltava pra mesa onde as amigas estavam, e confesso que fiquei de boca aberta com a ousadia dela de vim bater de frente com a gente, essa garota vai me deixar louco.
– Alguém pode explicar o que aconteceu aqui? – meu irmão perguntou olhando pra todo mundo.
– Eu acho que o Leo pode explicar. – olhei pra ele e todo mundo fez o mesmo – Já que a Lexy falou diretamente com você.

      Ele olhou pra todo mundo e ficou nervoso.
– E eu lá vou saber! Essa garota é doida! – Leo levantou nervoso e saiu. Olhei pra Ethan e Nathan, esse imbecil fez alguma coisa, tenho certeza disso.
– Aí galera treino de futebol mais tarde beleza. – Kyle falou e concordamos, eles saíram da mesa e ficamos nós três.   
– O que será que esse idiota fez? – Nathan perguntou enquanto olhávamos as meninas na outra mesa.
– Coisa boa não boa. – Ethan disse. – Disfarcem que as meninas tão vindo ai.
– Hello boys! – Kat disse feliz e sentou no colo do Nathan.
– Que felicidade toda é essa?
– Ai Nathan deixa de ser chato, você é meu namorado, confia em mim droga. Aff.
– Oi meu amor. – Milly sentou no meu colo e meu deu um beijo de leve, percebi Lexy olhando pra mim e fiquei confuso com o que vi no olhar dela antes de desviar.
– Meninas hoje têm treino das animadoras, avisem as outras ok. – Kat disse e todas pegaram os celulares. Milly sorriu olhando pra tela.
– Que foi? – perguntei curioso.
– Nada demais amor, Kat tudo certo. – elas sorriram uma pra outra.
– O que ta dando certo? – Marisol perguntou e pelo que parece Debby e ela estavam tão perdidas no assunto quanto nós.
– Nada gente, logo vocês vão saber. – não gostei do Kat disse, ela tava misteriosa assim como Milly, elas iam aprontar, tenho certeza disso.     


Notas Finais


Tadinha da Kim, caindo como uma patinha, gente será que o Leo não tem coração? Fazer isso com uma menina tão inocente como a Kim. E qual será esse plano tão misterioso da Kat?
Só acompanhando pra saber. Beijinhos 😚😚😚😚💖💖💖💖


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...