História Reborn - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Visualizações 3
Palavras 761
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Ficção, Misticismo, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


É uma historia que ja escrevia faz um tempo e tinha parado maa resolvi voltar com ela

Capítulo 1 - Reborn


   O campo de batalha estava todo devastado, havia somente destroços das maquinas de cerco cobertos por chamas, corpos espalhados por toda a parte e muita fumaça, apenas duas silhuetas no meio desse caos apresentavam vida, uma estava em pé empunhando uma espada, a outra estava sentada encostado em uma árvore.

- Rapido, não sei por quanto tempo terei o controle ainda! - Disse Artur apreensivo para Diana- Se você não fizer isso agora não teremos outra oportunidade.

- Não, isso não pode acabar assim tem que ter outro jeito. - Disse Diana aflita. Os olhos castanhos de Artur começam a mudar a coloração para vermelho e uma aura escura lentamente surge em volta dele. Artur grita de dor.

- Artur! - Grita Diana.

- Rapido Diana, não conseguirei mais segurar ele faça isso de uma vez por favor. - Disse Artur entre dentes olhando nos olhos de Diana. Diana o olha de volta e fica sem reação. A aura aumenta fazendo o cabelo de Artur mudar para branco.

- Diana agora!! - Grita Artur para Diana. Ela recobra a consciência e com um grito de desespero finca a espada no peito de Artur.

A aura expande ainda mais e uma outra personalidade toma posse do corpo de Artur.

- Sua maldita! Isso ainda não acabou - Disse o ser para Diana com uma voz grutual, em seguida a aura se dissipa e Artur volta ao normal.

A espada estava profundamente fincana na carne indo até o coração de Artur, o sangue jorrava do peito dele descendo pela lamina indo em direção as mãos de Diana, era tão quente, pensou ela, as lagrimas começavam a surgir em seus olhos.

- Você prometeu… - Disse Diana em um sussuro choroso seguido de um levantamento no tom de voz - Você prometeu que não iria acabar assim! - e Diana cai em um choro desesperado, caindo de joelhos no chão.

- Me… me perdoe Diana… - Disse Artur ofegante olhando para baixo em direção a lamina, o cabelo preto lhe cobria os olhos- Mas se não fosse dessa maneira, o mundo a qual você tanto amou seria coberto pelas trevas… Era o único jeito… - Artur tosse deixando escorrer um filete de sangue pelo canto da boca.

- Isso não é juso, salvar todos a custo de sua vida…- Disse Diana com a voz tremula.

- Não se preocupe, de certa forma eu ate mereço isso… - Artur levanta a cabeça e olha para diana com um sorriso e disse.

- Ainda iremos nos encontrar de novo, como o Asmoph falou, - A expressão de Artur ficou seria - isso ainda não acabou.

- Diana? Artur? - Uma voz rouca no meio da fumaça chama pelos dois, se revelando ser Josef, mais um dos sobreviventes.

- Josef aqui rapido! - Grita Diana levantando e acenando para Josef - O Artur, o Artur está… - Ela volta o olhar para Artur e fica em choque, Josef se aproxima aos tropeços, uma de suas pernas estava quebrada.

- Diana o que… - Josef foi interrompido pelos choros de Diana, ele olha para o local que Diana estava olhando e viu Artur morto.

- Ele não resistiu, Asmoph… - Diana não conseguia completar as palavras, apenas chorava, Josef a abraçou. De repente do corpo de Artur surge uma luz e a alma de Artur emerge.

- Ar-tur… - Disse Diana em um sussuro, Artur sorri para Diana e põe a mão em seu rosto desaparecendo em seguida deixando um brilho que se dessolvia no ar, Diana cai de joelhos e retorna a chorar abraçando o corpo de Artur, Josef abaixa a cabeça ocultando suas lagrimas, a chuva começa a cair e tudo escurece.

O despertador do celular tocou, fazendo um barulho que ecoava pelo quarto, já era a terceira vez que ele tocava pois Thales custava a acordar e para que não chegasse atrasado em seus compromissos resolveu programar varios despertadores em intervalos de cinco minutos cada para garantir que iria se levantar.

- De novo esse sonho? - Pensou Thales para si encarando o teto com a visão embaçada por ter recém ter acordado. O celular toca de novo, porém com um barulho de notificação de mensagem que o tira de seus devaneios.

- Mas quem sera essa hora? - Murmurrou enquanto pegava o celular.

" Thales não esquece que hoje o ônibus passa mais cedo e justo hoje você não pode se atrasar…" A mensagem era de Bruce, seu melhor amigo. Thales fica uns segundos encarando o celular tentando lembrar qual o compromisso ele não podia se atrasar, quando de subto ele se lembra praguejando e pula da cama pra se arrumar.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...