História Reborn from ashes. (Imagine ChanYeol) 6ª temporada incesto. - Capítulo 26


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Kai, Kris Wu, Lu Han, Personagens Originais, Xiumin
Tags Chanyeol, Comedia, Exo, Família, Harem, Hentai, Incesto, Romance, Tragedia
Visualizações 775
Palavras 2.581
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Ficção, Harem, Hentai, Josei, Romance e Novela, Saga, Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá fanáticos de plantão! 👋

Hoje fui agraciada com uma grana para colocar crédito no celular, então essa semana vai ter fics todos os dias, mas vou avisando que darei prioridade para essa daqui porque também está chegando em reta final, assim posso iniciar a série dos padres... Espero compreensão!

Apreciem com moderação!😘

Capítulo 26 - Discoveries.


Fanfic / Fanfiction Reborn from ashes. (Imagine ChanYeol) 6ª temporada incesto. - Capítulo 26 - Discoveries.

"O que a solidão pode fazer a uma mulher jovem e casada com um dos homens mais poderosos da Coréia? 

Gisele Maria cansada de viver sozinha em um apartamento, cai nas graças de uma vida promíscua e adúltera. A jovem esposa que mal é vista pela mídia, foi flagrada essa semana saindo com três caras diferentes, eles são: Byun BaekHyun, atual presidente das indústrias Park; Wu Yifan, cônsul da embaixada chinesa e representante dos líderes majoritários também das indústrias Park; por último, Xiao LuHan, presidente do conselho de veterinários da Coréia. 

Todos eles foram vistos com a senhora Park em encontros românticos, ela saía todas as manhãs para encontrar os que seriam seus amantes. A senhora Park tem um comportamento peculiar e grosseiro, nunca sequer trocou uma palavra com os moradores do prédio onde mora e algumas vezes têm surtos psicóticos, onde grita logo de manhã. 

Na manhã de sexta Park ChanYeol sofreu um grave acidente e Gisele Maria estava no local. O que levou o grande CEO e queridinho da Coréia casar com uma mulher sem classe e promíscua? Será que ela está envolvida no acidente do marido para herdar tudo? 

Para os que querem mais informações sobre essa mulher misteriosa e estranha, leiam no meu blog."

Por: Kai

Apertei com força o celular sem acreditar no que meus olhos tinham visto, eu estava sendo alvejada por todos os lados, o maldito vizinho era um blogueiro de merda que estava me investigando para depois jogar meu nome na lama.

Você me paga, DESGRAÇADO!!!

Corri para fora do hospital em busca de um táxi, eu iria arrancar as bolas, as tripas e o couro daquele desgraçado, meu sangue fervia de ódio, mas a culpa maior era do orelhudo que me meteu naquela enrascada, daria minha cara para bater como era tudo um plano dele. Cheguei no prédio que por sorte não tinha nenhum repórter, subi feito uma bala e quando as portas do elevador se abriram, a primeira pessoa que vi foi ele, o mesmo deu um sorriso de lado como se nada tivesse acontecido.

__ Olá Gisele? Dessa vez você dormiu fora! _fechei as mãos em punho andando em sua direção.

__ Por que está sorrindo? Arruinar a vida das pessoas te deixa feliz? _ele franziu o cenho. __ Te deixa excitado? _a cada passo meu em sua direção, era um dele para trás.

__ Então leu meu artigo? _sorriu de lado.

DESGRAÇADO!!!

__ Você é um cretino, filho de uma potranca! Não sabe com quem se meteu! _ele deu uma risada baixa forçada e coçou o queixo.

__ Qual o problema? Não quer que ninguém saiba a vadia que é? _mordi o lábio com o cinismo daquele desgraçado.

__ Repete o que você disse! _me aproximei e ele sorriu, mas continuou andar para trás.

__ Que é uma vadia?! _molhei os lábios.

__ Então tem medo de vadias? _foi aí que ele percebeu que estava recuando.

__ O que pode fazer? É só uma anã! _aquelas provocações já estavam me tirando do sério, então de repente chutei bem no meio das suas pernas.

__ REPETE O QUE DISSE, CRETINO? _chutei mais uma vez e JongIn caiu de joelhos com as mãos entre as pernas gemendo de dor. __ GOSTA DE INVENTAR MENTIRAS, NÃO É? _dessa vez puxei ele pelos cabelos jogando-o no chão. __ AGORA, QUEM É A VADIA CRETINO? _subi encima dele dando socos, tapas e arranhões, o mesmo gritava se debatendo. __ AQUELA HISTÓRIA TODA DE DIZER QUE EU ERA UMA ÓTIMA PESSOA, ERA SÓ PRA INVADIR MINHA VIDA!!! _puxei outra vez os cabelos dele batendo sua cabeça no chão. __ EU VOU TE MATAR SEU MALDITO JUDAS!!!

Pausa para um momento de reflexão... Naquele momento, eu estava com o cão nos couros, ser exposta publicamente de uma forma tão cruel foi o cúmulo para a loucura, me senti o pior dos vermes, a partir daquele momento eu seria alvo de gente furiosa e com certeza minha mãe estava rindo daquilo.

Voltando para minha tentativa de homicídio...

__ SOCORRO... ALGUÉM ME AJUDA... ESSA MULHER É LOUCA... _ele gritava e isso me deixou mais irritada.

__ QUAL O PROBLEMA KAI? NÃO SABE SE DEFENDER DE UMA ANÃ FRACA? _então com as duas mãos, agarrei o pescoço dele e com os polegares afundei bem em sua garganta. __ VAI ME PAGAR PELO O QUE FEZ! _de repente ouvi o som das portas do elevador abrindo, mas nem fiz questão de olhar.

__ GISELE?! _três vozes chamaram meu nome e mãos me agarraram tentando me tirar de cima do JongIn.

__ Solta ele Gisele! _BaekHyun me puxava de um lado.

__ Por favor dongsaeg, solte ele! _LuHan do outro.

__ Ela é bem forte para alguém tão pequena! _Kris murmurava tentando me tirar, mas nenhum dos três conseguia me arrancar de cima do desgraçado.

A briga estava feia, eu agarrada ao pescoço do JongIn, enquanto BaekHyun, LuHan e Kris tentavam me tirar de cima dele que já estava ficando roxo, mas essa era minha intenção, matar aquele infeliz que espalhou calúnias ao meu respeito.

__ Se matar ele, você será presa! _Kris tentava me convencer.

__ VOU FELIZ DE TIRAR MAIS UM CRETINO NO MUNDO! _apertei com mais força o pescoço do moreno.

__ Mas você acha que seu pai vai ficar feliz em saber que a filha se tornou uma assassina? Acho que ele não te criou pra isso! _LuHan disse, foi quando comecei a afrouxar as mãos. __ Pense na sua família, o senhor Carlos já sofreu tanto, não acha? Você é a filha amada dele, a pessoa que ficou ao seu lado nos piores momentos! Te criou para ser uma mulher honesta, forte e de bom caráter, então não saia do caminho que ele te guiou! _larguei o pescoço do JongIn com lágrimas nos olhos.

Meu pai já havia sofrido muito por causa da loira, eu não queria ser outro sofrimento para ele, mas não eram lágrimas de tristeza e sim de raiva, raiva da vida que sempre fodeu comigo, raiva da minha mãe que nos abandonou por status, raiva do ChanYeol que usou meu amor para seus próprios benefícios e me meteu naquela situação, mas principalmente raiva de mim, por ser tão burra e ingênua de se deixar levar por isso, por ser uma fraca.

Me afastei de todos dando passos para trás, BaekHyun foi até o JongIn enquanto Kris e LuHan me encaravam com pena, eles com certeza sabiam dessa notícia, mas no final de tudo, era meu nome que estaria na lama, eu que sofreria as consequências.

__ Não se preocupe, vamos resolver isso! _Kris deu um passo na minha direção, mas recuei, as lágrimas desciam, porém não reagi a elas.

Eu sabia que se continuasse ali minha vida seria um inferno, então corri para longe deles, suas vozes gritando meu nome podiam ser ouvidas, na verdade tomei a saída de emergência, eram vários lances de escada, mas eu só queria sair daquele lugar horrível. 

Quando avistei a rua, corri em disparada, ouvi as vozes dos rapazes saindo do elevador, mas não queria saber, o quanto mais longe ficasse dessa gente louca, melhor pra mim, corri esbarrando nas pessoas, porém queria poder me transportar de volta para minha casa, para os braços do meu pai, onde tudo era simples e fácil.

Me vi perdida naquela imensa cidade que mal conhecia, estava sem meus documentos ou dinheiro, então sentei no meio fio pedindo a Deus que mandasse uma providência divina, porque para aquele mundo eu nunca mais voltaria.

__ Olá?! _levantei a cabeça e uma moça, talvez da minha idade tocava meu ombro. __ Você está bem? _ela me encarava preocupada.

__ Sim, estou bem sim! _forcei um sorriso, pois era a pura mentira, eu não estava nada bem.

__ Pode até parecer engraçado, mas minha mãe me mandou aqui! _ela disse e eu franzi o cenho. __ Parece loucura, na verdade algo impossível de acreditar, mas ela é um tipo de monge e antes de eu sair, falou que se encontrasse uma garota de cabelos curtos e óculos vermelhos, que estivesse sentada no meio fio, levasse até ela. _levantei uma sobrancelha, pois aquilo era muito suspeito. __ Minha mãe é muito doida, então não acreditei, mas a descrição dela bate com a sua!

__ Você deve está me confundindo com alguém, eu nem te conheço! _respondi.

__ Também nem faço ideia de quem seja, mas parece perdida! _olhei ao redor e ela estava certa, eu estava perdida. __ Olha só, tenho uma entrega de frango agora... _apontou para uma pequena moto de entrega estacionada. __ Se quiser ajuda pra voltar pra casa, posso te ajudar! Me espera aqui e volto logo! _assenti ainda desconfiada e a garota correu até sua moto.

Fiquei sentada ali por um bom tempo, olhando as pessoas desconhecidas na rua, meu pai sempre ensinou a não confiar em estranhos, mas fui confiar em conhecidos e me ferrei feio, aquela garota era estranha, podia ser mais um desses paparazzi querendo me expor, mas eu não tinha escolha, estava perdida.

Não demorou muito para que a garota voltasse, levantei do meio fio e lhe segui até a moto, a mesma perguntou se eu estava com fome, assenti tímida, então ela me levou até a loja de frango frito de sua família, era um lugar limpo e agradável, como já havia anoitecido, não tinha muitos fregueses.

__ VOLTEI OMMA! _a garota gritou e de dentro uma mulher baixinha, de toca no cabelo e colares no pescoço, surgiu limpando as mãos.

__ Não precisa gritar, menina! Estou velha, não surda! _quando a mulher me viu, seus olhos se arregalaram e correu saindo detrás do balcão. __ Meu Deus! É ela! Você a encontrou! _franzi o cenho recuando.

__ Encontrei omma, encontrei ela! Essa é a... _a garota se virou pra mim. __ Qual seu nome mesmo?

__ Meu nome é... meu nome é Gisele! _respondi meio hesitante.

__ Como você está criança? _a mulher pegou minhas mãos.

__ Bem?! _ela estava me assustando.

__ Buda veio até mim e disse que eu devia encontrar você e lhe manter segura! _disse me encarando de um jeito doce.

__ Buda? _franzi o cenho.

__ Sim! Deus veio até mim e pediu para cuidar de vocês!

QUÊ? Vocês??

__ Vocês quem, omma? Ela estava sozinha! _sua filha disse cruzando os braços.

__ Ela e o pequeno! _tocou minha barriga sorrindo.

Não pode ser!!!

OITO MESES DEPOIS

Descobri que minha fuga me levou para as fronteiras de Seul, bem longe de qualquer um que pudesse me achar, a omma NaNa e Li Ah cuidaram de mim desde que coloquei os pés naquela loja de frango frito, ali estaria protegida da mídia e de ChanYeol.

Três dias depois da minha fuga, voltei no meu antigo prédio com Li Ah escondidas para pegar meus itens pessoais, documentos e o Batatinha que estava muito magro e triste, até parecia que foi abandonado por ChanYeol ali, saímos de fininho para que ninguém notasse.

Evitei qualquer contato externo e até joguei o celular no rio Han para que não fosse localizada, o Dumbo não podia nem sonhar que eu estava grávida dele, se voltasse para o Brasil ele me acharia, então decidi ficar com NaNa e Li Ah trabalhando na loja como balconista.

Havia entrado no meu oitavo mês de gestação, estava grávida de um menino, a Li Ah era a que mais paparicava dizendo que era a tia e ninguém lhe tiraria o título, às vezes eu me pegava pensando que para a omma foi Buda que falou com ela, mas para mim, o próprio Cristo lhes enviou para cuidar de mim e do meu filho.

Como estava no fim da gravidez, encurtei ainda mais os cabelos para facilitar, vamos dizer que fiquei uma grávida linda, todos que entravam na loja falavam isso, a maternidade muda uma mulher e isso era fato.

O trabalho na loja não era pesado e ia até tarde, os meses que passei lá foram únicos, meu bebê crescia forte e saudável, às vezes me pegava pensando sem ChanYeol, em como estava, desde que desapareci não vi mais notícia do mesmo na mídia, como se tivesse sumido também.

Em uma noite daquelas bem chuvosas, não haviam clientes na loja e eu estava distraída em uma revista de bebês, foi então que o sino tocou, levantei a cabeça e um homem alto, com um sobretudo entrou, ele estava bem molhado, sacudiu a cabeça se livrando da água nos cabelos.

__ Posso ajudá-lo, ahjussi? _perguntei e lentamente ele levantou a cabeça, então nossos olhos se encontraram.

Foi uma mistura de surpresa e pânico, nos encaramos com os olhos arregalados, ele parecia surpreso em me ver ali e eu... bem, eu estava tremendo até o último fio de cabelo na cabeça em estar diante de Park ChanYeol em carne e osso.

Seu estado não era dos melhores, parecia que um caminhão tinha passado por ele, as roupas mostravam um desleixo de sua parte, os cabelos estavam com a cor natural e todo desgrenhado, os olhos haviam olheiras horríveis e para meu espanto, ChanYeol estava barbado.

O que fizeram com ele?

__ Gisele? _ele quebrou o silêncio. __ É você mesmo? _eu não podia negar, não existiam outras Giseles naquele país.

__ O que faz aqui? _perguntei desconfiada, pois ele caminhava na minha direção.

__ Eu te procurei durante esses oito meses como louco! _disse com os olhos cansados. __ Por que fugiu? Por que me deixou sozinho naquele hospital?

__ Como se não soubesse... fui difamada por sua culpa! _respondi amarga.

__ Não tive nada haver com aquilo... eu não sabia que aquele cara estava te espionando...

__ Nem vem com essa, ChanYeol! Se tivesse sido um bom marido, isso nunca teria acontecido. _o orelhudo se aproximou do balcão, então seus olhos desceram até minha barriga.

__ Vo-você... vocé está...

__ Estou grávida! _terminei a frase me afastando do balcão. __ E se ousar tomar meu filho, eu te mato! _ele me encarou, depois a barriga e sorriu.

Parecia que foi a primeira vez que ChanYeol sorria depois de meses, ele não tinha o menor jeito e eu não fazia ideia o que aquele sorriso queria dizer, na verdade fiquei assustada, temia o grandão fazer algo contra mim e meu filho, por instinto, passei os braços ao redor da barriga.

__ É meu filho, não é?! _perguntou com o olhar ainda fixo na barriga.

__ E de quem mais seria?

Coração duro, hein?!

__ Eu senti tanto sua falta... pensei que fosse morrer! _dei uma risada baixa descrente.

__ Ele diz a verdade, querida! _olhamos ao mesmo tempo para trás e NaNa apareceu com aquele olhar místico. __ O jovem disse a verdade!

__ Como tem certeza, NaNa? Esse daí é um cínico! _virei para o maior.

__ Porque eu leio as pessoas e esse rapaz vem te procurando há muito tempo! _ela sorriu ainda olhando para ChanYeol. __ O que sente por essa mulher, rapaz? _franzi o cenho pela pergunta direcionada a ChanYeol, o mesmo pareceu confuso, então me encarou.

__ Eu não sei explicar... desde o dia que a vi foi estranho, não sabia o que estava acontecendo comigo, a única coisa que sabia era que ficar longe dela era difícil... nunca gostei de garotas mais jovens porque eram muito complicadas, mas ela era diferente, gostava de tê-la por perto, de vê-la brava, sorrindo e até dormindo... eu só podia estar louco, mas não conseguia ficar longe e fui burro em esconder isso dela, devia ter sido sincero, devia ter me arriscado, mas não fiz e acabei fazendo tudo errado, agora ela me odeia e nunca vai me perdoar... por isso estou no fundo do poço, porque a mão que me segurava, se foi e a culpa é minha. _fiquei sem palavras, ChanYeol me encarava com os olhos tristes.

__ Mas e então rapaz? Isso significa que...

__ Que eu amo essa mulher!


Notas Finais


Agora o circo vai pegar fogo e quero assistir de camarote a desgraça!

Vejo vocês nos comentários! 😉

💋💋💋 no ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...